História War of Hormones - Jungkook fanfiction - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hormones, Jeon, Jungkook, Kookie, Maknae, War
Visualizações 267
Palavras 4.292
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Genteeee, estou com o coração na mããão! Esse é o último capítulo e eu queria muito agradecer à vocês por acompanharem e amarem War Of Hormones assim como eu, é meu bebezinho e eu cuidei muito bem! kkkk Ok, me desculpem por enrolar, aproveitem o último capítulo! *-*

Capítulo 20 - Aquele era o nosso final feliz


Fanfic / Fanfiction War of Hormones - Jungkook fanfiction - Capítulo 20 - Aquele era o nosso final feliz

Um mês depois...

- Não é possível, eu juro que deixei minha inscrição bem aqui. – falei comigo mesma enquanto procurava o papel impresso no dia anterior. Finalmente o dia do vestibular havia chegado, nunca estive tão ansiosa para algo.

- Procurando por isso?  -escutei a voz da minha mãe atrás de mim com o papel em mãos. Suspirei de alívio e o peguei. – Está desconcentrada demais, trate de se acalmar.

- Eu sei, é que estou tão nervosa. – falei e então escutamos o  barulho de buzina vindo lá de fora. – Parece que chegaram.

Abracei minha mãe e ela me deu um beijo na testa.

- Boa sorte, você estudou, vai dar tudo certo! – eu amava aquela confiança que minha mãe tinha em mim, Deus a escutasse. Assenti sorrindo e então me pus para fora de casa. Jungkook havia completado 18 anos há alguns dias atrás e ganhou o tão esperado carro de presente, agora queria dirigi-lo para cima e para baixo.

Meu namorado encontrava-se sorridente com uma das mãos no volante, Jimin estava no banco do carona e acenou sorrindo para mim. Caminhei em direção ao carro preto e entrei no banco de trás dando um beijo na bochecha de Jungkook. Tae e Sun Hee também pareciam animados ao meu lado e faziam dancinhas de acordo com o ritmo que estava no som do carro.

- Como você pode estar tão calma? – perguntei para minha amiga assim que Jungkook acelerou o carro. Admito que ainda tinha um pouco de medo dele dirigir daquele jeito, digamos que Jungkook tentava incorporar um Vin Diesel no volante.

- Não estou calma. – ela sorriu quadrado – Só estou tentando disfarçar para não deixar ninguém nervoso também.

- Ótima técnica. – Jimin disse se virando para trás e rindo de Sun Hee.

- Estão se preocupando à toa. Vocês com certeza vão passar. – Tae falou levantando os óculos escuros até a cabeça, Jungkook confirmou a frase do amigo.

Depois de alguns minutos já estávamos na frente da universidade. Engoli em seco e coloquei meus pés para fora do carro assim como Sun Hee.

- Nós vamos dar uma volta por aí e comer alguma coisa, quando sair estaremos aqui esperando. – Jungkook disse quando me aproximei da janela. Sorri e dei um selinho em seus lábios.

- Tudo bem, me deseje sorte.

- Boa sorte Jenny-ah! – Jimin falou numa voz fofa e eu não pude deixar de sorrir.

- Obrigada Jiminnie.

Após Tae também desejar boa sorte para nós duas, nos apressamos para dentro do prédio, eu estava tão ansiosa, não queria enrolar nem perder tempo algum daquela prova. Sun Hee e eu passamos pelos procedimentos necessários e eu fui para a ala de enfermagem, Sun Hee seguiu para a medicina. Me sentei em uma cadeira qualquer e meu coração estava mais do que acelerado, eu estava com tanto medo de esquecer alguma coisa, de deixar passar algo, não sei.

Respirei fundo e retirei minhas coisas do estojo. Depois de alguns minutos uma monitora explicou algumas coisas que eu mal escutei e era a hora da prova.

Deus me ajude.

{...}

Quatro horas, demorei quatro horas fazendo aquela prova. Perdi a conta de quantas vezes reli várias coisas e refiz algumas questões, no fim estava até que satisfeita, eu havia ido bem, eu acho.

Avistei os meninos brincando um com o outro debaixo de alguma árvore no campus, mas Sun Hee não estava com eles, devia estar fazendo a prova ainda, medicina era bem mais complicada.

- Oi gente... – falei aliviada por finalmente ter saído lá de dentro.

- Eaí? Como foi? – Tae perguntou e os outros me olharam atentamente.

- Bom, eu fiz tudo. Agora é esperar até o resultado sair. – falei e eles confirmaram.

Ficamos esperando Sun Hee por apenas mais meia hora até a figura aparecer ao nosso lado sorridente e contente por ter ido bem. Até agora estava tudo perfeito, eu esperava mesmo que as duas tivessem passado, seria maravilhoso.

- Eu to morrendo de fome. – Jungkook falou passando a mão na barriga.

- Mas vocês não foram comer depois de nos deixar aqui? – perguntei com os olhos arregalados e ele riu

- Amor, sabe como é... ainda estou com fome.

- Misericórdia. – falei e Tae riu assim como Jimin. Decidimos ir até um Mc Donald’s e comer bastante antes que algum de nós desmaiasse de fome.

Jungkook estacionou o carro no seu devido lugar e então todos saímos. Assim que pisei no estabelecimento me lembrei de quando saímos pela primeira vez SERIAMENTE. Sorri ao me lembrar daquele dia, quem diria que estaríamos aqui hoje.

Fizemos nossos pedidos (aquilo daria uma conta bem gorda para os funcionários) e então fomos escolher uma mesa que coubesse todos nós.

- Vocês estão mais animados que o normal, o que aconteceu? – Sun Hee acabou comentando em algum momento. Eu não havia reparado, que péssima amiga e namorada eu sou. Acabei confirmando com a cabeça, fingindo que sabia de alguma coisa, mas a verdade era que não entendi nada.

- Ah é, já ia me esquecendo de contar. – Jimin desembuchou. – Bom, sabem aquele teste que fizemos no mês passado?

Eu e Sun Hee afirmamos. De canto pude ver os sorrisos de Jungkook e Taehyung, era algo muito bom, quando V dava aquele sorriso era porque estava animado MESMO, como eu não havia notado?

- A BigHit enviou um email dizendo que nós três passamos... – Jimin disse e então eu dei um gritinho automático. Pulei no pescoço de Jungkook e o apertei entre meus braços.

- Jenny, você ta me sufocando. – ele disse e eu ri. Meu Deus, não se pode nem ficar feliz pelo namorado.

- Ai meu Deus, meu namorado é um dançarino profissional, eu to muito chique. – Sun Hee disse abanando a mão na frente do rosto e todos riram. Parabenizamos os meninos e então eu me lembrei de algo.

- Ham... Espera. E ela? – eles sabiam a quem eu me referia. Sun Hee revirou os olhos, mas eu continuei com a minha pergunta. – Ela também passou?

- Sook? – Tae perguntou e eu assenti com a cabeça. – Passou sim.

Não pude deixar de dar um sorriso de canto. Eu sabia que depois de tudo o que ela fez eu devia odiá-la, eu realmente tinha muita raiva dela, mas estava feliz que ela mesmo com seus probleminhas estava seguindo seu sonho e havia conseguido chegar a algum lugar.

- Que bom não é? – enquanto eu disse isso nossos lanches foram entregues.

- Espera, isso não significa que eu vou ser ignorado de novo não é? – vocês já devem saber quem falou esse absurdo. Dei um soco no braço do garoto ao meu lado e ele fez uma careta de dor.

- Idiota.

Continuamos comendo enquanto conversávamos e ríamos sobre coisas aleatórias. Olhei em meu celular e por um breve momento me lembrei de minha mãe em casa, que devia estar nervosa e ansiosa para saber como eu havia ido na prova. Como por obra sobrenatural seu nome aparece no meu identificador de chamadas.

- Alô? – atendi

- Eaí filha, como foi?

-Ah mãe, achei tranquilo, pensei que seria pior. – falei rindo do meu próprio pensamento. Meus amigos continuavam conversando entre si enquanto eu estava na ligação, tinha certeza que não prestavam atenção.

- Ham, que bom! Que horas você vem pra casa? – nesse momento Jungkook me encarou.  Estendeu sua mão e eu entendi que era para passar-lhe o celular.

Fiz o que ele pediu e então não escutei mais nada do que conversaram.

 Essa era minha vida extraordinária gente. Minha mãe e meu namorado conversavam algo pelas minhas costas e eu não ficava sabendo a não ser que eles resolvessem me contar. Jungkook desligou o celular sorridente depois de um tempo. O encarei confusa querendo uma explicação mas ele não disse nada.

No fim da noite nos levantamos e pagamos a conta. Jungkook levaria cada um em casa, eu seria a última por morar perto de sua casa, então resolvi cochilar um pouco no banco do carona que Jimin cedeu para mim.

{...}

- Chegamos – ouvi sua voz em meu ouvido e sorri pensando estar sonhando MAIS UMA VEZ com meu namorado. – Jenny.

Não era um sonho, eu teria que acordar. Abri os olhos lentamente e percebi que ainda não estava em casa, olhei para os lados e percebi a casa de Jungkook à nossa frente. O encarei estática e ele sorriu abrindo a porta do meu lado.

- Kookie, eu preciso ir para casa, minha mãe vai ficar preocupada.

- Não vai não. Eu disse que você dormiria na minha casa e que era para ela ficar tranquila.  – ele disse normalmente e eu arregalei os olhos.

Tudo bem que já estávamos mais íntimos depois de nossa primeira noite, mas na sua casa? Com seus pais ali?

- Anda logo, vai dormir aqui fora? – ele disse rindo e eu saí do carro em relutância.

Prendi meus cabelos em um coque e fiquei parada feito estátua na porta do quarto, observando Jungkook retirar sua blusa. Me peguei mordendo os lábios ao fitar suas costas e sua nuca (eu tenho uma tara por nucas).

- Pare de me encarar... – ele disse corando. Ele ainda ficava envergonhado, eu achava aquilo tão adorável.

- Com que roupa eu vou dormir?

- Bom, você pode dormir sem roupa se quiser... – ele deu de ombros e eu o encarei séria. – De calcinha e sutiã.

Continuei o encarando seriamente. Pervertido.

- Jungkook...

- Tudo bem, pode pegar uma blusa minha. – bati palmas de felicidade ao ouvir aquilo. Ele sabia que eu amava as suas roupas, todas elas. Ele era tão estiloso e tinha blusas tão bonitas. Corri até seu guarda-roupas e me pus a escolher alguma.

- Não se anima não, é só para dormir, não vai levar pra casa. – ele disse e eu fiz bico

- Como você é mau.

Depois de tomar um banho longo e gelado ainda fiquei no banheiro por um tempo. Por algum motivo meu coração estava acelerado e minha respiração ofegante havia embaçado os vidros do box. Eu sei por que estava nervosa, depois da nossa primeira vez nunca mais fizemos nada. Era para eu estar menos nervosa, porque não estava? Talvez porque eu sabia que poderia acontecer de novo, e eu queria, mas e os pais dele? Como eu os encararia depois?

Vesti a blusa de mangas preta que bateu no meio de minhas coxas e soltei meu cabelo. Abri a porta do cômodo lentamente dando de cara com Jungkook apenas com uma calça moletom cinza. Ele levantou o olhar e sorriu ao me ver.

- Talvez eu dê a blusa pra você. – ele disse e eu sorri em aberto – Você ficou mais gostosa nela do que eu e olha que isso é difícil.

Dei-lhe um tapa na cabeça e então me joguei ao seu lado. Alguns fios nas pontas do cabelo dele estavam molhado pelo banho e o aroma de sabonete misturado com perfume (a pessoa passava perfume até para dormir) era de embriagar qualquer um.

Senti as mãos de Jungkook subirem pelas minhas pernas e chegarem à minha cintura. O encarei e ele estava com um sorriso malicioso nos lábios.

- Não. Seus pais estão no quarto ao lado, por favor. – ele ignorou cada palavra que eu disse e beijou o canto da minha boca me arrancando um suspiro. – Porque você nunca me escuta?

- Eu estou com um problema... – ele disse roçando seu membro em minha coxa, gemi ao sentir seu volume já notável ali. – Preciso da sua ajuda para resolver Jenny, não me faça passar vontade.

E então ele selou nosso lábios com um beijo molhado. Aos poucos minhas mãos desceram pelo ser torso chegando na barra de sua calça. Assim que a ultrapassei ouvi um grunhido de Jungkook entre o beijo. Sorri vitoriosa.

- Tudo bem... mas não quero que seus pais escutem.

- Então promete ficar quietinha. – ele disse apertando minha cintura, o que me instigou a continuar o que eu havia começado. Desci mais minha mão e então senti seu volume em minha mão. Jungkook suspirou profundamente e deitou sua cabeça no travesseiro. Massageei sua intimidade um pouco escutando seus gemidos roucos.

- Shiiiii, não faça barulho. – falei me divertindo e então comecei em movimentos de vai e vem, Jungkook tentou levar sua mão até a minha, imaginei que ele quisesse do seu jeito então o impedi. – Se tentar me encostar, eu paro.

Ele pareceu um cachorrinho balançando a cabeça com cara de coitado. Admito que aquela cena estava quase me fazendo desistir de torturá-lo e deixar que ele tomasse o comando, mas resisti. Aquela noite, fora ainda melhor do que a primeira.

{...}

Acordei com a luz do sol batendo em meu rosto e tampei-o com a palma da mão rapidamente. Tateei o espaço ao meu lado e percebi que onde devia haver alguém, não tinha mais. Jungkook já havia acordado.

Percebi meu corpo descoberto e me lembrei da noite anterior. Não acreditava que tinha feito aquilo, mesmo sem experiência me lembrava dos gemidos de Jungkook nos mesmos ritmos dos meus. Sorri abertamente e resolvi me levantar. Segui até o banheiro e tomei um banho rápido para tirar o suor do corpo, vesti minha roupa e saí do quarto em direção ao primeiro andar.

No caminho escutei algumas risadas femininas, enruguei a testa e continuei descendo as escadas. Andei em direção à cozinha e vi Jungkook sentado de costas no balcão, sua mãe estava no fogão preparando panquecas e ao lado do meu namorado havia uma garota de cabelos longos e pretos, extremamente lisos. Pigarreei e então eles se viraram para mim. A garota abriu um sorriso grande e calorento assim como a mulher que preparava as panquecas.

- Olha se não é a famosa Jenny! – a menina se levantou e veio em minha direção de braços abertos. Fiz uma cara de confusa e abri os braços também, seja quer for, era gentil então eu também seria.

- Ham.. sim...

- Ah, meu Deus, me desculpe! Meu nome é Jisoo. Sou irmã do Jungkook. – ela disse sorrindo e eu sorri também. Agora tudo fazia sentido, eles se pareciam demais, desde o cabelo até o sorriso e olhar.

Me juntei a eles no balcão me sentando ao lado de Jungkook. Peguei uma caneca de café e comecei a beber enquanto escutava Jisoo falar que havia chegado no dia anterior, mas não viu o irmão, acabou deduzindo que chegamos tarde.

-  Bom, parece que a noite foi boa não é... – ela disse com um sorriso malicioso e eu acabei engasgando com o café. Jungkook começou a dar tapinhas nas minhas costas enquanto eu via sua mãe rir. – Jungkook, parece que fez um bom trabalho.

- Ah meu Deus. – falei enquanto apalpava minha garganta dolorida PELO ENGASGO COM O CAFÉ.

- Jisoo, pare de deixá-la envergonhada. – meu namorado disse sorrindo.

- Que isso, não fique acanhada. É bom que já treinem, quem sabe um dia não vem um netinho para mim? – foi a vez de sua mãe. Jungkook arregalou os olhos e foi a minha vez de ter que dar tapas em suas costas.

- Vamos mudar de assunto por favor. – falei sorrindo de canto e elas assentiram.

{...}

Assim que Jungkook me deixou em casa eu corri para a cozinha. Tenho certeza que nunca bebi tanta água em toda minha vida, eu estava tão nervosa e envergonhada pelo acontecido.

- Oi... Como foi? – levei um susto ao notar minha mãe atrás de mim. Coloquei a mão no coração dramaticamente.

- Meu Deus, pare de me dar susto.

- Desculpa... – ela disse rindo e então pegou um pouco de água também. Ela  estava diferente, com um olhar sugestivo.

- O que foi?

- Quero saber. Eu sei que aconteceu, sabe que pode contar tudo pra mim. – ela disse me dando um tapinha no braço. Eu achava engraçado quando minha mãe tentava agir descoladamente, como mãe moderna. Tentava ser minha amiga de qualquer maneira.

- Você não precisa saber detalhes de nada. Agora eu vou subir, preciso ligar para Sun Hee. – falei e ela fez um bico me seguindo pela casa.

{...}

Uma semana havia passado e finalmente o dia que eu tanto esperava havia chegado, o resultado do vestibular. Eu simplesmente não tinha mais unhas para roer diante daquela carta ainda fechada em cima da minha cama. Sun Hee estava ao meu lado, inquieta também, já não agüentava mais tanto mistério. Decidimos que abriríamos as cartas juntas e qualquer que fosse o resultado, nos apoiaríamos.

- Tudo bem, chega de enrolo, vamos abrir isso logo. – falei agarrando minha carta com toda a força que encontrei. Abri o envelope delicadamente e Sun Hee fez o mesmo.

Li atentamente cada letra daquele papel, admito que estava adiando o momento de ler o final da carta, a palavra mais importante talvez. Ao contrário de Sun Hee, eu estava enrolando novamente. Nos entreolhamos calmamente, ela estava sem expressão alguma, por alguns segundos pensei que ela não tivesse conseguido, mas em questão de tempo a casa estava sendo preenchida com nossos gritos.

- Eu consegui, eu consegui! – ela gritou me abraçando e pulando ao mesmo tempo.

- Ah meu Deus, eu não acredito nisso, nós vamos para a faculdade.

Eu não sabia o que fazer: gritar, chorar, abraçá-la... Realmente não sabia.

 

23 de dezembro, era a data do meu aniversário. Eu estava completando 18 anos e eu antes achava que me sentiria diferente, madura e adulta no momento em que acordasse, mas parecia um dia qualquer, igual aos outros.

- Bom dia princesaaaaa, feliz aniversário. – minha mãe adentrou meu quarto escandalizando tudo. A única coisa pela qual eu agradecia era que não teria mais que ir para a escola durante dois meses, até as aulas da faculdade começarem.

- Bom dia mãe... – falei coçando os olhos e exausta. Odiava quando me acordavam de repente assim, mas dei um desconto por ela estar feliz pelo MEU aniversário.

- Pode pedir o que quiser de café da manhã, será meu presente.

- Me conhece bem, me ganhando com comida. Deixa eu pensar... – fiz uma expressão pensativa – Que tal um bolo de chocolate com calda de laranja e torradas?

- Parece bom para mim... – ela disse sorrindo e eu devolvi o sorriso. Minha mãe saiu do quarto animada e eu balancei a cabeça descrente de sua animação, eu agradecia tanto pela mãe que eu tinha, eu a amava demais.

Me levantei e fiz minha higiene matinal, escolhi uma roupa para usar durante o dia e escovei meus cabelos. Arrumar minha cama era a pior parte, isso porque eu era atrapalhada, arrumava de um lado e bagunçava do outro, terrível.

Desci as escadas apressada ao sentir o cheiro do bolo de chocolate que só minha mãe sabia fazer, senti meu estômago roncar no mesmo momento.

Me sentei à mesa e depois de colocar o café minha mãe me acompanhou. Era o melhor presente de aniversário de todos, nada ganhava de comida mesmo.

- Tem planos para hoje? – ela perguntou de repente com um sorriso malicioso nos lábios, imaginei o que ela queria dizer. Jungkook.

- Não! Mãe! – a repreendi. – Só vou ficar em casa mesmo.

Falei e então ouvi meu celular informar uma mensagem.

“Quero que venha aqui em casa hoje.”

-Vocês sabem conversar por telepatia, só pode. – falei enquanto respondia a mensagem do meu namorado.

- É ele? Eaí? Ele vai te levar para jantar?

- Não, isso é brega. Eu vou à casa dele depois, não sei pra quê. – dei de ombros e então continuamos a comer.

{...}

Jungkook queria ir me buscar, mas insisti em dizer que poderia muito bem ir a pé, sabia que ele só queria uma desculpa pra desfilar com o carro. Homens.

Assim que cheguei em sua casa encontrei tudo escuro, mas a porta estava aberta. Um frio na espinha me deixou em pânico, eu já havia visto coisas assim antes, em filmes de terror. Entrei na casa afastando a porta devagar e o rangido que ela deu me deixou com mais medo ainda. Porque não tinha ninguém?Percorri todos os cantos da casa e nada, o que tinha acontecido? Resolvi ir até a parte de trás da casa.

Ouvi alguns ruídos e já preparei minhas pernas para correr, eu estava desesperada e preocupada com Jungkook e sua família, pousei minha mão sobre o local correto para acender as luzes.

- SURPRESAAAAAAA – meus ouvidos foram tomados por um barulho interminável.

- Ai caralho. – falei colocando a mão no coração. (No fim dessa história conte quantas vezes deram sustos na Jenny, a coitada sobreviveu até o fim por milagre).

- PARABÉÉÉÉNS AMOOOOR – Jungkook falou pulando em cima de mim como uma criança.

- Ai meu Deus, eu vou cair Jungkook. – falei e então senti como uma multidão em minha volta.

Estavam todos ali, todos que eram especiais para mim. Jungkook, Jimin, V, Sun Hee, Jisoo, os pais de Jungkook, até minha mãe e o namorado estavam ali! Como eles chegaram tão rápido?

- Gente, meu Deus, eu nem sei o que dizer.

- Não precisa dizer nada, só vamos comer, to morrendo de fome. – V falou já indo em direção à mesa e Jimin o segurou pela gola da blusa. Ri com aquela cena.

- Na verdade, vocês quase me mataram de susto, como podem fazer isso comigo? Eu vou esganar vocês, seus retardados...

Pude ouvir Sun Hee murmurar um “Carinhosa ela né”, mas continuei o meu sermão com todos rindo da minha cara. Depois de muito tempo ainda estávamos ouvindo música, comendo e conversando sobre várias coisas, foi aí que todos os olhares se direcionaram para a porta da varanda, eu não estava acreditando no que via.

- O que ela está fazendo aqui? – Sun Hee perguntou entre dentes.

Dei passos largos até Sook que estava encolhida no canto do local com um olhar distante.

- É, eu também não sei como tive coragem de aparecer aqui depois de tudo... – ela começou a dizer encarando o chão, ela estava desconcertada de verdade e eu conseguia perceber isso.

- Mas...?

- Eu não acredito na pessoa que me tornei, em tudo o que fiz e tentei fazer para separar vocês dois. – ela direcionou seu olhar para Jungkook que nos observava de braços cruzados de longe. – Ele gosta mesmo de você.

- Eu sei... – sorri de canto e ela também sorriu

- Jenny, quero te pedir desculpas. Eu pensei muito e me odiei tanto pelo que fiz, você foi minha amiga desde o início e eu fui capaz de trair sua confiança. Eu percebi que não importava o que acontecesse, Jungkook é só seu e eu não poderia fazer nada quanto à isso, e nem quero.

- É sério isso? – perguntei colocando o peso do corpo sobre uma perna.

- Sim, eu pensei muito antes de vir aqui, queria te parabenizar pela faculdade também, espero que consiga tudo o que sempre quis e seja muito feliz. – ela disse sorrindo e deu um passo para trás, já indo embora.

- Sook. – a chamei e ela me olhou hesitante. – Porque não fica e come um pedaço de bolo? Minha mãe que fez, é gostoso!

Tive que rir da minha própria fala, ótimo jeito de fazer as pazes com alguém. Sook aceitou o convite e fico conosco. Sun Hee ainda estava chateada com ela, pelo que eu a conhecia, iria demorar para que desculpasse Sook por completo, mas era apenas questão de tempo...

Depois de algumas horas fui até a parte da frente da casa, fiquei observando o céu por um tempo. Desejei por um segundo que meu pai estivesse ali naquele momento, vendo como minha vida tinha ido para frente. Eu havia passado na faculdade, estava namorando, tinha amigos maravilhosos... Me lembrei de não querer deixar Los Angeles, de não querer me mudar de país, mas e se eu não tivesse vindo? Teria perdido tanta coisa! Continuei observando o céu até que senti mãos em minha cintura.

- Queria que ele estivesse aqui. – falei e então Jungkook pousou seu queixo em meu ombro.

- De alguma forma ele está... – ele disse me confortando e eu sorri. Me virei para fitar seu rosto. Ele estava ali, lindo. Como da primeira vez que o vi, o encarei confusa, fitei aquele olhar misterioso e profundo. – Eu ainda não te dei meu presente.

Enruguei a testa e então o vi tirar uma das mãos de trás das costas, havia um papel em suas mãos.

- O que é isso? – apontei para o papel e ele sorriu o abrindo.

- Tome. – ele ofereceu e eu peguei.

Quando observei o desenho senti meu coração acelerar e minha respiração falhar, como da primeira vez que nos beijamos, ou de quando percebi que gostava de Jungkook mais do que um amigo.  Era um desenho meu, sorrindo.

- Quando desenhou isso?

- No primeiro dia que te vi. – ele disse naturalmente e eu sorri mais ainda. Me lembro de pensar que ele nem gostava de mim, ele havia me desenhado? – Desde que bati os olhos em você senti alguma coisa, não te tirei mais da cabeça.

- Não acredito nisso... – falei colocando a mão na boca, descrença.

- Jenny...- ele levantou meu queixo para que eu olhasse em seus olhos.

- Hum?

- Eu amo você. – era a primeira vez que eu escutava Jungkook dizer que me amava, não havia palavra que descrevesse aquela sensação. Por um momento percebi que viver sem aquela voz, sem aquele cheiro e a sensação que ele me trazia era como não viver, então eu soube.

- Eu também te amo... muito! – passei meus braços pelo seu pescoço.

- MUITO? – ele perguntou como uma criança e eu ri confirmando com a cabeça.

Jungkook selou nossos lábios calmamente e eu senti sua língua quente invadir a minha. Aquele era o nosso final feliz, por enquanto...

 

      Fim

 

 

 

 

 


Notas Finais


Comentem, digam o que acharam! Vou sentir tanta faltaaaa! Dêem uma olhada na minha nova fanfic com o Suga!
Sweet Destiny > https://spiritfanfics.com/historia/sweet-destiny-9964263


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...