História War for love - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Abo, Bangtan Boys (bts), Got7, Mpreg
Visualizações 53
Palavras 1.998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Suicídio, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


EEEEEEH!!! Mais um capítulo prontinho para vocês, meus mochi's lindos!! <3
Espero que gostem deste, ele pode estar meio sem sal, mas as vezes é bom uma calmaria - principalmente se for a vida do nosso pequenino ômega Chimchim, não é mesmo?
Enfim... Sem mais enrolações.
Espero que gostem, foi feito de coração! <3
Não se esqueçam que depois haverá divulgações nas notas finais! :3

Capítulo 13 - Chapter thirteen


Já faz uma semana que Namjoon saiu de casa e fui cuidar dos ômegas – mais especificamente, o meu hyung. Sinceramente, nunca pensei que ficaria tão preocupado ao ponto de quase não comer corretamente e correr risco de adoecer novamente. Mas eu simplesmente não consigo, a preocupação é mais forte do que eu, ela me corrói e me faz ficar paranoico com tudo isso. Depois que Hobi saiu do quarto, eu fiquei um tempo pensando no que ocorreria dali para frente, e, depois de tanto pensar e me preocupar ainda mais, senti um enjoo tão forte que tive que correr para o banheiro do quarto para não sujar o chão do mesmo. Este sentimento agonizante anda me deixando doente.

Os alfas também diziam algo sobre a “possível escolha de Jin”. Por mais que eu deva saber – e eles sabem disso – eu não pergunto o que é. Sinto que se eu corresse este risco, me preocuparia ainda mais a ponto de, não só sentir meu estomago embrulhando, mas desmaiar de tamanha frustração, medo e preocupação. Acho que esta semana se resumiu neste sentimento.

Depois que Jaebum ficou sabendo, só faltava arrancar os cabelos. Não parava de andar de um lado para o outro da sala. Ora resmungando algo para si mesmo, ora retrucando nervoso. Não o culpo, eu estou sentindo o mesmo. Conseguimos sentir a inquietude dos lobos de todos nós a metros de distância. É agonizante saber que todos se sentem desta maneira, e ninguém tem a capacidade de nos acalmar.

Os alfas me ajudavam como podiam. Sempre conversando coisas mais leves para me distrair e descontrair o clima que abrangia o apartamento. Hobi ainda acha intrigante o fato de como eu reagi à voz de alfa de Nam. Disse que agora, mais do que nunca, gostaria de me estudar e saber o porquê de cada coisinha relacionada à minha espécie.

O ruivo começou a pensar em diversas teorias, tais quais que, talvez, devido à separação das raças, os ômegas tivessem desacostumado com essa voz e, os ômegas da nova geração – que nunca tiveram a chance de ouvir tal coisa – tenham ficado mais frágeis com esse som e acabaram desenvolvendo reações ainda mais negativas a isso; ou a teoria de que eu tenha simplesmente reagido daquela maneira por ter sido minha primeira vez. Não sei qual Hobi acredita mais, mas eu sei que nunca mais quero ouvir tal coisa.

(...)

Estávamos todos sentados à mesa, jantando e conversando sem muita animação, como sempre.  Quero dizer, quase todos, já que Jaebum estava quase radiante. Todos estávamos estranhando sua reação, já que o mesmo fora um dos que mais esteve apreensivo. E agora lá estava ele, sorrindo despreocupado. Como o assunto havia cessado por um tempo, resolvi perguntar a razão de sua felicidade.

-Ora... Vão me dizer que esqueceram. – Disse com uma falsa careta de desgosto.

-Esquecemos do quê? – Yoon parou de comer por alguns instantes.

-É amanhã que Namjoon trará Jin para casa, e é também amanhã de manhã que teremos que trazer os outros para cá também. – Disse e revirou os olhos, meio desapontado.

-Sabemos disso, mas estamos meio... Temorosos e ansiosos pelo o que ocorreu naquele dia. – Respondeu o loiro.

-Ah, sim. Mas acho que vai acabar dando tudo certo. – Respondeu calmo e pegou seu prato, levando-o para a cozinha.

-Como você está, Minnie? – Indagou Hobi enquanto acariciava minhas madeixas loiras.

-Bem, eu acho. Na verdade estou nervoso. Desde o dia que Joonnie ligou, eu fico me perguntando o que aconteceu e se ele vai ficar bem. E...Eu... Eu estou com medo, Hobi. – Confessei enquanto deixava meu prato de lado e suspirava pesadamente.

-Não pense demais, pequeno. Eles vão voltar bem, todos. – Sorriu gentilmente e eu o acompanhei.

(...)

Durante o tempo em que Namjoon esteve fora, eu fiquei em recuperação e digamos que ela foi até bem rápida. Faz menos de uma semana eu já estou conseguindo fazer de tudo normalmente, mas é claro que não posso abusar e que ainda existem vários roxos e cicatrizes, ainda, aparentes.

Tive que fazer o possível e o impossível para que os mais velhos me deixassem fazer algo para retribuir o cuidado. Eu agora trabalho um pouco na limpeza da casa como forma de retribuir o esforço dos alfas para comigo. Durante a semana eles são obrigados a saírem de casa para trabalharem, mas voltam sempre no início da noite. Eu perguntei sobre seus serviços. Jackson trabalha em um hospital aqui por perto e sempre que pode vem para a casa do alfa moreno para vadiar e conversar; Namjoon trabalha como guarda em um lugar afastado da cidade – lugar este onde fica o comercio de ômegas –; Hobi trabalha como professor substituto, como o mesmo já disse; e Jae e Yoongi trabalham juntos no exército, mais especificamente, Yoon como capitão e Jaebum de primeiro tenente.
Incrível como pessoas tão novas possuem cargos tão altos, devem ser demasiadamente talentosos e esforçados.

-Jimin? – Yoongi me chamou e rapidamente soltei o prato em cima da pia e me virei para prestar mais atenção no que o alfa falava. – Precisamos conversar sobre uma coisa.

-Ah, sim. Claro. Sobre o quê? – Perguntei tombando minha cabeça para o lado, esperando uma resposta.

-O cio de seu hyung acaba amanhã, certo?

-Na verdade acaba hoje, mas ele com certeza deve estar cansado demais para ser.... Engaiolado. – Corrigi enquanto fazia uma careta pelo modo como nós realmente éramos tratados.

-Okay.... Então prosseguindo. Os ômegas vão chegar amanhã, mas acho que seria melhor se fossemos para outro lugar, entende? – O encarei por alguns segundos, meio confuso. O alfa pareceu notar meu olhar perdido e se apressou em explicar. – Veja bem. Meu apartamento pode ser um pouco maior do que a maioria por aqui, mas não seria capaz de abrigar mais-. – Parou por um momento para contar quantos viriam para cá. – Quatro ômegas. Por isso, eu estou pensando em ir para a minha casa de campo. Fica um pouco mais afastado da cidade e não tem muito perigo de alguém encontrar alguns ômegas vivendo lá.

-Entendo.... Então nós iremos para lá? – Indaguei tento uma ideia do que aconteceria daqui para frente.

-Sim. Assim que terminar, pode ir arrumar suas coisas e sairemos logo após de eu conversar com os outros. – Completou e começou a caminhar até a saída da cozinha, porém eu o impedi de fazer isso, logo sentindo um pouco de constrangimento por ter feito o alfa parar de fazer seu caminho e me fitar por alguns segundos, esperando resposta.

-So...Sobre... O comércio de ômegas aqui. Isso é algo legal? – Perguntei meio acanhado e pude ver o Min suspirar meio decepcionado e afirmar levemente com sua cabeça.

-Infelizmente, sim. Nós podemos comprar vocês, mas para isso requer bastante dinheiro e um longo tempo na fila de espera para conseguir alguns documentos de autorização e comprovantes. Eu fiquei uma tarde inteira. Por falar nisto, é exatamente onde os outros foram. – ele explicava de maneira calma, olhando em meus olhos, como se buscasse alguma dúvida para esclarecer – É quase que como uma permissão para possuir uma arma para autodefesa, mas é claro que no caso de ômegas requer mais tempo e dinheiro.

-Ma...Mas e depois? – Indaguei meio acanhado, com um pouco de receio do que acontecia depois de alguém conseguir autorização.

-Depois “seu” ômega se torna sua propriedade e você fazer o que quiser com ele. Simplesmente ridículo... – Murmurou a última parte. Arregalei um pouco meus olhos e o mesmo notou minha ação repentina. – Muitos de vocês acabam caindo em mãos erradas e sofrem demais, eu acho impressionante o fato de vocês perderem todos seus diretos humanos e ninguém se importar. – Disse irritado e mantinha uma expressão da mesma maneira. – Esta sociedade está perdida mesmo...

Ele bufou e saiu da cozinha, me deixando lá com uma cara de preocupação e pena. Me sinto totalmente agradecido por ter vindo parar em mãos tão boas. Deixei escapar um pequeno sorriso enquanto votava a lavar a louça.

(...)

Suspirei aliviado. Mesmo sabendo que estou apenas me recuperando, me esforço demais as vezes. Minhas costas começaram a dar sinal de dor e eu suspirei frustrado enquanto seguia para meu quarto. O apartamento estava quieto e calmo, o alfa devia estar arrumando suas coisas ou até mesmo descansando, já que trabalhar no exército deve ser desgastante.

Empurro minha porta com o pé, por cansaço e um pouco de preguiça, e me jogo em minha cama. Fito o teto por alguns segundos, intercalando entre suspirar e rolar na superfície macia. Meu dia estava um pouco confuso. Eu havia acordado ansioso e temeroso. Não sei o que pode acontecer e se algo pode dar errado. Amanhã seria o dia. O dia em que eu tanto esperava, mas eu não sei o porquê de eu estar assim tão nervoso. Eu pareço uma garotinha reencontrando sua paixão.

Ri de mim mesmo por causa deste pensamento e me levantei, segui para a cômoda do quarto e abri a mesma e peguei as roupas da mesma, colocando todas sobre a cama. Olhei em volta e vi uma mala encostada entre a parede e a porta aberta. Fui até a mesma e a peguei. Voltei para a minha cama e comecei a guardar as roupas em seu interior.

Fui até o banheiro e peguei as minhas coisas de higiene pessoal e fiz o mesmo com tudo, organizei e guardei. Logo depois fechei a mala e a coloquei sobre meu ombro, seguindo para a sala e colocando-a sobre o sofá.

-Já está pronto? – A voz grave do alfa foi ouvida da porta da cozinha e eu o olhei concordando com um aceno de cabeça breve.

-E você? – Resolvi prolongar um pouco o assunto, mesmo que eu ainda não estivesse acostumado a dialogar muito com o maior.

-Estou sim. Já arrumei minhas coisas e as levei para o carro e avisei os outros também. – Respondeu simples e eu fiz uma expressão um pouco confusa. Ele notou minha confusão e começou a explicar. – Eu acabei de ligar para os outros e disse minha ideia a eles, vamos nos encontrar na minha casa de campo. Ah! Antes que eu me esqueça de avisar, Jack, JB e Hobi já conseguiram os documentos de compra de ômegas, eles vão lá amanhã mesmo.

-Então eles vão conosco hoje e amanhã eles buscam meus amigos? – Perguntei com animação e a certeza de que meus olhos estavam brilhando. Ele riu enquanto balançava sua cabeça.

-Sim, pequeno. E amanhã Namjoon volta com Jin. – Sorriu pequeno e eu me permiti soltar meu melhor e mais radiante sorriso, fazendo com que meus olhos quase se fechassem, formando pequenas fendas.

-Obrigado, Yoon! Tenho que agradecer a todos vocês. – Senti meu rosto esquentar e ele veio até mim, bagunçou meus cabelos de forma carinhosa e sorriu ladino ao ver a situação de meus fios, agora, bagunçados.

-Não há de quê, Minnie. Vou levar sua mala para o carro. – Disse e pegou minha mala, seguindo para a porta da sala. – Ah... Minnie. – Respondi um breve “Hm” para que continuasse. – Você... Bom, você não vai poder ir comigo no carro. – Mordeu seu lábio inferior, meio constrangido.

-Mas por que não? – Indaguei curioso e meio decepcionado.

-Como você é um ômega, seu cheiro é adocicado e facilmente reconhecível. – Começou a explicar calmamente – Se você fosse comigo no carro, além de as pessoas verem-no, sentirão seu cheiro e isso seria motivo de impedimento na estrada, já que é obrigatório os híbridos de outra espécie se deslocarem ou em transportes especializados, ou em jaulas. – Suspirou pesadamente ao que sua expressão se fechava.

-E...Eu irei de jaula? – Indaguei receoso e ele afirmou pesadamente.

-Infelizmente sim, Minnie. Somente os híbridos da elite e do conselho podem se deslocar em veículos especializados. Os ômegas comprados devem ir em jaulas com alguns motoristas especialistas. – Disse por fim. – Tudo bem? – Indagou e eu afirmei com minha cabeça ao que baixava meu olhar. – Não se preocupe, pequeno. A viagem será rápida. – Terminou e saiu de casa levando minha bagagem.

Pelo jeito esta viagem seria longa e bem tediosa.


Notas Finais


E então? O que acharam nenês?
Não se esqueçam de perderem a vergonha e comentarem aqui, estou curiosa para saber como estou me saindo com essa luta toda...
Não importa se for apenas um "Amei" ou "Continua", vou amar receber carinho! u.u
(Estou carente ultimamente, mochi's... Perdão.)

DIVULGAÇÕES!!!

Esta história chama-se "As amarras do destino", ela é de um grupo meio antigo (Shinhwa <3), mas é muito boa.
Vocês se lembram de quando o BTS fez cover de uma música chamada "Perfect Man"?
Então, a musica original é deste grupo e é maravilhosa, se me permitem comentar.

ttps://spiritfanfics.com/historia/as-amarras-do-destino-10093902


A SEGUNDA DIVULGAÇÃO!!!

Esta história chama-se "In The Name Of Love (ABO)" e é sobre One Direction <3


https://spiritfanfics.com/historia/in-the-name-of-love-abo-9903048



Se vocês tiverem mais alguma história que queiram que receba mais amor, é só me mandar uma mensagem com o nome e link da mesma. E, assim que darmos uma lida e avaliada vamos divulgar aqui.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...