História Noite Densa - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Personagens Originais
Tags Adrien, Amor, Amor Eterno, Beijo, Cat Noir, Céu, Chloe, Colegial, Densa, Heróis, Ladybug, Limite, Luta, Marinette, Miraculous, Miraculous Ladybug, Noite, Paixão, Paris, Plagg, Romance, Segredos, Tikki, Vilões
Visualizações 66
Palavras 2.443
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey Publico, Tudu bom hoje com vocês, espero que tenham gostado do primeiro capítulo. Segue o resto.

Capítulo 2 - Belanotche


Fanfic / Fanfiction Noite Densa - Capítulo 2 - Belanotche

NA ESCOLA 

Todos estavam ainda escrevendo seus criativos textos ou prosas durante a aula, todos sim concentrados em suas tarefas menos duas pessoas. Adrien e Marinette. Adrien não conseguia transmitir seus sentimentos pela sua amada Lady ao papel e acabava se deprimindo e Marinette não conseguia parar de olhar e apreciar o tal loiro.

Marinette não tirava os olhos do tal loiro, ele para ela era incrível e assim se desconcentrava na hora de fazer sua redação.

>> Uau, eu não sei o porquê mas sempre nessa aula de Letras o Adrien fica pensativo, sempre escrevendo um poema e depois jogando no lixo... O que será que tem naquele papel? << 

Marinette só pensava nisso e no Loiro em todas as aulas de Letras; até que decidiu agir finalmente e logo decidiu tentar ler o poema dele, só que...como? Simplesmente, algo chamado câmera do telefone ( essas tecnologias e salvações , aleluia ). 

Marinette pegou seu telefone, claro , escondido da professora Borgeus de Letras e assim , sem mesmo pensar em suas ações, esticaria seu telefone sob a mesa e com seus dedos da mão direita daria um zoom e após, apertaria na opção de tirar a foto. Ao tirar, esqueceria de tirar o Flash e o Som do Telefone, já alertando alguns alunos perto inclusive o Adrien que se viraria para atrás e se indagaria com a mesma Marienette.

Adrien: Marinette...hãm, você estava tirando foto?

Marinette( Tentando não corar): E-u-eu..que?! Na-na-não.

Chloe( Ouvindo toda a conversa ): Olha só, Professora, a Marinette está usando o telefone no meio da aula!

Marinette viraria seu rosto em um estilo de versão cinema, 360 graus em direção a mesma Chloe e expressaria uma face de ódio, sem mesmo ter medo de escondê-la.

Professora Bourges ( Se aproximando de Mari ): Ela está falando a verdade, Marinette?

Marinette( Deixando sua cara de ódio para uma de decepção ): Er...sim Senhorita Bourges.

Nesse momento, Chloe soltaria um risinho debochado escondido, porém , Marinette sabia e conseguia sentir pelo seu radar de ódio pela Chloe, mas , ainda com a visão e foco na professora da aula.

Professora Bourges: Bem, Terei que mandá-la a coordenação...Ainda chega atrasada e usar o telefone?! Está encrencada. Para a sala do diretor agora!

Marinette abaixaria sua cabeça e assim levantaria devagar de sua mesa, pegando em seguida sua mochila e seu caderno com seu improvisado e imcompleto texto efetuado, assim , indo em direção a sala do diretor com a atenção total dos alunos.

Chloe: Ahh garota chata. Tchau garota.

Adrien( Se incomodando ): Ei, não fale assim dela, Chloe.

Chloe: Por que não, Adrien?! Não vai me dizer que defende ela!

Adrien apenas viraria seu rosto em direção a seu poema e tentando focar-se novamente no tal texto, assim , não ouvindo nenhuma das reclamações e tentativas manipuladoras emotivas da Chloe para o mesmo. 

NA SALA DO DIRETOR 

Marinette com sua mochila posta novamente a seus ombros e com caderno aberto, andaria até a sala do diretor, assim , com passos lentos e sua cabeça abaixada chegaria lá após uns 5 minutos de uma lenta caminhada, assim , com mão esquerda apertaria maçaneta, porém ao entrar veria uma das secretárias do colégio chorando sentada na cadeira em frente a mesa do diretor, e o mesmo expressando uma cara fria porém com um olhar segurando a tristeza.

Diretor: Olha, Senhora Cortez, desculpe , sei que há 3 anos entrou aqui nesse estabelecimento, mas , não tem como a Senhora ficar mais.

Senhora Cortez: Senhor, por favor me dêê mais uma chance para mim, eu imploro.

Diretor: Meus pêzames, mas , terá que aturar com essa escuridão...

Eis, que a mesma Senhora Cortez responderia - Se é assim...Espere e verá, seu Monstro - e sairia com pressa e os olhos cheio e carregados de água, além de transmitir uma energia negativa e expressar imensa raiva pelo olhar. Sem mais nem menos, bateria com força ao ombro de Marinette a jogando na parede com o impacto.

Marinette: Ei, olhe por onde anda. ( Assim iria até a cadeira se sentando na frente da mesa do Diretor )

Marinette: Licença, senhor.

Diretor: Olá Marinette, o que temos dessa vez?

Marinette: Atraso na escola e uso de telefone...

Diretor ( Expressando decepção): Ok...Só?

Marinette( Notando o sentimento do mesmo ): Está bem, Diretor?

FORA DA ESCOLA 

Senhora Cortez estaria em seu carro com o veiculo estacionado a lateral do colégio e assim com as mãos no volante, a mesma ficaria com a cabeça entre as mãos encostada ao volante e assim começaria a chorar, um forte choro de decepção e raiva do Diretor do Colégio.
              Hawk Moth: Excelente, uma Mulher com Imensa força de vontade com sua esperança e vulnerável, além de grande raiva de um Diriginte de Escola; a vítima perfeita para meu AKUMA!

Hawk Moth assim esticaria palma direita atraindo uma de suas mariposas brilhantes e assim, colocaria palma esquerda sob a mesma mariposa na palma direita e transmitiria assim energia negativa e de seu poder para a tal, assim a libertando.

Hawk Moth: Voe meu pequeno akuma e faça seu trabalho, traga meus Miraculous!

Eis, Akuma percorreria todo caminho até em direção a carro da mesma, atravessando toda cidade de Paris, logo , ao aproximar-se do carro, passaria sob parte do metal do carro e o vidro, assim , adentrando ao veiculo e sem a mesma perceber, Akuma encontraria a mesma e contaminaria o óculos de leitura da mesma.

Hawk Moth: Belanotche, eu sou Hawk Moth, te concedo esses poderes para se vingar mas em troca quero os Miraculous da Ladybug e do Cat Noir! 

Belanotche: Sim, Hawk Moth.

Assim, Belanotche se transformaria totalmente em um estilo totalmente novo, um decot curto até os joelhos, um óculos escuros e com pontas avermelhadas e um cachecol que movimentaria-se sozinho sem representar ameaça as pessoas.

NA SALA DO DIRETOR

Diretor: Eu não queria tê-la demitido.

Marinette: Eu lhe cumpreendo, nem sempre podemos fazer algo que queremos, somos obrigados.

Diretor: Ela era tão boa..Mas sabe como é, novos profissionais necessários.

Antes mesmo de Marinette poder responder a pergunta, a porta da sala explodiria em rapidos instantes e assim, os resquicios de madeira bateriam e fincariam na mesa do Diretor , enquanto Marinette ficaria toda expremida a caderia e o Diretor de olhos arregalados ao ver a Senhora Cortez, ou melhor , Belanotche. 
              Sem mesmo pensar duas vezes, com seu cachecol, guiado aos mesmos, amarraria Marinette e o Diretor e com uma tremeda força de aperto, o amarro desmaiaria o tal Diretor e deixaria somente Marinette com imensas dores, porém , Belanotche , pegaria o Diretor com uma das pontas e a outra a Marinette, assim caminhando a uma das salas que era a de Mari e assim com um feixe de energia de seu óculos, explodiria a porta da sala de aula e assim, com um simples movimento arremessaria a garota presa no cachecol para dentro da sala , fazendo com que a mesma caísse de lado.
                Marinette assim expressaria imensa dor e ao cair ao solo e com som de explosão assustaria a Professora Bourges e os demais alunos.

Belanotche: Alunos em suas respectivas salas, JÁ!

Belanotche assim, sairia andando de corredor do lado de fora da sala em direção as Ruas de Paris com extrema calma e ao passos, alertando as pessoas e as afastando por deixar espanto e medo.

Alya: Marinette!

Eis, que todos os alunos correriam em direção a Marinette ao chão , incluindo Chloe que estaria com uma cara de espanto. Adrien seguraria a mesma com seus braços e assim a ergueria em seu colo com rapidez.

Professora Bourges: Esqueçam a Matéria, vão para suas casas, cuidado crianças, por favor.

Adrien: Deixem que eu levo Marinette para sua casa.

Alya: Como se nem sabe onde ela mora. - Todos os alunos olhariam para o mesmo Adrien concordando com a frase de Alya e com expressões de surpresas e de duvidas.

Adrien ( Expressando Vergonha ): Meu pai só compra itens da padaria de lá...a Melhor de Paris..er..não é?

Assim, todos desviariam o olhar a Adrien e com rapidez pegariam suas mochilas e itens saindo com rapidez da sala e em seguida, da Escola correndo para suas casas em grande velocidade.

MARINETTE

>> MEU DEUS, EU NÃO ACREDITO, EU ESTOU SENDO LEVADA PELO ADRIEN...NO COLO! AI JESUS MARIA JOSÉ, EU VOU MURRER AQUI, MAS CALMA , DEIXA EU VIVER AINDA << 

Ela ainda não acreditava que estava no colo do Adrien, sendo levada as pressas para a Padaria ao lado da Escola.
              Marinette apenas aproveitaria o momento e assim olharia para o Loiro sedutor e ficaria com rubor em suas bochechas e sua boca aberta por pensar na cena; Adrien ao meio de corrida olharia para a mesma e veria como estaria a tal e assim, ficaria um pouco corado ao vê-la e mostraria um leve sorriso em sua boca, fazendo com que a Marinette corasse mais ainda e soltasse um riso de vergonha ao mesmo.

Após chegarem, Sabine sairia de trás do balcão e iria correndo em direção a sua filha.

Sabine: Marinette!!

Marinette: Calma mãe, estou bem...

Sabine: O que houve?

Adrien: Um daqueles casos de pessoas que ficam do mal, atacou a escola e a Marinette foi vítima dela.

Sabine: Ai meu deus, ainda bem que está bem minha filha, seu pai não está, foi fazer uma entrega mas telefonarei para voltar.

Adrien: Senhora, eu tenho que ir, Tchau Mari, Tchau Senhora. ( Diria deixando a Marinette ao chão e a mesma expressaria um face de desapontamento )

Marinette: Bem, aproveitando, eu tenho que subir mãe, limpar as feridas no rosto e bem sabe...me esconder caso a pessoa volte.

Sabine: Tem razão, vá , eu fecho a loja por hoje.

Marinette concordaria com sua mãe mexendo a cabeça, assim , ao chegar ao andar das escadas dos fundos, logo , subiria a um nível bem afastado da mesma moça e assim abriria sua bolsinha que de lá sairia seu Kwami, Tikki.

Marinette: Pronta Tikki?

Tikki: Sempre a dispôr, Mari.

Marinette: Ok então, Tikki Transformar!

Assim, Marinette , passaria pela sua transformação ficando com aparência e roupas de Ladybug, logo , abriria janela a suas costas e pegando seu Iôiô, miraria sob prédios pertos do que estava e assim iria pelas ruas a procura do akumatizado.

ADRIEN

Adrien, este, correria para um beco perto da Padaria da Familia de sua amiga Marinette e assim, puxaria parte de sua jaqueta para o lado saindo o mesmo Kwami, Plagg de dentro.

Plagg: Pensou me usar algo chamado desodorante, que fedor Adrien.

Adrien: Menos papo e mais ação.

Plagg: A não, agora não , por favor!

Adrien: Plagg, mostrar as garras!

Assim, Adrien passaria pela transformação e ficando comas vestimentas de Cat Noir e em seguida, iniciaria incriveis e altos saltos pela cidade de Paris a procura de sua parceria Ladybug e da pessoa akumatizada.

A CAMPO ABERTO PERTO DA TORRE EIFFEL

Belanotche: Não me reconhece , Diretor?

Diretor:Ah...meu....Deus...Senhora Cortez!

Belanotche: Ex- Senhora Cortez, agora é Belanotche.

Diretor: Por favor, Senhora Cortez , não me machuque, eu te devolvo o emprego se quiser, eu faço tudo, mas por favor não me machuque.

Belanotche: Digamos que seja tarde demais, você encontrará a escuridão de Belanotche, agora , Adeus. 
             Belanotche assim, soltaria o mesmo de cima da torre Eiffel a campo aberto e o vendo cair sem piscar seus olhos sob seu óculos escuros.  Porém, chegaria ao fim a sessão de horror, com a chegada de Ladybug que com seu Iôiô prendido a perna do mesmo, seria puxado em direção a tal heroina e com um futuro e rapido golpe de Cat Noir, o mesmo esticando seu bastão, seria posto ao ar e pegaria o tal Diretor sob seus braços e assim, desceria com o mesmo até o chão de Paris, o soltando.

Ladybug: Se acalme, senhor, agora saia daqui, nós resolvemos apartir de agora.

Diretor: Muito obrigado, mesmo Ladybug( Diria correndo de tal local )

Cat Noir: Uau, My Lady, você está mais bonita hoje ou é impressão?

Ladybug: Agora não gatinho, temos que resolver aquilo ali antes.

Belanotche, eis pularia sob os mesmos e com rápidos movimentos, efetuaria dois cortes com seu cachecol sob os rostos dos tais e em seguida partiria para cima de Ladybug. 
              Cat Noir com seu bastão efetuaria corte e nível da barriga da mesma, assim a afastando de sua Lady e em seguida chamando atenção da akumatizada.

Cat Noir: Chamei atenção do bafo de ostra?

Belanotche: Alunos malcriados devem aprender a lição.

Belanotche eis partiria para cima do mesmo, porém impedinda ao ser englobada pelo Iôiô de Ladybug e assim a prendendo o maximo possivel.

Ladybug: Cat Noir, os óculos, a maioria das secretarias tem um de leitura. Deve ser ali onde está os akumas.

Cat Noir: Deixe comigo , Bugboo. - Assim, o mesmo faria seus movimentos com seus braços e logo diria - Cataclismo - acionando sua habilidade de destruição e em rapidos movimentos pularia em direção a Belanotche tocando já em seu óculos que seria desintegrado, pelo toque.

Cat Noir: Opa, acho que isso não te pertence, não mais.

Ladybug, assim , soltaria seu Iôiô, já o levando até a mesma e observando o Akuma ao ar e tocando nele, assim , fazendo com que abrisse e liberasse um enorme brilho.

Ladybug: CHEGA DE MALDADE AKUMA! HORA DE ANIQUILAR A MALDADE.

Ladybug em um unico movimento pegaria a tal mariposa e assim, ao pegá-la purificaria a mesma e já a soltaria novamente em sua forma pura e com a Belanotche já ao seu estado normal e por ter nenhum estrago ou dano a Paris, ficaria tudo ao normal.
             Ladybug e Cat Noir bateriam os punhos e dizendo seu Zerou.

Ladybug: Bem Cat, acho que dessa vez durarei mais..já você.

Cat Noir: Eu posso arriscar por você, My Lady.

Ladybug: Que fofo de sua parte, mas não precisa.

Cat Noir: Ladybug, sempre que precisar de mim estarei aqui.

Cat Noir, em um ato de coragem se aproximaria da mesma e assim, a agarraria pela cintura com seu braço direito e aproximaria cabeça a da mesma, deixando Ladybug super desajeitada e confusa. No entanto, ao aproximar desviaria de boca da mesma e chegando perto de seu ouvido dizendo - My Lady, estarei sempre aqui com você...

Após frase, Cat Noir por bipes de seu anel, já sairia de local com ajuda de seu bastão especifico e deixando a mesma Ladybug no local pensativa com a frase e com uma imagem do mesmo na cabeça.

MOMENTO AUTOR 

E AI GALERIS, O QUE SERÁ QUE LADYBUG FARÁ DEPOIS DISSO? SERÁ QUE MUDARÁ ALGO ESSA ATITUDE DO CAT NOIR?

 


Notas Finais


Pessoal, tudo que tiverem duvidas podem me perguntar ou sujeitões nos comentários ok? Valeu povo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...