História War of hearts - camren - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui, Personagens Originais
Tags Amor Lgbt, Camren, Sobrenatural, Vampiros
Visualizações 42
Palavras 1.707
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Notas finais galera, espero que gostem ;)

Capítulo 1 - Apresentações


Fanfic / Fanfiction War of hearts - camren - Capítulo 1 - Apresentações

P.O.V. Camila

 

 "Sem ela tu não viverás, mas com ela tu irás enfrentar o mundo e todos os seus desafios. Seja forte por ela, e ela será por ti."

Acordei com a respiração acelerada, era a quarta vez no mês em que eu tinha esse mesmo sonho, no escuro, um par de olhos verdes como esmeraldas me encarava, eu não podia ver a dona daquelas bilhas tão enfeitiçantes, apenas sentia seu perfume, e ouvia uma voz ao longe chamar por meu nome e me dizer essas palavras, eu não entendia o que aquilo significava, sempre tive sonhos estranhos, mas esse em particular estava mexendo com a minha cabeça. Mas não podia me desconcentrar, não agora, não faltando tão pouco. 

Me chamo Camila Cabello, sou de uma antiga linhagem de lobisomens, a futura a se tornar alfa, e o que eu menos preciso agora é de uma distração, logo agora, hoje é o dia, está noite acontecerá um fenômeno que os humanos chamam de lua sangrenta, mas mal sabem eles a irônia que isso causa. Essa noite especificamente, é o dia em que nossos inimigos de longa data, os vampiros, planejam um massacre, eles ficam mais fortes hoje, sua cede fica maior, e eles perdem o controle. Meu clã sempre fez o máximo pra manter a segurança, então faremos uma mega caçada aos dentuços. Vampiros são nojentos, sempre me causaram repulsa, saindo por ai com suas poses e fodoes e machucando pessoas inocentes, sem motivo algum. Pretendo exterminar essa raça de vermes quando for a minha vez de comandar a matilha. Não que eu não goste do trabalho do meu pai, o atual alfa, mas acho que ele poderia fazer mais, somos mais rápidos e mais espertos, não seria muito difícil acabar com eles. Hoje meu pai deixou a matinha sobre meu comando, e tenho certeza, que nenhum deles escapará. Matarei todos aqueles que tentarem fazer mal a minha cidade.

Sou despertada de meus devaneios.

- Bom dia minha princesa, dormiu bem? - Meu pai pergunta de forma carinhosa ao entrar no meu quarto.

- bom dia, dormi sim.

- Está preparada para hoje? teremos um grande dia e a noite será longa.

- Não me preocupo, vai ser fácil. - Dei de ombros

- Filha, não pense que por causa dos seus treinamentos será menos difícil, isso não é uma brincadeira, tem vidas em risco, vidas humanas e vidas da nossa família também. Espero não ter muitas mortes.

- Não teremos nenhuma Papa, eu te garanto.

- Assim espero. Venha, vamos tomar café, e ir para a floresta com os outros. - Assenti, e fomos até a cozinha. Tomei um café da manhã em dobro com o meu pai, minha mãe e minha irmãzinha estavam na vila, preparando os outros para ficarem em casa a noite toda, queriamos garantir a segurança das crianças então designamos alguns adultos para ficarem em um lugar afastado, protegido por um feitiço feito pela minha amiga Ally e por minha mãe, elas são bruxas de luz, assim como a Sofia minha irmã mais nova, mas a sofi ainda está aprendendo a controlar seus poderes. Entrei em minha forma lupina e comecei a correr por entre as árvores, ja sentindo a presença de meus amigos pela floresta. Logo ao encontra-los minha mehor amiga Dinah saltou sobre mim em uma tentativa de me assustar, mas eu chutei sua barriga a empurrando para longe, e ali esta va se iniciando a primeira de muitas das batalhas preparatórias da tarde.

 

P.O.V. Lauren

 

Lá estava eu,  jogada em uma das poltronas da minha casa, após outra noite vendo televisão, não estava afim de dormir, estava ansiosa, fui avisada de que hoje será a nossa noite, então não pude sair, tinha lobos rondando todo o perímetro, o cheiro de cachorro lá fora estava insuportável. Como nessa noite todos os vampiros iriam ficar doedoes e querer matar geral, (menos eu, tenho auto controle durante as luas sangrentas) eu terei que ficar de babá a noite inteira, garantindo que aquele bando de chiuaua não resolva mexer com o clã a qual eu pertenço, mas pelo lado bom, poderei matar quantas pessoas eu bem entender hoje.

Meu nome é Lauren Jauregui, tenho 1479 anos, sim eu sou velha pra caralho, eu sei. Não tenho família, todos morreram ha uns 1200 anos, exceto meu tio por parte de pai, Zayn malik, ele também é o cara que meio que lidera os vampiros, eu não tenho uma boa fama entre a minha raça, eles me respeitam, por que tem medo, simples, não pretendo entrar em detalhes do porquê. Se eu sinto falta da minha família? ah, tanto faz, morreram queimados, foi burrice, não fiquei mal na época, e nem agora. Bom, não sei muito o que falar sobre mim. Agora eu estou esperando por Avril e Verônica, matei umas pessoas que não devia semana passada e meu tio pediu para as duas me seguirem, pra tudo quanto é lugar, mas essas duas estão dormindo agora, não sei como conseguem dormir com esse cheiro de lobo por todo canto.

- LOREEEENNNNNN - Avril acordou.

- O que foi?

- Eu não aguento mais esses cachorros ai fora, o que acha de botar eles pra correr? - Me lançou um sorriso malicioso.

- Acorde Verônica, ela vai gostar de botar esses auau pra correr. - Lhe respondi entediada - To com preguiça

- Aaah, Lauren, você ja foi mais divertida, vamos lá? - Vero me olha de maneira decepcionada.

- Se eu for vou acabar matando eles, vão vocês, pelo cheiro devem ser só uns 7 cachorros.

- Exato, sete, eu e a palmito aguentamos no máximo 3 juntos. Vamos, você pode matar eles, vai ser legal.

- Fracotes, ta, vamo logo. - Revirei os olhos e me levantei corrento até a porta. - Eles cercaram a casa, quero que vocês corram e subam nas árvores, podem assistir de camarote. - Elas assentiram sorrindo e pularam a janela, corrento em direção da floresta enquanto eu abria a porta calmamente, logo todos os animais apareceram, tentando me cercar, tinha 8 lobos, todos mais ou menos com a mesma pelugem. Sorri diabólica e disse. - Quem é o primeiro?

Logo o menos deles pulou sob minhas costas, eu desviei e soquei suas costelas, ele se levantou e tentou avançar novamente, mas assim que chegou perto eu o joguei contra uma árvore ha uns 15 metros de distância e ele ficou ali jogado no chão.

- Próximo? - Vieram dois de uma vez, um de cada lado, eu dei um passo pra traz e eles se bateram um contra o outro, idiotas kkkkk, o lobo da esquerda cambaleou um pouco e correu em minha direção, eu pulei e chutei seu fucinho, com o impacto ele foi de encontro ao seu outro amigo, ambos cairam e não levantaram mais. - É só isso? hahahaha ei lobinho, vem me pegar. - Desafiei-os chamando com a mão, logo vieram 4 ao meu ataque, eu subi no telhado deixando eles desorientados. - auau, eu to aqui. - Sorri e eles me encararam com ódio no olhar, ao longe ouvi Avril gargalhar. 

- Não a enfrentem. - Um homem surgiu da floresta, reconheci ser o alfa deles. - Voltem pra floresta agora, é uma ordem. - Ele dizia sem sequer olhar para os seus bichinhos.

- Alejandro, quanta honra te encontrar de novo. - E sorri amigável pra ele. - Sabe, seus cachorros estavam rondando a minha casa há horas, eu ia ir até o mercado, mas eles vieram me enfrentar.

- Sinto muito, eles não sabiam que era você aqui, não vão mais te incomodar. - Ele mantinha o maxilar rígido e os punhos cerrados. - Deixe que eu os leve pra casa.

- Nossa, parece até que tem medo de mim, eu apenas me defendi. - Me fiz de desentendida e desci do telhado, agora ficando de frente para os animais. - Mas eles me desrespeitaram, acho que não posso deixa-los sair assim.

- Ale, deixa com a gente, essa dai não tem nem presas. - Um garoto apareceu ao lado do alfa com um sorriso no rosto

- Você não a conhece Mahone, fique na sua enquanto ainda ha tempo. - O alfa se precipitou em dizer ao moleque

- bom, que tal fazermos assim, você tira esses projetos de chiuaua mal feitos daqui, e nós esquecemos o que eu acabei de ouvir, o que acha Alejandro? - Eu disse calmamente me encostando na parede de casa com os braços cruzados.

- Claro, eles não vão mais lhe incomodar, mas eu te peço um favor Lauren, tente conter os seus amigos hoje, não queremos mortes - Ele sorriu amigável.

- Não tenho controle sobre eles, mas espero que não tenhamos problemas hoje ha noite.

- Entendo, mas se possível. Vamos garotos! - Os lobos que ainda me encaravam atentamente, deram meia volta e foram até seu lider. - Sinto muito por hoje, estamos de saída.

E assim eles foram de volta para a floresta, e com eles foi boa parte do mal cheiro, finalmente, poderei respirar aliviada.

- Que merda foi aquela Jauregui? - Avril apareceu aomeu lado, sendo seguida por uma Verônica que não parava de rir.

- Aquele mais velho era o alfa da matilha daqui, os vira-latas que estavam cercando, não sabiam que era eu quem morava aqui. Alejandro e eu já tivemos nossas brigas, quase o matei uma vez, anos atras.

- E por que não matou? - Vero

- A filha dele, estava procurando por ele, eu deixei ele viver, pra que a criança, não tivesse a imagem do pai morto na frente de casa. Sou assassina, mas não faria isso com uma criança.

- Perai, é isso mesmo que eu entendi, Lauren Jauregui tem coração?? - Vero

- Idiota, isso foi ha uns 17 anos, e ele não fez nada realmente sério pra eu matar ele. - Dei de ombros e voltei pra minha casa.

Não queria ouvir as besteiras delas sobre coração, não tenho isso, mato quem eu quiser, quando eu quiser, como eu quiser. O coração é uma fraqueza, e eu não tenho fraquezas.

 

"A pedra preciosa da vida é o amor verdadeiro, porque é raro, lindo e rejuvenesce qualquer coração partido."


Notas Finais


Bom galera, eu espero que vocês tenham gostado, comentem, logo logo elas vão se encontrar, desculpem qualquer erro.
Me digam o que acharam
Continuo??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...