História Wanna Be Yours - Larry Story - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Zayn Malik
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Gay, Harry Styles, Larry Stylinson, Lgbt, Louis Tomlinson, Romance
Visualizações 27
Palavras 2.265
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - 6


Fanfic / Fanfiction Wanna Be Yours - Larry Story - Capítulo 7 - 6

FEVEREIRO, 16

TARDE

Desde do dia em que disse que estudaria com Louis quando ele precisa-se, Harry tinha praticamente reservado pelo menos três dias da semana para encontrar o jogador. Ele percebia que Louis o tratava diferente em relação aos outros, e era mais carinhoso, mas tentava não criar paranóias sobre isso. Preferia pensar que o outro só fazia isso por ele ser mais novo e calouro no universidade. Já havia sentido os olhares do Josh para os dois quando eles estavam juntos no refeitório ou em alguma festa, e tentava disfarçar.

Naquele dia em particular, Harry estava tendo um dia bem difícil. Seu professor não havia gostado muito de um trabalho e sua nota tinha sido baixa. Havia ficado bem chateado, afinal tinha colocado muito do seu esforço e tempo naquilo. Queria poder falar com sua mãe, ela sempre tinha a coisa certa a dizer e o colocava pra cima, mesmo que o mundo estivesse desmoronando à sua volta. Josh tentou conversar com ele, mas não foi a mesma coisa. Havia concordado de ir à biblioteca com Louis, pois sabia que a prova dele seria no dia seguinte e o amigo precisava revisar o conteúdo.

Estava sentado no lugar de sempre da biblioteca, com Louis na sua frente, concentrado em seu texto. Ele próprio tinha uma tarefa para fazer, mas já havia desistido há muito tempo, já que não estava com cabeça pra nada naquele momento.

- Ok Harry, que porra ta acontecendo? – ele não havia percebido, mas Louis o estava observando -.

- Nada.

- Essa cara de merda é por que então? Desembucha.

Harry levantou os olhos para Louis, que estava com os braços cruzados olhando fixamente para ele.

- Tirei uma nota ruim num trabalho, um trabalho fodido que eu tinha certeza que tinha ido bem.

- É isso? Você foi ruim em um trabalho e ficou assim? - Louis deu um sorriso de canto, que irritou Harry -

- Você fala como se isso fosse normal. - ele disse, colocando os braços cruzados em cima da mesa e deitando sua cabeça por cima deles -.

- É normal, você ta na faculdade agora e essas merdas acontecem. Mas você sempre consegue recuperar a nota, e agora que você já sabe a merda que fez, não tem como repetir da próxima vez. Só relaxa.

- Eu to me sentindo um merda. E com saudade de casa. - essa última parte acabou saindo sem intenção. Estava pensando alto demais -.

- Eu também. - Harry olhou para Louis, que agora estava com os braços a centímetros dos dele - Até dos gritos das meninas correndo pela casa tentando me maquiar.

- Gemma fazia isso comigo, era horrível. Pensei que como irmão mais velho, você ia ter mais autoridade com elas.

- Eu tentei, mas desde que Rick foi embora fiquei mole demais com elas.

- Quem é Rick?

- Infelizmente meu pai. - Harry percebeu a careta que Louis fez e se calou, querendo deixar o assunto morrer, porém o jogador recomeçou a falar - Ele saiu de casa e foi morar no outro lado do país porque tava cansado demais da gente. Sabe, ele não queria ter filhos. Quando minha mãe engravidou de mim ele conseguiu aguentar, mas quando as gêmeas vieram foi demais pra ele. Saiu um dia e nunca mais voltou. Agora a gente descobriu que ele casou e tem dois filhos pequenos.

- Que merda.

- Pois é. Acho que a gente não era bom o suficiente pra ele.

Harry queria bater em Louis por ele achar algo assim dele ou de sua família. Ele era uma das melhores pessoas que ele conhecia. Sua família era linda, e ele precisava falar aquilo pra ele.

- Não fala isso. Suas irmãs são as coisas mais fofas do mundo, sua mãe é foda por cuidar de vocês. E você... você é maravilhoso Louis, ele que é babaca.

Harry levou uma de suas mãos até o braço do outro, apertando e fazendo um pequeno carinho. Louis o olhou, abrindo um pequeno sorriso.

- Obrigado Harry. Eu é que deveria ter te animado, não o contrário.

- Me compra um bolo de chocolate que eu fico feliz.

- É só assim que você fica feliz? Vem, vamos na lanchonete.

Harry sorriu para ele, e começou a arrumar suas coisas. Ele ficou pensativo sobre o que Louis havia acabado de contar. Não sabia que tinha acontecido aquilo com ele e sua família, e por um lado ficou feliz, pois havia percebido que Louis era bem fechado em relação aos seus sentimentos, e saber que ele havia falado aquilo pra ele havia mostrado que confiava nele.

***

FEVEREIRO, 20

NOITE

Era sexta-feira, o dia da abertura do campeonato de Futebol entre universidades e então, o primeiro jogo da UNL. Como eles haviam sido campeões no ano anterior, iriam abrir o campeonato com uma grande festa. Harry estava muito ansioso com isso, já que os garotos não pararam de falar nisso há dias, e durante todo aquele dia a cabeça de todos, inclusive dos professores, estava naquele jogo. Ele estava sentado na primeira fila ao lado de Niall, que estava com metade da cara pintada das cores da faculdade, e de Josh que não parava de cantar um segundo. O campo estava reluzente, e a arquibancada cheia.

Logo os times entraram em campo e os olhos de Harry foram até Louis. Ele estava com a cara fechada e a braçadeira de capitão reluzia em seu braço. Desde que Marcus, o capitão do time desde o ano passado se machucou em um dos treinos e precisou ficar fora do primeiro jogo, Louis havia sido escalado para essa função e Harry sabia o quanto o garoto estava nervoso por causa disso. Basicamente havia passado os últimos dois dias falando para ele o quanto ele era bom e se sairia bem.

A torcida não parava de cantar, e era possível sentir a arquibancada pulsar embaixo de seus pés. Harry gritava junto com os dois amigos, mais animado do que esperava ficar naquela noite.

Após os cumprimentos dos capitães, os times se arrumaram em campo e o juiz apitou o começo do primeiro tempo.

O jogo começou tenso e bem equilibrado. Nos vinte primeiros minutos os dois times tiveram algumas chances, mas o placar não saiu do 0x0. Harry estava tão nervoso que começou a roer as unhas.

- Mas que juiz filho da puta. VAI APITAR A FALTA NÃO? - Niall gritou, quando um jogador da UNL foi derrubado perto da área. A arquibancada toda gritou em protesto, mas o juiz deixou o jogo correr -.

Poucos minutos depois o juiz deu uma falta na entrada da área, perigosa para o time visitante. Louis estava nervoso e tentou gesticular de todo jeito com o juiz que não havia sido nada. Niall não parava de xingar o juiz, e até Harry gritou contra ele. Josh começou a vaiar o que se arrastou para o resto da torcida.

Na hora de bater a falta, a bola bateu na barreira e Zayn pegou a sobra da bola, iniciando um contra-ataque rápido que levantou a arquibancada. Ele passou a bola para Louis que chutou e abriu o placar. Harry abraçou Niall e foi uma explosão na torcida. Eles conseguiram segurar o placar até o final do primeiro tempo.

- Porra - disse Harry rindo – Eu to nervoso pra caralho, olha como vocês me deixaram.

- Você vai ver quando eles chegarem à final. Ano passado eu quase vomitei de tanto nervoso.

- Eu amo esportes. O cheiro de testosterona no ar e os corpos suados só deixam os jogadores mais gostosos. Parece uma amostra grátis de como eles ficam transando - disse Josh, ignorando os olhares que os dois davam a eles, secando os jogadores saindo de campo -.

- Josh não tenha um orgasmo em público, por favor - Niall disse rindo -.

Com aquilo dito, Harry, que estava alheio a isso até aquele momento, começou a reparar nos jogadores enquanto eles iam saindo lentamente de campo. Seus olhos foram até Louis, que havia tirado a camiseta, e ele perdeu o fôlego. Harry sabia que Louis era bonito, e muitas vezes precisava de todas a suas forças para não o ficar olhando, mas ali, naquele momento não faria mal nenhum ele olhar só um pouquinho o quanto o corpo dele era musculoso, ou o quanto as tatuagens reluziam pelo suor, e até mesmo suas pernas e coxas avantajadas.

- Vê se não baba - Josh disse baixo em seu ouvido -.

- Cala a boca.

Logo o segundo tempo começou e o time visitante estava dando faltas cada vez mais pesadas. Niall gritava cada vez mais alto pedindo a expulsão de algum jogador, até que o juiz fez isso. A falta seria perto da grande área e Liam iria cobrar, já que era sua especialidade segundo Niall. A tensão era palpável no ar, até o juiz apitar dando autorização para o jogo seguir.

E mais uma vez a arquibancada veio abaixo com o gol de Liam. Josh pulou no colo de Harry enquanto Niall subia em cima da grade da arquibancada.

O time da UNL conseguiu segurar o resultado do jogo até o apito final do juiz. Josh fez os meninos ficarem esperando todos os jogadores saírem, para poder aproveitar a vista e ter o que pensar antes de dormir. Harry aproveitou para olhar mais para Louis, mesmo sabendo que aquilo era errado.

Depois de muita insistência de Niall, que queria chegar logo, eles foram até o pub quase correndo. Quando chegaram, Harry pegou algumas cervejas e sentou na mesa reservada pelo tio de Niall enquanto esperava o resto dos meninos chegarem. Josh já havia sumido e ele e Niall estavam conversando sobre a partida quando eles chegaram.

Harry quase engasgou quando viu Louis. Ele estava usando uma regata branca larga e calças pretas justas que marcava suas pernas, com os cabelos ainda molhados e um sorriso de orelha a orelha. Ele exalava testosterona e Harry não sabia se era por tê-lo visto jogar, mas ele estava mais bonito do que o normal. Louis se sentou ao seu lado e passou um dos braços para as costas de Harry, o deixando ali.

- E aí gostou de assistir seu primeiro jogo? - Louis perguntou -.

- Bastante. Você se saiu muito bem de capitão

- É muita pressão, eu estava nervoso pra caralho.

- Não parecia. - Harry poderia babar se continuasse a olhá-lo assim - Da próxima vez, por favor, façam logo um gol. Meu coração não agüenta isso.

- O próximo que eu fizer vai ser bem no comecinho e pra você, fica tranqüilo - Louis disse piscando um olho para ele.

- Eu vou cobrar Lou – Harry deu uma cotovelada de leve nas costelas dele, que riu -.

Harry se deu conta do que aquilo poderia virar e decidiu não dizer mais nada.

Estava prestando atenção em Liam, que narrava seu gol em câmera lenta quando sentiu o braço de Louis fazendo mais peso sobre suas costas e ombros, começando a deixá-lo nervoso. Esperou um pouco, mas como Louis não indicava que tiraria o braço dali, começou a se mexer devagar tentando fazer com que ele entendesse o recado. Uma, duas, três vezes e nada. Harry então se inclinou para frente, fazendo o trabalho e bebeu o resto de sua cerveja num gole só. Ele percebeu que Louis se afastou um pouco, mas logo seu nome foi chamado, e ele voltou a prestar atenção na conversa.

Depois de quase uma hora de conversas sobre o jogo, os garotos já estavam bastante bêbados e rindo muito. Porém tinha algo que estava deixando Harry com raiva. Toda hora alguém vinha cumprimentar os garotos do time, e dizer o quanto eles haviam jogado bem. Muitas garotas também fizeram isso, e Harry queria jogar a cerveja nelas sempre que alguma se insinuava para Louis, que sempre ignorava e dava um jeito delas se afastarem da mesa. Não é ciúmes. Repetia a frase, toda vez que alguma se aproximava.

Logo a banda foi anunciada, e Harry sentiu a mão sendo agarrada pelo jogador, para levá-lo o mais perto do palco. Niall iria participar, mesmo estando muito bêbado, mas como Liam disse, seus dedos sabiam todas as notas, ele estando sóbrio ou não. E Louis estava ao seu lado, sempre o tocando e o olhando, brincando com suas covinhas.

A princípio Harry foi deixando, e se divertia com isso, mas então viu um olhar que o fez ficar com medo. Não conhecia o garoto, mas o jeito que ele olhou para os dois, com nojo o fez ficar apreensivo. Na hora decidiu se afastar de Louis, fugindo dos toques. Inventou qualquer desculpa e foi até o lado de Liam. 

Pode ver a cara feia que Louis estava fazendo, emburrado, mas Harry não queria que ninguém pensasse ou falasse algo. Louis era capitão do time, tinha uma reputação a seguir, e ele sabia muito bem o que uma fofoca mal contada podia fazer com uma pessoa. 

O show foi passando, mas não conseguia mais relaxar. Já sentia seus músculos ficando tensos e sua respiração mais rápida. Por mais que a banda estivesse na sua frente, e seus amigos pulando ao seu lado, só conseguia pensar no olhar que havia recebido.

Quando o show acabou, e Josh apareceu do seu lado dizendo que estava indo embora, Harry aproveitou a deixa para ir com ele. Só deu um toque para Liam que já estava indo, e saiu de lá rápido, antes que Louis voltasse do banheiro.

***

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...