1. Spirit Fanfics >
  2. Wandering >
  3. CAPÍTULO I

História Wandering - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


então ta aí o primeiro cap, espero mesmo que gostem e o próximo cap já ta vindo

Capítulo 2 - CAPÍTULO I


[...] Karin pede por sua música favorita que por sua vez era a música mais bombada nas rádios, já que Karin, pobre coitada, se sentia a estrela da internet, ou a próxima estrela, mas não passava de uma criança sonhadora. E então Christer sem conseguir ouvir a insuportável música chiclete, coloca os fones de ouvido, dá play e mergulha em um profundo oceano de pensamentos e alívios, os quais ele ativa sempre que precisa escapar rápido da realidade de merda que vive. No modo aleatório do spotify a primeira música era a música que ele e seu ex haviam adotado como música do relacionamento (que inclusive Christer tem com todos os exs, como se sua vida amorosa fosse um high school musical, cada decepção uma música)... A próxima música também lembrava seu ex, mas dessa vez ele gostava da música e decidiu ouvir mesmo assim. Viajando em suas profundezas internas, de repente um de seus fones é tirado e a voz estridente e aguda de Karin, comunica que mamãe estava falando com ele:

-Chris! Chris? Que foto é essa no seu perfil? Meu filho pelo amor de Deus coloca uma foto de homem, as pessoas do meu meio estão tendo contato com suas redes sociais e depois ficam comentando sobre você comigo, evite o que me machuca, por favor!

Ele cansado de brigar e implorar pela aceitação de mamãe, olha nos olhos dela para mostrar que tinha ouvido e nem responde, volta com seu fone no ouvido e acaba chorando... Depois de alguns minutos, tentando esconder o choro, quando a playlist havia acabado ele escuta Karin e mamãe conversando:

-É mãe ele é tranquilo, é da idade dele, bonitinho, e educado, o namoradinho dele está mais aprovado do que eu achei que estaria. Falou Karin sobre o ex-namorado de Chris.

-Ai Karin, por que o Chris é assim? Mamãe extremamente descontente com o que ouve responde a Karin, e percebe que Chris estava chorando – Chris? Está chorando? Por quê? É algum namoradinho? Aquele menino da cidade vizinha? Mamãe indaga o filho que surpreso e envergonhado responde:

-Não mãe não é nada, só uma música triste, estou bem.

Papai dirigindo assiste a tudo, mas sem abrir a boca, enquanto Karin diz que mamãe é chata e que ela deveria parar de insistir no modelo de família perfeita, é nítido que somos perfeitos, mas do nosso jeito tal como cada família com sua singularidade eram perfeitas. Chris desbloqueia seu celular e digita em seu perfil no Twitter (lugar onde eu, Chris e muitos de vocês escondem segredos que são mantidos como segredo de estado durante anos); “ela culpa o filho gay por ser um dos motivos da família não perfeita, e esquece que a primeira errando foi ela quando não soube escolher um marido e nem salvá-lo.” Já que papai sempre que se estressava agredia mamãe, saia e permanecia por dias fora de casa e quando voltava para casa parecia que lá era o último lugar em que ele gostaria de estar.

Algum tempo depois, a família decide fazer uma parada para comer algo e esvaziar as bexigas, quando descem do carro, mamãe corre na frente porque precisava muito usar o banheiro, quando papai, focado em uma viela de trás do restaurante em que eles íam jantar, fala para Chris que estava amarrando seus sapatos:

-Chris fala pra sua mãe que fui comprar um carregador pro meu celular, o meu acabou de quebrar, não demoro. Antes que Chris pudesse responder qualquer coisa papai saiu andando rápido e sem olhar pra trás foi escurecendo no limite que a luz dos postes emitia. Chris e Karin entram no restaurante, pegam uma mesa e esperam mamãe voltar do banheiro.

-Onde está seu pai? Pergunta mamãe a Chris quando volta do banheiro e Karin responde: -

-Ele disse que iria comprar um carregador novo mãe, disse que não iria demorar. Mamãe percebe que deixou o celular no carro e pede pros meninos irem pedindo algo que ela já voltava. Ao chegar no carro ela abre o porta luvas e percebe que além do seu celular o carregador supostamente quebrado não está quebrado e muito menos era o único carregador que papai tinha. Mamãe nervosa com a mentira de seu marido olha ao redor e percebe que tem uma viela próxima ao restaurante, fecha a porta do carro, tranca, guarda seu celular nos bolsos da blusa de frio, e volta para o restaurante já sabendo onde provavelmente papai estava comprando seu carregador.

Depois de comerem toda a pizza portuguesa que tinham pedido, papai chega e comenta que ninguém deixou nada para ele comer, mamãe olha para ele e com muito ódio e deboche nitidamente expressados no rosto, sai sem falar nada e entra no carro, papai sem entender senta e pede mais uma pizza, brincando e conversando com Karin ele espera por sua pizza, quando ela chega, o papai já no fim do efeito das drogas come metade sozinho, sem falar nada enquanto come... Quando termina, seu celular toca e ele assustado porque precisa atender diz pros filhos que é urgente e vai para o estacionamento do restaurante, onde atende o celular e escuta ameaças de um homem que havia negociado uns carros com papai, ele nervoso pede por mais tempo e a ligação cai, mamãe percebe que tudo que tinha ouvido era a voz de seu marido falando com alguém, quando desce do carro sem deixar papai vê-la, ela enxerga ele de longe quebrando o chip que estava no celular antigo e primórdio dele. Desesperada por saber que seu marido estava acabando mais uma vez com tudo volta para o carro e quando todos entram ela decide fingir que está tudo bem e que vai dar mais uma chance para aquele lugar...

Ao chegarem no hotel onde passariam a noite, Karin e Christer foram tomar banho, ele no banheiro do apartamento e ela no da suíte, enquanto mamãe e papai decidem tomar um vinho na sala, e ela o questiona sobre o carregador e ele sem saber o que responder pergunta do que ela está falando, mamãe olha pra ele e diz; - você sempre estraga tudo, nem na cadeia você percebeu que você só se afunda? Se nada, nem sua família te muda, vá embora! Para de atrasar minha vida, preciso ter paz.

Papai já com raiva do que tinha ouvido, olha pro celular dela que coincidentemente acaba de chegar uma mensagem de um velho amiga de infância dela, que mora nos Estados Unidos e dizia: - se quiser vir pra cá, pode vir, na minha cama sempre cabe mais gente.

Papai ao ler a mensagem joga o celular dela no chão e grita com ela perguntando quem era aquele homem. Mamãe tenta explicar que é um amigo, casado, que queria receber toda a família lá por um tempo, mas papai estava estressado de mais para se controlar das mãos demoníacas dele e pegou mamãe pelo pescoço, enforcando-a até cair no chão, batendo a cabeça dela no chão várias vezes ela grita socorro por uma só vez já que ele tampou sua boca antes que ela pudesse gritar novamente, ele continua as agressões. Os filhos não ouviram nada porque estavam ouvindo músicas enquanto tomavam banho.

Quando Karin e Christer saem do banho, encontram sua mãe chorando no chão da sala, cheia de hematomas, percebem que papai não está mais em casa, Chris tranca a porta e Karin pergunta o que aconteceu, mamãe chorando conta a história e pedem para irem embora rápido daquele lugar, sua vida ali já tinha sido destruída mais uma vez, e dessa vez irão sem papai, ela não quer que ele estrague sua vida perfeita mais uma vez.

Mamãe faz curativo onde sangrava, aproveita que papai tinha deixado o carro, corre com os filhos para colocarem tudo de volta no carro e saem, deixando o dinheiro da estadia na portaria junto com a chave [...].


Notas Finais


não deixa de avaliar, é muito importante pra mim, já que é minha primeira história, obrigado por ler ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...