História War Of Hearts - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Personagens Originais, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yui Komori, Yuma Mukami
Tags Diabolik Lovers, Drama, Sakamakis, Tortura
Visualizações 76
Palavras 3.140
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


escrevi o negócio rápido '-' é que eu to em greve ai eu fico sem nada pra fazer
PRESTEM ATENÇÃO AQUI
sobre a reconciliação tem algo em especial que vocês queiram ou desejam? pensei em dar um agradinho pra vocês rs aproveitem que eu to bosinha hoje eu nem tava pensando em escrever safadeza no próximo cap mas dependendo das respostas eu posso mudar de ideia ¬u¬ vou estar aqui atenta esperando
se tiverem alguma fantasia me digam agora porque do jeito que eu to animada escrevendo o negócio é capaz do próximo sair amanhã
ps: kou na capinha caso alguém tenha esquecido como ele é

Capítulo 33 - It's hurt soo much


Fanfic / Fanfiction War Of Hearts - Capítulo 33 - It's hurt soo much


coloquei uma mão no pescoço tentando respirar e a outra apertando o tecido na região do peito 
quando a porta foi empurrada ayato para o beijo e percebe que eu estava ali ele e a garota olham pra mim
— e-eu não con..sigo..respirar!.—  a dor parecia estar me sufocando
— emmy...— ouço ayato dizer baixinho mas ele logo fecha a cara — porque karalhos você estava me seguindo??.— 
me arrasto para trás indo até a parede do corredor e me apoiando ayato começou a andar na minha direção..
— n-não chega perto, sai..— falo com um pouco de dificuldade sentindo a dor no meu peito aumentar quando ele se aproxima


— Venha aqui emmy..— falo e ela se afasta mais de mim
—  n-não..—  ela murmura e sai correndo
quando tentei ir atrás dela aquela menina segura o meu braço
— e-espera ayato..e nós...?.—  diz com uma voz irritante 
—  Tch não me enche droga.—  empurrei ela e a mesma dá um grito estridente caindo dentro da piscina 
fui para fora e comecei a procurar emmy 
— Aquela idiota...me fazendo ir atrás dela, só me dá trabalho.— resmungo
(...)

sai correndo sem olhar para frente até que esbarrei no corpo de alguém e cai no chão
ergui a cabeça lentamente olhando para a pessoa que agora estava de frente para mim quando vi o seu rosto senti meu corpo gelar
— k..kou..?.—
— Anne..? e-é você mesma??.— kou dá um sorriso de orelha a orelha e avança em mim para um abraço
— o-oque..porque você tá aqui...?.— 
— Eu estudo aqui mas isso não importa agora, eu estava tão preocupado...—
minha neko-chan..você está tão miudinha mas continua a minha bebe, só minha.— ele diz me apertando ainda mais
— ..você estuda aqui..? então os outros...?—
— Sim, eles estão aqui também!.— kou diz com uma voz animada — Olhe só pra você...parece tão...triste..—
— Quem te deixou assim..? me diga eu vou lá agora mesmo, e depois nós vamos voltar para casa.—
— oque..? casa..?.—
— é claro...agora que eu te achei você vai voltar comigo.—
— n-não, não e não!.— empurro ele pra longe de mim 
kou muda sua expressão alegre para uma triste...
— ele não vai te entregar anne...eu tenho certeza que quando chegarmos ele vai ver você e mudar de ideia por favor volte comigo, pra nossa casa...—
— e-ele..está aqui também...?.—
— não...ele está resolvendo alguns assuntos no exterior então ele não vai voltar tão cedo..—
— e-eu não posso voltar, sabe oque ele vai fazer comigo kou..e não me chame por esse nome...— me levantei abraçando o meu corpo
sinto dois braços grandes me envolvendo por trás em um abraço
—..eh?..— 
— Francamente...eu te deixo sozinha por um minuto e já tem algum cara em volta.— ouço a voz cansada de shuu 
ergui a cabeça o encarando ele e kou estava olhando um pro outro sérios
— Então...é com eles que você está anne? não tinha ninguém melhor?.— kou diz com irritação na voz
— Anne? do que ele está falando EMMY?.— shuu diz em um tom irritado também sem olhar pra mim
— e-eh isso é..— me enrolo com as palavras 
o sinal tocou e os corredores começaram a encher de gente dei um suspiro de alivio quando olho para frente noto que kou havia sumido
— Eu espero que você tenha uma boa explicação pra mim.— shuu abaixa a cabeça olhando pra mim sério
— agora não shuu...por favor..— meu coração ainda estava doendo tanto...eu só queria uma cama nesse momento 
shuu toca o meu rosto enxugando as lágrimas — porque estava chorando..?.—
— nada..—
shuu andou comigo até o portão, ele parou e começou a olhar ao redor como se estivesse procurando alguém
— Pode ir na frente...eu tenho uma coisinha para resolver..—
— tudo bem...— fiquei observando...ele foi até aquele grupo de meninas e começou a andar com elas...
entendo...então shuu também faz aquelas coisas com elas...sinto outra pontada no peito
suspirei e abaixei a cabeça indo para o carro



— Ei...vocês são aquelas amigas da emmy né?.— me aproximei e elas começaram a rir feito bobas
— s-sim..— disse uma delas corando
— Eu quero conversar um minuto com vocês.— 
— sério? a-a eu nem me arrumei direito..— uma delas fala com as mãos no rosto
—  será que é alguma coisa importante?.—  outras duas cochicham tinha quatro garotas — sera que ele vai me convidar pra sair com ele?.— 
comecei a andar em direção ao pátio atrás da escola com as mãos no bolso do moletom e elas foram me seguindo
parei quando já estávamos bem afastados dos outros
—  e-então shuu? oque você queria convers— a garota que abraçou emmy estava falando mas a interrompo segurando o seu pescoço e a erguendo no ar
as outras se encolhem de medo —  Fiquem quietas ai ou eu vou atrás de vocês.—  ameaço
— Acha que eu sou tão idiota assim?.— falo batendo o corpo da menina contra a parede e as outras dão um grito
— s-shuu..e-eu não consigo respirar.—  ela tenta falar enquanto aperto mais o seu pescoço
— Pessoas desprezíveis igual a você, me dão ânsia.—  
— Oque vocês fizeram com a emmy??.— a garota não responde porque estava quase desmaiando
solto a sua garganta batendo o corpo dela contra a parede 
as outras começaram a chorar
peguei duas delas pelo cabelo e puxei com força alguns tufos até se soltaram na minha mão elas gritaram alto me deixando ainda mais irritado
— Eu poderia sugar os seus  sangues até a ultima gota e fazer um favor para o mundo mas o sangue deve ser tão desprezível quanto vocês mesmas.— 
— Me escutem bem agora.—  andei até a garota de antes a agarrando pelo cabelo e toquei a sua mão segurei um dos dedos dela e comecei a apertar lentamente o esmagando na minha mão
e ela gritava e berrava ferindo meus ouvidos com aquela voz irritante
— AAAAAHH!! SHUU! por favor pare! isso dói muito!.—  ela berra em meio aos soluços
— Apenas um aviso, preste bem atenção, você e suas amiguinhas.— 
— Fiquem longe de mim, e principalmente da emmy entenderam?.—  jogo ela no chão e piso por cima da sua mão e ela novamente grita
— se eu ver emmy triste de novo, vai ser um prazer repetir a doze com os outros nove dedos, o mesmo vale pras suas amiguinhas.—  sorri e elas estremeceram encolhidas no canto da parede
— E-Eu vou deixar ela em paz eu juro..— 
— Vai pedir desculpas por seja lá oque vocês fizeram também, e eu quero um pedido formal.— parei de pisar em cima da mão dela estava completamente roxa
—  t-tudo bem, eu vou! amanhã mesmo me desculpe.— 
— Eu não me importo que mandem esse recado para os outros também.—  digo já de costas para elas e volto a andar calmo até o carro



fiquei sentada no meu cantinho da limousine esperando os outros reiji foi o primeiro a chegar 
ele ficou me olhando de cara feia porque eu estava com os pés no banco
— Desculpe..—  desci os pés do banco e apoiei a cabeça na janela
— Você se comportou?.— 
— sim...— respondi baixinho eu realmente não estava com vontade de conversar agora..
— se achar o intervalo muito agitado pode me fazer companhia na biblioteca.— 
— é mesmo né o senhor disse que gostava da minha companhia..— olho pra ele e recebo um olhar mortal em resposta
— desculpa...saiu sem querer..— 
— estava chorando?.—  ele pigarreia mudando de assunto — Aconteceu algo que eu deveria saber?.— 
— não..— 
— Mentir é falta de educação.— 
— fingir que se importa também..— digo sem pensar achei que ele iria me olhar com uma expressão de ódio de novo
ele só abriu a boca pra falar algo mas se calou...
subaru entrou no carro ele olhou de canto pra mim enquanto se sentava e eu fiquei o olhando de volta, parecia que ele queria falar algo também mas ficou quieto...
shuu entrou logo depois sentando do meu lado suspirando
— você beija elas também?.—  pergunto e ele me olha com um ponto de interrogação no rosto
— Hã? do que você está falando?.— 
— nada...deixa quieto..— suspiro voltando a olhar para a janela um tumulto de gente começou a se formar perto do portão em uma roda
— oque aconteceu ali..?— pergunto 
kanato estava entrando no carro rindo — que pena que você já entrou emmy chan...acho que ia gostar de assistir.— 
— hm...aconteceu alguma coisa engraçada..?..na verdade eu não estou com vontade de ir lá ver...— 
laito entrou no carro cantarolando ~bitch chan~
— que foi..?.— 
nfu~fu estava flertando com o professor?~ ele sorri de olhos fechados e sei que não havia humor nenhum ali...
— como você sabe que eu estava falando com ele...?— olhei para laito desacreditando
— Eu tenho os meus meios..— 
laito ia continuar falando mas ayato chega trocamos olhares durante um segundo inteiro laito olhou para ayato e depois pra mim com um sorriso e se sentou ao lado do shuu...
ayato sentou de frente pra mim no outro banco ele ficou ali estático me olhando e eu fiquei com a cabeça virada para a janela fingindo que aquilo não me incomodava
~ ayato~ se continuar encarando a bitch chan desse jeito eu vou ficar com ciumes~ laito estava com uma perna sobre a outra 
observando tudo atentamente como se estivesse tentando descobrir oque tinha acontecido
ayato o ignora ele mal piscava e foi assim durante a viagem inteira...
quando a limousine parou corri para fora quase que tropeçando pude ouvir reiji ao fundo dizendo que eu ia ser punida pela falta de modos mas ignorei e continuei correndo
em direção ao meu quarto, entrei e tranquei a porta as pressas respirando ofegante...
pela primeira vez...eu estava desejando ficar sozinha..ayato conseguiu isso...
agora eu posso chorar em paz..sem ninguém pra me fazer perguntas idiotas...suspirei me jogando na cama peguei um travesseiro, o abracei afundando o rosto nele e comecei a chorar
a dor quase que imediatamente foi aliviando um pouco mas ainda doía porque eu só conseguia ficar com aquela cena na minha cabeça mesmo que eu tentasse pensar em outra coisa voltava sempre em ayato beijando uma das garotas que me bateram
sabe oque mais dói em tudo isso...? eu não tenho o direito de dizer nada...ou perguntar porque ele fez aquilo porque eu beijo os outros também...
com aquele pensamento me corroendo por dentro adormeci...e como eu imaginava até mesmo em sonho aquela cena me perseguia
acordei no meio da noite sentindo aquela dor aumentando de novo...agora eu só conseguia imaginar como um abraço do subaru me faria sentir melhor 
e como eu estava sentindo falta dele..e isso só me fez ficar mais triste...




Quarto do shuu ~

Acordei no meio da noite ouvindo duas batidinhas suaves na porta, a abri e olhei para aquele projetinho de gente com a cabeça baixa e uma carinha de choro
— resolveu voltar?.— 
— posso ficar aqui com você...?—  ela diz em um tom baixinho e triste
— posso te trancar de novo..— 
— não tem problema...— ela murmura passando por mim e deitando na minha cama 
encostei a porta e deitei ao lado dela 
— eu to com dor..— ela cochicha deixando cair algumas lágrimas e gruda as mãozinhas no meu peito
— onde...? eu devo ter algum remédio na minha gaveta pode pegar.— suspiro
— ..aqui..—  ela sussurra pondo a mão na região do coração.. — tem algum remédio..?.— ela choraminga
— ...desculpe...não existe remédio pra esse tipo de dor sinto muito...você vai ter que esperar passar— 
— Quanto tempo..? isso tá doendo shuu faz parar..—  emmy chora grudando em mim e se esfregando
— ai é que está emmy...esse tipo de dor não tem um tempo certo pra passar também...— 
— i-isso é cruel..— 
— Eu sei...— suspiro a abraçando 




(...)


acordei me sentindo um pouco desconfortável shuu estava dormindo ainda...
me levantei da cama e sai do quarto..minha barriga está doendo de fome e a minha garganta está seca tudo bem se eu tentar cozinha né? não é como se eu fosse por fogo na casa...
andei até a cozinha com os pés descalços mesmo olhei ao redor procurando um copo..
é tudo alto demais pra mim...suspirei pegando um banquinho e pus na frente do armário subi e peguei um copo de vidro
indo até a pia com o banquinho na outra mão enchi o copo de água e desci 
estava distraida olhando para a janela enquanto bebia a água até que senti um toque no meu ombro 
me virei e levei um tremendo susto o copo caiu da minha mão e o chão ficou cheio de pequenos cacos de vidro...
o susto foi tanto que eu cai no chão por cima dos cacos de vidro
— n-não me machuca por favor..— me encolhi no chão sentindo os cacos de vidro cortarem a minha pele mas estava com medo demais para sair dali



— emm...— falo baixinho dando um passo para frente para não assustá-la
— não chega perto por favor..— ela chora
— p-para de se mexer você está se machucando..— dou mais um passo e ela fica mais apavorada
— Não, NÃO CHEGA PERTO DE MIM!.— Emmy começou a berrar as mãozinhas e os pés dela começaram a sangrar
— t-tudo bem eu fico longe olha..— recuei uns dez passos pra longe dela — mas por favor sai dai..—
ela se acalma mas quando olha para as mãozinhas machucadas se assusta com o sangue e começa a chorar de novo
— está tudo bem emm..são só alguns cortes deixa eu te ajudar a cuidar disso..— tento ser o mais sútil possível
— eu prometo que não vou fazer nada...— ela se acalma um pouquinho e assente minimamente com a cabeça
me aproximei devagar dela e a mesma treme quando aproximo os braços para pegá-la no colo
a segurei com cuidado e ela se encolheu no meu colo gemendo baixinho
passei pela sala, quando tentei subir as escadas ela me impede
— nno quarto não..— 
— tudo bem...— coloquei ela sentada no sofá e peguei uma caixinha de primeiros socorros no canto da sala 
emmy chora baixinho enquanto me abaixo na frente dela preparando as coisas...
— v-vai doer..?.—
— hum...um pouquinho..— molhei o algodão no álcool e segurei um dos pesinhos dela na minha mão 
assim que o algodão toca a ferida ela tenta puxar o pezinho de volta mas o seguro
— você é forte...— coloco o algodão em contato com a pele dela de novo e ela dá alguns gemidos baixinhos no meio do choro
já aguentou coisas piores do que isso...— falo e ela olha pra mim acho que aquilo a deixou mais calma...
enfaixei os seus pés e segurei a sua mãozinha pegando outra bola de algodão 
emm ficou quietinha observando atentamente cada movimento meu
— pronto...— quando termino de enfaixar as mãos dela me viro para a caixinha ajeitando o algodão, a atadura e o álcool 
e emm se levanta, sai correndo em direção as escadas...saber que as coisas nunca voltarão a ser como antes me deixa triste...muito triste mesmo..



sai correndo dali antes que eu saísse com um braço quebrado de novo...oque será que deu nele..? talvez seja apenas bom humor...
eu não preciso mais ir ao quarto do reiji todas as manhãs, mas eu também não tenho mais o subaru...oque eu faço agora..? sozinha..?
eu também não estava com animo para brincar porque minhas mãos e pés estão doloridos...
resolvi ficar passeando pelos corredores, até que me encontrei com aquele quarto de novo...o quarto na qual eu me escondi deles quando cheguei...
eu não tinha nada pra fazer mesmo então eu entrei no quarto...além daquele espelho em cima do comodo mudo também havia um espelho do meu tamanho 
no outro canto do quarto...parei na frente dele olhando pra mim mesma...eu estou me sentindo exatamente da forma que todos dizem...horrível.
ficar ali de frente pro espelho estava me deprimindo mais ainda então eu sai dali e fui até o comodo mudo fuçar nas gavetas...
tinha fotos ali.., aquela moça bonita da foto no quarto do kanato. puxei a gaveta e me sentei no chão com ela no meu colo
fiquei por bons instantes ali admirando as fotos...eu queria ser bonita como ela..ergui a cabeça olhando para o topo da comoda
as coisas dela estava ali intactas...será que...eu consigo ficar bonita igual ela se eu usar essas coisas..?


A essa hora emmy já deve estar acordada eu quero falar com ela...não porque eu estou me sentindo mal, hã como se eu precisasse dar satisfação para ela.
isso só está me incomodando des de ontem...na verdade a dias eu venho me sentindo incomodado por uma única causa, emmy.
quando eu vi ela sem a atadura...havia algo de errado normalmente eu detestaria e abandonaria ela mas não aconteceu...eu não senti nada vendo a cicatriz no rosto dela...
então eu comecei a questionar porque eu sinto coisas estranhas quando eu estou perto dela e isso me incomodou mais ainda ela é só mais uma garota, mas mesmo assim não era só uma garota
eu sinto raiva quando ela está perto dos outros e quando ela está comigo eu quero aproveitar cada segundo porque nunca dura muito...
ai eu comecei a pensar que talvez isso fosse...amor...
mas isso só me deixou com raiva porque é confuso demais eu acho que dessa vez...eu estava começando a gostar dela, tipo de verdade e me custava muito aceitar isso.
então chegou aquela noite e ela me pediu para beijá-lá e era oque eu mais queria mas a confusão me impedia eu ainda me recusava a aceitar que aquilo era amor. quando eu beijava ela eu também sentia coisas estranhas, então eu pensei em uma última prova...beijar outra garota e ver se eu sentiria o mesmo que eu sinto quando é com a emmy
e aquela humana irritante não parava de me perseguir fazia alguns dias...quando eu passei pela piscina pensando obviamente na emmy e se eu devia falar com ela sobre a noite passada
aquela humana me chamou
— a-ayato..— 
— Tch oque você quer sua irritante? Eu já disse pra parar de me seguir.—
— e-eu queria conversar um pouquinho e..— ela estava segurando uma cartinha de amor

revirei os olhos me controlando pra não matar aquela menina
pensando bem...ela já está aqui mesmo então porque não fazer aquele teste e comprovar finalmente se é diferente estar com a emmy e as outras garotas
— é...até que pode ser útil, vem aqui menina.—

— e-eh?.—
— Você é surda? eu mandei vir aqui.— 
ela estremece andando na minha direção, sem enrolação segurei a nuca dela e a beijei apenas por alguns segundos
e oque eu comprovei foi que eu estava me apaixonando por um humana e isso não era nada bom, era péssimo na verdade...

ouvi o rangido da porta sendo empurrada sinto meu corpo gelar quando vejo emmy no chão assistindo tudo..e isso caiu como um bônus pra comprovar a minha teoria porque eu iria me importar com oque ela pensa das coisas que eu faço? 
enquanto andava pelos corredores procurando ela senti um cheiro de sangue e era muito fresco tinha acabado de acontecer, estava vindo de dentro do quarto da cordélia 
andei devagar até a porta entreaberta e a empurrei levemente..
— Emmy..?.— 
ela para oque estava fazendo e olha pra mim chorando — a-ayato..—
—...Oque foi que você...fez?— olho para ela desacreditando


Notas Finais


já podem começar a criar teorias ahsahsah

A lógica do ayato ''ah eu gosto dela perai deixa eu beijar essa outra menina aqui só pra ter certeza ''
parabéns viu ayato estou impressionada...
edit* ai karalho esqueci de falar uma coisa sobre aquela recompensa do reiji....só digo uma coisa
não acabou
*corre*
edit 2* voltei do além só para dizer que eu já escrevi o outro e vai ter tipo um aumento no nível de safadeza já tá pronto mas eu não vou postar porque eu sou uma filha da putaKKKKKKKKKKK Sofram


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...