1. Spirit Fanfics >
  2. War Zone >
  3. Look ate me, Athena

História War Zone - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


VOLTEEEI!
E aí meus amores? Tudo bem? Preparadas pro capítulo de hoje? Espero que gostem

Capítulo 3 - Look ate me, Athena


Fanfic / Fanfiction War Zone - Capítulo 3 - Look ate me, Athena

       Athena Marshall, point of view

 

                                             Dias atuais...

 

     Eu estava atolada em problemas. Recuperar minha casa dos invasores não foi nada fácil mas conseguimos no fim das contas. Dei ordem pra que muita gente morresse, meu pai tinha tantos traidores trabalhando para ele que fiquei espantada. De seguranças a traficantes menores que vendiam na zona mais pobre, eu descobri um por um e mandei mata-los. Tentamos arrancar informações a todo custo mas nenhum deles falou uma palavra sequer. Cerca de três dias depois eu fui chamada na delegacia a respeito do "acidente" de meu pai, felizmente o investigador responsável pelo caso era comprado por Justin e a pedido de Chaz ele abafaria a história mas obviamente pedi a ele que tentasse descobrir a todo custo o que havia acontecido naquele dia para me contar.

     Precisei assumir também as boates, contratar pessoas novas e demitir outras, fazer reformas... No fim disso tudo já tinham se passado um mês e tudo que tínhamos era uma imensa pilha de porra nenhuma. Katherine trabalhava dia e noite tentando entrar nos arquivos do meu pai mas parecia ser impossível, nem eu e nem ela fazíamos ideia do sistema que ele mandou instalarem naquela coisa. Apesar disso minha "ascensão" ao tráfico foi bastante produtiva, consegui contornar a crise muito bem e por conta disso meu nome começou a ser reconhecido. Só espero fazer um trabalho tão bom quanto meu pai...

 

— Merda eu sinto tanta saudade... –Falo pra mim mesma olhando o porta retrato com a foto de meu pai e eu.

 

     Ouço as batidas na porta e me recomponho, deixo o porta retrato no lugar e mando a pessoa entrar.

 

— Com licença –Logan entra trazendo consigo uma bolsa de viagem que eu sabia que estava lotada de dinheiro. — Já fiz o recolhimento dos lucros dos pontos de venda, agora é só separar a parte das contas e por o resto no cofre

— Muito obrigada! –Dou um pequeno sorriso. — Tem mais alguma coisa pra fazermos hoje?

— Nada além de continuar procurando o desgraçado que está atrás de você –Ele responde.

— Diga a Kath pra encerrar por hoje – Digo e ele me olha confuso. — Vamos ao racha, precisamos espairecer

— Você vai correr? –Ele tentava se manter sério mas parecia bastante empolgado.

— Ah não, estou afim de só curtir hoje 

— Vou mandar tirarem sua moto da garagem então  –Ele diz e eu sorrio.

— Muito obrigada –Digo e então ele me deixa sozinha mais uma vez.

 

                 Justin Bieber, point of view

 

     Tinha acabado de repassar o plano para os caras, íamos assaltar um dos principais bancos de Atlanta em algumas semanas. Já era pra termos feito isso mas com o caos que se instaurou na cidade devido a morte de Paul achamos melhor adiar, principalmente porque Chaz não fazia nada além de tentar ajudar sua irmã. A verdade é que até agora eu não havia engolido aquela história, na verdade nenhum de nós. Entendo os pais dele guardarem segredo de todos mas ele? Porque nunca nos disse nada?

 

— Dude? –Ryan chama minha atenção. — Você vai?

— Pra onde mano? –Guardo uns papéis em minha gaveta e olho pra ele.

— Racha cara –Ele revira os olhos. — Tava viajando né

— To de cabeça cheia –Bufo irritado. — Mas vou com vocês, bom que assim eu bebo 

 

     Ele concorda e sai sem dizer mais nada. Passo as mãos pelo rosto e me levanto, deixo meu escritório e caminho até meu quarto no andar de cima. Tirei minhas roupas indo até o banheiro e tomei um banho frio, como sempre fazia. Quando termino, envolvo uma toalha ao redor de minha cintura e me aproximo da pia. Faço minha barba com calma, lavo bem meu rosto e depois arrumo meu cabelo no topete de sempre. Tiro a toalha, deixando-a estendida para secar e vou até meu closet. Visto uma boxer preta, bermuda da mesma cor e uma camisa com estampa de mármore e o número trinta e cinco bordados na frente. Coloco um tenis cinza, ponho uma de minhas correntes no pescoço e prendo meu relógio em meu pulso.

     Passo perfume e encaro meu reflexo no espelho sorrindo satisfeito com o que via, porra eu era realmente muito gostoso. Ri sozinho de meu convencimento e voltei para o quarto, pegando minha carteira e celular e desci. Reviro o potinho das chaves que ficava sobre a mesinha de centro até achar as chaves que eu gostaria. 

 

— Olha ele aí –Disse Chris descendo as escadas com Ryan e Chaz logo atrás.

— As moças estão prontas? – Brinco dando risada e eles reviram os olhos.

— Vamos logo, porra –Chaz diz passando na nossa frente e indo pra garagem.

 

     Pouco tempo depois nós já tínhamos estacionado nossos carros na rua onde haveria o racha. Estava encostado no capô, abraçando a cintura de uma loira que eu já nem lembrava o nome e tomando uma cerveja. Os caras também tinham garotas com eles, haviam outras junto de nós dançando com seus mini shorts. A música alta dos carros de som chegava a atrapalhar nossa conversa mas isso não nos impedia de nos divertirmos.

 

— Vai correr hoje bebê? –A loira envolve um braço ao redor do meu pescoço, beijando o local.

— Não, a concorrência hoje está fraca –Dou um sorrisinho convencido, estalando um tapa em sua bunda. — Mas você pode ser meu prêmio se quiser, eu ainda sou o maior campeão 

— Com certeza –Ela sorri, passando o outro braço por meu pescoço e ficando em minha frente entre minhas pernas.

 

     Ela passa a língua entre os lábios e me beija. Minhas mãos deslizam livremente por seu corpo, ela me beijava de forma voraz brigando por espaço em minha boca. A afasto quando perco o ar.

 

— Pega uma cerveja pra mim vai–Digo e ela assente, ganhando outro tapa antes de se afastar.

— Bieber se deu bem –Ryan brinca e reviro os olhos. — Vai comer e ainda ganha favor

— Eu sou eu –Me gabo e eles riem.

 

     Uma moto passa por nós, o piloto empinava e quando a roda dianteira voltou para o chão ele roda na pista e para perfeitamente numa vaga. Algumas pessoas aplaudem e fazem barulho, o cara era bom.

 

— Mano, é uma Kawasaki Ninja H2R –Ryan diz com os olhos brilhando. — Ela é meu sonho

— Aposta ela numa corrida –Sugeriu Chris.

— Ficou doido? –Acabei rindo. — Ta na cara que o Ryan e qualquer outro vão perder

— Exatamente –Ryan concorda e nos viramos pra olhar a moto mais uma vez.

 

     O piloto tira o capacete e então um mar de cabelos loiros surge. Meu queixo caiu ao ver Athena guardar o capacete e tirar a jaqueta jeans revelando um top branco de couro que apertava seus peitos. E que peitos! Me via caindo de boca ali facilmente, aquela loira era gostosa pra caralho. No dia que fomos salva-la ela estava tão gostosa e não só eu reparei mas os outros caras também, Chaz só faltou querer nos matar pelos comentários que fizemos ao chegar em casa.

 

— É a tua irmã cara –Chris disse impressionado. — Porra...

— Foi mal aí amigão mas agora eu faço questão de entrar pra tua família –Falou Ryan e Chaz o fuzilou com o olhar.

— Ta querendo tomar um tiro por dentro da fuça seu filho da puta –Chaz dizia indignado e nós rimos. — Minha irmã é do caralho mesmo

 

     A loira que estava comigo me traz minha cerveja e pego a mesma, abrindo e tomando o gole. Me viro para observar Athena de novo, ela estava encostada num carro branco com Katherine e seu segurança.

 

— O que você está olhando bebê? – A loira agarrada a mim pergunta e fica na ponta do pé para tentar enxergar. Isso chama a atenção dos caras.

— Nem vem Bieber, eu vi primeiro –Ryan adverte e eu ergo as mãos em sinal de rendição.

— Vocês tão querendo morrer mesmo –Chaz resmunga, bufando em seguida e volta sua atenção para a bela ruiva encostada nele.

 

     Bebo mais. Athena pareceu nos ver e caminhou em nossa direção, rapidamente Chaz ajeita a postura e tira a garota de cima dele a deixando ao seu lado.

 

— Hey babe –Ela sorri para ele o abraçando. — Garotos...

— E aí Athena –Ryan faz questão de se aproximar recebendo um olhar feio de Chaz mas o mesmo ignora.

— Ryan né? –Ela faz careta com medo de ter errado e ele confirma. — Minha memória ainda está boa pelo menos

— Não só a memória –Brincou ele e a garota riu. O loiro a abraça e ela retribui.

— Você é bem atiradinho né –Ele não nega e ela vai para perto de Chaz. — Conseguiu o que eu te pedi?

— Claro, vou levar pra você amanhã –Ele responde. — Não sabia que você gostava de rachas

— Ta brincando? –Ela ri. — A maioria dos meus carros eu ganhei em rachas

— Uma pena que você veio de moto –Finalmente digo. — Eu ia adorar levar aquela Mitsubishi que você tem

— Como sabe que eu tenho esse carro? –Ela franze o cenho se virando pra mim.

— Vi você chegando com ele pra encontrar seu pai uma vez –Dou de ombros.

— Quem sabe numa próxima... Ainda não tenho uma Ferrari, essa sua ia ficar linda na minha coleção –Ela da um sorrisinho e volta para onde estava.

 

     Poucas horas passam, os caras já estavam ficando embriagados e Chris sumiu com alguma puta, devia estar fodendo em algum beco. A música para, o som do microfone sendo ligado ecoa pelo local e então a voz do organizador é emitida pelas caixas de som.

 

— Boa noite Atlanta! –As pessoas gritam. — Vocês já sabem o que acontece agora... Corredores pra pista

 

     Abandono minha cerveja pela metade estava quente. As pessoas começam a se aglomerar para acompanhar a largada e os carros se posicionam na pista. Uma garota alta e cheia de curvas para no meio da pista entre dois carros, era ela quem daria a largada. A garota tira o sutiã, deixando seus seios expostos e o grito das pessoas aumenta, ela ergue a peça e quando a abaixa os carros passam por ela numa velocidade absurda. As pessoas rapidamente começam a se mobilizar para sair dali e ir até a linha de chegada que ficava no próximo quarteirão.

 

— Vamos? –Ryan pergunta e eu faço careta.

— Não to afim não, podem ir. Tenho coisa melhor pra fazer –Disse esboçando um sorriso safado para a loira pendurada em meu pescoço e eles concordam.

 

     Eles entram em seus carros e se mandam seguindo o fluxo de pessoas. A moto de Athena passa por mim e ela a estaciona perto.

 

— Bieber –Ela me chama, fazendo com que eu franza o cenho e afasto a loira brevemente para ir até ela. — Vai ficar aqui?

— Uhum –Ele encara os carros de som e as outras pessoas que também ficaram pra aproveitar a festa.

— Se importa da falar pro Chaz que vou ficar aqui com você? –Ela olha pra loira. — Não quero atrapalhar mas o pessoal quer ver o final da corrida e eu não quero ir, como você já sabe da situação eles não vão querer me deixar sozinha

 

     Eu e Athena aqui sozinhos? Eu não seria nem louco de dizer que não, agora seria minha chance de chegar nela sem ter Chaz ou os outros pra me atrasar.

 

— Fica aí po –Dou um sorrisinho. — Bom que assim eu tenho uma parceira de copo

 

     Ela sorriu concordando, desceu da moto a desligando em seguida e abaixando o descanso e foi buscar uma cerveja. Chaz veio ao meu encontro imediatamente seguido do segurança de Athena.

 

— Nem precisa dizer –Digo antes dele. — Eu fico de olho nela cara, não vai acontecer nada

— Ainda acho melhor eu ficar –O segurança dela diz, acho que seu nome era Logan.

— Não cara –Chaz sorri para ele. — Além da Athena ser a Athena, Bieber vai saber proteger ela caso dê merda

— Tudo bem... –Ele tira um cartucho cheio de balas do bolso e entrega pra mim, o pego imediatamente. — Entrega pra ela

— Beleza –Digo e faço um toque com Chaz. — Vai tranquilo mano, se der merda eu tiro ela daqui e ligo pra tu

— Valeu Dude –Ele sorri e os dois saem. Pude ver Chaz passar o braço pelos ombros de Katherine a trazendo pra perto. O safado não perde uma.

 

     Enfiei o cartucho no bolso para entregar a Athena quando ela voltasse. Volto para onde estava e me encosto no carro, automaticamente a loira veio para perto de mim.

 

— Vaza –Falo para a loira que ainda estava encostada em meu carro e ela me olha confusa.

— O que foi amorzinho? –Ela passa a mão por meu braço e a afasto. — Não vamos mais nos divertir?

— Não Brenda

— É Brianna –Ela revira os olhos irritada e sai de perto de mim batendo o pé. No caminho ela tromba com Athena de propósito que a segura pelo braço.

— Ficou louca? –Ela bufa. — Você não olha por onde anda não?

— Desculpa, meus olhos não enxergam vagabundas que nem você –Brianna dá um sorriso debochado e Athena a segura pelo pescoço.

— Você sabe com quem você está falando? –A loira de olhos azuis se manteve calma e eu encostei no carro para observar a cena.

— N-não –Brianna baixa a guarda enquanto Athena aperta o pescoço dela.

— Athena Marshall –Ela diz e os olhos da loura de arregalam. — Dessa vez eu vou deixar passar mas muito cuidado com quem você mexe

 

     Ela larga o pescoço de Brianna e a empurrando, vindo até mim. Fico impressionado com o quanto aquela postura de perigosa a deixava sexy. No geral eu tinha dois tipos de mulheres, as putas que só se interessavam em me satisfazer e as mais novas e delicadas que não costumavam questionar, nunca tinha conhecido uma mulher que agisse como Athena e aquilo estava me deixando muito interessado.

 

— Você devia por uma focinheira nela –A loira diz antes de abrir a tampa da garrafa com os dentes e para ao meu lado.

— Acho que seu recado foi mais eficiente –Ri fraco, bebendo mais um gole.

 

     A garota ri, concordando. Ela continuava calma então era a hora de atacar.

 

— Ai meu Deus eu amo essa música! –Disse ela do nada pulando.

 

     Presto atenção e a música que era emitida pelos enormes alto-falantes dos carros de som era "Candy Shop " do 50 cent. Ela mexeu no cabelo se afastando um pouco e começou a rebolar no ritmo da música, Athena movia seu quadril com maestria seguindo a canção e eu só conseguia imaginar que ela rebolaria ainda melhor em cima de mim. Resolvo me juntar a ela e dançar também.

 

— Sem gracinhas, Bieber –Ela adverte quando me aproximo e ergo as mãos em sinal de rendição já me mexendo no ritmo da música.

 

     Ela ri fraco, era claro que a garota estava se divertindo. Nós dançávamos juntos, ela se vira de costas e eu seguro em sua cintura guiando seus passos, nós dançávamos bem juntos, tínhamos uma boa sincronia. 

 

Temperature rising, okay lets go to the next level

(Okay, vamos para o próximo nível)

Dance floor jam packed, hot as a teakettle

(Dança no chão, quente como uma brasa)

I'll break it down for you now, baby it's simple

(Eu arraso pra você agora, baby é simples)

If you be a nympho, I'll be a nympho

(Se você for uma tarada, Eu serei um tarado)

 

     Ela desliza para baixo, rebolando até o chão e volta empinando sua bunda. Ela vira de frente para mim sorrindo enquanto cantarola a música, era estranho ver uma garota que gostava de rap, a maioria gostavam daquelas músicas pop que eu até curtia mas não era nada o meu estilo. Seguro em sua mão, fazendo-a girar e a puxo para perto conduzindo a dança, ela passa os braços ao redor de meu pescoço e junto nossos corpos.

 

             Athena Marshall, point of view

 

    Eu estava me divertindo bastante, na maioria das festas nunca tinha quem dançasse comigo já que Kath na maior parte do tempo estava com algum carinha e Logan era o Logan, sempre tentando ser formal e manter a postura que meu pai exigia que ele tivesse. Bieber sabia bem como conduzir nossos movimentos, agora dançávamos com os corpos colados e eu não podia deixar de notar o quão sexy ele ficava quando estava assim descontraído, nas vezes que o encontrei o loiro sempre permanecia de cara fechada.

     Ele sempre me trazia para perto, agora o loiro sussurrava uma parte da música em meu ouvido com aquela voz rouca maravilhosa. Mordi meu lábio inferior sabendo que ele não veria, estava ficando excitada com todas aquelas provocações. Bieber volta a me olhar do nada, a tempo de me ver soltando o lábio e ele sorri com satisfação. A mão do loiro adentra meus fios de cabelo e ele me beija. Me surpreendo mas não demora para que eu acabe cedendo, seus lábios eram tão macios e convidativos que não pude resistir. Ele tinha um hálito fresco apesar da cerveja, algo como menta e também cigarro, a combinação perfeita. Nossas línguas se moviam em sincronia enquanto lutavam por espaço. Nos separamos quando já estava ficando sem ar e ele desce os beijos para meu pescoço.

 

— Puta que pariu... –Murmurei frustrada ao ouvir o som de sirenes policiais.

— Temos que vazar daqui –Ele diz e concordo. — Me segue!

 

     Concordei. Ele foi para seu carro e eu para minha moto, enfiei o capacete em minha cabeça e subi na mesma. O carro de Bieber passa por mim em alta velocidade e o sigo, foi fácil para mim alcança-lo. Nós viramos em uma rua na direção oposta de onde vinham os sons de sirene, mas ao pegarmos a pista principal eu pude ver pelo retrovisor uma viatura ligar as sirenes e acelerar em nossa direção. Um sorrisinho divertido surge em meus lábios, empino a moto e disparo na frente. Minha moto era de um modelo proibido pra estar nas ruas, só era permitida em pistas de corrida. Eu pilotava tão rápido, cortando os carros que por alguns segundos segundos deixei Bieber para trás.

      Ele logo me alcança, seguindo na frente e sai da rodovia seguindo para um dos diversos bairros residenciais que haviam naquela parte da cidade. Ainda podia ouvir a sirene mas ela estava longe então não tinha com o que me preocupar mas mantive a mesma velocidade. Bieber logo vira e entra na garagem de um prédio cujo portão estava se abrindo e faço o mesmo, o portão se fecha atrás de nós e conduzimos nossos veículos até o fundo do estacionamento os desligando. A viatura logo passa pela rua, correndo tão rápido que podíamos ouvir os pneus derrapando no asfalto além é claro do som ensurdecedor daquela maldita sirene.

 

— Você é boa –Ele diz se aproximando de mim enquanto tiro o capacete, nem notei que ele deixou o carro.

— Eu sou ótima babe –Brinco, jogando o cabelo para trás e desço da moto.

— Quanto convencimento –Ele diz bem próximo ao meu ouvido, mordiscando meu lóbulo.

 

     Eu arrepio, mas não podia continuar com aquilo, tinha um motivo pra eu nunca mais ter transado com alguém e não podia simplesmente ignorar isso só porque ele me excitava daquela forma.

 

— Que lugar é esse? –Pergunto desviando de seu toque. — Digo... Por que paramos aqui?

— Eu tenho um apartamento aqui –Ele explica. — Era o lugar mais perto, a essa hora devem ter tiras pra tudo que é lado atrás de todo mundo 

— Tem razão –Resmungo. — Isso vai render uma dor de cabeça

— Nem me fale –Ele se aproxima novamente, passando o braço por minha cintura e me conduz até o elevador.

 

     Eu sinto o calafrio subir por minha espinha e se espalhar por meu corpo, já sentia o ar circular por meus pulmões de forma irregular. Se eu estivesse só ou se fosse Katherine ou Logan junto comigo eu provavelmente pediria para ir de escada, minha claustrofobia já me incomodava e quando entramos no elevador bati meu pé freneticamente. O loiro aperta o botão do último andar e me esforço pra não reclamar, apenas me encosto na parede.

 

— Vamos esperar aqui até a situação lá fora se acalmar –Ele diz e concordo.

 

     Eu já estava agoniada com a sensação de estar dentro daquela caixa de metal, o suor frio escorria por minha nuca, já estava ficando tonta. De repente Bieber aperta minha cintura, prensando-me contra a parede e ataca meus lábios novamente. É claro que eu cedi e aquilo me acalmou, estava tão ocupada em me concentrar no toque do loiro que esqueci completamente que estava a beira de um ataque de pânico.

     Não demorou muito para que a porta do elevador se abrisse no nosso andar, fomos aos tropeços para o lado de fora sem querer parar os beijos e seguimos assim pelo corredor até chegarmos à porta. Me afasto para deixar o loiro buscar pela chave em seu bolso e abrir a porta, então passamos para o lado de dentro e retiro minha jaqueta. Justin acendeu a luz da sala me dando a visão do quão bonita e luxuosa era, o que me fez deduzir que todo o apartamento seria assim. Tiro a pistola da cintura, deixando-a sobre a mesinha de centro e Bieber fazia o mesmo com suas coisas.

 

— Vou avisar ao pessoal que estamos bem –Digo alcançando meu celular no bolso da jaqueta.

— Acabei de falar com o Chaz –Ele diz mexendo em seu celular. — Tem viatura pela cidade toda, eles estão lá em casa com a Katherine e o Logan

— Ah okay –Suspiro aliviada. — Acha que vai demorar muito pra podermos voltar?

— Não sei –Ele dá de ombros largando o celular. — Mas até lá...

 

     Ele deixa a frase no ar, não me dando tempo para respostas e me beija mais uma vez. Envolvo meus braços ao redor de seu pescoço enquanto suas mãos percorrem meu corpo até pararem em minha bunda, apertando o local. Novamente estamos dando alguns passos até que ele cai sentado num dos sofás e eu caio em seu colo com uma perna de cada lado de seu corpo. Nossas línguas se moviam com urgência, eu me agarrava cada vez mais ao seu corpo enquanto ele tateava minha costas. Fico tensa quando ele baixa o zíper de meu top, impeço a peça de cair a segurando com meus braços colados ao corpo.

 

— Relaxa... –Ele sussurra calmamente em meu ouvido, deslizando sua mão até minha nuca onde ele faz carícias. Amoleço sentindo-me entorpecida com o arrepio que aquele simples toque me proporcionou.

 

      Ele baixa o top, jogando-o num canto qualquer e olha para mim, seus olhos queimavam de desejo. Meus seios encaixam perfeitamente em suas mãos, ele massageia o local e eu tombo minha cabeça para trás fechando os olhos quando sua língua circula meu mamilo direito. Ele começa a chupar lentamente meu seio enquanto massageava o outro, em baixo de mim eu já podia sentir o volume em suas calças cutucar minha bunda ainda coberta pelo short e calcinha. Gemidos baixos agora escapavam de meus lábios, sinto seu sorriso contra minha pele e ele utiliza sua mão livre para apertar minha cintura impulsionando meu corpo para baixo quando ele movimenta sua pélvis para esfregar sua ereção em mim. O tempo todo minha mente gritava que eu iria me arrepender daquilo no dia seguinte, eu estava ignorando todos os motivos pelos quais eu jurei que não ia mais transar com qualquer babaca que aparecesse.

      Sou pega de surpresa quando ele segura em minhas pernas com firmeza e gira nossos corpos, deitando-me sobre o macio sofá. Bieber  tenta passar conforto para mim com seu olhar enquanto podia sentir suas ágeis mãos desabotoarem meu short e o zíper ser baixado em seguida, um mísero segundo depois o short já não estava mais em meu corpo e fez companhia ao meu top e agora a camisa dele que o mesmo tirou. Agora sem parte da roupa consigo ver seu físico com mais clareza, Bieber era um puta gostoso sem dúvida alguma. Umedeci meus lábios passando minha língua entre eles quando um sorriso sacana surge nos lábios vermelhos e inchados de Bieber, ele adentra seus dedos no cós de minha calcinha e puxa a peça para baixo até me deixar completamente nua em sua frente. Automaticamente minhas bochechas queimam, estava ruborizada e ao julgar pela forma que estava me olhando ele notou.

 

— Você não sabe o quando essa sua cara está me deixando duro –Ele resmunga e então umedece os lábios enquanto afasta minhas pernas.

 

     Bieber desliza um dedo por minha intimidade até minha entrada e o introduz sem aviso prévio o que me faz instintivamente subir meu corpo. Ele segura minha cintura para me impedir e começa a movimentar seu dedo num ritmo deliciosamente lento. Estava tão molhada que ele deslizava facilmente para dentro e para fora de mim, eu gemi querendo mais daquilo e como se tivesse entendido ele enfiou mais um dedo, se movimentando um pouco mais rápido. Fechei meus olhos com força me deliciando com a sensação então sua língua quente entra em contato com meu clitóris, circulando a região de novo e de novo, aquilo era maravilhoso! Sua experiente língua vai e volta em movimentos ritmados enquanto seus dedos se movem dentro de mim, a essa altura os gemidos já saíam de minha boca sem que eu tivesse controle.

 

— Olhe pra mim, Athena –Isso soa como uma ordem mas não questiono.

 

     Eu abro os olhos e ele estava ali me encarando com extremo desejo, seus lábios brilhavam denunciando minha excitação e ele sorriu satisfeito. Agora Bieber me chupava com vontade, seus dedos passaram a entrar e sair de mim mais rapidamente e eu gemi sem quebrar nosso contato visual. Meu corpo esquentava, gotículas de suor se formam em minha testa enquanto eu praticamente grito, me remexendo inquieta sobre o sofá graças ao prazer que ele estava me proporcionando. Eu reviro meus olhos violentamente ao atingir meu máximo, me desfazendo em seus dedos e o loiro os tira de dentro de mim e chupa todo o meu líquido, fazendo o mesmo em minha intimidade sensibilizada. Eu o puxo para cima, beijando seus lábios e sentindo meu gosto em sua boca, inverto nossas posições e me afasto.

     Depositei mordidas e beijos suaves por seu peitoral, seguindo por seu abdômen até a barra de sua calça, tinha que retribui-lo da mesma forma. Ele olha para mim com expectativa enquanto eu solto o botão de sua calça, baixo o zíper e tiro a peça puxando-a junto com sua boxer. Seu membro salta imediatamente, duro e completamente ereto e seguro em sua base, movimentando minha mão para cima e para baixo. Ele geme baixinho, soltando um suspiro e então sua mão agarra meus fios de cabelo. Nem preciso que ele faça mais alguma coisa, o ponho na boca e o chupo mas não com muita força. Seu gostoso é bom.

 

— A-Ah Athena –Ele geme e suas mãos apertam meus fios de cabelo forçando minha cabeça para baixo.

 

     O enfio mais fundo em minha boca, pressionando meus lábios ao seu redor com firmeza, cobrindo os dentes enquanto movia minha cabeça para cima e para baixo. O encaro por baixo dos cílios e o que vejo faz-me sentir como uma deusa sendo venerada, sua feição de prazer era tão clara como a água mais cristalina. Circulo sua glande com minha língua, ele se contorce em baixo de mim e eu continuo colocando mais em minha boca, agora ele atingia fundo de minha garganta. Sou surpreendida quando ele puxa meu cabelo me afastando, o loiro me faz olhar para ele e sorri.

 

— Não vou gozar agora, babe –Ele acaricia meus lábios com seu polegar e o introduz em minha boca, chupo bem devagar de um modo sensual e ele me puxa para um beijo.

 

     Bieber me põe em baixo dele mais uma vez, minhas pernas já estão praticamente enroscadas em seu quadril, ele parte o beijo alcançando sua calça e tira do bolso a embalagem de papel laminado. Nesse momento eu fico tensa de novo, meu subconsciente voltando a dizer que aquilo era loucura, que eu estava sendo burra. Bieber já tinha desenrolado a camisinha e a colocado, foi bem rápido. Ele olhou para mim como se soubesse o que estava em meus pensamentos, se deitou por cima usando seus antebraços para equilibrar seu peso e passou a beijar meu pescoço. Eu amoleci, aquele maldito sabia exatamente qual era o meu ponto fraco e eu cedi, afastando minhas pernas para que ele pudesse entrar. Sinto novamente o sorriso dele contra minha pele e então ele me penetra devagar e não põe tudo de uma vez. Cravei minhas unhas em seu ombro, ainda não estava tão familiarizada com a sensação mas ele passou a se mover bem devagar, a sensação de prazer logo me inundou e eu gemi bem baixinho em seu ouvido. Ele entra todo em mim dessa vez, fecho os olhos nesse momento mas relaxo quando o mesmo volta a se movimentar naquele ritmo delicioso.

 

               Justin Bieber, point of view

 

     Eu ainda estava impressionado com aquela garota. Athena tinha cara de que me daria uma surra na cama, mas ela era tão sensível e delicada, ela se envergonhava e se assustava com alguns toques, parecia até que ela era virgem mas aquilo seria bom demais pra ser verdade. Athena gozou tão facilmente em meus dedos e lábios, fiz questão de sugar todo o seu líquido doce e ela me surpreendeu ao me puxar para um beijo e em seguida mudar nossas posições. Estava vidrado no jeito que ela me chupava, aquela boca quente e macia envolvendo meu pau e pra completar tinha aquele mar azul que eram seus olhos me encarando como se ela fosse me devorar. Como ela conseguia oscilar assim? Não sei de qual dos jeitos eu gostava mais, só que ambas me deixavam incrivelmente excitado. Céus... Ela o colocou inteiro na boca! Athena movia a cabeça para cima e para baixo com a minha ajuda, eu tentava controlar seus movimentos mas a verdade é que o controle era todo dela. Ela brincava com sua língua nele, parecia que quanto mais eu suspirava e gemia, mais ela queria me provocar. Eu estava quase gozando, mas não era isso que eu queria agora então a fiz se afastar.

 

— Não vou gozar agora babe –Pisco para ela, tocando seus lábios com meu polegar. Ela o beija e então o ponho em sua boca, vendo-a chupa-lo olhando diretamente para mim.

 

     Não resisto e a beijo de novo, aquela mulher estava me deixando doido. Meu pau estava latejando novamente, eu o esfrego na coxa dela enquanto nos beijávamos intensamente. Resolvo acabar com seu sofrimento e o meu também, separo o beijo e pego a camisinha no bolso de minha calça, rasgo a embalagem e tiro o preservativo de dentro, desenrolando-o e o "vestindo". Athena volta a ficar tensa, eu podia ver em seus olhos e se eu permitisse ela certamente desistiria então me curvei sobre seu corpo e passei a depositar beijos por seu pescoço enquanto uma de minhas mãos desliza pela lateral de seu corpo. Ela se abre pra mim e um sorriso satisfeito surge em meus lábios, eu me ajeito entre suas pernas e a penetro apenas com a cabeça. Porra ela era muito apertada! Ela afunda suas unhas em minha pele, sua voz sai abafada próxima ao meu ouvido e então passo a me mover bem lentamente. Athena arranha minhas costas enquanto geme e interpreto aquilo como um pedido por mais, então saio de dentro dela e entro novamente mas ponho tudo dessa vez.

     Seu toque se afrouxa, ela fechou os olhos tombando a cabeça para trás enquanto eu me movia devagar mas aquilo estava sendo uma tortura para mim, não aguentava. Continuo usando um de meus braços pra equilibrar meu peso, minha outra mão para em sua cintura apertando o local e eu estoco com força. Ela solta um gemido alto, suas pernas se apertam mais ao redor de meu quadril e isso facilita meus movimentos. O som do meu corpo se chocando contra o seu ecoava por toda a sala, eu mesmo não conseguia me conter e deixava que alguns gemidos escapassem. Athena movimenta seu quadril no mesmo ritmo que eu, aquilo me ajuda muito. Tiro minha mão de sua cintura, levando-a até um de seus seios e o aperto, lambendo seu mamilo e o chupando em seguida. Sua intimidade se aperta envolta do meu pau, fecho os olhos com força, eu estava prestes a gozar e ela também.

 

— Bieber... M-mais rápido –Ela praticamente implora apertando seus dedos em meus fios de cabelo. Eu gostava quando ela implorava.

 

     Me movo ainda mais rápido, entrando e saindo dela com força. As contrações de sua vagina aumentam, meu corpo também começa a dar espasmos. Ela geme alto, me apertando enquanto eu mordisco seu mamilo sentindo meu ápice. Nós gozamos juntos, tive que reduzir o ritmo aos poucos até parar por completo e então desabo sobre ela, suando e ofegando. Minha cabeça estava em seu peito que subia e descia freneticamente como o meu graças a nossas respirações descompensadas. Saio de dentro dela, me levanto com certa dificuldade já que minhas pernas estavam fracas e tiro a camisinha, dando um nó na mesma e caminho até o banheiro para joga-la fora. Quando volto Athena ainda está deitada na mesma posição, de olhos fechados e suspiro voltando a me deitar ao seu lado. Não costumava fazer isso, mas estava tão cansado que apenas fiz, ela passa uma perna por cima de meu corpo e deita sua cabeça em meu peito. Estava tão confortável assim que não demorou muito para nós dois acabarmos adormecendo ali.


Notas Finais


EITAAA! Certeza que vocês não estavam esperando por isso né? O que vocês acham que vai acontecer com esses dois agora? Comentem bastante! Obrigada por lerem amores, até o próximo capítulo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...