História War for Love - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Visualizações 7
Palavras 1.468
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, LGBT, Luta, Mistério, Policial, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais um capitulo postado.

BOA LEITURA

Capítulo 2 - N.C.T


Fanfic / Fanfiction War for Love - Capítulo 2 - N.C.T

 

Nct Town

Tinha acabado de chegar naquele portão blindado, já com a mão esticada para tocar à campainha, prestes a toca-la o portão abre-se sozinho e nesse momento sou recebido por Taeyong.

- Ainda bem que vieste, o chefe já me ia matar se não viesses. - falou ríspido, como se tivesse feito alguma coisa de mal. Não lhe respondi apenas o segui até ao nosso destino.

Taeyong sempre teve inveja de mim, por sempre fazer o trabalho sujo e ele o secretário do Boss.

Chegamos numa porta diferente das de mais, a porta do líder, Taeyong abriu a porta sem pressas e entramos. Naquela sala estava só o Haechan, que logo presenciou a minha presença e veio ao encontro comigo.

- Hyung, tive saudades. - abraçou-me – vieste quando? - Haechan, apoiava-me sempre quando era preciso ele é muito bom amigo, mas se agarrar numa arma parece um demónio, não deixa escapar nenhum.

- Também tive, cheguei ontem à noite. Sabes o que chefe quer de mim? - num abrir de fechar de olhos, oiço aquela voz que odiava mas tinha que a ouvir se não morria.

- A falar de mim senhor Mark Lee?. - olhei para ele. - já faz muito tempo que não te vejo em carne e osso, como esta o Canadá? Parece que fizeste o que te mandei. - sorriu.

- Vocês nem me agradecem, passei quase 2 anos e meio a fazer o seu trabalhinho sujo e você numa me elogiou ou me agradeceu. - falei vem alto para todos me ouvirem.

- Então – aproximou-se de mim. - Obrigado – sorri de lado. - Quero conversar com vocês todos, foi por isso que te chamei Mark, vamos para a sala de reuniões. - fez gesto com as mãos para irmos. Assenti e fomos.

Chegamos na sala, era uma sala enorme, lá estava a gang inteira, eles olhavam-me surpresos por estar ali, pois vim sem avisar.

- Olá malta. - acenei e sorri sem jeito.

- Ma-ark?! - Yuta pronunciou-se.

- Vamos-nos sentar. Vocês já falam com ele, pode ser? - depois do chefe dizer, sentámos nas respetivas cadeiras. - Eu esperei que o Mark voltasse para começar-mos uma missão muito importante, que nos vai deixar no Top 1 da pior e melhor gang de sempre. - Quando ouvi o mesmo a falar, arregalei logo os olhos, será que ele quer matar a minha irmã?, - Quero destruir aquela MinM uma vez por todas, ela está sempre a destruir-me os objetivos. - bateu com a mão na mesa. - Quero a cabeça dela. - Olhei logo para ele com uma cara de espanto, e comecei a apertar a mão para não falar nada que ele queira saber. - Algum problema Mark?

- A-a, não senhor. - gaguejei.

- Não me chames de senhor, o senhor está no céu. - riu. - tens alguma coisa para me dizer? - pergunta, olha para mim com aquele olhar penetrante.

- Não, hyung. - falei rapidamente e sem gaguejar. Eu precisava de dizer à minha irmã, mas se ela soubesse, ela sentiria-se traída e muito desapontada.

Narradora POV

Mais uma vez Cristin teve aquele sonho horrível, sempre acaba com “sou o teu maior inimigo”. Ela lembrava-se do rosto do homem e com isso decidiu desenha-lo, ela é uma ótima desenhadora, todos os quadros que ela tem por casa foi ela quem os fez. Acabou de o desenhar e decidiu pendurar o quadro no seu escritório.

Cristin/MinM POV

Fiquei um bom tempo a encarar aquele rosto que tinha desenhado, ele parecia-me familiar, não é pelo ter visto no sonho, mas sim realmente, parece que já o toquei com as minhas próprias mãos.

- Quem é? - perguntou Soo, com uma cara confusa.

- Eu, não sei bem, mas ele anda me a atormentar o meu sono de beleza. E então decidi desenha-lo, para saber quem é precisamente. - sorri para a mesma. - já comeste?

- Não, ainda não. Porque?

- Chama a May vamos almoçar fora, estou farta de estar fechada nesta casa. - Ela assentiu e foi chama-la.

[…]

Entramos num dos meus tantos carros e fomos. Parei num restaurante muito famoso em Seoul.

- Tenho uma coisa para vos dizer meninas. - disse Soo Jin, que punha comida na boca.

- O que é? - May e eu fala-mos ao mesmo tempo que nos fez olhar uma para a outra e sorrir.

- Eu invadi os arquivos do Nct. - fala nervosa.

- Tu o que? Aí moça. - Fala May com as mãos na cabeça.

- Continua. - olhei para ela com cara de interesse. - sabes alguma coisa sobre eles, sobre os membros? Ou – ela moveu a mão para me acalmar, visto que estávamos num restaurante.

- E lá encontrei os arquivos da Nerida. - arregalei logo os olhos. - Ela ainda pode estar viva, mas presa como refém deles.

- Mas eu via morrer como é que pode estar? - May fala preocupada.

- Podia ser uma ilusão . - olhei para a mesma. - A ultima luta que tivemos com eles, foi à dois anos, depois do Mark ir para o Canadá. Eles roubaram uma coisa nossa, e penso que não a querem devolver.

Depois de acabar de falar, entram pessoas vestidas de preto para o restaurante, eu já topei quem seriam.

- Meninas, temos que sair daqui imediatamente, acho que vai acontecer aqui um assalto. - fiquei preocupada, pois estou muito envolvida com a policia que naquele momento não queria que me achassem.

- Mas quem é que vai assaltar um restaurante, eu não entendo estas pessoas, se fosse um banco. - olhei para a Soo com um olhar sério.

Quando ela acaba de falar, ouviram-se logo tiros pelo restaurante, pusemos a mesa na vertical e tiramos as nossas armas, nunca saímos sem elas, pode acontecer um momento como este.

- Eu avisei, caralho. - falei para elas, colocando uma mascara preta. Olhei em volta para achar saída, reparei que num dos ladroes estava uma tatuagem no pescoço, que conhecia muito bem. - Mark? - arregalei logo os olhos.

- Estas a pensar nele numa altura destas. - May fala alto, por causa dos tiros.

- Eles estão a traz de nós, quem rouba um restaurante está muito desesperado por dinheiro. - fiz sinal com a mão para sairmos dali. Quando estávamos a alcançar a porta, fomos logo apontadas com armas.

Xx - onde é que pensam que vão?

- Vamos sair, não estas a ver. - Bat fala como se o homem não soubesse. Nos não tinha-mos medo de armas, nos sabemos defender-nos com elas ou não.

- O que é que vocês querem? Têm medo de nós ligar-mos à policia? Moço, nós somos perseguidas pela policia como vocês, N.C.T. - falei devagar o nome deles para eles perceberem, com quem se estavam a meter.

Xx - Olha, se não é a MinM e as suas amiguinhas. - falou um rapaz alto, sem tirar a sua mascara que tapava a cara toda.

- Alguém que nos conhece, não é mesmo meninas. - sorri de lado. - Quero falar com o líder

O mesmo aproximou-se de mim, olhou-me nos olhos, eu conhecia aqueles olhos, mas não me lembro de onde.

Xx – Estás a falar com ele, sua desgraçada.

- Se me querem encontrar, não venham a um restaurante, estão aqui pessoas inocentes. - falei com cara de nojo para o mesmo e basamos do restaurante. ( Like a Boss)

[...]

Chegamos a casa, eu mandei os sapatos para um canto da casa, elas foram para os seus escritórios e fiquei a pensar, naquela tatuagem no pescoço.

- Era ele, mas porquê?. - pensava alto até que. - Nerida! - corri para o escritório da Soo. Ela olhou para mim confusa. - Mostra-me os arquivos do Nct. - Sentei-me com ela. E a mesma começou a mostra-los. - Neles, estão os arquivos dos membros certo?

- Sim, cada um tem, mas existe dois sem nome. Parece que nem mesmo eles querem saber de dois perfis, ou então são muito importantes. - assenti.

- E a Nerida? O que eles têm?.

- Nos arquivos, aparece sempre a data de nascimento e de morte, só que no dela, não existe a data de morte, e por isso pensei que ela esteja viva.

Mark POV

- Aí que raiva daquela garota – gritava o nosso chefe, ele tinha as suas razões para ficar chateado, mas eu não, ela é minha irmã. - Devia de a ter matado logo, que estúpido que fui. - punha as mãos na cabeça.

- Hyung? - olhou para mim. - vou ter que sair.

- Porquê? - olhou-me confuso.

- É urgente. - falei já a sair da sala.

XX POV

- Taeyong? - o mesmo assente – segue-o.

TO BE CONTINUED...


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Desculpem por qualquer erro.

Até à próxima beijos na bunda :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...