1. Spirit Fanfics >
  2. Waiting For Love >
  3. ♛ Chapter I ♛

História Waiting For Love - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bem vindos 💖💖<br /><br />“Waiting for Love” é o primeiro livro da série de mesmo nome e da início a trilogia de Blair Graham. Esse livro foi escrito por mim e postado no Wattpad no dia 26 de Novembro de 2018, mas decidi postar o livro aqui também. Escrevi a história com muito carinho e espero que vocês gostem de ler tanto quanto eu gostei de escrever ❤️

Capítulo 1 - ♛ Chapter I ♛


Blair


Acordei com o despertador gritando, tomei banho e fiz minhas higienes pessoais, vesti uma calça jeans preta, uma blusa de manga curta branca, um casaco preto e calcei meus tênis. Penteei meus cabelos e fiz uma trança escama de peixe, peguei minha mochila e desci correndo. 


Joguei meus pertences no sofá e adentrei a cozinha, comecei a preparar o café da manhã. Fiz panquecas e coloquei-as nos pratos; fiz o suco verde da Willa e o coloquei perto de seu prato; fiz o café do tio Bart e o coloquei na mesa; fiz também o chá da tia Margarida e o suco de laranja da Anna, coloquei tudo na mesa e corri pra cozinha outra vez; peguei o chantilly, as frutas e o mel, coloquei-os no centro da mesa.


Peguei uma maçã e minha mochila, caminhei até a escola.


— Blair! — Tori fala e me abraça — Porque levou tanto tempo pra chegar hoje? 


— Acordei meio atrasada... — Falo.


— Hmm... — Ela murmura enquanto adentrávamos a sala de aula — E aí? Você viu a reportagem sobre a entrevista que a família real deu ontem?


— Não... — Falo me sentando — Você sabe que eu não presto atenção em política...


— E porque acha que eu presto? Assisto as reportagens por causa do príncipe... — Ela fala e eu reviro os olhos rindo.


— Ele nem deve ser tão bonito assim... — Digo pegando meus materiais.


— Você por algum acaso já viu alguma foto dele? — Ela pergunta.


— Não faço questão.


— Eu vou te mostrar agora mesmo! — Ela fala pegando o celular.


— Senhorita Woodwork, celular desligado na mochila agora — O professor fala adentrando a sala.


— Aff... — Ela fala guardando o celular — No almoço eu te mostro...


— Ok... — Falo rindo.


O professor começa a aula e eu presto muita atenção, pois tenho uma certa dificuldade em história. 


Assim que todas as aulas acabam, Tori e eu fomos almoçar em um restaurante próximo a escola.


— Meu pai quer que eu me mude pra casa dele em Kent... — Ela fala — Mas eu não quero morar com ele... Gosto de morar com minha mãe e com Edgar... 


— Fala pra ele que não quer morar com ele... — Eu falo e bebo meu suco.


— Não posso! — Ela fala — Ele iria ficar muito triste...


— Tori... 


— Já sei! — Ela fala — Vou pedir pra minha mãe falar pra ele que quer que eu continue morando com ela..


— Excelente ideia — Falo para encerrar o assunto.


— Quase me esqueci! — Ela fala pegando seu celular — Tenho que te mostrar uma foto do...


— Espera! — Falo pegando meu celular que tocava — É a minha chefe...


Caminho até um canto e atendo o celular.


Blair, querida, tudo bem? 


Oi, Cassandra... Tudo e você? 


Eu to ótima... Então, será que você pode vir aqui agora? É que a Luciana passou mal e foi pra casa, o café tá começando a encher... 


Eu posso, mas é que eu ia fazer hora extra à noite...


Eu te pago pra trabalhar nos dois turnos... Te pago cada hora extra que fizer...


— Estou indo... 


Blair... Já te disseram que você é um anjo?


Não... — Respondo rindo — Mas obrigada pelo elogio...


Até daqui a pouco...


Até...


Desligo o celular e volto pra mesa.


— O que era? — Tori pergunta.


— Tenho que ir... Você paga? — Falo e entrego o dinheiro pra ela.


— Pago... Eu passo no café mais tarde... 


— Ok... Tchau Tori..


— Tchau Bee...


Caminho rapidamente até o café. 


— Blair, meu anjo! — Cassandra fala e me abraça — Muito obrigada por vir... 


— Você já me ajudou tantas vezes, Cassandra... — Falo.


— Eu vou te pagar ok?


— Ok... Eu vou me trocar...


— Ok... Vai lá...


Sorrio e caminho até o vestiário, prendo minha mochila em um dos ganchos, coloco meu avental e prendo meu broche de identificação. 


Caminho até o balcão de pedidos, Rosa fala:


— Oi Blair! — Ela me entrega uma bandeja com dois cafés — Mesa oito...


— Ok...


Pego a bandeja e entrego os pedidos. Logo, o café começa a esvaziar e alguns dos funcionários começam a ir embora, de repente, Tori aparece chorando e eu corro até ela.


— Tori! Tá tudo bem? — Pergunto e ela me abraça.


— Não! — Ela fala ainda chorando.


— O que aconteceu? — Pergunto — Senta aqui... — Falo apontando pra uma cadeira.


— Meu pai... — Ela fala se sentando — Nós brigamos feio... Ele apareceu lá em casa hoje à tarde, eu disse que não queria me mudar pra Kent, ele disse que vai entrar na justiça pra conseguir minha guarda...


— Mas, Tori...


— Eu sou menos de idade... Ele pode conseguir minha guarda... — Ela fala fitando o chão.


— Oh, Tori... Queria poder fazer alguma coisa... — Falo.


— Não há nada que ninguém possa fazer... — Ela fala.


— Eu vou buscar um copo d'água pra você... — Falo e ela assente.


Caminho até o balcão, Rosa fala:


— Blair, o que aconteceu com sua amiga?


— Ela está com alguns problemas com o pai... — Falo — Pode pegar um copo d'água por favor?


— Claro... 


Rosa me entrega um copo d'água, agradeço e o levo até Tori, depois que ela se acalma, eu falo:


— Tori, é melhor você ir pra casa, descansar e amanhã você conversa mais civilizadamente com seu pai...


— Você acha que ele vai me ouvir?


— Eu espero que sim... Não quero perder minha única amiga... 


Ela sorri e me abraça.


— Obrigada por me ouvir... — Ela fala.


— Os amigos estão aí pra isso... — Falo.


— Tchau Bee... — Ela fala e me abraça outra vez.


— Até amanhã, Tori... — Falo.


Ela sorri e vai embora, continuo atendendo algumas pessoas até que chega a hora do café fechar.


— Tenho que ir, Bee... — Rosa fala saindo de dentro do vestiário — Você fecha?


— Claro... — Falo e ela me entrega a chave.


— Obrigada... Até amanhã... — Ela fala.


— Até... — Eu falo e ela sai. 


Todos os clientes já haviam saído, com exceção de um homem estranho, que estava sentado em uma mesa excluída lendo um jornal a horas. Caminhei calmamente até a mesa dele.


— Com licença, senhor, mas já está na hora de fecharmos o café... — Falo.


Ele estala a língua e joga o jornal na mesa, reviro os olhos e me afasto. Arrumo algumas coisas no balcão e começo a limpar as mesas. Na hora que fui me virar, acabei esbarrando no homem arrogante.


— Desculpe, senhor... — Falo.


Ele revira os olhos, pude ver mesmo por trás dos óculos de sol que ele usava.


— Olha, eu não sei o que eu fiz pra você ser tão arrogante comigo. Eu sou só uma atendente que está tentando trabalhar e não merece receber toda essa arrogância... 


— Você por algum acaso sabe quem eu sou? — Ele pergunta.


— Não, e também não faço questão de saber... — Falo.


— Sério? — Ele pergunta tirando os óculos e o chapéu — Não me reconhece?


— Quem é você? Justin Bieber pra andar disfarçado por aí? — Pergunto — Não sei quem você é... 


Estava prestes a sair, mas ele me segurou pelo pulso.


— Ei! — Falo.


— Blair... Certo? — Ele pergunta lendo meu broche.


— Sim... E você?


— Eu sou... Ahm... Josh Diaz... — Ele fala.


— Ok, Josh, eu tenho que fechar o café, então, se não se importa, preciso que o senhor se retire... 


Ele sorri, coloca uma nota de 100 euros sobre a mesa e caminha em direção a porta.


— Senhor, um café custa 6 euros, não 100... — Falo.


— Pode ficar com o troco... — Ele fala sorrindo e sai.


Peguei o dinheiro e coloquei dentro do caixa eletrônico. Caminhei em direção ao vestiário, tirei o avental e peguei minha mochila, sai de dentro do café e tranquei as portas, quando cheguei na esquina, aquele tal de Josh apareceu.


— Quer me matar de susto? — Pergunto.


— Perdão, Blair... — Ele fala rindo.


— Eu tenho que ir... — Me afasto dele, mas o mesmo me segue — Sabia que eu posso te processar por perseguição?


— Eu duvido que consiga alguma coisa com isso... — Ele fala — Porque não me fala mais a seu respeito...?


— Porque você é só um cara grosso que apareceu no café que eu trabalho... Porque eu falaria a meu respeito pra você?


— Achei que fossemos amigos...


— Você é anormalmente perturbado... — Falo andando mais rápido.


— Blair! — Ele fala andando mais rápido que eu e ficando na minha frente — Eu sou só um garoto de 17 anos com uma dificuldade tremenda para fazer amigos... Quem é você?


— Sou uma garota de 15 anos que está prestes a perder a única amiga... — Falo — Agora, eu tenho que ir... 


Abro o portão da minha casa e entro.


— Adeus, Josh.


Tranco o portão e entro dentro de casa, adentro a cozinha e começo a preparar o jantar. Coloco a refeição sobre a mesa e meus tios vem comer, assim como Willa e Anna. Volto para a cozinha e janto, depois vou pro meu quarto, tomo banho e visto meu pijama, estudo um pouco e adormeço.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...