História Waking the Fallen - Capítulo 20


Escrita por: e MrsHanerr

Postado
Categorias Avenged Sevenfold
Personagens Johnny Christ, M. Shadows, Personagens Originais, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Tags Avenged Sevenfold, Bruxa, Drama, Híbrido, Lobos, Romance, Sobrenatural, Syn Gates, Synyster Gates, The Rev, Vampiro, Zacky V, Zacky Vengeance
Visualizações 30
Palavras 4.193
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos ver o dia seguinte da festa.
Será que o Zacky vai conseguir falar com a Sammy?
Será que ela vai descobrir que sabotaram o possante dela?
Veremos isso agora
Boa leitura

Capítulo 20 - Nightmare


Fanfic / Fanfiction Waking the Fallen - Capítulo 20 - Nightmare

O pessoal continuou na festa, beberam tanto que acabaram deitando no sofá ou em qualquer coisa macia que viram. Johnny acordou com dor nas costas porque Jimmy tinha deitado em cima dele, jogou o baterista para o lado e se levantou reclamando de dor.

Brian estava com seus braços ao redor de Jess, com seu pescoço na nuca dela, ela acordou sentindo a respiração calma dele e com cuidado virou de frente para ele. Beijou a ponta de seu nariz e sorriu quando ele se mexeu, mas não acordou.

Então se levantou, pegou uma roupa fresca e foi tomar banho. Colocou a roupa enquanto Brian ainda dormia, deixou-o dormindo e desceu para a cozinha. Riu quando viu os amigos todos jogados, pegou uma xícara com café e cookies, encostada no balcão, pensando em como estava feliz por estar novamente com o moreno.

Jess terminou de tomar seu café, lavou sua xícara foi quando sentiu beijos em seu pescoço, riu e virou olhando para o homem a sua frente. Deu um selinho em seus lábios e passou seus braços ao redor do pescoço dele.

 

- Vai sair hoje? - Brian perguntou acariciando a cintura da ruiva.

- Sim, vou para a faculdade acertar algumas coisas, por que?

- Nada não, hoje à noite nós vamos sair, ok? Quero te levar em um lugar. - Disse e colocou seu rosto no pescoço cheiroso dela.

- Você está muito carente, amor. - Sentiu Brian ficar tenso, ela faz carinho nas costas dele e ele relaxou.

 

Ela percebeu que era a primeira vez que o chamava de amor, não sabia se deveria ter falado mas ele não a repreendeu. Brian levou o rosto e sorriu, como ela amava aquele sorriso!

 

- Estou mesmo, meu amor, ontem nós não fizemos nada, entretanto hoje eu quero matar a saudade de você. - Ele a beijou profundamente, tocando seus lábios nos dela rapidamente, porém partiu o beijo logo. - Vou para o estúdio hoje para ver alguns solos...

 

O casal ficou conversando na cozinha, enquanto Brian tomava seu café da manhã, logo os outros começaram acordarem e reclamarem sobre dor no corpo.

Zacky levantou da cama, pensou em conversar com a morena, mas não teve coragem. Ele foi ao banheiro, lavou o rosto, desceu as escadas e foi a cozinha, viu Jess e Brian se beijando, fez uma careta.

 

- Vão para o quarto! - Pegou um pedaço de bolo da festa dentro da geladeira e comeu.

- Não enche! - Brian reclamou. - Não esquece que hoje tem que ir pro estúdio, hein.

- E eu tenho escolha? - Zacky pegou uma coxa de frango assado dentro do forno e comeu. - Estou caindo fora. Vocês sabem onde está o Jimmy?

- Ele deve estar no quarto dele, levantou com dor nas costas e foi para lá. – Jess respondeu.

- Obrigado pela informação. - Agradeceu e saiu da cozinha.

 

Zacky andou e foi ao quarto de Jimmy. Ele socou a porta, algumas vezes, Jimmy queria deitar pois estava com muita ressaca, ele se levantou da cama com a mão nas costas e atendeu a porta.

Viu que era Zacky, então o mandou entrar, ele sentou na cadeira da escrivaninha, Jimmy deitou na cama.

 

- Não sei o que fazer, Jimmy.

- Qual é a novidade? - Jimmy fez uma pergunta irônica.

- Em relação a Sammy... - Jimmy se levantou e sentou.

- O que você quer? Ela não entende o que acontece com você, ela estava esperando que você tomasse uma atitude, mas você se mandou e isso a magoou. Você só tem feito isso ultimamente para menina.

- Não precisa me lembrar, eu não sei o que está acontecendo. Agora podemos ficar juntos, eu sou um vampiro e ela é uma bruxa, já gostava dela antes... É complicado. - Zacky colocou as mãos no rosto.

- Não é complicado, você que é, depois da Gena não abriu seu coração, agora está apaixonado pela Sammy, por isso age como um idiota. - Jimmy deu um tapa na nuca de Zacky.

- Tenho medo dela me rejeitar, ou me mandar para o inferno... Eu a magoei e não mereço o perdão dela. - Suspirou pesadamente.

- Bem, o único conselho que posso te dar é fale com ela, o não está garantido, corra atrás do sim. - Eles se abraçaram.

 

Simultaneamente, Sammy sentou na cama, o seu celular tocou, ela achou que fosse seus pais desejando feliz aniversário atrasado. Ela pegou o celular em cima do criado mudo, viu que era sua mãe e atendeu.

 

- Fala mãe. - Coçou os olhos.

- Feliz aniversário, com tudo aqui, não te ligamos ontem. - A mãe dela parecia chapada. - Você precisa vir aqui para casa.

- Por que? - Sammy ficou confusa.

- Seu pai... - Ela se levantou da cama.

- O que tem ele?

- Seu pai morreu e você precisa estar aqui em LA para o velório.

- Estou indo agora para aí. - Desligou.

 

Sammy abriu o guarda roupa, chorando muito. Pegou uma calça jeans e uma camiseta preta, se vestiu rapidamente. Colocou o AllStar preto, amarrou o cabelo com elástico, jogou as chaves do carro na bolsa.

Não estava acreditando que havia perdido seu pai, ela chorou muito. Zacky bateu em sua porta, ela pediu para que entrasse. Ele entrou, a morena revirou os olhos, viu que ela estava chorando e sentou ao seu lado na cama.

 

- Sammy, eu quero muito falar com você sobre nós...

— Eu não tenho tempo para isso, meu pai faleceu e eu tenho que ir a LA agora. — Voltou a chorar.

— Quer que eu vá com você? — Balançou a cabeça negativamente. — Quando você voltar promete que vai me escutar, pelo menos?

— Sim, eu prometo. Preciso ficar sozinha, agora.

 

Zacky deu um beijo no alto da cabeça da morena, saiu do quarto dela, assim ela pôde voltar a chorar novamente.

            Meaghan saiu bem cedo da mansão. Ela não queria que desconfiassem de alguma coisa, então agiu naturalmente, ou seja, como uma vadia. Saiu para fora da mansão, pegou seu celular, digitou o número de Thomas e disse a ele que o trabalho já estava feito, ela cortou os freios. Depois de contar para ele, Meaghan ficou esperando-o ali na frente mesmo, quando ele chegou foi até ela.

 

- Vamos ficar em um local mais escondido. - Ele disse e a puxou para trás de algumas árvores.

- Ai, vai devagar, Tommy. - Thomas odiava que o chamasse assim pois somente seus pais o chamavam assim.

- Não me chame de Tommy! - Ele ficou bravo. - Agora vamos prestar atenção.

- Ok, não vou te chamar de Tommy, Thomas... Estou muito ansiosa para ver as vadias se ferrando! - Meaghan estava animada.

 

Sammy e Jess entraram na Mercedes velha de Sammy, a morena estava chorando muito enquanto ligava o carro.

Thomas revirou os olhos e ficou atento a qualquer movimento. Sammy e Jess entraram no carro e os novatos abriram os enormes portões, o carro saiu e Thomas sorriu esperando que o plano desse certo.

 

- Finalmente! - Meaghan bateu palmas.

 

Respirou fundo, a ruiva passou a mão na coxa dela, o carro saiu da mansão, começou a passar pela estrada. Thomas e Meaghan entraram no Honda Civic que ele havia roubado para não deixar pistas. Ele começou a seguir o carro das meninas.

Sammy estava dirigindo um pouco mais rápido possível pois estava com pressa. Jess começou a perceber que tinha um carro seguindo o carro delas.

 

- Sammy, tem um carro nos seguindo. - Olhou para trás, preocupada.

- Tem certeza, ruiva? - Sammy perguntou enquanto ajeitava o espelho dentro do carro e posicionou vendo o carro.

- Sim, um Honda Civic... O que vamos fazer?

- Às vezes, ele quer me ultrapassar... Eu vou dar passagem. - Sammy colocou no acostamento, mas o carro continuava no mesmo local. - Merda! Deve ser o caçador!

- Você lembra de algum feitiço? - Perguntou procurando seu celular na bolsa

- Não tenho como fazer um carro desaparecer... Sei lá, alguma sugestão? - Sammy acelerou mais o carro voltando para a estrada.

- Não, cadê a porra do meu celular? - Continuou procurando, mas estava nervosa demais. - Não sei o que vamos fazer.

- Vou tentar despista-lo igual nos filmes, eu vou entrar na saída para Long Beach e dentro da cidade, eu estaciono o carro e a gente vai a LA de metrô.

 

Sammy acelerou mais o carro, ela ficou na pista para Long Beach, ela foi trocar a marcha, precisou usar o freio, ficou apertando e não estava funcionando.

Sammy entrou em desespero, ficou olhando para estrada, ela tinha que se concentrar, porque o carro estava sem freio, ela teve que desacelerar sem usar o freio. Jess olhou preocupada para amiga.

 

- O que está acontecendo? O freio não está funcionando. - Jess estava assustada.

- Sabotaram o meu freio! - Sammy ficou desesperada. - Pelo menos, estamos chegando em Long Beach.

 

Jess ficou respirando fundo, nervosa. Thomas acelerou o carro, bateu nos fundo do carro de Sammy que estava perdendo o controle da direção. Ele bateu novamente, Sammy mexeu no volante para jogar na outra pista, patinou voltando para Huntington Beach.

Ele bateu mais uma vez na lataria do carro de Sammy, jogando para a outra pista. Meaghan deu uma cabeçada no vidro da porta.

 

- Porra, presta atenção, Thomas!

- Cala boca, Meaghan!

 

Sammy avistou uma saída para Long Beach, uma descida, a morena tentou acelerar, contudo Thomas bateu novamente, fez com o carro capotasse, bateu na mureta de concreto.

Thomas bateu mais uma vez, fazendo o carro despencar caindo de uma altura de cinco metros.

Sammy bateu a cabeça, estava sangrando e desacordada. Jess estava sentindo um pouco de dor, sentiu algo estranho, conseguiu arrancar a porta, tirou Sammy. Sentia os batimentos cardíacos da amiga, ela a deitou.

Jess pegou a bolsa para ligar para mansão, Thomas pulou do viaduto, olhou para Jess, pegou uma pedra de concreto no chão e acertou a cabeça dela. Viu que a ruiva tinha desmaiado, pendurou sobre seus ombros. Meaghan entrou e dirigiu até onde Thomas estava.

Ele abriu o porta-malas, jogou a ruiva dentro dele, fechou e sentou no banco do passageiro, pediu para Meaghan dirigir até o esconderijo dele.

Enquanto isso na mansão Brian e Zacky estavam preocupados, Jess disse que mandaria mensagem ou ligaria para Brian quando chegasse. Mas até aquele momento nada, quando ligavam nos celulares delas ninguém atendia, estavam com um mal pressentimento. Vincent apareceu na sala meio desesperado como se quisesse dizer alguma coisa.

 

- O caçador está atrás das duas. - Vincent disse ofegante, pois tinha corrido até ali.

 

De repente o celular de Zacky começar a tocar, ele atende rapidamente fazendo Brian e Vincent ficarem esperançosos por uma notícia boa e não ruim.

 

- Oi, quem é?

- Sou a senhora Luna, mãe da Sammy. - Zacky ficou mais aliviado.

- Oi, ela já chegou? - Zacky perguntou e a mãe de Sammy ficou muda.

- Eu ia te perguntar se ela já saiu porque ainda não chegou e também, o celular dela está desligado... Como dá outra vez, ela me ligou do seu número e como você é o namorado dela. - Zacky colocou a mão na testa.

- Qualquer coisa, eu ligo avisando, meus pêsames, senhora. - Zacky desligou. - Brian e Vincent vamos sair porque Sammy não chegou no velório do pai dela.

Então os três foram no carro de Zacky, saíram procurando o carro de Sammy pelas ruas, mas não encontraram e o desespero bateu. Brian ainda tentava ligar no celular da ruiva, contudo sempre era a mesma coisa. Não muito longe viram algumas pessoas se aproximando de alguma coisa, saíram do carro e se aproximaram também. O carro de Sammy estava ladeira abaixo.

 

- O carro da Sammy! - Zacky gritou.

- Nós chamamos uma ambulância, eles estão vindo. - Um senhor respondeu simpático.

- Preciso saber senhor, tem duas mulheres? Uma ruiva e uma linda morena de cabelos cacheados? - Zacky estava muito nervoso.

- Não, só uma morena pelo que soube. - Ele disse meio confuso e ouviram o som da ambulância.

- Sammy! Onde a morena está? - Zacky estava aflito. - Brian procura sua garota.

 

            Ele sentiu o cheiro de Sammy, o rapaz passou pelas pessoas e o cheiro doce do sangue da morena ficou mais forte em suas narinas. Finalmente ele a encontrou, próximo ao carro, sangrando e desacordada.

Zacky abraçou forte o corpo desacordado de Sammy e começou a chorar. Ele pediu aos paramédicos se poderia acompanhar, perguntaram o parentesco, ele mentiu que era namorado da morena.

Brian estava parado, ele não sabia o que fazer e o que falar, a ambulância desceu até onde o carro estava capotado. Brian estava procurando informações com algumas pessoas que passaram por ali.

Depois Brian ficou próximo de Zacky, ele chorou mais um pouco, Brian nunca tinha visto o amigo chorar, nem quando Gena morreu.

 

- Eu vou ao hospital ficar com a Sammy, qualquer coisa ligo para você ou para o Jimmy, vai procurar sua garota, bro. - Zacky entrou na ambulância, ficou segurando a mão de Sammy, apertando a mão ferida da morena.

 

Chegando em seu esconderijo, Thomas pegou o corpo de Jess nos braços e abriu a porta, acendeu as luzes e a levou até um dos quartinhos que ele usava para guardar armas e coisas do tipo. Tinha um sofá velho bem no canto e ele a colocou lá.

Ele sabia que a culpa não era dela, porém Brian teria que pagar pelo que fez, prendeu os braços da ruiva e os pés também, pegou uma cadeira e ficou sentado vigiando-a.

            Meaghan mandou-lhe uma mensagem dizendo que Zacky e Brian já tinham visto o acidente de Sammy e que Brian estava desesperado atrás da ruiva. Ele riu e se levantou indo até ela, por sorte ele tinha pegado a bolsa dela também, procurou o celular dela e o pegou. Voltou a se sentar esperando que Brian ligasse novamente.

De repente o celular começa a tocar a música do Kiss, ele tinha que admitir que ela tinha um ótimo gosto musical, sorriu e atendeu a chamada.

- Jess, amor onde você está? - Perguntou aflito e Thomas deu uma risada. - Seu psicopata o que você fez com ela? ME DIZ!

- Calma Gates...  Eu estou com a sua namoradinha - Disse olhando para ela que ainda estava desacordada. - Quer dizer, ela está desacordada, mas está bem por enquanto.

- O que você quer, hein? Por que não nos deixa em paz? - Brian se sentia confuso, tinham se passado tantos anos que ele nem se lembrava.

- Quero que você venha até aqui, quero que veja ela morrer bem na sua frente entendeu? Você vai sofrer igual quando eu sofri quando você matou o meu pai, não se lembra? - Riu irônico. - Tantas vítimas que você nem se lembra do rosto delas...

- Cala a sua boca! Onde você está? Não se atreva a tocar um dedo nela, está me ouvindo? - Brian estava tão furioso que era capaz de acabar com Thomas. - Me passa a porra do endereço e deixa ela fora disso!

 

Thomas gargalhou, se sentia satisfeito vendo que Brian estava furioso. Ele passou o endereço de seu esconderijo para Brian e desligou antes de qualquer outra coisa. Deixou o celular na pequena mesinha e ouviu um gemido baixo como se fosse de dor, então olhou para ela, ela estava acordando.

Jess olhou para ele e arregalou os olhos meio assustada, o que estava fazendo ali e por que aquilo estava acontecendo?

 

- Cadê a Sammy? -perguntou olhando ao redor

- Ela deve ter morrido no carro, eu trouxe apenas você. - Thomas se aproximou dela.

- Por que me trouxe aqui? O que quer comigo? - Se encolheu no sofá.

- Seu namoradinho matou meu pai na guerra, sabe... Eu era uma criança rebelde que não dava a mínima para nada, mas eu amava meu pai, era a única coisa que eu amava e ele tirou isso de mim! Você é a única coisa que Brian ama, fora os amigos dele que não posso matar, você é uma humana e nada me impede de te matar...

 

Thomas pegou uma pequena maleta perto do armário onde guardava suas armas, abriu a maleta e tinha várias coisas de tortura como de filmes de terror, pegou um canivete.

 

- Se eu te machucar, ele vai ficar ainda mais nervoso... - Riu e a ruiva começou a se mexer. - Não, não tente sair daí porque vai ser pior para você.

 

Ele passou a ponta afiada do canivete na coxa que tinha a tatuagem do lobo fazendo um pequeno rasgo e ela reclamou de dor.

 

- Você é durona - Ele sorriu, isso apenas o divertia então pegou uma faca média. - Quero ver se é durona agora.

 

O caçador fez um rasgo um pouco maior na outra perna, o contato do metal contra a pele branca de Jess, fez a ruiva gritar de dor, pois ardia demais e o sangue começou a sair.

Thomas não iria estuprá-la, nem algo do tipo, pois ele achava que isso não era necessário, isso não deveria se fazer. Apenas pegou outra faca ainda maior e começou a fazer cortes na pele da ruiva que só sabia gritar de dor.

Brian chegou no local que Thomas tinha passado o endereço e ouviu gritos, se desesperou, abriu rapidamente a porta, correu até onde ele sabia que vinha o som, deu um chute na porta, viu Jess toda machucada e Thomas com uma faca grande na mão.

 

-Ora, ora, olha só quem apareceu ruivinha...

 

Já no hospital, os médicos levaram Sammy para o centro cirúrgico, Zacky andava de um lado para outro, nervoso com a situação.

Saiu para fumar um cigarro, deu um trago, estava preocupado com sua garota, pensou que não pode dizer o que sentia para ela, o tempo que perderam separados. Tudo por sua própria culpa, cruzou os braços, deu um trago e soltou a fumaça no ar, soprou um vento. Precisou a morena estar entre a vida e a morte para ele finalmente entender o que sentia por ela. ZACKY AMAVA SAMMY!

Só poderia ser amor, ele faria qualquer coisa para tê-la de volta ao seu lado, seria a primeira coisa que ele diria quando a morena abrisse seus olhos cor de avelã para ele. Precisava sentir a pele morena dela, o cheiro pela manhã, ouvir as mesmas músicas, fazerem amor, olhar o sorriso dela, vê-la dormindo e acordando ao seu lado.

Zacky largou o cigarro, jogando fora. Entrou novamente no hospital, colocou as mãos nos bolsos, respirou fundo e suspirou. De repente, a equipe medica estava fugindo de dentro do hospital, as luzes começaram a piscar como num filme de terror. Zacky não entendeu como um hospital daquele porte não tinha geradores, os vidros começaram a trincar, o hospital começou a alagar, agua descia das paredes, uma planta que estava na mesa de centro da recepção da emergência incendiou-se do nada.

Zacky entendeu que era os poderes de Sammy se manifestando, ela poderia destruir o hospital inteiro, cheio de pessoas doentes. Aconteceu um pequeno tremor no chão, ele pegou o celular, procurou o contato de Vincent, ligou para o feiticeiro rapidamente, mas caiu na caixa postal.

 

- Vince aqui é o Zacky, cara você tem que vir ao hospital imediatamente ver a Sammy, antes que ela destrua o hospital, vou te mandar o vídeo da situação, cara vem assim que você ouvir essa mensagem.

 

            Zacky desligou a ligação, ele filmou a planta pegando fogo, as paredes descendo agua, o tremor, as fichas flutuando no ar. Depois Zacky foi a recepção e preencheu a ficha de Sammy, depois a recepcionista pegou a ficha no ar e começou a rezar ave maria. Ele enviou o vídeo da situação do hospital para Vincent.

Vincent viu a mensagem e rapidamente foi até o hospital que estava em uma situação ainda pior, viu Zacky andando para lá e para cá e foi até ele.

 

- Eu preciso entrar na sala onde Sammy está, acho que sei o que está acontecendo...

- Achei que morreria antes de você chegar. – Foi irônico. – Ela está no centro cirúrgico, os médicos fugiram há dez minutos.

 

Os dois invadiram o hospital, o chão tremeu, eles subiram as escadas rapidamente. Viram uma placa indicando o centro cirúrgico, eles entraram correndo.

Viram Sammy levitando, seu corpo estava tremendo e seus olhos estavam brancos, as coisas voando, algumas lâmpadas estouradas, os objetos cirúrgicos em chamas. Zacky ficou apavorado, mas Vincent não o deixou se aproximar. Vincent se aproximou e abriu um de seus livros velhos achando o que queria.

 

- Cadê, cadê... - Vincent folheava o livro até achar o que queria. - Achei!

- Ajuda ela, logo!

 

Ele olhou bravo para Zacky, colocou a mão na cabeça de Sammy, sentiu uma energia passar em seu corpo e sentiu também a presença de Charlotte. Falou algumas palavras em latim, um feitiço de reencarnação. Zacky olhava tudo atentamente e com medo.

Vincent teve a certeza que ela era reencarnação de Charlie, deu um sopro no rosto da morena, os olhos dela voltaram ao normal, mas se fecharam.

 

- Então, como está minha morena? - Zacky estava preocupado.

- Pronto, acalmei o espírito dela porque ela teve um reencontro com a Charlie. - Olhou para o vampiro - Quando esses encontros acontecem o poder é muito para um corpo humano e acaba acontecendo essas coisas.

- Como assim, a Charlie? - Zacky ficou confuso.

- Sammy é a reencarnação de Charlie, não sabia? Achei que já soubessem, Jess é reencarnação da Sophie, Sammy tem que ativar seus poderes e somente entre a vida e a morte isso pode acontecer completamente. – Explicou para Zacky.

- Por isso, ela gosta de mim? Por isso, ela fala coisas como a Charlie falava... Nunca imaginaria, elas não se parecem fisicamente... Cara o Jason vai me matar! - Zacky passou as mãos nos cabelos.

- Você não sabia, ela mesma não sabia. - Riu e deu um tapa nas costas de Zacky.

- É um pouco confuso, mas o Brian vai pirar quando souber... Quando aquele filho da puta segue em frente, bem fica com a mulher que tanto ama... Quanto tempo a Sammy vai ficar assim, dormindo? - Zacky tentou se aproximar de Sammy, mas Vincent colocou a mão no peito dele. - Qual é, cara?

- Não sei quanto tempo ela vai ficar assim, a mente dela controla tudo, se ela quiser acordar ela vai acordar, é preciso esperar apenas. - Vincent se sentou e pegou seu celular. - Até me esqueci que tinha concurso de banda do Max, Michelle vai me matar...

- Melhor você ir, eu vou ficar aqui com ela até a Sammy acordar, não importa o tempo que leve, afinal, eu vivo para sempre mesmo.

- Tudo bem, vou lá, mas se acontecer qualquer outra coisa é só me ligar.

- Claro. - Zacky pegou Sammy no colo e a tirou do centro cirúrgico. - Vou ligar para você se alguma estranha acontecer. - Zacky encontrou um quarto vago, colocou Sammy na cama.

 

Zacky ficou observando Sammy dormindo, queria saber exatamente o que estava acontecendo dentro de sua mente. Acariciou o rosto dela, deu um selinho nos lábios da morena, depois deu um beijo na testa, deitou na cama do lado dela, esperando que Sammy não demorasse para acordar de seu sono, ou seja, o que estava tendo, para contar-lhe que a amava de todo seu coração imortal.

Simultaneamente no cativeiro, Thomas puxou o cabelo de Jess e a fez olhar para Brian que tinha seus olhos cheios de lágrimas. Ele tentou se aproximar, no entanto o caçador ainda estava com a faca na mão e poderia fazer alguma a ela, ficou parado perto da porta.

 

- Você veio correndo... Está com medo que eu faça algo para ela, não é? - Passou uma faca na outra para afiá-las.

 

Brian tentou em pensar em alguma coisa para tirar Jess dali, porém não encontrava uma solução, ele teria que matar Thomas. Olhou para sua mulher e ela estava assustada. os machucados dela o deixavam com ainda mais raiva do loiro.

Thomas pegou uma estaca de madeira bem afiada e apontou para Brian, ele sabia que aquilo não mataria o híbrido, então foi até Jess.

 

- Você apertou o pescoço do meu pai até seus dedos entrarem dentro dele e depois arrancou a cabeça dele. - Thomas estava se lembrando - Ele tinha família, tinha uma mulher, filhos...  Você tirou isso dele!

 

- ELE MATOU A MINHA MULHER, ELE MATOU A SOPHIE! - Brian gritou com raiva, queria arrancar a cabeça de Thomas igual que fez ao pai dele. - ELE TIROU O CORAÇÃO DELA BEM NA MINHA FRENTE, ELA TAMBÉM TINHA UMA FAMÍLIA, AMIGOS, NÓS ESTÁVAMOS FORMANDO A NOSSA PRÓPRIA FAMÍLIA! Seu maldito pai, matou a minha esposa gravida!

 

Thomas ficou em silêncio por alguns segundos, olhando para Brian e depois para Jess, então cravou a estaca na barriga da ruiva...


Notas Finais


Sophie estava gravida quando foi morta, babado!
O que vai acontecer com Sammy naquele hospital?
Será que Brian vai conseguir salvar Jess? Ou ele vai perder mais uma pessoa?
Descobriremos nos próximos capítulos.
Beijos e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...