História War Of Hearts - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug), Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Félix, Gabriel Agreste, Hawk Moth, Lila Rossi (Volpina), Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Mestre Fu, Mylène Haprèle, Nathalie Sancoeur, Nathanaël, Nino, Nooroo, Personagens Originais, Plagg, Raziel, Sabine Cheng, Sabrina, Tikki, Tom Dupain, Wayzz
Tags Adrien, Adrienette, Alya, Alyno, Caçador De Sombras, Cat Noir, Chat Noir, Chole, Clave, Crossover, Demônio, Fantasia, Feiticeiro, Ladrien, Ladynoir, Licantropo, Maricat, Marichat, Marinette, Miraculous, Nino, Plagg, Romance, Runas, Seelie, Shadowhunters, Sobrenatural, Submundo, Tikki, Vampiro
Visualizações 84
Palavras 2.260
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem a demora para postar um capítulo novo, estava com bloqueio criativo enorme, mas não pretendo demorar muito para postar o próximo.

Boa leitura ^-^

Capítulo 6 - Verdades


Não te conheço super bem, mas acho que você pode ser igual a mim

Comporte-se anormalmente

Vamos deixar as coisas saírem da caixa

Eu te darei o meu melhor lado, contarei minhas melhores mentiras

Lorde - Homemade Dynamite


Depois de cruzar com Lila Lovelace, Alya decide enfim entrar na enfermaria, a morena nota que Nino está dormindo, e o observa por alguns instantes antes de mexer novamente, ele dormia tão tranquilamente que parecia um crime acorda-lo, porém ele despertou assim que a garota se sentou ao lado de sua cama.

— Desculpe te acordar.— Disse a garota com um tom gentil ajeitando seus óculos.

— Tudo bem, não precisa se desculpar. — Ele sorriu parecendo tímido — Na verdade, eu queria que você viesse me ver. — Agora, Alya foi quem corou e Nino não pode enviar acha-la incrivelmente fofa.

— Como você está?

— Melhor. — Ele a encarou se lembrando de algo — Me disseram que você me achou. — O moreno desviou o olhar, voltando a sua postura tímida. — Depois que eu fui esfaqueado.

— Na verdade... Eu quase cheguei a ver quem fez isso, se eu não tivesse chegado... — Alya pegou o queixo do moreno com o polegar e o indicador, obrigado-o a olha-la — Eu juro que, se você me assustar desse jeito de novo eu mesma te mato.

Ambos riram, Alya queria muito dizer que gostava dele, que gostava de verdade dele, e se sentia uma covarde por não conseguir. Onde estava a Alya confiante e sem medo de nada? Por que ela conseguia ser essa Alya quando se tratava de Nino?

Já Nino, imaginava que jamais teria chance com a morena, ela era linda, extremamente segura de sí, carismática e uma Caçadora de Sombras de alto nível, talvez a zona do amigo fosse o máximo que conseguiria com Alya.

— Você não me mataria, sei que ama. — Bricou.

— Nunca dúvide de mim. — Ela fingiu um olhar ameaçador.

— Claro, senhorita. —De repente o garoto sorriu.

— Eu conheço esse sorriso. O que aconteceu? — A morena perguntou.

— Eu recebi alta.

•••

Adrien não podia acreditar no que via, Marinette estava lá, sorrindo ao lado de seu pai, com roupas mundanas e cabelo presos. Não conseguira acreditar nem mesmo quando seu pai dissera o nome da garota.

— Tudo bem, Adrien? — Gabriel perguntou.

Como se voltasse para realidade Adrien encarou o pai, que o olhava confuso.

— Sim, tudo bem. — Respondeu com dificuldade.

— Que ótimo, Marinette passará o dia conosco para prepararmos a próxima coleção. — As palavras não faziam sentido na mente de Adrien, tudo estava girando e ele só co seguia pensar em uma coisa: Como Marinette sabia quem ele era sem a máscara de Chat Noir? — Adrien você pode, por favor, prestar atenção? — Novamente esquecera da presença do pai ignorando o que ele dizia.

— Desculpe. — De canto de olho ele pode ver que Marinette sorria, maldosa.

— Bom, não temos muito tempo — Gabriel disse olhando para seu relógio de pulso. — Você tem uma sessão de fotos em meia hora, sugiro que vá se arrumar.

As coisas ainda não pareciam fazer sentido para Adrien, porém ele sabia que deveria se manter calmo, felizmente os treinos para ser Caçador de Sombras o ajudaram a ter um psicólogo quase inabalável, é claro que de início foi um choque ver Marinette Dupain-Cheng ali, em sua casa ao lado de seu pai, mas agora, Adrien só conseguia pensar em como usar isto a seu favor, sabia que Marinette não facilitaria, mas também sabia que nunca estivera tão próximo de finalmente prende-la, era só uma questão de tempo, e quando ficassem sozinhos seria fácil capturar Marinette.

Terminou de se arrumar e foi de encontro com seu pai e Marinette, que o aguardavam na sala de entrada. Só conseguira reparar, de fato, em Marinette agora, enquanto descia a escada que dava em direção a sala, ela usava uma camiseta branca por baixo de uma jaqueta cinza e vestia uma calça rosa, parecia uma adolescente normal, e vestida dessa forma aparentava ser bem mais nova do que realmente era, seus cabelos negros azulados, que Adrien só havia visto, até então, soltos, estavam presos, divididos em duas partes, deixando apenas sua franja solta. Adrien se odiava por acha-la tão linda, porque era isto que Adrien pensava ao vê-la, ela era deslumbrante, independente do que vestisse ou de como seu cabelo estava.

— Rápido Adrien — Seu pai disse friamente — Hoje o dia será muito longo.

•••

Plagg andava por aqueles extensos corredores do Instituto, procurava por um certo platinado que lhe devia algumas explicações. Ele não podia simplesmente ignorar o combinado.

Era verdade que Plagg o conhecera em uma de suas viagens, porém Félix não fizera exatamente o que tinham planejado quando se conheceram.

O Instituto estava quieto, o que era estranho levando em conta os recentes ataques a Nino e a Chole, e Marinette e sua Causa. Não vira Chat Noir, obviamente, ele nunca ficava no Instituto de dia, todos já haviam se acostumado com isto.

Finalmente de depois andar por todo o Instituto encontrou Félix, ele acabara de chegar e parecia calmo apesar de tudo.

— Hey, Félix! — O platinado o encarou, não parecia muito animado já prevendo a conversa que iriam ter — Preciso falar contigo.

— Eu sei. — Suspirou, ele já esperava por isto, não que gostasse.

— O que aconteceu? Por que você não disse a verdade? — Plagg perguntou confuso.

— Eu disse a verdade. — Respondeu — Parcialmente, Adrien ainda não está preparado para saber ela por completo. — Disse Félix falando o nome real de Chat Noir.

— Não fale o nome dele no Instituto, Félix. — Plagg falou mais baixo, o repreendendo.

— Desculpe, Chat Noir ainda não está pronto. — Também abaixou o tom de voz.

— Não cabe a você decidir se ele está pronto ou não, é um direito dele saber, saber de tudo. — Plagg disse se controlando para não falar muito alto.

— Isto não é sobre ele, Plagg. É sobre mim também, também tem haver com a minha vida e, no momento, Chat Noir saber a verdade não ajudará em nada, temos que nos dedicar as coisas mais importantes. — Félix já estava farto daquela discussão.

— Isto é importante, você não quer que ele confie em você?

— É claro que quero, mas não desse jeito, quero que ele confie em mim por mérito meu, não por este segredo, e quando ele confiar, eu conto a verdade, toda a verdade. — Félix disse esperando que Plagg se desse por satisfeito.

— Só espero que quando este dia chegar, — O encarou intensamente — não seja tarde demais.

•••

Adrien não esperava que Marinette fosse ficar o dia inteiro a sombra de seu pai, ela tirou totalmente suas chances de ficar as sós com ela, e foram diversas as tentativas do Caçador de Sombras de o faze-lo.

Gabriel Agreste parecia ter adorado Marinette, aparentemente ela era uma ótima estilista, Adrien conseguira ver alguns de seus esboços e tinha que admitir, ela tinha um talento inegável, o que o levou a pensar, se ela tinha um lado mundano não podia simplesmente viver como uma mundana? Ela era talentosa e podia facilmente ganhar a vida como estilista, mas ao em vez disso ela preferiu lutar uma luta que não é necessariamente dela, mas por que?

O dia foi um dos mais cansativos de sua vida, além de posar para fotos, experimentar roupas, lidar com fãs histéricas e admiradoras malucas ele também tinha que ficar atento a Marinette, ele ainda não entendia aonde ela queria chegar com aquilo e isto o preocupava.

Depois de mais uma de suas incessáveis sessões de foto reparou que Marinette não estava na companhia de seu pai, e que os fotógrafos e maquiadores estavam se retirando da sala. Uma oportunidade.

Todos estavam se retirarando e Marinette parecia alheia a isso, quando não restará ninguém além de Adrien e Marinette no lugar, o loiro trancou a porta, o deixando finalmente a sós com a mestiça. Ela não pareceu surpresa com a atitude do garoto.

— O que você está fazendo aqui? Como descobriu quem eu sou? E o que você quer? — A encheu de perguntas quando ela enfim o olhou.

— Uma pergunta de cada vez, loirinho. — Sorriu.

— Não me chame assim. — Adrien apertou os punhos, era sua chance podia prende-la ali e agora.

— Por que? Não gosta de ser chamado de "Loirinho"? — Ela se aproximou perigosamente dele, ficando a pouco mais de um palmo de distância de Adrien.

— Não, não gosto. — Por mais que destestasse admitir, aquele proximidade não estava ajudando a pensar direito.

— E do que você gosta? — A voz de Marinette soou extremamente sedutora e Adrien não conseguiu evitar se arrepiar por completo. — O que foi? O gato comeu sua língua? — Marinette se aproximou ainda mais do garoto, agora segurando a gola de sua jaqueta.

— O que você quer? — Perguntou com firmeza.

— O mesmo que você, Chat — Soltou suas mãos da jaqueta do garoto, as levando para sua nunca, onde deu leves arranhões, que fizeram Adrien questionar sua sanidade — Por que você não me prende, Adrien Agreste? — Ela sussurrou muito próximo de seu rosto, Adrien não sabia o que fazer, estava em choque, seus instintos diziam uma coisa e sua cabeça dizia outra. Outra vez Marinette encurtou a distância entre eles se aproximando do rosto do loiro, que já não sabia separar o certo do errado. Ele só continuava parado fitando aqueles olhos azuis hipnotizantes.

— Foi o que eu pensei, Caçador de Sombras. — Ela então aproximou os lábios dos dele, e depositou um beijo no canto de sua boca.

Adrien piscou por um segundo, e quando seus olhos voltaram a se abrir Marinette havia sumido, desaparecido como se nunca estivesse estado lá.

Ele socou a parece ao seu lado, totalmente frustado. Por que não fizera nada? Por que não a capturara quando teve a chance? Ela estava lá, próxima o suficiente para que suas respirações se misturassem e ainda assim ele não fora capaz de prende-la. Tocou o lugar onde Marinette beijara e um misto de sentimentos tomaram conta do garoto. Estava maluco, sua mente estava uma bagunça, não conseguia pensar ou fazer nada. Marinette fazia isto com ele, o deixava desestruturado e confuso, e completamente louco por uma revanche.

[...]

Logo a noite caiu e Chat Noir retornou ao Instituto, ainda precisava falar com Félix, por isto procura-lo foi a primeira coisa que fez ao chegar lá, além do mais, precisava tirar o que havia acontecido com Marinette da sua cabeça o quanto antes.

Não viu Nino, Plagg ou Alya em lugar algum, não se preocupou com isso pois finalmente encontrara Félix.

Estava se aproximando do platinado quando foi impedido pela voz do Inquisidor Herondale.

— Caçadores de Sombras, tenho um anúncio a fazer. — Todos se aproximaram do Sr. Herondale e ficaram atentos as suas palavras, inclusive Chat Noir — daqui três dias, eu não estarei mais neste Instituto, por isto alguém terá de ficar encarregado por dar ordens por aqui e manter tudo funcionando perfeitamente, e para este cargo eu escolhi um Caçador de Sombras que tem mostrado bastante eficiente. Félix Pangborn.

•••

Marinette andava com um enorme sorriso involuntário pelas ruas de Paris, queria cantar, saltitar e extravasar sua felicidade sem se importar com quem a olhasse. Não sabia porque se sentia tão bem, jamais se sentira tão leve assim. Não conseguia tirar o sorriso do rosto por mais que tentasse, era aquele tipo de sorriso puro e genuíno, diferente dos que ela geralmente dava, era um sorriso alegre e praticamente impossível de ser desfeito.

Adorava o efeito que tinha sobre Adrien, adorava o ver daquele modo mais do que tudo. Lembrava nitidamente dos olhos esmeralda do garoto enquanto ele a encarava confuso e ansioso, ele queria aquele beijo tanto quanto ela, era óbvio. Pena que havia apenas aquilo, ela ansiava por mais, porém, no momento, ela só queria curtir aquela estranha alegria que tomava conta dela.

Estava prestes a entrar no esconderijo, e Nathanaël já estava a sua espera.

— Olá, Nath — Ela disse sorridente tirando a jaqueta e entrando.

— Oi, Mari, você parece bem... Animada. O que aconteceu? — Nathanaël ficava feliz de a ver feliz, mas estava com um mal pressentimento sobre aquilo.

— Nada demais, eu só tive um ótimo dia, e uma ótima companhia também. — Seu tom era malicioso e um sorriso bobo ainda tomava conta de seus lábios rosados, o que deixou Nathanaël levemente enciumado. — Mas não precisamos falar só de mim, Nathanaël. Como vão as coisas com seu Nephilim?

Meu Nephilim? Félix não é meu Nephilim, e eu não sei o que você quer dizer com isso. — Nathanaël corou um pouco, ficando emburrado.

— Por favor, Nathanaël, eu te conheço mais do que você mesmo, e sei que você entendeu o que eu quis dizer. — Ele desviou o olhar corado — Se você me permite expor minha opinião, eu tenho certeza que o Félix está louco por você. — Nathanaël corou tanto desta vez que a cor de sua pele quase se confundia com seu cabelo, Marinette riu.

— Você está me constrangendo, Marinette. — Ele disse emburrado, a azulada simplesmente adorava irrita-lo.

— Isso só prova que não é só ele que está louco por você. — Novamente riu da reação de Nathanaël ao ouvir suas palavras.

— Desculpe interromper — Juleika disse entrando no cômodo em que estavam — Mas é algo sério.

— O que foi, Juleika? — Marinette disse parando gradativamente de rir.

— Eu senti algo, uma magia diferente... — Ela gesticulava emanando nervosismo.

— Vá direto ao ponto. — Marinette disse fria.

— Magia demoníaca, existe algum feiticeiro praticando magia demoníaca.


Notas Finais


Outras fics:

Silent Crown (Crossover de A Rainha Vermelha e BTS (Jikook)): https://spiritfanfics.com/historia/silent-crown-10546912

Fallen Angels ( Amor Doce ) : https://spiritfanfics.com/historia/fallen-angels-10820155 ( escrita com @Gema_3105 )

Bônus: https://spiritfanfics.com/historia/eyes-of-honey-soul-of-darkness-10453272

Fanfic escrita por @Gema_3105.

Bye, kisses <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...