1. Spirit Fanfics >
  2. War, Love and Magic >
  3. O Codex ressurge

História War, Love and Magic - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente, já tenho essa história pronta há muito tempo, mas só tomei coragem de criar uma conta e publicar aqui. Tomara que vocês gostem
O universo é diferente do Winx original, não é uma dimensão mágica com vários planetas, mas sim um planeta feito a Terra com vários reinos. E não há fadas, bruxas e especialistas, são todos magos e feiticeiros.
Alfea é para meninos e meninas, quem é da realeza no desenho continua sendo aqui, qualquer dúvida podem perguntar 🤗🤗🤗

Capítulo 1 - O Codex ressurge


Fanfic / Fanfiction War, Love and Magic - Capítulo 1 - O Codex ressurge

Magix: 25 Anos atrás

Entre as ruínas do que um dia chegou a ser um precioso templo estava uma luz poderosa, que poderia cegar os mais fracos caso a encarassem durante muito tempo. O feixe luminoso que apontava para o céu emanava uma energia mágica extremamente forte que poderia atrair curiosos a milhas ou até mesmo anos-luz de distância. Aquele item misterioso se tratava nada menos do que:

— Um Codex! — Faragonda olhava surpresa para o objeto brilhante.

— O que é isso? — Griffin perguntou ao seu lado também em completa surpresa.

— É um artefato que reúne o poder fundador da magia. — Saladin respondeu apoiado em seu cajado.

— Isso existe mesmo fora das lendas? — Eldora também estava perplexa.

— Se estamos vendo é porque existe, né. — Griffin disse em seu mau humor típico, Eldora ignorou a falta de edição.

— Como algo assim foi invocado? — o homem fez outra pergunta, todos eles quatro observavam o Codex em uma distância segura.

— Os fiéis deste templo devem ter usado suas forças para o trazer a esta dimensão. — Faragonda apontou para as cinzas que foram os corpos dos membros daquele templo — O preço foi a propria vida deles.

— É uma arma poderosa. — Griffin comentou ganhando olhares curiosos.

— Ou uma benção divina. — disse Eldora em discordância com a outra mulher.

— O que faremos com isso? — Saladin cobria os olhos para não se cegar com aquele brilho que só parecia aumentar por uma razão desconhecida.

— Devemos convocar os conselhos dos reinos para pedir suas opniões. — Faragonda explicou — Nós temos de entrar em um consenso sobre o futuro desse artefato.

Após a fala da mulher de óculos, os quatro se olharam cada um com uma ideia diferente em suas cabeças sobre o que fazer com o poderoso Codex. Enquanto pensavam em silêncio o brilho do objeto aumentou tanto a ponto de poder se comparar ao sol de nosso sistema, o que fez o grupo andar para trás assustados. A luz começou a esquentar e eles logo perceberam o que aconteceria ali.

— VAI EXPLODIR! — gritou um deles fazendo todos correrem para longe.

E a explosão realmente aconteceu, causando um alto estrondo que pôde ser ouvido até nos lugares mais longes e jogando os destroços daquele templo para todos os ares. Uma onda poderosa de magia foi liberada, por sorte, os que estavam por perto se afastaram a tempo de ficarem em segurança. Minutos depois da poeira abaixar, o quarteto retornou para entender o que tinha acontecido.

— O-o que houve? — Griffin sentia uma dor no ouvido devido o volume da explosão.

— O Codex se foi. — disse Faragonda decepcionada.

-----------•♥•-----------

Magix / Alfea: Presente

Para uma sociedade mágica, é difícil não houverem preconceitos e outros problemas já que até na nossa sociedade normal essas mazelas existem. Além disso, as crianças não costumam nascerem sabendo lidar com seus poderes e podem acarretar acidentes. Depois da explosão do Codex, algumas pessoas se mostraram usuários de magia ainda mais fortes que o natural para o espanto de muitos. A teoria aceita foi a que a energia liberada pela explosão ocasionou estes surtos de poder, onde alguns tinham mais força que outros. Para resolver essa questão, foi criada a escola Alfea, por Faragonda junta de seus amigos, com o intuito de ensinar os jovens a usarem seu poder para o bem e unir usuários de diferentes tipos de magia, sejam eles os afetados pelo Codex ou não, na verdade, nem foram permitido que estas crianças especiais soubessem que eram diferentes para evitar segregação.

Assim, mais um belo dia de aula se iniciava em Alfea, o lugar entre os mais diferentes tipos de magos e magas conviviam entre si aprendendo a cada momento juntos a se tornarem mais poderosos e maduros. Sem saberem que um dia teriam de usar seus aprendizados uns contra os outros.

— Aah! — resmungou Stella preguiçosa — Mais uma aula de feitiços elementais?

— Isso é importante, amiga, não reclame. — Tecna repreendeu vidrada em seu celular.

— Meu dom é o sol e a lua, por que tenho que aprender a controlar essas coisas?

A propósito, eram chamadas de "dom" as habilidades nativas de cada um. Aquele tipo de magia que a pessoa já nasce controlando, eles podem aprender outros tipos, mas sempre serão melhores em seus dons. Normalmente, são hereditárias porém alguns podem acabar nascendo com dons que seus pais não possuem.

— Porque é a quantidade de tipos de magias que controlamos que nos faz sermos magos mais fortes. — explicou Aisha sorridente, seu dom era a água e fluídos.

— Para que ser uma maga mais forte se já sou uma princesa perfeita? — se gabou a realeza de Solaria.

— E o que tem a ver? — debochou Musa ouvindo seu dom da música e sons, típico de um habitante do reino de Melody.

— Stella não fala coisa com coisa. — brincou Bloom penteava seus cabelos da cor do fogo de seu dom.

— Ei!

— Por isso que ela é engraçada. — sorriu Flora cuidando de suas rosas, criadas pelo seu dom da natureza, em específico a dominação de plantas, terra, vento e estações.

— Somos alunas do último ano que já está quase acabando, deveríamos levar isso a sério. — Tecna disse mexendo nos fios do gabinete de seu computador, usando seu dom da tecnologia — Merda, vou precisar de um cooler novo.

— Não pode usar seu poder? — Bloom perguntou.

— O metal está muito corroído pela maresia. — lançou um olhar bravo para a negra.

— Não me culpe, controlo as marés mas não o tempo todo. — Aisha se defendeu.

— Tecna só quer uma desculpa pra ver o Timmy. — Musa provocou fazendo a amiga corar de vergonha.

— E-ei, nada disso! — Tecna gaguejou — B-bem que ele podia me ajudar com seu dom, mas s-só se quiser.

O crush da menina tinha o dom de controle de metais e aços.

— Não a julgo, estou com saudade do meu moreno. — Stella murmurou maliciosa.

— Nós percebemos, Stella, sempre fala dele. — Flora brincou parando de regar suas flores.

— E você do seu artista não é? — a loira rebateu envergonhando Flora.

— Não falo tanto assim... – suas bochechas ruborizaram.

— Parem de envergonharem umas as outras. — Bloom protestou brincalhona.

— Se formos falar da Bloom, iremos gastar um dia só gastando fala sobre o príncipe Sky. — Musa disse.

— Dramáticas. — a ruiva deu de ombros.

O sinal da aula tocou fazendo a conversa das meninas acabar, correram para sua aula de feitiços de selamento onde teriam como colegas os meninos de que tanto falaram.

-----------•♥•-----------

— Estou melhor em selamento do que você, Riven. — Nabu provocou para o amigo ao lado.

— Qualquer um é melhor do que o Riven nisso. — Brandon debochou.

— Vão a merda. — Riven xingou fazendo os amigos rirem — Não preciso ser bom nisso se sou ótimo com meu dom.

— Bons magos são aqueles que conhecem grandes números de feitiços. — Helia explicou segurando seu bloco de notas.

— Não se você for um "especial". — Timmy argumetou.

Especial era aquele cujo dom é mais potente que os demais, devido o efeito do Codex. Porém nem todos sabiam que tinham essas habilidades superiores a maioria.

— Isso é um mito. — Riven disse — Não tem provas de que realmente tem gente assim, muito menos que esse artefato existiu.

— Óbvio que não. — Sky falou — Todos sabem que isso é verdade.

— Se você acredita. — o rabugento deu de ombros.

Enquanto andavam pelos corredores rumo a aula de invocação com o professor WizGiz, encontraram aquele peculiar grupo de garotas.

— Brandon! — Stella foi a primeira a os chamar e correu para os braços do rapaz.

— Ergh, esses dois precisam ser menos melosos. — resmungou Musa.

— Sim. — Riven concordou próximo a menina de cabelo azul escuro.

— E vocês dois precisam se assumir. — Brandon brincou abraçando a loira.

— Não se mete, intrometido. — Riven reclamou enquanto a baixinha só riu.

Brandon e Stella namoravam há muito tempo e costumavam não ter o mínimo pudor, enquanto Riven e Musa se amavam às escondidas.

Os outros também se cumprimentaram, inclusive Bloom que deu um beijo na bochecha de seu amado.

— Amor, como vai?

— Melhor agora que você chegou, princesa. — e a puxou para um beijo.

Bloom e Sky já eram até noivos, somente esperando o fim do colegial para se casarem em uma união de seus reinos.

— Ninguém merece essa pegação aí. — Aisha ironizou ao lado de Nabu que a observava.

— Bem que podia ser a gente, né? — Nabu a cantou sem vergonha

— Você é muito insistente, quem sabe algum dia. — piscou arrancando um sorriso do garoto.

Os dois eram ex ficantes, mas os flertes entre a dupla e a amizade quase colorida permanecia.

— T-timmy, pode me ajudar com minha CPU? — Tecna estava tímida perto de sua paixonite.

— Claro, quando quiser. — o ruivo sorriu sem perceber a vergonha de sua amiga.

Timmy parecia muito lerdo para entender os sentimentos de Tecna, mesmo que também tivesse algo por ela.

— Flora, quando vai poder visitar minha galeria? — Helia perguntou-me ansioso pela resposta da morena.

— Ah, quem sabe um dia desses. — respondeu entristecendo o artista sem querer.

Já eles dois, Helia deixava óbvio que gostava de Flora, mas ela sempre recusava seus avanços com um medo de relacionamentos.

— Não acredito que vamos ficar vendo a Stella e o Brandon transarem aqui! — Musa apontou para o casal aos beijos.

— Vão para um motel. — Riven resmungou como sempre.

O grupo seguiu até a próxima aula em conversas animadas e interações entre os supostos casais, até que pararam na frente da sala da diretoria ouvindo uma estranha conversa.

-----------•♥•-----------

— Não podemos esconder deles este assunto! — Griffin soava brava.

— São só crianças, não entenderiam. — Eldora disse.

— Já são praticamente adultos e alguns deles peças importantes de seus reinos. — Saladin argumentos triste.

— Tenham calma, não podemos deixar que o pânico se alastre. — dizia Faragonda atrás de sua mesa.

Os jovens escutavam em silêncio por detrás da porta cada vez mais confusos com a conversa entre os mais velhos.

— Mais cedo ou mais tarde descobriram, será impossível esconder deles. — Griffin falou.

— Os próprios governantes de seus reinos acabarão por os convocar pata as batalhas que virão. — Saladin explicou.

"Batalhas? Do que tanto falam?" Foi isso que os alunos pensaram do lado de fora.

— Quem diria que aquela coisa não havia sumido naquela explosão. — Eldora murmurou.

— E quem diria que o acharíamos trinta anos depois. — Saladin resmungou.

— Ou que isso causaria uma guerra entre os reinos. — Faragonda soava decepcionada.

"Guerra?", praticamente tamparam as próprias bocas para que seus suspiros de surpresa não fossem escutados pelas autoridades.

— Era óbvio, claro que todos os reinos desejariam ter posse de algo poderoso como o Codex. — Griffin pontuou obviamente.

"Codex?", se antes estavam surpresos agora estavam totalmente chocados com a confirmação da existência do artefato que diziam ser um mito.

— Só espero que nossas crianças se preparem... — os olhos de Faragonda escureceram — Para lutarem uns contra os outros.

E ali toda a vida magicamente perfeita que tinham se acabou.

-----------•♥•-----------


Notas Finais


Foi esse o primeiro capítulo ainda vou esclarecer melhor algumas coisas desse mundo que criei. Já vou avisando que nem todos são casais ainda, mas todos serão. A guerra começará em breve.

Queria sugestões de poderes para os especialistas, só tenho os do Timmy, Riven e Nabu prontos 😥😥😥😥😥😥😥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...