História Walking To Hell - Imagine incesto Jungkook - Capítulo 2


Escrita por: e PequenadoJimin

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Rap Monster, Suga
Tags Bts, Filho, Hentai, Imagine, Incesto, Jeon Jungkook, Jungkook, Mãe, Mãe+filho, Sexo, Você
Visualizações 1.198
Palavras 1.756
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltamos com continuação ❤

Ficamos muito felizes com a recepção, então resolvemos trazer logo a continuidade e espero q continuem gostando. Obg amores 💕

Boa leitura

Capítulo 2 - Pensamentos impuros


Fanfic / Fanfiction Walking To Hell - Imagine incesto Jungkook - Capítulo 2 - Pensamentos impuros


Jungkook pov's 


Já faz alguns minutos que minha mãe entrou irritada dentro do quarto e está trancada lá até agora. Pode até não parecer ,mas não gosto de brigar com ela, sempre me sinto mal depois dessas discussões ,mas ela não vê que sempre que agente briga é por culpa daquele filho de uma... Aish !

Eu achei melhor ir até o quarto dela pedir desculpas pelo ocorrido, há muito tempo que não converso com minha mãe e eu sinto falta disso. Paro ao corredor e fecho a porta do meu quarto com cautela, pude ouvir o som do chuveiro se desligando, andei devagar sem fazer muito barulho e parei em frente a porta de seu quarto.

A porta estava entreaberta, cheguei perto e abri lentamente, mas logo vi que ela saía com seu roupão e voltei rapidamente fechando a porta a observando pela brecha da porta.

Ela caminhou lentamente até sua cama com um potinho de creme nas mãos, colocou o produto em cima da cama e tirou seu roupão estando somente com lingerie preta de renda, aquilo causou fisgadas em meu pau causando certo incomodo, fiquei boquiaberto admirando seu corpo, a lingerie escura sobreassaltava-se perfeitamente com sua pele branquinha.

Ela ergueu uma de suas pernas pondo a em cima da cama, aplicou um pouco do creme em sua mão espalhando por suas coxas fartas, estava começando a ofegar com aquilo e minha mente pensava coisas sujas, eu não estava me reconhecendo, só naquele momento percebi o quanto ela era gostosa. Ela retira a perna de cima da cama e começa a espalhar pela parte lateral de suas nádegas.

Eu não estava mais aguentando, minha boca estava entreaberta e a respiração entrecortada, ela da uma ajeitada na calcinha e escapei um sussurro

- Porra... - Sussurrei e ela imediatamente olhou para a porta me surpreendendo, sem escolhas corri dali voltando para meu quarto.

Entrei em meu quarto fechando a porta com cautela, minha camisa branca já colava em meu peitoral por conta do suor frio, estava apavorado e excitado ao mesmo tempo.

Meu corpo estava em chamas...

E aquele volume ainda não ajudava, me joguei a cama olhando para o teto imaginando coisas sujas com minha própria mãe, não estava aguentando me xinguei por aquilo mentalmente, mas não evitei de por as mãos primeiramente por debaixo de minha blusa acariciando minha barriga definida e começar a descer ate o cós do meu moletom e começar a abaixar o tecido junto a cueca.

Segurei a carne quente começando a apertar levemente a glande rosada e inxada escorrendo o pré-gozo, me estremeci ao contato de meus dedos gelados naquela área tão sensível , gemi baixinho e comecei a movimentar minha mão lentamente ainda mantendo a força do aperto.

Era tão bom...

Me imaginava fodendo ela em meu colo enquanto segurava em sua cintura ditando os movimentos, depois apertei mais forte e imaginei a jogando de quatro e a fodendo sem dó.

Eu impulsionava meu quadril para o alto aumentando a velocidade de minha mão direita enquanto a outra dedilhava a glande enquanto escorria o líquido quente que deslizava em toda a extensão.

Eu não consegui conter e comecei a gemer baixo e rouco.

- Aah... S/N... Isso... - Gemi e rodeava a glande com meus dedos e já sentia minha virilha formigar, podia sentir que o orgasmo estava próximo fechei os olhos com força e entreabri os lábios ofegando insensantemente, já sentia o suor deslizar em meu peitoral, gemi alto e acabei jorrando o líquido branco que sujava minha barriga e o lençol, senti meu corpo amolecer e revirei os olhos, os movimentos agora paravam aos poucos.

Olhei para baixo vendo todo líquido espalhado por meu abdomen e sorri de canto ofegando.

- Culpa sua, sua vadia...

Sussurrei tentando controlar minha respiração os cabelos grudados em minha testa soada já estavam incomodando um pouco e resolvi tomar um banho.



××××


S/N pov's

Acordei no dia seguinte e logo já veio algo em minha cabeça, ontem estava em meu momento íntimo em meu quarto e pensei ter visto a sombra de alguem na porta, olhei para a porta e vi que ela estava minimamente aberta o que é bem estranho, pois me lembro muito bem de ter a fechado antes do banho.

Na noite anterior quando passava ao corredor indo em direção a cozinha ouvi alguns murmúrios estranhos vindos do quarto de Jungkook , mas não abri a porta pois não queria incomoda-lo, fiquei preocupada, pois pensei ter ouvido gemidos do mesmo.

Estava pronta para ir ao trabalho e fui até o quarto de meu filho, abri a porta e adentrei e o mesmo estava começando a abotoar a camisa social branca, estava vestido com uma calça jeans colada que destacada suas coxas malhadas e calçava uma Timberland.


- Erh... Filho... - Chamei.

- O que é ? - Perguntou seco ainda mantendo a atenção aos botões no qual estava com dificuldades para abotoar.

- Quer ajuda? - Perguntei me aproximando, ele apenas assentiu suspirando fundo. - E-entao a noite passada eu pensei ter ouvido murmúrios estranhos vindo daqui...

- Impressão sua! - Ele me interrompe me respondendo seco.

Estávamos próximos e quando o mesmo falou pude sentir seu hálito de menta batendo contra meu rosto, ele mantinha sua atenção em minhas mãos enquanto elas abotoavam agilmente os botões de sua camisa.

Eu observava seus gominhos em sua barriga definida.


Era errado pensar coisas assim de meu próprio filho?


Tive uma vontade súbita de passar a mão por seu abdômen, mas isso não pegaria bem em hipótese alguma.

- Continue o que estava dizendo... - Citou ele com sua voz mais baixa e rouca do que o normal olhando em meu olhos de forma penetrante, e eu correspondi seu olhar na mesma intensidade.

Minha boca se movia em tanta lentidão que estava quase impossível falar com seus olhos em mim.

- Eu... Bom... Como eu estava dizendo pensei ter ouvido "gemidos" seus por isso passei a noite preocupada achando que você estava se sentindo mal...

- Você quer saber se eu estou bem? - Mais uma vez senti seu hálito batendo contra meu rosto.

- Erh... Sim...

- Eu estou ótimo, não tem com o que se preocupar. - Respondeu em tom severo segurando meu queixo entre seu polegar e indicador. - Bom... Vou pra faculdade agora. - Ele beijou minha testa depois pegando sua mochila e se retirando.

- Espere! Você não vai tomar seu café ? - Perguntei e ele me olhou.

- Não, vou comer algo na rua mesmo.

- Tudo bem... - Respondi. - Tome cuidado.

- Eu sempre tomo. - Deu meio sorriso se retirando.

Respirei fundo e pude sentir ainda seu perfume amadeirado naquele quarto.




Jungkook Pov's


Estava a caminho da faculdade estando em meu carro indo em direção ao estacionamento pondo em uma vaga, saí do mesmo e fechei a porta.

- Hyung ! - Chamei Jimin que estava saindo de seu carro e olhando para mim sorrindo.

Fui em direção a ele e começamos a caminhar juntos recebendo olhares maliciosos das garotas que passavam perto de nós.

Eu sabia que Jimin era gay, mas ele sempre recebia olhares desejosos das meninas, coitadas mal sabiam que ele gostava mesmo de "pepino", e esse "pepino" era de Min Yoongi, o garoto mais rabugento dessa faculdade.

- Oi, Jungkook, Oi Jimin ! - Taeyeon apareceu dando pulinhos passando por nós.

- Oi. - Respondemos em coro.

- Então, gente... - Ela fazia desenhos imaginários em meu peitoral mesmo por cima da blusa. - Vou dar uma festa e queria que os melhores dessa faculdade fossem nela, e vocês estão convidados.

- Hmm... - Jimin Murmurou, pude sentir o nojo em sua voz.

- Okay, esta bem, vamos sim. - Respondi neutro.

- Awn... Adoro vocês. - Nos secou de cima a baixo. - Vejo vocês lááá... - Cantarolou colocando um pirulito dentro da boca indo em direção a um grupinho de garotas histéricas.

- Aish... Ela me dá nojo, não sei como ela é desejada pela metade dos caras da faculdade.

- Já comi tanto ela que já até perdeu a graça. - Comentei suspirando, sempre que podia Taeyeon jogava verde pra mim.

- Imagino como ela deve gemer... - Riu enquanto caminhava, estávamos em um corredor pouco movimentado e aproveitei pra zoar com a cara dela.

- Aah...isso oppa... - Imitei a voz dela gemendo de forma manhosa e istridente, Jimin tentou segurar o riso ,mas não aguentou e quase riu alto, por sorte estávamos em um corredor quase vazio.

- Parece uma hiena... - Ria e segurava em meu ombro gargalhando. - Não sei como é que tu aguentava essa voz de "taquara raxada" que ela tem.

- Pois é, nem eu sei. - Respondi dando de ombros.

- Mas... E aí?! Você vai nessa festa mesmo? - Perguntou ajeitando a mochila e entramos na sala.

- Ah, sei lá.- Respondi dando de ombros.

Aproveitei que tinha poucas pessoas ao canto no laboratório de química, e resolvi que contaria "aquilo" a Jimin.

- Hyung... - Chamei e sua atenção foi a mim em olhar de duvida.

- O que foi?

- Bom... Eu preciso te contar algo... - Respondi baixo.

- Fez merda? - Arqueou uma das sombrancelhas e me olhou malicioso.

- N-não... Eu acho... - Cocei a nuca.

- Diga logo.

- Então, é algo meio complicado...

- Para de enrolar e fale logo. - Disse sério.

- Assim... Eu acho que... Eu acho.. Ahn..

- Acha que... - incentivou ele.

- Hyung... Eu quero comer a minha mãe ! Pronto, é isso..

Jimin ficou pasmo e arregalou os olhos, ele ficou por uns três minutos estatalado sem mover nenhum músculo.

- O QUE ? VOCÊ O QUE ??? - Exclamou alto.

- Shh... Não grite! É isso que você escutou.

- Você andou comendo merda ? - Perguntou ele ainda pasmo.

- Estou falando sério, Hyung. - Respondi.

- Jungkook... Você esta prestando atenção no que voce esta falando? Você ta falando que quer comer a sua mãe... VOCÊ ESTA ME DIZENDO QUE QUER FODER A MULHER QUE TE TROUXE AO MUNDO ! - Ele voltava a se alterar chamando a atenção de alguns alunos que já haviam chego.

- Aish... Eu sei que pode ser um pecado, mas não consigo resistir, por favor me entenda, Hyung.

- Okay... - Suspirou. - Só me diga uma coisa... Como isso aconteceu?

- A partir de ontem a noite... Pra ser sincero nunca olhei pra ela com outros olhos.

- Isso só pode ser um desejo passageiro...

- Pior que não... Agora eu penso nela o dia inteiro, eu apenas a vi de lingerie e ainda passando creme nas pernas, e fiquei totalmenre excitado.

- Caramba... Que complicado. - Sabe... você poderia esfriar a cabeça com outra coisa, sei lá... Pega uma mina vai dar uma "rapidinha", tente esquecer isso.

- Vai ser difícil, mas vou tentar talvez você tenha razão.



Vai ser difícil mesmo...




××××





Notas Finais


Eeeh Jungkook safadinho confessou 😏😏😏

E agora oq vai rolar, hein ?


Haha aguardem, espero q tenham gostado ❤ a continuação só depende de vcs ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...