História War of Power - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Madison Beer, Matthew Daddario, Originais, Tom Holland
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Revelaçoes, Romance
Visualizações 16
Palavras 1.273
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Gnt
esse capitulo é só para conhecerem a fanfic melhor!
Boa leitura

Capítulo 1 - Just The Beginning


Fanfic / Fanfiction War of Power - Capítulo 1 - Just The Beginning

                                                 

                                                            NOTÍCIAS DA SEMANA

A socialite Madison Rothschild conseguiu uma doação de cerca de 2 milhões para vítimas do atentado de Londres 

A socialite Madison Rothschild fez uma aparição na série the 100

A socialite Madison Rothschild estaria de namorado novo?

A socialite Madison Rothschild estava usando um vestido de cerca de 10.000 doláres na festa de ontem

A socliate Madison Rothschild.........

A socliate Madison Rothschild........

A socliate Madison Rothschild.......

--------------------------------------------- // ---------------------------------------

              Meu salto ecoava em toda a pista, onde meu jato estava aterrissado, logo ao chegar perto, vejo o piloto, Chris, me esperando. Minha cabeça girava de tantas notícias que passaram de mim essa semana, nos jornais e nas TV's 

- Você sabe que não precisava me esperar aqui - Disse olhando para ele, colocando a mão em seu ombro

- Eu insisto, é sempre um prazer - Ele diz dando um sorriso que eu logo retribuo 

       Entro em meu jato, e logo sento na poltrona do meio, pego meu notbook e começo a preparar alguns projetos para meu pai

         Você deve estar se pensando, quem sou eu? Meu nome é Madison Rothschild, filha de Clarke Rothschild e Mason Rothschild, infelizmente minha mãe já não está mais presente conosco, por causa de um incidente que ela teve em uma de suas viagens. Mas eu e meu pai cuidamos de toda a empresa, digamos que somos uma grande dupla. Nossa empresa cuida de várias coisas, digamos que somos uma liga de vários bancos  e meu pai também possui negócios com várias empresas de outros países. Somos o Group Rothschild. 

        Ligo a TV e logo vejo que estão passando uma reportagem sobre mim. Que novidade! Aposto que estão falando da noite passada. 

Muitos estão especulando que essa pequena saída de Madison Rothschild ontem a noite na Boate "DARKER" não foi apenas uma saída, muitos dizem que viram o ator Matthew Tomlin junto a socialite no lugar, e que também o que rola entre eles não é apenas amizade. Será que algo está rolando entre os dois? Já podemos começar a torcer por esse novo casal? Será que.... - Aquilo realmente começou a me estressar, e logo desligo a TV, e sou servida com um copo de champagne. 

 Após umas quatro horas de voo, finalmente chego a meu destino, Nova York. Estava louca para puder deitar novamente em minha cama. Mas antes eu queria ter uma palavra com Chris.

- Ei Chris! Se importa de me levar para casa hoje? - Eu disse e ele logo tira uma chave de dentro de seu bolso

- Problema nenhum - Ele diz e vamos em direção a seu carro, logo nós entramos e ele dirige em direção a minha casa. O trajeto era longo e então ficamos conversando. 

- É verdade? Aqueles boatos que passou na TV? - Ele pergunta

- Na verdade são, eu e Matthew tivemos uma noite, mas não passou disso, sério que eles acham que vamos namorar? Sem chance - Eu disse tirando o casaco que estava usando.

- Que bom então, você sabe que eu estava com saudade de nossos encontros - Ele diz sorrindo

- Então pare o carro, vamos tirar de você essa saudade - Eu digo e ele logo sorri, parando o carro em um lugar escondido entre as árvores.

       Seu carro cheirava a carro novo, é algo que invade o nariz e percorre diversos circuitos mentais de prazer, como um veículo zero percorre uma pista oval. Não há como falar que cheiro de carro novo é parecido com algum outro cheiro. Como o cheiro dele. Não, não é algum perfume dele, aquele líquido em um frasco, mero coquetel cítrico ou adocicado demais e sem alma.

        É o cheiro dele que é incomparável. E olha só, até o carro dele me encantou. O silêncio predominou o momento. Sua mão direita livre, tão fria, pousou em minha coxa e em seguida entrou em minha blusa, me causando uma sensação eletrizante. Meu corpo estava quente e o dele também, eu chequei. Suas mãos pareciam que foram mergulhadas em um balde cheio de gelo, eu tive certeza assim que elas acariciaram meu rosto. Um sorriso involuntário surgiu em meu rosto, eu já estava me deixando levar pelos seus encantos. Ouvi a voz da razão em meu subconsciente, dizendo que era apenas uma transa e carinhos.
           Ele segurou meus cabelos e me beijou com o mesmo fogo de minutos atrás. Eu o ataquei, arrancando seus primeiros gemidos com sexo oral. Deixei que ele sentisse seu próprio gosto e lhe dei um beijo ardente, recebendo elogios de que minha boca era quente. O livrei de suas calças e tênis. Sem julgamentos.
            Ele me abraçou e carinhosamente me beijou. Seu beijo desta vez era doce, adocicado de prazer. O sentimento parecia invadir nossas salivas e isso me instigou, estávamos nos esquecendo do nosso objetivo e, para me manter no foco, fui tirando sua camisa. Ele captou minhas intenções de imediato e fez o mesmo com minhas roupas. Seu cheiro inundava meu corpo.
            O sangue fervia, preenchendo cada canto vago, e se não fosse pela solidão, estariam desocupados. Sua pele tocava a minha. De repente é como se dois hemisférios de um único ser se tocassem pela primeira vez em longos anos.Seu toque era macio e ao mesmo tempo indelicado, era desesperado e ao mesmo tempo calmo. Sua mão se moveu até a minha nuca, agarrando as raízes do meu cabelo com o seu punho. A outra mão facilmente encontrou meu pulso, colocando meu braço ao redor de seu pescoço. 
             A coisa toda estava fora do contexto. Eu estava inteiramente domada por aquelas mãos tão frias e delicadas a cada toque, aquele sorriso pra lá de branco e aquela voz suavemente rouca. Meus olhos estavam pesados, minha boca estava seca e uma sensação de estar nas nuvens predominava em mim. Foi como se meu corpo não me obedecesse mais, não resistisse àquele encontro de desejos. O calor irradiado pelo seu toque moveu-se como uma onda, um tsunami de sentimentos não descobertos por mim, uma explosão de desejos. Ah como eu tinha sentido falta do Chris nessa viagem. O nosso lance não passava sempre de transa, eu já quis algo a mais, mas ele tinha medo, principalmente da mídia, de achar que ele estava comigo por causa de meu dinheiro, e eu também acho que nunca iriamos dar certo, a não ser na cama.

        E em movimentos circulares, usava a ponta de sua língua para estimular meu clitóris, então ele enfiou sua língua, abocanhando-o todo, estava se deliciando, me fazendo apertá-lo contra mim. Eu puxava sua cabeça, controlando a pressão que me satisfazia enquanto ele todo faminto me chupava com vontade. Ele tinha, na ponta do seu dedo indicador, a minha pérola. A pérola, a respiração e o meu auto controle. Não demorou muito para que meus gemidos se tornassem frequentes. Ele logo fazia os movimentos de vai e vem, me deixando cada vez mais excitada

          Logo meu celular começa a tocar, estragando totalmente nosso clima.

- Oh! Merda - Eu disse tentando recuperar o fôlego e atendendo o celular, vendo que era meu pai que estava ligando

- Oi pai, sim,  já vou - Digo desligando

- O que ele queria? - Pergunta Chris

- Quer que eu vá para casa! Disse que eu estava demorando - Eu disse colocando minha roupa e ele logo bufa, colocando a sua também

- Da próxima vez, lembre de desligar o celular - Ele disse e eu concordo com a cabeça

          Logo estávamos a caminho de casa. Chegando lá um silêncio imenso. Me despeço de Chris com um beijo e logo subo para o escritório de meu pai. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...