História War Of Hormone - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7
Personagens Baekhyun, BamBam, Chanyeol, Chen, D.O, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin, Youngjae, Yugyeom
Tags Amizade Colorida, Amor, Bts, Drama, Exo, Festas, Got7, Haneul, Hentai, Heterossexualidade, Homossexualidade, Hoseok, Hyejin, Jimin, Jungkook, Lemon, Namgi, Namjoon, Romance, Seokjin, Sexo, Taehyung, Yaoi, Yoongi
Visualizações 11
Palavras 5.545
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii Gente!!!!

Boa Leitura!!!!📖📖📖

Capítulo 3 - Here We Go Again


Fanfic / Fanfiction War Of Hormone - Capítulo 3 - Here We Go Again

Capítulo 03 - War Of Hormone

Yoongi sentia a rigidez de Namjoon contra sua barriga, apenas a cueca preta o separando de sua pele. Podia senti-lo pulsar de desejo, tão duro que imaginou como seria doloroso recebê-lo, mas ele queria, ele precisava disso. Seu peito subia e descia ofegante demais enquanto a mão do amigo deslizava por sua curva na cintura em direção ao quadril, puxando seu corpo para mais embaixo no colchão.

- Eu vou te fazer gritar tão alto que vão pensar que eu estou te machucando... – Ele sussurrou em seu ouvido enquanto se ajeitava entre suas pernas. – Vão querer chamar a polícia e me prender por te abusar...

- Por favor... – Ele gemeu baixo, perdendo qualquer sentido do que era certo e errado no mundo. Tudo parecia certo demais naquele momento.

- O quê, Yoongi? – Ele perguntou com um sorriso dilacerador nos lábios, deslocando o quadril para muito próximo do de Yoongi e retirando a cueca. – O quê você quer que eu faça?

- Me. Machuque. – Ele pediu sentindo a extremidade úmida do membro de Edward pedindo passagem em sua entrada múltiplas vezes mais encharcado.

- Seu desejo é uma ordem.

Dito isso, as costas de Yoongi descolaram do colchão quando ele o invadiu em um único movimento preciso e seco, puxando seu rosto para tomar posse de sua boca com a mesma ferocidade. Namjoon estava impossivelmente determinado em cumprir o que Yoongi havia lhe pedido e se movimentava rapidamente, fazendo-o gritar com gemidos muito altos e denunciadores. Ele sentia que aquela movimentação indelicada estava surtindo o efeito desejado em seu corpo, pois o quarto ao redor parecia queimar em chamas violentas assim como seu sexo violentado de maneira prazerosa.

- Então, Yoongi... – Namjoon perguntou tornando o intervalo entre as estocadas mais curto. – Estou cumprindo o prometido?

- Não... – Ele respondeu engasgando com os movimentos bruscos em seu corpo.

- Diga como eu devo fazer... – Ele pediu puxando o rosto do amigo para a direita e gemendo direto em seu ouvido. – Diga como eu devo te comer.

- Mais... Forte... – Ele murmurou e foi calado pela língua de Yoongi invadindo sua boca.

- Bom dia, querido!

Além do despertador tocando alto, a voz estridente de sua Omma o despertou em um susto, fazendo o sonho se perder quando ele abriu os olhos e percebeu o que estava acontecendo. Sua blusa de pijama de seda estava no meio de sua barriga e o lençol que deveria cobrir seu corpo estava no chão, revelando a situação em que eles e encontrava.

Yoongi fitou a mão direita dentro da cueca parada onde antes se movimentava inconsciente e seus mamilos lutando contra o tecido denunciavam o nível de excitação que ele se encontrava. Deploravelmente excitado e sentindo o tesão consequente do sonho escorrer em seu membro enrijecido, mas foi mil vezes mais penoso encontrar o rosto de Jiwoo em sua frente assistindo a toda aquela cena.

"Por favor, Deus... Se você existe, faça um raio cair sobre minha cabeça AGORA!"

Porra, Omma. – Ele gritou quebrando o contato de seus dedos com seu membro. – Você não poderia bater antes de entrar?

- Querido, não se preocupe. – Jiwoo disse com um sorriso delicado nos lábios. – Isso é perfeitamente normal e natural, não precisa se envergonhar...

- Lógico, é super normal você ser flagrado pela sua Omma fazendo isso. – Yoongi disse ficando em pé. – Pode sair do meu quarto agora?

- Mas Yoongi...

- Por favor, Omma. Eu já estou constrangido o suficiente. – Ele pediu empurrando a mãe para fora e batendo a porta.

Seu rosto queimava de uma forma tão escandalosa que Yoongi imaginou que sua pele fosse derreter da vergonha que havia passado. Sua Omma tinha esses surtos e o acordava pela manhã invadindo seu quarto sem aviso prévio, quase sempre flagrando o filho em situações não muito agradáveis, mas aquela em particular havia sido a pior de todas. Yoongi realmente não precisava que sua Omma o visse se masturbando por causa de mais um sonho erótico que tinha com Namjoon, era vergonhoso e ridículo demais para ele aguentar. E nem um orgasmo ele ganhou como recompensa por passar mais uma noite o desejando loucamente.

Outra pessoa tentou abrir a porta de seu quarto, mas ele a empurrou com força e deixou um grito colocar toda a sua frustração para fora. Qual era o problema das pessoas que habitavam aquela casa, hein? Era o esporte favoritos de todos – familiares e empregados – interromperem as manhãs de auto-prazer que Yoongi às vezes se permitia ter para não explodir de muito tesão acumulado que o amigo o causava em sonhos e vida real. Ele mal podia esperar para entrar logo na faculdade e ter um pouco de privacidade como não lhe era permitido em Seoul.

- Yoon? – HaNeul chamou do outro lado da porta.

- O que é? – Ele gritou andando para o banheiro.

- Está tudo bem? Eu te ouvi gritar com a Omma agora...

- Está tudo perfeito, Neul. Como sempre esteve. – Ele respondeu batendo a porta do banheiro e sentando no piso frio.

HaNeul abriu a porta do quarto e seguiu até o banheiro, mas a porta estava trancada. Seu irmão costumava ter manhãs difíceis quando a Omma tinha crises de maternidade e queria participar da rotina dos filhos, mas Yoongi às vezes exagerava demais na reação e fazia drama sem necessidade. HaNeul não podia culpá-lo por tratar Jiwoo um pouco dura em algumas situações, pois observou todos esses anos o irmão perder alguns pontos importantes de sua adolescência ao tentar ser adulto por ele e sua Omma. Ela sabia perfeitamente que Jiwoo pisava na bola quando o assunto era a criação correta dos filhos.

- Yoon, o que aconteceu? – Ela perguntou batendo na porta com leveza para não estressá-lo mais ainda. – O que ela fez dessa vez?

- Ela me flagrou em uma situação horrível, Neul. – Yoongi respondeu cobrindo o rosto de vergonha por estar contando aquilo para ele, mas a irmã era sua única válvula de escape.

- Qual?

- Eu estava me masturbando, Neul. - Yoongi respondeu apertando as mãos no rosto, mas precisava desabafar.

Wow, você tem razão... – Ela comentou rindo, mas parou ao escutar o grito de ódio do irmão. – Desculpe, eu não queria rir, mas a situação realmente é engraçada.

- Porque você nunca passou por isso antes! Porque a Omma nunca lhe pegou batendo uma por causa de alguém...

- Não me diga que você estava se masturbando por causa dele?!

- Por acaso você conhece outra pessoa que me deixa dessa forma? – Ela retrucou. - Eu sou um doente!

- Yoongi, não precisa pirar por causa disso. Esqueceu que Jiwoo tem o senso aguçado para criar situações constrangedoras para o filho? Quantas vezes ela já entrou no meu quarto pela manhã e me flagrou completamente excitada e ainda fez comentários como alguém andou tendo bons sonhos?

- O que nós fizemos para merecer uma Omma assim? – Yoongi perguntou respirando fundo.

- Sinceramente, podia ser pior.

- Como? Acho impossível...

- Ela poderia ser como a tia Somin e sua estranha mania de ter filmado a primeira ereção do Woozi quando ele tinha oito anos. – HaNeul comentou com repulsa da lembrança de assistir a aquela fita do primo.

- Deus, por que eu nasci nessa família de loucos? Eu preciso de um banho para lavar as impurezas de ser um Min...

- Te encontro lá embaixo para o café, então...

Sua família não era como as outras de Seoul. Yoongi era filho de uma socialite que herdara milhões de wons do ex-marido acionista – o pai de HaNeul – e não conheceu seu pai, pois ele abandonara a Omma grávida no último ano da faculdade. Suas duas tias eram casadas por interesse, seu único tio era gay e morava na Grécia com o marido milionário que não suportava ninguém com o sobrenome Min.

Ele não sabia o que era passar um Natal em família, com ceia e tudo que tinha direito, pois Jiwoo sempre estava em uma festa com os amigos estilistas e deixava o filho cuidando da irms mais nova nessa data. Já perdera as contas de quantas vezes passou feriados especiais com a família de Namjoon e de Jackson, algo que os amigos faziam por pena de vê-lo sozinho nessa situação. Tudo que Yoongi queria era, um dia, ser um garoto normal que não tinha uma Omma com complexo de adolescente e uma vida amorosa fadada ao fracasso por ser apaixonado por seu melhor amigo.

Evitou o café da manhã para não precisar escutar as perguntas de sua Omma sobre o episódio "mão-na-cueca-para-a-Omma-flagar" e comprou um café duplo na Starbucks no caminho para a escola. Sua primeira aula era de História Internacional III e ele não estava com o mínimo de humor para encarar as quase duas horas seguidas falando sobre fatos que não lhe interessavam e escutando a voz sonolenta da professora que já deveria estar aposentada desde a Guerra Fria. Bocejou inúmeras vezes e fez questão de não disfarçar isso, mas conseguiu prestar a atenção nos detalhes importantes e correr para fora da sala no primeiro intervalo.

Estava indo para a mesa habitual onde seus amigos deveriam estar quando uma mão segurou seu braço e ele foi forçado a parar por um garoto de cabelo castanho discretamente ondulado e um sorriso de satisfação ao vê-lo saindo da aula sozinho, pois quase sempre Yoongi estava acompanhado de Namjoon ou Jackson ou os dois juntos. Ele se chamava Park Jimin, conhecia Yoongi desde que tinham doze anos e foi seu primeiro namorado, aos 15 anos. Na verdade, Jimin foi seu primeiro tudo; namorado sério, primeira vez e primeira pé na bunda, mas atualmente ele não conseguia sentir nada além de desespero quando ele o encontrava.

- Oi, Yoongi. - Ele disse soltando seu braço e sorrindo mais largamente.

- Oi, Jimin. - Yoongi respondeu ajeitando a mochila no ombro e sorrindo de volta. - Não te vi desde que as aulas começaram.

- Pois é. Infelizmente eu não pego nenhuma matéria com você.

- Poxa, não vou poder mais ficar rindo da dicção do professor Lee com você.

- É mesmo. Vou sentir saudade disso. - Jimin comentou coçando a nuca e olhando discretamente para os pés com vergonha do que acabara de expressar. - Como era mesmo que ele falava?

Segno Min, pague de convegsa com o segno Park! - Yoongi imitou a dicção do professor.

- Era assim mesmo... - Jimin concordou rindo.

- E o JungKook, como ele está? - Ele perguntou puxando o único assunto que ainda tinha com ele.

- Está bem. - Jimin respondeu sem conseguir sorrir por ele estar tocando no nome do namorado atual. - Eu estava indo encontrá-lo agora...

- Mande um abraço pra ele, ok? - Ele disse voltando a caminhar rapidamente e o deixando parado no corredor. - Até outra hora, Jimin.

- Tchau, Yoongi. - Ele respondeu acenando com uma mão e respirando fundo.

Jimin ainda era apaixonado por Yoongi, mesmo namorando Jeon JungKook há quase um ano, mesmo o fim do namoro sendo um assunto óbvio; Yoongi não tinha maturidade para ter um relacionamento sério e algumas vezes o esquecia para ficar com os dois melhores amigos. Mas o garoto ainda sentia falta da maneira que ele dava risada com algo engraçado - tampando a boca para não ser escandaloso demais - e gostava de recordar como era tê-lo dormindo em sua cama como uma criança desprotegida quando brigava com a Omma sem motivo aparente. Yoongi era um casulo com as outras pessoas e nem mesmo confiava no ex-namorado em certos assuntos.

Finalmente ela pôde sentar no banco de mármore da mesa em que Namjoon e Jackson já estavam, soltando uma bufada de frustração alta o suficiente para os dois o olharem com curiosidade.

- O que aconteceu, Yoonie? - Namjoon foi o primeiro a perguntar.

- Meu dia está sendo péssimo desde o momento que eu abri os olhos. - Ele respondeu colocando a mochila sobre a mesa. - E tudo fica pior quando eu encontro o Jimin no corredor.

- Park? - Jackson perguntou tentando não rir com o relacionamento antigo do amigo.

- Olá. - Hoseok disse parando ao lado dele e fitando Yoongi. - Aconteceu alguma coisa, Yoongi? Você parece estressado...

Petite (Pequeno.) encontrou o ex. - Jackson disse e Yoongi o lançou um olhar assassino.

- Qual o problema de encontrar o ex? - Hoseok quis saber. - Vocês terminaram brigados?

- Antes fosse... - Yoongi murmurou. - Jimin não larga do meu pé mesmo depois de quase três anos.

- Cara, esse namoro era engraçado demais. - Namjoon comentou rindo. - Você nunca queria ficar com ele na escola e o pobre do Jimin ficava correndo atrás de você o tempo todo em busca de atenção.

- Ele era grudento demais. - Ele informou seu ponto de vista. - Queria ficar o tempo todo me abraçando e me beijando, isso enchia o saco às vezes.

- Lembra quando você me ligou no meio da noite pra te buscar na casa do Jimin porque ele roncava? - Namjoon disse fazendo Jackson rir alto.

- Foi mesmo. - Ele concordou praticamente gargalhando. - Ele me ligou também, mas eu estava no jogo no Knicks com meu Appa.

- Você o abandonou no meio da noite porque ele roncava? - Hoseok perguntou surpreso.

- Eu não estava conseguindo dormir. - Yoongi se defendeu. - Se eu não saísse daquela casa eu iria enlouquecer.

- E o que você disse para ele quando o pobre coitado acordou sozinho?

- Que eu me senti mal e precisei voltar pra casa, mas estava com pena de acordá-lo. - Ele respondeu encolhendo os ombros.

- Isso não é nada comparado ao que ele fez na primeira vez que os dois transaram. - Namjoon fez questão de dizer.

- Ok, Namjoon. - Yoongi quase gritou para calar o amigo antes de ele começar a contar o que tinha acontecido. - Informação demais para o intervalo entre as aulas...

Namjoon e Jackson adoravam fazer piada dos ex-namorados que Yoongi já teve, mas sem dúvida zoar com Jimin era mais divertido do que brincar com os outros dois. Um deles estava morando na Espanha agora e o outro estudava em Harvard, então não eram da convivência deles para todos os dias os dois amigos lembrar como Yoongi sofreu por não ser um namorado como os outros garotos. Ele era sempre desligado demais com os namorados, não conseguia ser tão aberto como era com os amigos e quase sempre era tachado de frio demais no relacionamento, cada um não durando mais que meses.

Yoongi deixava os amigos fazer piada com os pés na bunda que ele recebia porque não sofreu com nenhum. Ele sempre começava a namorar algum garoto em busca de um relacionamento que lhe arrancasse o amor que sentia por Namjoon do peito, mas era impossível. Ele até gostava deles e tentava ser fiel, mas bastava o amigo lhe requisitar que ele não pensava duas vezes e caía em sua lábia impossível de resistir. Isso só aumentava a obsessão que ele sentia pelo melhor amigo e o fazia se afastar aos poucos dos namorados, resultando em uma conversa sobre como ele não conseguia se envolver com qualquer homem e que não estava dando certo. Depois de um tempo Yoongi simplesmente desistiu de ser um garoto namorável.

A aula após o primeiro intervalo era de Ciências Políticas II e Yoongi, Namjoon e Hoseok pegavam essa matéria juntos. Como no ano anterior os dois amigos já formaram uma dupla na primeira etapa da matéria, Hoseok estava fazendo dupla com Lee DakHo, um nerd que quase teve um acidente vascular cerebral quando viu o ruivo estonteante que iria ser sua dupla pelo ano letivo inteiro. Eles passavam quase duas horas e meia antes do almoço falando em francês sobre os acontecimento políticos do mundo - já que no ano anterior a aula era ministrada em inglês - e algumas vezes o professor pedia para dois representantes de duplas formarem um debate amistoso e sem ofensas pessoais sobre o assunto do dia. Era a aula que a maioria dos alunos aproveitava para se concentrar em qualquer outro assunto.

- Yoonie. - Namjoon chamou o amigo enquanto ele rabiscava trechos de músicas no bloco de anotação.

- Oi... - Yoongi respondeu sem desviar os olhos da página, imaginando que ele faria alguma piada idiota.

- Como está o lance com sua Omma? Vocês ainda estão em guerra?

Yoongi bufou baixo e passou os dedos pela franja de lado para tentar organizar seus pensamentos. Falar sobre as brigas com a Omma era um assunto delicado que ele às vezes não gostava de conversar, mas Namjoon e Jackson eram as únicas pessoas capazes de fazer o garoto desabafar tudo que sentia em relação aos problemas dentro de casa.

- Ela está surtando a cada dia. - Yoongi começou a dizer fitando o olhar de preocupação de Namjoon. - Saindo quase todas as noites e chegando em casa quase no horário de HaNeul e eu irmos para escola, pessoas estranhas ligando lá para casa a procurando nos horários mais loucos... Eu não aguento mais.

- Mas ela está de volta aos velhos hábitos?

- Não sei, mas tudo indica que sim. Eu não aguentaria outra crise dela.

- Se você quiser, pode passar uns dias lá em casa. Você sabe que minha Omma te adora.

- Obrigado, mas eu não posso deixar o Neul sozinha com Jiwoo nessa situação. - Ele disse com um sorriso delicado.

- Se el não me odiasse poderia ficar lá também.

- HaNeul não te odeia.

- Não, ela me ama no fundo do coração. - Namjoon disse com sarcasmo. - Não sei o que eu fiz para ele me ignorar tanto...

- Também não. - Yoongi murmurou sabendo muito bem qual era o motivo do ódio da irmã.

- Mas saiba que você pode contar comigo para tudo. - Namjoon sussurrou abaixando um pouco o rosto para encontrar o olhar triste da amiga e sorrir tentando alegrá-lo um pouco.

- Eu sei... - Yoongi murmurou antes de receber um beijo delicado na bochecha esquerda.

- Fermé la bouche, monsieur Kim et monsieur Kim. Manifestaciones de affection plus tard, d'acord? (Calem as bocas, Senhor Kim e Senhor Min. Demonstrações de afeto mais tarde,ok?) - O professor Chevalier disse atraindo a atenção de todos os alunos para os dois.

As bochechas de Yoongi coraram com violência ao ser chamado a atenção no meio da aula por estar recebendo uma demonstração de afeto do amigo, mas Namjoon parecia relaxado em relação aquilo. Apenas passou a mão livre do gesso pelo cabelo e bagunçou os fios enquanto esboçava um sorriso de diversão nos lábios.

- Pardon, monsieur Chevalier. (Desculpe, Senhor Chevalier.) - Ele murmurou voltando a fitar o bloco de anotações.

- Vous pourrez parler sur le sujet de aujourd'hui, monsieur Cullen? (Você poderia falar sobre o assunto de hoje, Senhor Kim?) - O professor pediu cruzando os braços e o olhando por cima das lentes grossas dos óculos.

- Claro. - Namjoon respondeu se ajeitando na cadeira.

- En français, s'il vous plaît. (Em francês, por favor.) - Ele resmungou com a falta de seriedade do aluno.

- Oui. (Claro.) - Namjoon disse e começou a falar sobre os conflitos nas eleições para presidente no Afeganistão.

Como sempre, Namjoon conseguia irritar os professores ao demonstrar domínio sobre os assuntos da aula sem ao menos estar prestando a atenção como eles queriam. Yoongi ficava impressionado como o amigo conseguia decorrer sobre o assunto daquele dia sem dificuldade nenhuma quando ele ainda tinha umas dúvidas que deveria estar tirando na aula se sua atenção não fosse desviada pelo modo que Namjoon pronunciava cada palavra em francês com perfeição e arrancava suspiros das outras alunas.

Uma bola de papel discreta pulou para sua mesa e ele a pegou enquanto olhava ao redor para ver quem a mandou. Hoseok estava a duas mesas em sua frente e tinha um sorriso nos lábios indicando que era o dono do papel embolado que foi destinado ao Yoongi.

"O que aconteceu para o professor Chevalier chamar a atenção de vocês?"

Ele verificou se Namjoon ainda estava ocupado falando sobre o tema da aula e rabiscou uma resposta rápida para jogar de modo discreto de volta ao amigo, que deu uma risada baixa quando leu a resposta e escreveu algo mais na mesma folha. Como qualquer conversa por papel que os adolescentes costumavam ter durante as aulas.

"Vocês dois, não sei não... Eu estava percebendo os olhares íntimos que vocês trocaram durante a aula. Vai fundo, Yoongi! Conquista esse garoto."

"Claro, super fácil..." Yoongi respondeu no papel e viu Hoseok revirar os olhos antes de enfiar a folha embolada na mochila e prestar a atenção no que o professor dizia sobre a resposta de Namjoon. Como se Yoongi não gastasse todas as suas energias diárias tentando exercer aquela tarefa até então impossível...

Ele chegava a questionar se realmente valia à pena se desgastar tanto por um garoto que não o enxergava da forma que ele queria, mas Namjoon sempre fazia algo especial para deixá-lo mais apaixonado ainda. Naquela manhã, foi a preocupação com sua Omma e os problemas que a relação difícil entre as dois trazia para o garoto. Querendo ou não, ele sempre cuidava de Yoongi quando ele precisava.

Hoseok pediu que Yoongi o acompanhasse em uma tarde de compras quando os dois saíram da escola, pois precisava de um terno para um jantar importante que iria com os pais no final de semana e o lugar ideal era conhecido por apenas um número decimal: quinta. Se você precisava de uma roupa ou um artigo de marca importado, a 5ª avenida seria o local ideal para gastar milhares de dólares em poucas peças e foi para lá que os dois garotos foram parar após mais um dia estressante na escola.

Não havia loja mais perfeita para atender as necessidades daquela garotos com olhos brilhando ao verem uma peça exclusiva do que a Gucci. Sete andares de araras e prateleiras contendo os ternos e roupas sociais de fazerem qualquer um enrijecer as cuecas compradas ali de tanta excitação, pois o dinheiro conseguia comprar até mesmo o prazer artificial para aqueles garotos. Você poderia comprar desde um simples broche de cristais até mesmo vasos importados custando US$ 200,00 dólares cada um. Era uma filial do paraíso na terra e os frequentadores não tinham do que reclamar.

Mesmo sem vontade, Yoongi acabou escolhendo algumas peças das coleções novas enquanto Hoseok conversava com a vendedora sobre como queria o terno e quais designers lhe interessavam mais. Fazer compras era uma de suas atividades favoritas, mas naquele dia ele estava cansado e com a cabeça estourando de dor após todos os acontecimentos desde que acordara. Tudo o que ele desejava era um copo extragrande café e sua cama para se afundar no edredom tentando esquecer tudo que já aconteceu.

- A coleção da Calvin Klein chegou essa semana e está divina. - A vendedora de nariz empinado disse quando Hoseok entrou no provador e deixou o amigo sentado em um dos pufes da loja.

-Obrigado, mas eu não tenho interesse. - Yoongi disse forçando um sorriso.

- Garotos estão sempre interessados em peças novas e sexy. - Ela insistiu como mandava o script.

- Eu sei, mas garotos como eu nem usam cueca. - Yoongi retrucou mal-humorado e a mulher se afastou espantada com a grosseria.

Aguentaria a vendedora mais chata querendo empurrar artigos que não valiam os cifrões que marcavam se estivesse com outro tipo de humor, mas nos dias que já começavam com brigas entre ele e a Omma, Yoongi não prestava para nada e às vezes nem deveria deixar o apartamento e socializar com outros seres humanos. Namjoon e Jackson eram provas das respostas grosseiras que ele dava quando estava irritado daquela forma.

- Que tal esse? - Hoseok perguntou abrindo a cortina do provador.

Ele estava usando um terno rosa despojado que tinha um corte reto. Era simples, mas caiu perfeitamente no corpo magro dao ruivo o analisando em frente ao grande espelho.

- É um Dolce & Gabbana. - Hoseok comentou virando-se para Yoongi. - Não é exatamente o estilista que eu queria, mas foi o que ficou melhor.

- Ele é lindo. - Yoongi disse apoiando o queixo na mão.

- Acho que vou ficar com esse. - Ele disse abrindo um sorriso e entrando no provador outra vez. Quase três mil dólares gastos em apenas uma peça.

Yoongi olhou o relógio do celular e viu que ainda eram quatro horas da tarde. Ainda teria que enrolar um pouco na rua antes de voltar para casa, pois Jiwoo só sairia por volta das seis horas para um jantar beneficente e deixaria a casa em paz para os filhos.

- Eu não vou aguentar de curiosidade. - Hoseok gritou ainda dentro do provador e deu risada. - Mas eu realmente preciso saber o que aconteceu quando você transou com o Jimin pela primeira vez.

- Namjoon consegue ser desagradável quando quer. - Yoongi murmurou dando um longo suspiro.

- Se for algo tão terrível assim, você não precisa contar...

- Não que seja horrível. É apenas constrangedor... assim como todo meu namoro com o Jimin.

- Todo mundo já passou por uma situação constrangedora durante o sexo.

- Eu perdi minha virgindade com o Jimin, sabe? Ele era meu namorado e todo mundo estava fazendo sexo, então eu resolvi fazer também. - Yoongi comentou sentindo tédio por estar falando sobre aquilo outra vez. - Como eu era muito inexperiente sobre isso, caí na besteira de pedir conselhos para Namjoon e Jackson.

- Você não fez isso! - Hoseok disse abrindo a cortina abruptamente e o olhando com espanto.

- Eu nunca tinha passado da primeira base com o Jimin até o dia que eu decidi transar com ele. Na verdade, eu nunca tinha feito nada além de beijar como qualquer garoto e eu precisava de alguma orientação para não pagar nenhum mico.

- Yoongi, ativos nunca vão entender como é perder a virgindade para um passivo. Para eles é tudo muito mais simples.

- Eu sei, mas não sabia disso na época. Se eles são idiotas com quase dezoitos anos, imagine como eles eram com quinze anos.

- Tenho uma vaga idéia. - Hoseok disse voltando a vestir o uniforme da escola. - E o que eles te disseram?

- Primeiro eles me levaram a uma loja da Calvin Klein e pediram para uma vendedora arranjar uma peça sexy para que eu usasse na ocasião. Depois eles passaram quase uma hora me contando o que um ativo poderia gostar que um passivo fizesse e quase me mataram de constrangimento com as coisas que eles diziam.

- Que seriam...

- Eles me mandaram dizer umas coisas e fazer umas bem piores. - Yoongi respondeu sentindo o rosto queimar de vergonha.

- Cara, você precisa me contar o que eles mandaram você fazer. - Hoseok pediu começando a rir com a própria imaginação.

- Não, isso eu não digo nem sob decreto.

- Tá, eu me contento com os detalhes censurados. E como foi? O sexo e tudo mais...

- Foi legal, mais do que eu imaginava, sabe? Jimin foi paciente comigo mesmo depois do que eu fiz antes de consumar o ato...

- Isso só fica cada vez melhor. - Hoseok comentou observando o amigo respirar fundo com o que ainda contaria.

- Eu fui passar a noite na casa do Jimin tudo estava perfeitinho como eu queria. Ele sempre foi um namorado carinhoso e ficava me dizendo como gostava de mim durante as preliminares, mas aconteceu algo que não foi exatamente legal...

- Eu vou ter um AVC de curiosidade, Yoon.

- Como eles não perdiam a oportunidade de me sacanear sempre, Namjoon e Jackson ficaram mandando mensagens para meu celular enquanto eu estava na casa de Jimin só para atrapalhar o andamento das coisas. Só que em uma dessas mensagens eu estava ocupado, sabe? Com a boca ocupada... No pau de Jimin.

- Yoongi, ou você conta agora ou eu não sei o que faço com você...

- Meu celular estava no bolso de minha calça nessa hora e quando ele vibrou ao receber a mensagem minha única reação com o susto foi travar minha mandíbula.

- Não... - Hoseok disse horrorizado, mas Yoongi confirmou com a cabeça. - Você mordeu o pau do Jimin?

- Eu me sinto horrível até hoje toda vez que ele é gentil comigo. Como é que eu posso ser tão idiota assim?

- Não é sua culpa, Yoon. Namjoon e Jackson que são imaturos demais.

- Eu fiquei tão puto da vida com os dois na época, você não tem noção. Eles quase estragaram tudo, mas Jimin fingiu que nada tinha acontecido só para não me deixar em uma situação pior.

- Ele realmente gostava de você. - Hoseok comentou com carinho e Yoongi abriu um sorriso.

- Ele foi um amor comigo, mas aqueles dois idiotas tinham que acabar com todo o clima.

- E o que você fez em relação aos dois?

- Ignorei os dois por algumas semanas, mas eles não desistiram de pedir desculpas. Ficavam me ligando o tempo inteiro, mandando a pobre HaNeul entregar os bilhetes com pedidos de desculpas. Até uma caixa de chocolate Godiva com um ursinho cada um me mandou, mas eu só os perdoei pela mancada quando eles prometeram que não iriam se meter mais em meus relacionamentos.

- Cara, eles conseguem ser imaturos demais quando querem, viu? - Hoseok disse olhando distraído para as araras. - Se Jimin fosse um canalha, teria espalhado por ai uma fama de péssimo boquete sobre você.

- Infelizmente isso não aconteceu. - Yoongi murmurou perdida nos pensamentos.

- Como assim?

- Nada, esqueci...

A lembrança que fez Yoongi lamentar por não ter ganhado uma fama quando ainda dava para evitar erros futuros foi do dia em que ele, estupidamente, foi pedir outro conselho a Namjoon, só que dessa vez tudo foi pior porque eles estavam claramente bêbados no final de uma festa no apartamento do garoto.

- Jimin me odeia, é sério. - Yoongi disse deitando na cama de Namjoon sem muita delicadeza e ele sentou ao seu lado.

- Qual é, Yoongi? Isso acontece com todo mundo...

- Algum garoto já mordeu seu pau por acaso? - Ele retrucou impaciente.

- Não, mas...

- Eu faço o pior sexo oral da face da terra. - Yoongi resmungou enfiando o rosto no lençol bagunçado. - Uma pessoa com derrame fácil faz melhor do que eu.

- Isso não deve ser verdade. - Namjoon comentou tomando um gole da cerveja. - Deve ser apenas falta de experiência, é isso...

- Como eu vou ter experiência agora que o coitado treme nitidamente toda vez que eu dou a entender que quero chupá-lo?

- Sei lá, você não precisa necessariamente treinar nele...

Yoongi olhou desconfiado para Namjoon e ele disfarçou tomando mais um gole da cerveja e olhando para a porta aberta do quarto. Algumas pessoas bêbadas ainda estavam na sala e a festa já deveria ter terminado há algum tempo.

- Você... Nãoo está sugerindo que eu treine em... Você, não é? - Yoongi perguntou lentamente, tentando digerir as palavras.

- Se você quiser, beleza... Nós somos amigos desde sempre e eu gosto de te ajudar.

- Isso seria muito estranho. Nós somos amigos desde os seis anos, seria estranho demais.

- Ninguém irá saber se você não quiser.

- Ninguém pode ficar sabendo, afinal de contas, eu tenho namorado... Eu acho, né? Se ele não me largar por causa de um boquete mal executado outra vez.

- Eu não me importaria nem um pouco em te ajudar a salvar seu namoro.

- Você faria isso? - Yoongi perguntou caindo facilmente na lábia começando a ser desenvolvida do garoto.

- Se você quiser... - Namjoon respondeu não demonstrando muito interesse.

- É por isso que você é meu melhor amigo, Namjoon. - Ele disse o abraçando forte. - Nenhum outro amigo faria isso por mim.

- Você tem toda razão. - Ele retrucou envolvendo a cintura do amigo e sentindo o perfume doce emanando dele.

Se Yoongi continuava sendo idiota e fazia tudo o que Namjoon queria aos 18 anos, o que dizer de um garoto bêbado de quinze anos desesperado para que o namorado não o largasse e espalhasse para a escola toda sobre o incidente da mordida? Foi por causa desses fatores que o garoto caiu de joelhos pela primeira vez e recebeu as dicas do amigo enquanto fazia sexo oral nele em seu quarto na cobertura de Seoul.

- Foi horrível? - Ele perguntou quando o amigo gozou e ele nem se importou em correr para cuspir na pia do banheiro.

- Não... - Ele respondeu ofegante. - Mas...

- Mas o quê? - Ele perguntou preocupado.

- Um pouco mais de treino levaria a perfeição. - Ele respondeu e deu um sorriso de canto que fez Yoongi captar rapidamente suas intenções e jogar um travesseiro em seu rosto.

Ele jurou que jamais faria aquilo novamente com Namjoon, pois tinha quase certeza que ele contaria para Jackson, mas na manhã seguinte ele fingiu que nada tinha acontecido e o outro amigo pareceu não notar nada de diferente entre os dois. Foi o suficiente para ele confiar em Namjoon e começar aquela rotina assassina...

- Yoongi! - Hoseok gritou outra vez para o amigo.

- Oi. - Yoongi respondeu voltando a realidade e percebendo que eles já estavam fora da loja.

- Andou por outros mundos, foi? - Ele perguntou rindo da expressão do amigo.

- Estava pensando em umas coisas...

- Vai fazer o que agora?

- Acho que vou andar um pouco no Yeouido Park para relaxar.

- Eu até iria com você, mas tenho que ir ao salão me arrumar para o jantar.

- Até amanhã então. - Yoongi disse abraçando o amigo.

- Tchau, Suga. - Hoseok disse antes de esticar o braço para chamar um táxi.

Caminhar pelo parque seria a única forma de Yoongi não surtar mais naquele dia cansativo e esperar o restante da hora passar para poder ir para casa e dormir até quando fosse permitido, pois no dia seguinte sua vida continuaria a mesma e ele imaginou que nada mudaria.


Notas Finais


Tivemos momentos constrangedores que nenhum adolescente gosta!!!

E esse lance YoonMin kkk, foi por causa do mal blowjob que Yoongi caiu nos encantos de Kim Namjoon!

Hoseok é o melhor dos amigos!!

Até o próximo!!!
Beijos!!!😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...