1. Spirit Fanfics >
  2. Warmness On The Soul - Short Fic Dramione >
  3. Three

História Warmness On The Soul - Short Fic Dramione - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoal ♥♥ Estão todos bem? Espero que sim!
Trago hoje mais um cap para vocês! Agradeço imensamente ao feedback que estão me dando, e aos favs também!!! Isso me incentiva muuuito.
O cap de hoje tem ~hot~ então já sabem né! Rsrs, caso alguém não goste, é só pular, mas é importante ler o começo e o final... Enfim, já falei demais, leiaaaaaam

Capítulo 3 - Three


Nossas bocas se encaixavam perfeitamente, e no instante seguinte, suas mãos desceram da minha nuca e foram parar na minha cintura, causando-me uma onda de calor. Era um beijo calmo, mas que de certa forma, despertou sensações diferentes no meu corpo.

Quando o ar nos faltou, nós nos separamos, e pela primeira vez em muito tempo, senti um pouco de vergonha ao olhar para um homem que eu havia acabado de beijar. Controle-se Hermione, Deus o livre você se apaixonar com apenas um beijo.

– Desculpe, eu... – Pedi, desviando o meu olhar para o lado.

– Você não precisa se desculpar. – Draco falou, segurando o meu queixo e virando-me para encara-lo. – Estava com vontade de te beijar desde cedo, quando te vi na padaria.

Não contive o sorriso ao escutar aquela frase, era surreal estar ali com ele, porque em menos de vinte e quatro horas a minha vida tinha dado uma reviravolta digna de filmes de Hollywood.

– Bom saber disso, senhor Malfoy. – Falei, envolvendo o meu braço em seus ombros. – Eu confesso que também estava.

Ele me deu mais um beijo, e me puxou para dar uma volta pelo seu escritório.

Tudo o que ele me mostrava, tudo o que ele falava vinha acompanhado de um brilho no olhar que era capaz de tirar um sorriso da pessoa mais mal-humorada do mundo. Conversar com Draco sobre o seu trabalho era inspirador, eu podia sentir a paixão dele em cada detalhe daquele lugar.

– Por fim, Hermione, eu gostaria de te fazer uma pergunta. – Ele falou, encostando-se na mesa de projetos que ele havia acabado de me mostrar. – Você pensa em fazer algum curso de Design de Interiores?

Aquela pergunta me pegou de surpresa, porque eu nunca tinha pensado em efetivamente começar a estudar Design, por mais que hoje em dia eu tivesse dinheiro para pagar um curso bom sobre o assunto, já que os meus pais também haviam me deixado uma herança, e até então eu não tinha tocado no valor.

– Eu nunca parei para pensar nisso, Draco... Mas, por que?

– Eu preciso de alguém que preste consultoria para os meus projetos, e desde que voltei para Londres, eu estava pensando em chamar você para me ajudar nessa nova fase da minha vida. — Aquele brilho no olhar reapareceu, me fazendo acreditar que realmente ele estava interessado na minha ajuda.

– Quer dizer você pensa em mim? – Perguntei, rindo um pouco da expressão encabulada que Draco fez. – Olha, é uma vontade minha entrar nessa área, talvez seja uma ideia para eu me aprofundar... Agora nada me impede de fazer uma nova faculdade.

Ele sorriu diante da minha resposta, e me deu um abraço rápido, olhando-me logo em seguida.

– Você não sabe o quanto eu já pensei em você nesses últimos anos, Hermione – O olhei desconfiada, como assim passei pela cabeça de Draco Malfoy? – Você lembra da garota que eu estava falando hoje cedo que fui apaixonado durante todo o ensino médio, mas que nunca deu bola para mim? – Concordei com a cabeça, bem na hora Augustus me ligou e eu não pude ouvir qual garota era aquela. – Então... Se você não notou até agora, eu estava falando de você.

O meu cérebro demorou alguns segundos para eu processar aquela informação. Como assim?! Eu é que era apaixonada por ele, e não ele por mim!

A única coisa que eu consegui falar foi:

– Mas você nunca nem teve uma conversa comigo!

Draco começou a rir da minha indignação, o que me deixou um pouco desconfortável.

– Harry falava pra mim que você me achava um idiota, Mione... É claro que eu não iria chegar em você.

Nesse momento, fechei os olhos de vergonha, estava sem coragem de encara-lo. Harry era o único amigo em comum que tínhamos, e muitas vezes ele me perguntou sobre Draco, e eu como uma bela otária que sou, falei que o achava um idiota porque eu não queria que o meu melhor amigo soubesse da minha paixão secreta.

– Draco... Me desculpa! Eu só falei essas coisas para o Harry porque eu não queria que ele soubesse. – Eu falei, encarando o chão, ainda sem coragem de erguer a minha cabeça para olha-lo.

– Soubesse o que? – Ele perguntou, puxando novamente o meu rosto para ele naquela noite.

– Que eu gostava de você. – Respondi, sentindo as minhas pernas começarem a ficar trêmulas.

Por Deus, o que era aquilo? Eu me senti novamente com quinze anos, por favor né! Eu já tinha os meus vinte e quatro, indo para os vinte e cinco, e esse tipo de diálogo já devia ter sido proibido quando atingi maioridade.

Vi um sorriso diferente surgir no rosto de Draco, e no momento seguinte, ele selou nossos lábios.

– Acho que podemos ir para o nosso encontro agora... – Ele falou, entrelaçando os seus dedos nos meus.

Saímos do escritório dele e partimos para um restaurante que ficava próximo. Era um dos locais mais concorridos para se jantar em Londres, e como eu imaginava, o loiro havia feito reserva para nós na mesa mais distante do salão, onde pudéssemos ter mais privacidade para conversar.

Durante o jantar, tomamos muito vinho e comemos a melhor comida de toda minha vida. Eu já sabia que trabalhavam os melhores chefes ali, mas não tinha ideia de quão delicioso era, só não ganhava da comida que a minha mãe preparava para mim quando eu ainda era pequena.

O tempo passou rápido, e quando vimos já estava na hora de ir embora, tínhamos sido uns dos primeiros clientes a chegar, e estávamos sendo os últimos a sair. Como era delicioso passar uma noite dessas, na companhia de alguém especial, ainda mais com um homem tão cavalheiro e gentil como Draco Malfoy.

Durante o caminho, conversamos sobre como não queríamos que a noite acabasse, e sem pensar muito no que estava prestes a acontecer, convidei o loiro para subir um pouco no meu apartamento, que concordou imediatamente.

Agradeci mentalmente por ter feito a bendita faxina na minha casa, ela estava digna de uma mulher solteira: Sem porta-retratos com ex namorado, sem roupas masculinas e sem indícios de que um homem estava vivendo comigo até pouco tempo.

– Bem-vindo ao meu singelo apartamento. – Falei, assim que passamos pela porta. – É simples, mas eu acho que você vai gostar.

Coloquei a minha bolsa no armário mais próximo e percebi que Draco observava atentamente os detalhes do lugar.

– Foi você que decorou? – Ele perguntou, ainda olhando ao redor.

– Sim, fiz o meu melhor...

– Hermione, você tem talento para isso. – Draco se aproximou de mim, puxando-me pela cintura. – Não desperdice o seu talento, não continue advogando se você não gosta, a vida é muito curta, e você sabe. Aprendemos da pior forma possível durante a pandemia.

Ele tinha razão, e acredito que se meus pais estiverem me vendo de algum lugar desse vasto universo, ficariam orgulhosos de me ver tomando uma decisão que foge dos meus padrões. Hermione Granger não é o tipo de mulher que se arrisca assim em algo novo, mas muita coisa tinha mudado nos últimos tempos, e principalmente, nas últimas horas. Estava na hora de tomar decisões novas.

– Você está certo, Draco... Mas, queria saber uma coisa. – Comecei a falar, aproximando meus lábios da sua orelha – Topa tomar um banho de banheira comigo? – Perguntei em forma de sussurro.

Senti que os pelos da sua nuca se arrepiaram.

– É o que eu mais quero agora. – Ele respondeu, e na mesma hora empurrei Draco até o meu banheiro.

Enquanto a banheira enchia, eu me aproveitei um pouquinho do loiro. Arranquei a sua camisa com força, o que fez com que ele me olhasse surpreso, acredito que ele não imaginava que eu gostava das coisas mais brutas.

Ele me beijou de uma forma diferente, com mais necessidade e vontade de conhecer cada canto da minha boca. Suas mãos desceram da minha cintura e foram parar nas minhas nádegas, onde desferiu um tapa estalado, que fez com que um gemido involuntário saísse da minha garganta.

– Hoje você será minha, Granger. – Ele sussurrou, e imediatamente senti a minha intimidade começar a latejar.

Passei a minha mão pelo abdômen nu dele, até chegar na fivela do seu cinto.

– Me faça ser sua hoje, Mafoy. – Falei, já me abaixando para terminar de tirar aquela calça que estava escondendo o volume de Draco.

Joguei o cinto para longe, e abaixei tudo de uma vez só. O seu membro era de um tamanho consideravelmente grande, o que me fez sentir mais vontade ainda de abocanha-lo, mas eu iria com calma, provocar era uma das minhas especialidades.

O agarrei com uma das minhas mãos e comecei a movimentar-lo para cima e para baixo, lentamente, o que de imediato arrancou um gemido quase inaudível de Draco. Passei a minha língua quente pela glande, descendo até a base, e subindo novamente, continuando o movimento com a minha mão, sem colocá-lo de fato dentro da minha boca.

As duas mãos de Draco foram parar no meu cabelo, e num puxão forte, obrigou-me a olha-lo.

– Não me provoca, Granger, você vai se arrepender depois. – Ele falou, sério.

Sorri divertida. Me dava um tesão descomunal vê-lo praticamente suplicando para que eu o chupasse.

Vi que Draco desligou a torneira da banheira, mas logo voltou sua mão para o meu cabelo, tentando forçar um pouco para que eu engolisse o seu membro.

Comecei a sugar devagar a sua glande, e de imediato, senti a sua lubrificação começar a sair aos poucos, aquilo me causou mais uma pontada na minha intimidade. Eu não precisava nem passar a mão na minha calcinha para saber que eu já estava molhada o suficiente para que ele conseguisse me foder sem dó.

Não aguentei mais, e praticamente coloquei todo o membro de Draco na minha boca, sugando com desejo e vontade. Suas mãos começaram a fazer um movimento de vai e vem com a minha cabeça, e alguns gemidos saíram da minha garganta. Olhei para cima, de modo a vislumbrar o rosto do loiro, e pude ver a sua expressão de prazer.

Ele movimentava a sua pélvis contra a minha boca, e a sensação de sentir a sua glande praticamente bater contra a minha garganta, me deu mais vontade ainda de senti-lo dentro ded mim.

Draco puxou com força a minha cabeça para trás novamente, e me levantou, jogando-me contra a pia, e virando-me de costas para ele.

Ele levantou o meu vestido sem delicadeza alguma, e terminei de tira-lo, atirando-o para longe também. A única coisa que eu estava usando agora era uma calcinha fio dental vermelha.

Outro tapa forte atingiu em cheio a minha bunda.

– Calcinha vermelha, Hermione? Assim você me fode. – Ele sussurrou, fazendo com que todos os pelos do meu corpo se arrepiassem.

Eu precisava senti-lo, já estava ficando louca de tesão só com aqueles tapas.

Ele começou a passar o seu membro pela minha intimidade, por cima da calcinha. Fechei os olhos com aquele gesto, e sem que eu percebesse, ele já tinha agarrado o fio dental e o rompido com a força em que ele o puxou. Outro gemido escapou da minha boca, ele sabia bem o que estava fazendo.

Seus dedos ágeis começaram a acariciar o meu clitóris, e com a outra mão ele agarrou um dos meus seios. Um prazer descomunal me atingiu em cheio, e meus gemidos já tinham se tornados regulares.

Ele posicionou o seu dedo indicador na minha cavidade, e rapidamente colocou dentro de mim, fazendo movimentos circulares que me causavam sensações deliciosas. Em contra partida, ele roçava o seu membro na minha bunda, e eu rebolava com desejo de senti-lo dentro de mim.

– Pede pra eu te foder.

Outra vibração forte atingiu o meu ventre. Seus lábios encontraram a pele sensível da minha nuca, e aquilo foi o suficiente para eu começar a suplicar.

– Me fode, Draco, por favor. – Pedi, entre gemidos.

Ele forçou o meu tronco para frente, fazendo com que eu encostasse a minha cabeça na bancada da pia do banheiro, e empinasse a bunda em sua direção. Mais um tapa atingiu-me em cheio, e sem delicadeza, ele colocou todo o seu membro dentro de mim, de uma vez só.

Sua mão levantou a minha perna direita, fazendo com que suas estocadas fossem mais profundas. Os meus gemidos estavam incontroláveis, o modo como Draco metia em mim me fazia delirar. O movimento de vai e vem foi ficando cada vez mais rápido, e os suspiros do loiro estavam se transformando em pequenos gemidos, até que de repente ele parou, virando-me para ele.

O olhei sem entender, minhas pernas estavam bambas, e eu mal conseguia ficar em pé.

– A banheira está nos esperando. – Ele falou, agarrando-me pela cintura, e dando um beijo molhado na minha boca logo em seguida.

Eu quase tinha me esquecido da banheira.

O acompanhei até lá, a água estava na temperatura perfeita, e assim que Draco se sentou, aproveitei para subir em seu colo, entrelaçando as minhas pernas em volta do seu corpo.

Seus olhos encaravam os meus com tanto desejo, que encaixei nossos corpos rapidamente, sentindo o membro de Draco deslizar para dentro de mim com facilidade. A visão que eu estava tendo era perfeita, não desviei meus olhos dos dele nem por um segundo enquanto eu movimentava o meu quadril para cima e para baixo. A expressão de prazer de Draco me fazia delirar, e comecei a me movimentar com mais rapidez.

Ele agarrou o meu cabelo e me trouxe para mais perto dele, e no instante seguinte começou a movimentar a sua pélvis contra mim, intensificando as estocadas.

– Mete em mim, Draco. – Pedi, começando a sentir uma onda de prazer diferente invadir o meu corpo.

O meu orgasmo estava próximo, e de repente comecei a sentir minhas pernas falharem e começarem a tremer por conta do prazer imensurável que estava me dominando. Um dos orgasmos mais intensos da minha vida.

Draco continuou estocando o seu membro dentro de mim enquanto eu jogava o meu corpo mole em cima do dele, estava completamente sem forças, minhas pernas não me obedeciam mais.

Ele tentou me tirar de cima dele, mas eu não saí. Precisava sentir o seu líquido quente dentro de mim.

– Hermione... – Ele gemeu o meu nome, e aquilo me deixou completamente arrepiada.

Draco gozou agarrado ao meu corpo, com suas mãos em volta de mim, me apertando como se de alguma forma agora fôssemos um só.

Me afastei um pouco dele, e selei brevemente nossos lábios. Eu estava tão cansada, que não tinha forças para me levantar, então fiquei ali, observando cada traço do rosto de Draco.

Como aquele homem era lindo, gostoso, gentil, simpático, e tantas outras qualidades que se eu ficasse aqui listando, perderia algumas horas da minha vida.

– Tá cansada? – Ele perguntou.

Deitei a minha cabeça no peito dele, com os braços em volta do seu pescoço.

Era delicioso sentir as batidas do seu coração, aceleradas, assim como a sua respiração. Melhor que isso, era me sentir aninhada por ele.

– Você acabou comigo. – Falei, permitindo-me fechar os olhos por alguns segundos.

Ele riu um pouco, e depositou um beijo no topo da minha testa.

– Na verdade, Hermione, quem acabou comigo, foi você.

Olhei rapidamente para o loiro, e sorri. Ficamos mais alguns minutos na banheira, conversando sobre diversos assuntos, e logo nos enxugamos e partimos para a minha cama.

Convidei Draco para dormir comigo, mesmo com medo de parecer um pouco apressada nas coisas, mas ele aceitou empolgado, o que me deixou extremamente feliz.

Já na cama, nos beijamos, conversamos, demos risada, e sem que eu notasse, adormeci abraçada com o corpo quente dele, mas na manhã seguinte, acordei sozinha.

Demorei alguns segundos para entender a situação, estava com muito sono, mas vislumbrei a minha cama vazia com um longo suspiro.

Ele tinha ido embora.

– Ai ai Hermione Granger, só você mesma para pensar que Draco Malfoy iria te dar alguma chance. – Murmurei para mim mesma, me levantando da cama.

Agarrei um roupão que estava no meu armário, e fui rumo a cozinha, a fim de preparar um grandioso café da manhã para compensar a minha tristeza ao acordar sozinha depois de uma noite incrível como aquela.

Ao entrar no cômodo, deixei escapar uma exclamação de susto: Um homem extremamente sexy estava cozinhando algo no meu fogão, com seus cabelos desarrumados, trajado somente com uma cueca box.

Draco Malfoy.

Até cozinhando aquele homem conseguia ser irresistível.

– Bom dia, morena. – Draco sorriu, tirando a panela de cima do fogão, e indo até mim. – Espero que não se importe, mas tomei a liberdade de assaltar a sua geladeira para preparar um café da manhã para nós. – Ele me envolveu em seus braços, e depositou um beijo em meus lábios.

Eu ainda estava atônita com aquela cena, mas de certa forma, percebi o meu peito se encher de alegria, como se cenas iguais a essa, pudessem passar a ser algo rotineiro.

Um sorriso enorme surgiu no meu rosto, e naquele momento percebi algo que eu não esperava perceber tão cedo: Eu estava apaixonada por Draco Malfoy.


Notas Finais


Me digam o que acharam! Gostaram? Sou insegura KKKKKKKK. AH e eu fiz uma capa pra fic, me digam se a capa ficou boa UHUAHAU

Beijinhos da Bri ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...