História Warrior - Capítulo 2


Escrita por: e Niimy

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Inasa Yoarashi, Shouto Todoroki
Tags Bnha, Boku No Hero Academia, Drama, Inasa X Shouto, Inatodo, Medieval, Universo Alternativo, Yaoi
Visualizações 59
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


hoy oirrr

pedimos desculpas pela demora, não era bem a intenção kdfkjf

esperamos que gostem do capítulo ;)

Capítulo 2 - Capítulo 01


A celebração se fazia mais restrita, sendo exposta para apenas a aqueles que precisavam do controle daquela informação e nova posição dentro do reino.  

Era o dia de nomear o novo guarda pessoal do mais jovem príncipe, situação que reunia as mais distintas opiniões. Ainda assim, já estava decidido e ninguém seria capaz de impedir. 

Por um bom tempo, Enji sentiu-se contrariado em ter sequer aceitado aquela ideia, tendo diversos pontos para refutar tamanha audácia. Normalmente colocariam um homem de confiança que servia a eles há bons anos a fio, sendo o melhor dentre todos e experiente em tudo que fosse necessário para tal posto. Era o esperado, o certo.  

Todavia, a realidade apresentada era bem diferente dos costumes de outrora impostos de geração para geração.  

O rapaz escolhido não tinha nem mesmo alcançado a maioridade, passando por cima de todos os estigmas que o cercavam. Exerceria tamanha honra e responsabilidade que era ter a vida do futuro do reino em suas mãos sendo tão jovem.  

Era uma enorme pressão, principalmente por ter a todos desconfiando e julgando tal decisão; que estava extremamente mal pensada e que daria errado mais cedo ou mais tarde. 

Por outro lado, Inasa não fora mal pensado, mas sim escolhido a dedo dentre todos os julgados como capazes. Em uma última prova, ele havia derrotado a todos, incluindo a seus superiores, homens treinados a muito mais tempo, surpreendendo os demais com sua capacidade. 

O próprio Shouto, prestes a ganhar um guarda “próprio”, encarava aquilo com olhos desconfiados, observando seu pai sacar a espada, tinindo sua lâmina da bainha em um ecoar ansioso. 

Yoarashi estava a um ajoelhar de somente uma perna, tendo a outra dobrada em frente ao príncipe a manter sua cabeça baixa e uma postura impecavelmente respeitosa de servidão. 

A família real também estava presente, tendo em especial Fuyumi ter apoiado aquela consagração. Achava-o digno desde aquele dia em questão. 

Era uma verdadeira honra para Inasa estar ali, diante do Rei, de soldados que respeitava, do príncipe que protegeria com sua vida dali em diante.  

O esforço de tantos anos mostrava-se ter valido a pena, e estar ali ajoelhado podia facilmente ser considerado o dia mais importante de toda sua vida. Tinha uma promessa a cumprir e estava a um passo de se tornar capaz de fazê-lo. 

Botando a lâmina rente ao pescoço de Yoarashi e o tirando de seus pensamentos, Enji em pouca imposição atraiu o foco de todos. 

— Eu o declaro, a partir de hoje, não apenas mais um soldado deste reino, como agora o protetor do futuro dele. Em suas mãos agora o sangue que derramarás será em nome dele, será em prol da vida do príncipe Shouto. Por entre seus dedos escorrerá a proteção que deve fazer da vida dele acima de qualquer outra. O sangue dele é o seu sangue, e como seu, não deverás ser maculado em nenhuma hipótese. — A primeira batida foi concedida ao ombro direito, indo para o outro, parando a alguns centímetros do contato. — A segurança e vida dele é a sua motivação e propósito de viver, e você deve manter essa força acesa como uma chama eterna. Eu o torno, Inasa Yoarashi, a partir deste momento, oficialmente o guarda do príncipe de Hellor, Shouto Todoroki. 

Quando a segunda batida se fez agora ao ombro esquerdo, o suprimir de comentários se instaurou. Esperaram somente a consagração ter término ao rei guardar sua espada, sendo levada por outro homem.  

Seus caminhos estavam cruzados agora, oficialmente.  

Inasa arrepiou-se ao ouvir aquelas palavras, tendo prestado atenção em cada uma delas com toda sua alma. Não havia honra maior do que a de ter o futuro do príncipe e, consequentemente, o do reino, em suas mãos. Faria questão de mostrar que era capaz, que seu esforço valeu a pena. 

Bateu o punho contra o peito da armadura prateada, erguendo-se após reverenciar o rei uma última vez. Procurou pelo príncipe com o olhar, encontrando-o distante, iluminado pelo sol que atravessava os vitrais detalhados daquele salão. Assemelhava-se a uma obra de arte, uma capaz de lhe tirar o ar por um momento.  

Queria perguntar, mas ainda precisava terminar as formalidades da cerimônia. Bem, teriam tempo depois. Muito tempo. 

Encerraram-se as tais formalidades da nomeação, o rei indicando a todos para que seguissem para o grande salão de jantar, onde as extensas mesas de toalhas vermelhas eram abastecidas pela criadagem.  

Todos passaram o sufoco de não falar nada naqueles minutos de cerimônia, desandando totalmente em conversas intermináveis e olhares pesados a Inasa e Shouto quando chegaram até lá.  

Serviam-se com comidas fartas das várias mesas dispostas assim como bebidas fortes do reino. O príncipe parecia disperso, tendo falado com sua irmã antes de tomar saída com ninguém além dela notar de imediato, deixando o salão e também o castelo. 

Estava sem apetite e vontade de interagir, e não ficaria pelo lugar onde todos iriam para cima de si como abutres enlouquecidos por carne podre.  

A noite seguia fria, poucas estrelas espalhadas pelo céu que se tornava mais escuro a cada momento. Apoiou-se ao mármore claro que delimitava o início de um extenso jardim, voltando sua atenção para o horizonte e céu. 

Parecia tudo vazio, e o silêncio ali fora aumentava essas lacunas ao não conseguir deixar sua mente limpa. Só piorava quando tinha a certeza de que não ficaria sozinho ali por muito tempo. 

O mais novo soldado real percebeu a saída do príncipe, julgando aquele como o momento perfeito para falar com ele. Esperou mais um pouco, indo atrás dele o mais discretamente que sua estatura permitia.  

Encontrou Shouto próximo ao jardim, indo até ele calmamente. Parou a uma distância formal, fazendo uma breve reverência antes de falar. 

— Será uma honra servi-lo daqui para frente! — Abriu um sorriso caloroso, mãos atrás do corpo em postura firme. — Permita-me perguntar... Se lembra de mim?  

Jogou a questão, curioso e, ao mesmo tempo, esperançoso. 

Todoroki tinha o pressentimento de que seria perseguido por alguém, só não esperando que seria justo aquele rapaz que o faria.  

Virou-se ao encará-lo sem mudanças nas expressões, sendo um frio incômodo a muitos. Era obrigado a percorrer os olhos em uma visão para cima ao olhá-lo, se questionando se ele de fato era apenas poucos anos mais velho.  

— Não, não lembro. — Respondeu em um tom seco, não entendendo tamanha animação dele com o que acontecia. 

Acabara de trocar ter uma vida no mínimo comum para servir alguém até a morte. Era louco? Não se lembrava de ninguém assim, para Shouto aquele era o primeiro dia em que se viam. 

Diante da resposta tão fria, o jovem soldado ficou desapontado, mas nada surpreso. Os anos passaram, e nem sabia se o que disse naquele dia havia, de fato, entrado nos ouvidos da criança assustada.  

Ele podia ter se esquecido, podia estar agindo de maneira fria, mas... Não desistiria de sua promessa, por mais que agora fosse o único a saber dela. 

— Bem, se não lembra... Farei com que passe a me conhecer a partir de agora. — Confiança inundava seu sorriso, belo e sincero.  

Não gostaria de despertar memórias de um dia triste, então achou justo dar ao jovem apenas dias felizes dali para frente. Assim, no futuro, poderia ser lembrado da melhor forma possível. 

Shouto esboçou certa confusão, mas preferiu não indagar mais nada. Imaginava que ele iria querer se aproximar mais de si depois do título, e não era como se tivesse alguma escolha própria nisso tudo. 

— Faça o que quiser. — Disse simplesmente, deixando como encerrado aquele tópico. 

Não tinha o que falar com ele, não tinha interesse em ter alguém atrás de si com a pose para defendê-lo o dia inteiro. Tal coisa soava extremamente incômoda, e o rapaz parecia brilhante demais, do tipo que o iria irritar em algum ponto.  

Não seria fácil viver dali para frente, mas, não era como se em algum momento houvesse passado por momentos fáceis. Aquele era só mais um item para sua lista de descontentamento.  


Notas Finais


bom obrigada a quem leu e nos veremos no próximo ~ <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...