1. Spirit Fanfics >
  2. War Hero, Peças a Mesa. TP 1 (Rascunho para uma HQ) >
  3. O Conto da ilha Perdida.

História War Hero, Peças a Mesa. TP 1 (Rascunho para uma HQ) - Capítulo 116


Escrita por: Omega-Comics

Capítulo 116 - O Conto da ilha Perdida.


Fanfic / Fanfiction War Hero, Peças a Mesa. TP 1 (Rascunho para uma HQ) - Capítulo 116 - O Conto da ilha Perdida.

Capítulo 114

...

Naomi: Tatsumi.. vamos ficar juntos para sempre.

// - Juntos Para Sempre - ....

*Ele pisca e ao abrir os olhos novamente o sorriso puro de Naomi está coberto de sangue.*

- KAA!! *Tatsumi acorda assustado e ofegante..

Ao olhar envolta percebe q está preso em uma sela..

Sozinho sem ninguém..*

// Que lugar é esse...

*Ele coloca a mão em seu pescoço e sente uma coleira de ferro..*

- Krr.. o que está acontecendo!?

Por que eu....

*Enquanto falava, ele se lembra de que viu Hiakimaru matando todos..

Ele coloca a mão na boca e rapidamente corre para privada, onde ele começa a vomitar.*

- Cof! Cof!...

Krr! *Ele soca a parede com toda sua força, fazendo sua mão sangrar.*

- Hiakimaru!!!

{Hiakimaru: Tudo isso aconteceu por sua culpa, se você não estivesse aqui nenhum deles teriam morrido, sua querida amada e seus amigos viveriam felizes, mas um pequeno assassino como você não poderia deixar a oportunidade passar não é?

Tatsumi Dracon, você é o culpado!}

- Eu vou te matar!!! *Ele soca o chão de novo.. e de novo.. e de novo...

Até Tatsumi atual abrir os olhos e vermos que ele estava apenas se lembrando de quando acordou na prisão.*

*Tatsumi está com 2 grandes sacos cheios de tralhas nas costas, caminhando por uma rua da cidade, onde tem várias casas..

Ao olhar para um relógio na parede, percebe que já são 20:40.*

// Eu vou me atrasar para encontrar a carruagem, será que ele ainda está me esperando?

(Como está Kauan)

*Em um bar bebendo com um monte de velhos bêbados, eles estão fazendo um jogo de quem consegue virar a Garrafa, e depois de muito esforço Kauan consegue*

Kauan: É Isso aí!!! Pode mandar mais que eu não tenho hora para voltar!!!

- Ehhh!!!

(Tatsumi)

//Bom, se ele for sem mim é ele que vai acabar perdendo o dinheiro, então está por sua conta e risco.

*Tatsumi fareja o ar e olha para uma casa.*

- é aqui.. *ele some, para poder entrar na casa de uma forma mais discreta.*

*Dentro da casa, ele vai até a porta de um quarto e bate nela.*

Eloá: pode entrar pai.

*Tatsumi abre a porta.*

- desculpe, mas não sou seu pai.

Eloá: !?AAA?

*Ela se assusta ao ver Tatsumi entrar e joga um livro nele, mas ele desvia tranquilamente.*

Eloá: Você deveria ter avisado que não era antes de entrar!!

*Ela está só de camisola.*

- Desculpe estou um pouco distraído. *Ele olha para ela sem nem ligar, como se aquilo fosse totalmente normal.*

*Eloá suspira, e fala com ele normalmente.*

- O que veio fazer aqui?

*Tatsumi pega um dos sacos cheios de bijuterias e a entrega.*

- isso é pra você.

Eloá: Hm..? *Ele abre o saco e ver diversas jóias e itens caros, dentro dele.*

- E-eu não posso aceitar isso..

Onde você conseguiu isso tudo?

- eu roubei.

Eloá// quanta sinceridade..

- mas de quem e por que?

Tatsumi: eu peguei da mansão Rayford, não se preocupe, eles não vão fazer falta para ninguém.

Eloá: Por que diz isto?

- É uma longa história e não é boa de contar.

houve uma desavença familiar na mansão, envolvendo Bill Rayford, seu filho e sua atual serviçal.

Eloá: ... Você fez algo com eles Tatsumi..?

- não... pelo contrário eu não fiz nada, apenas vi tudo acontecer.

Eloá: ..por que?

- porque só tinha como as coisas acabarem dessa forma, Bill mereceria morrer e quem fez isso foi uma de suas vítimas, ele vingou a sua amada e todas as vítimas daquele homem e se sentindo culpado tirou a própria vida.

Esse era o final certo. *Ao dizer isso, podemos ver seus olhos seios olhando para o chão.*

...

Eloá: .. "Se esse é o final certo, por que é tão vazio?".. é o que estava pensando não?

- hm...

*Eloá da um leve sorriso.*

- eu acertei..

Antes de você entrar no quarto, eu estava lendo o diário da Naomi..

Ela escrevia muito sobre você, você mudou muito dês daquela época, mas é impossível alguém mudar completamente..

Você não queria que o final fosse vazio assim não é..?

Tatsumi: pensar nisso não vai me levar a lugar nenhum.

O que aconteceu, já aconteceu, e nada vai mudar.

Eloá: hm.. *ela abraça Tatsumi apoiando a cabeça dele em seu peito, e faz um cafuné nele.*

- Hm!? *Tatsumi fica surpreso e corado.*

Eloá: você não precisa ser tão sério com sigo, você pode estar certo, mas nunca deve deixar algo assim te corroer, você também merece um pouco de descanso..

Tatsumi// ..esse calor.. é acolhedor e aconchegante.. é como daquela vez.. {*se lembra de quando Naomi fez a mesma coisa com ele.*}

..Mas é um pouco diferente.. talvez esse seja o calor de uma mãe..

- .. desculpe.. mas ainda não posso descansar, meu tempo está quase acabando.. daqui a um ano, eu vou encontrar o homem que matou a Naomi, e quando a hora chegar, estarei pronto para mata-lo.

*Ele sai do abraço de Eloá.*

- então esse é o caminho que escolheu..?

Tatsumi: não há caminho além desse para seguir.

Eloá: .. entendo..

..Mas sabe Tatsumi, eu sou muito grata a você.

*Tatsumi olha para ela, um pouco sem entender.*

- quando eu fui trabalhar como serviçal na mansão do Rayford, eu era jovem e acreditava que era minha grande chance de juntar muito dinheiro, o salário era bom.. mas logo eu fui vendo como aquele lugar era um inferno..

Eu precisava do dinheiro porque minha família estava em uma situação difícil, e por causa disso eu aguentei tudo.. tudo que eu era ordenada a fazer, um dia, eu disse que iria me demitir, mas ele ficou raiva.. ele me prendeu na parede e com um ferro quente, fez isso com meu rosto. *Ela mostra sua grande cicatriz na bochecha.*

- assim ninguém mais iria me escolher como esposa..

Mas assim q eu engravidei da Naomi, ele me mandou embora, disse que eu estava feia e que não servia mais.

Quando ela fez 2 anos, ele disse que iria se livrar da criança.. mas eu não poderia deixo-lo matar a minha adorável filha..

Por isso a levei até aquele orfanato e a entreguei o tesouro da nossa família, o calor de cristal azul..

Eu planeja visitar muito a Naomi, e poder cuidar dela..

Mas Rayford descobriu e disse que se eu quisesse a ver, teria que paga-lo uma taxa.. caso contrário ele iria enviar alguém para mata-la..

Eu estava tão assustada.. não podia fazer nada pela minha filha..

Mas eu me dediquei.. trabalhei tanto só para o pagar e ir até ela..

..porem quando eu cheguei lá.. já estavam.. já estavam todos mortos..

.. meu mundo caiu, eu já não tinha mais razão para viver...

..nós jornais tudo que dizia, era q um garoto havia feito um genocídio no orfanato..

por muito tempo.. eu odiei você.. sem nem mesmo te conhecer, eu queria q você morresse..

...me desculpa... *Ela está chorando bastante..*

Tatsumi: ..Você não precisa se desculpar..

- É claro que preciso, você esteve cuidando da Naomi por tanto tempo, você trouxe esse diário para mim e lendo cada página dele eu pude ver como a vida dela foi mais feliz por ter você.

Você não só ajudou a Naomi como me ajudou.. me entregou o diário, e ainda trouxe tudo isso para mim..

Graças a você, eu sinto que ainda posso seguir em frente sem me preocupar..

Não havia alguém melhor para receber esse colar do que você..

Obrigada. *Ela sorrir contente, com uma pequena lágrima escorrendo do rosto..

Tatsumi apenas fica sem entender direito o por que daquele obrigado, mas se sente feliz ao ouvir e esboça um leve sorriso.*

*Um tempinho depois, Tatsumi está pegando suas coisas para ir embora, mas o pai de Eloá o chama para jantar.*

Senhor: Aqui, eu fiz especialmente para você, já que nem pode almoçar direito deve estar com fome.

*Ele o entrega um grande prato de macarrão com estrogonofe de camarão.*

- hm.. muito obrigado.. *ele fica um pouco corado, e começa a comer bem rápido.*

Eloá: kk, acho que ele tava faminto.

Senhor: Pode comer o quanto quiser que eu fiz bastante.

*Tatsumi.. está feliz..*

*Um tempo depois, Tatsumi está andando na rua, carregando seu outro saco de bijuterias e mais duas sacolinhas na mão.*

// {*Enquanto Tatsumi ainda comia..*

Senhor: ei Tatsumi, você gostaria de ouvir a história sobre esse colar?

- pode ser.

Senhor: Há muito tempo, o meu tatara tataravô, foi junto ao governo em uma expedição para uma área inexplorada do oceano a nossa volta, dizem q esse lugar é coberto por um enorme nevoeiro, ele estava muito ansioso para poder explorar aquela ilha, porém antes que pudessem atravessar o nevoeiro, seu navio foi atacado por diversas sereias e tritões, eles mataram toda a tripulação, mas pouparam somente um homem, meu tataravô não tinha desejos maldosos e graças a isso permitiram que ele prossegui-se.

Quando atravessou o nevoeiro se deu de cara com o lugar mais lindo q ele viu em toda a vida, uma ilha linda, com um clima ideal, todos os seres nessa ilha eram meio humanos, lagartos, sereias, tritões e até mesmo Dragões!

Enorme dragões voando pela ilha.

Naquele momento meu tataravô chorou de alegria.. por viver tempo o bastante para conhecer aquele lugar.

Ele passou meses lá se divertindo com aqueles seres, e quando chegou sua hora de voltar, eles lhe deram como presente esse colar de Safira, é uma safira mágica que irá te ajudar com......

Hmm.... Alguma coisa q eu esqueci.

Mas eai gostou?

Tatsumi: é uma boa história.

Eloá: mas não podemos ter certeza q essa história é real, talvez esse lugar nem exista.

Tatsumi: na verdade ele existe.. foi de lá que eu vim e é para lá q eu estou indo agora. *Tatsumi mostra sua mão de dragão.*

- ah..?

Senhor: Sério!? Escreva sobre sua viagem e nos conte as histórias! Essa grande aventura do meu tataravô não pode ser esquecida!

Eloá: tome cuidado.}

*Tatsumi chega no porto as 23:00, e percebe q a carruagem de Kauan ainda está lá, porém ele não está, ao olhar envolta percebe q um bar está fazendo muito barulho, ele vai lá e encontra Kauan dançando e cantando junto com um monte de bêbados.*

(Não pensei em nenhuma musiquinha, então imagine a q quiser, pode ser um rap do 7mnz)

*Tatsumi puxa a blusa dele e vai o arrastando para fora do bar.*

- Aah~ espera! Eu quero cantar.

*Tatsumi o joga dentro de uma fonte naquele porto.*

- Aii! Essa água tá gelada!

Tatsumi: Isso é sua culpa por ter bebido tanto.

Kauan: A.. eu também não tenho tanta culpa, você se atrasou.

- perdão, vamos para a carruagem.

- a espera!

*Os dois entram na carruagem, e Tatsumi o entrega um saco cheio de bijuterias.*

- Aaaa! Isso tudo para mim!!?

Tatsumi: dependendo de onde venda vai conseguir dinheiro mais do q o suficiente.

Kauan: M-m-mas isso é coisa demais! Eu não mereço tanto.

- mas pode ficar, eu não quero dinheiro, em troca disso você me leva para o porto.

Kauan: claro! Mas olha cara, com isso podemos dormir em um bom lugar aqui hoje e partir amanhã.

- Não, nós temos que sair hoje, amanhã esse lugar vai estar bem tumultuado com vários magos.

Kauan: ..hm.. escuta senhor, eu vi um cartaz de procurado, você é o Tatsumi Dracon, o tal terrorista não é?

- sim.

Kauan: devo presumir q você roubou isso..

..Por acaso o senhor.. chegou a matar alguém..?

Tatsumi: não.. as coisas q aconteceram hoje aconteceram naturalmente, mas é provável q se alguém me viu eu receba a culpa.

- .. o senhor promete que não matou ninguém?

Tatsumi: prometo, não tenho porque mentir.

Kauan: .. Então tudo bem, eu não gostaria de salvar a vida do meu irmão em troca de outra vida kk.

*Tatsumi sorrir levemente.*

- tá com fome? Trouxe comida para você.

Kauan: Aaa! Obrigado! Eu não tinha jantado até agora!

*Os dois comem um prato de macarrão com camarão e logo depois partem para fora da cidade.*

Kauan: senhor Tatsumi, para que porto o senhor quer q eu o leve, o da cidade Axew ao sul? A também tem Hyota a oeste.

*Tatsumi está lendo o livro das runas.*

- quero q me leve para nordeste, o porto de navegação.

Kauan: A claro pode deixar--

PERA OQ!? PORTO DE NAVEGAÇÃO!?

- é.

Kauan: A Gente vai demorar uns 3 dias para chegar lá!!

Aí que trabalho.

- se quiser eu pego meu dinheiro de volta e vou com outra pessoa.

Kauan: Não não! Eu te levo!

...

...

(Depois de 2 dias inteiros, no terceiro dia, eles finalmente chegam na cidade onde está o porto.)

Kauan: Senhor Tatsumi nós finalmente chegamos.

*Tatsumi guarda seu manto, coloca uma jaqueta escura normal, coloca um relógio no preto no pulso, em seguida pega seu "espelho de bolso" e pentea o cabelo.*

Kauan: olha só, não esperava q fosse vaidoso.

- Não é isso, eu prefiro mais oq costumo ao usar.

- hm? Então por que está se arrumando assim?

Tatsumi: Porque assim eu não vou me destacar, o porto é uma das maiores áreas comerciais do reino, afinal pessoas de outros países também param aqui, é certo presumir que está cheio de cartazes de procurado com meu rosto.

Kauan: a faz sentido o senhor não quer chamar a atenção.

*Tatsumi retira a bandagem que ele estava na cabeça tapando seus ouvidos.*

Kauan: hm? Quando você está na carruagem você sempre coloca isso e está com esses algodões nós ouvidos por que?

Tatsumi: hm? Isso é por que eu estou surdo.

- Ata..- QUE!!?

- Na verdade, eu me ensurdeci.

Kauan: NÃO FALE COMO SE FOSSE NORMAL!!

M-mas então como você esteve conversando todo esse tempo?

Tatsumi: estava fazendo leitura labial, mas recentemente minha audição está voltando aos poucos, mas não posso exagerar.

- a entendo, por isso você está se escondendo.

- também não quero causar tumulto.

*Tatsumi termina se arrumar, ele esta vestindo uma blusa branca, jaqueta, causa azul bem escura, botas pretas, um relógio escuro, e seu cabelo está com uma franja cobrindo um de seus olhos.*

- O que me diz?

Kauan: quase parece outra pessoa. *Ele compara com a foto*

mas ainda dá para perceber um pouco..

Hum.. já sei! Eu tenho uma coisinha aqui.

*Ele pega um óculos e coloca no Tatsumi.*

- Pronto! Agora sim 100% disfarçado!

*Tatsumi ajeita o óculos com o dedo do meio e olha no espelho.*

- acho que ficou bom, obrigado por me ajudar.

*Kauan fica todo coradinho.*

- a~ q isso senhor Tatsumi não foi nada.

*Tatsumi sai da carruagem com sua bolsa.*

- A partir de agora você já pode voltar.

Kauan: certo, muito obrigado por me ajudar senhor Tatsumi!

- de nada, espero te ver de novo futuramente.

Kauan: eu fico lisonjeado kk.

*Tatsumi vai caminhando para a cidade.*

Kauan// eu o conheci a pouco tempo, o senhor Tatsumi é sério e calado, mas acho que ele também gosta de ajudar as pessoas..

Sempre que eu o olhava na carruagem, ele parecia estar pensando em coisas tristes..

Eu não sei o que ele veio fazer aqui, mas espero que consiga se sentir melhor depois disto.

Agora eu irei focar em ajudar meu irmão, muito obrigado por tudo.

[A câmera faz um close artístico dele vendo o Tatsumi partir.]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...