1. Spirit Fanfics >
  2. Warrior (Imagine Jimin - BTS) >
  3. Capítulo VIII - Eu Não Te Amo Mais

História Warrior (Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Capítulo VIII - Eu Não Te Amo Mais


Fanfic / Fanfiction Warrior (Imagine Jimin - BTS) - Capítulo 8 - Capítulo VIII - Eu Não Te Amo Mais

— O que está acontecendo aqui? — a princesa perguntou se aproximando, todos se curvaram assustados com a presença da princesa.

— Nada, alteza. — o general disse ainda encarando o mais novo. Jungkook sorriu ladino se virando para a princesa, se curvou em respeito antes de passar pela mesma saindo da área de treinamento.

— Estão liberados. — a Park disse mantendo seu olhar sobre o general, os soldados repetiram o ato do Kim, deixando os dois a sós. Jung Hoseok se sentou no chão respirando fundo, prestes à passar a mão em sua bochecha dolorida porém foi impedido pela mulher que colocou um saco de gelo no local.

— Eu deveria ter— colocou o indicador sobre os lábios do homem o cortando.

— Deixe-o, Jeongguk anda meio estranho. Vou conversar com ele! — disse olhando fixamente para os olhos do moreno, este que ainda sentia raiva do citado. — Você fez bem em não revidar, mostrou que tem equilíbrio, diferente dele.. — Hoseok riu, se sentindo um pouco mais calmo.

— Eu teria revidado. — afirmou, fazendo a princesa rir.

Jungkook caminhava pelo Palácio com os pensamentos à mil. Ao mesmo tempo que se questionava o porquê de ter agredido seu superior, estava leve por ter feito. Já que sempre detestou o Jung. Vê-lo mais próximo da princesa o deixava furioso. Na verdade, agora sentia raiva dos dois. Ana deixou de falar com ele e se aproximou de Hoseok, a verdade é que são dois traíras.

— Jungkook! — escutou a voz da princesa atrás de si. Sentiu seu coração bater mais forte, então apressou os seus passos mas fora alcançado por ela. — Jungkook, o que deu em você? Primeiro agride Hoseok e depois ignora o chamado de sua alteza? — Ana parou em sua frente, vendo o moreno ficar irritado. Ele permaneceu em silêncio à olhando, enquanto ela esperava uma resposta.

— Eu estou cansado! — exclamou apertando seus punhos.

— Eu também estou cansada, sabia? — soltou uma risada irônica. — Não vou mais tolerar que me trate e fale deste jeito comigo! Você é apenas um soldado, e eu sou sua alteza, você deve me respeitar e não me tratar como uma qualquer! — socou a armadura do homem.

— É só isso que sou para você? Um soldado? — gritou irritado, ignorando os olhos lacrimejados da mulher à sua frente.

— O que você queria? Você era muito mais do que um soldado para mim antes de me deixar para ficar com Jieun! — Jungkook se sentiu ofendido com suas palavras, abriu a boca para falar mas foi cortado. — Você nem a conhece direito e se deixou levar pelos seus sentimentos que nem são verdadeiros. O que viu nela? O que ela tem que eu não tenho?!

— Jieun— ela o cortou novamente.

— Cale a boca e me escute! — gritou fazendo o soldado se encolher. — Eu tentei lhe avisar, mas você está cego! Jieun se agarra com praticamente todos os soldados deste reino!

O soldado ficou meio irritado com a acusação em cima de Jieun. Sorriu irônico.

— Já chega, não quero mais te ouvir! Nunca pensei que você inventaria uma mentira apenas para ficar comigo!

— Eu não te amo mais, Jungkook! — ela gritou deixando suas lágrimas caírem, o moreno cambelou para trás. Seu sorriso se desfez ao escutar a fala da princesa, sentiu como se uma adaga tivesse sido cravada em seu peito. Sem dizer mais nada, a princesa saiu correndo o deixando para trás, paralisado.

Pendurou suas bolsas no suporte do cavalo, sentindo seu sangue ferver de raiva. Toda a comitiva já estava reunida em frente ao Palácio, prontos para partirem. O Rei permitiu Taehyung se despedir de JunHee enquanto terminava de juntar suas coisas, que não eram muitas. S/N não deixou de o olhar por nenhum segundo, que o deixou ainda mais irritado.

Acariciou o cavalo, vendo que a rainha ia em sua direção. Ela parou ao seu lado, voltou sua atenção para a mulher, a olhando com raiva. Seu olhar também não era diferente.

— Por que está agindo desta forma? Você também veio com a intenção de me matar, se lembra?

— A diferença, S/N, é que eu desisti e lhe confessei meus sentimentos. Mas você quis me matar mesmo depois de afirmar que sentia o mesmo por mim? Será que não vê? — bufou a vendo desviar o olhar para o chão, montou no cavalo ignorando sua presença.

— Nos veremos novamente! — Taehyung disse segurando os braços da general que tinha os olhos lacrimejados, selaram os lábios pela última vez, se separando logo depois.

O General caminhou até o seu cavalo montando no mesmo, sorrindo fraco para JunHee. Jimin lançou um último olhar para a Rainha de Turmalina, antes de mandar o cavalo andar, sendo seguido por meus soldados.

— Temos soldados em topázio, certo? — S/N perguntou vendo a comitiva de Park se afastar, JunHee suspirou antes de confirmar. — Certo, então vamos atrás deles! — pegou sua espada a prendendo em sua cintura. A general acenou para seus soldados que já estavam à postos, esperando seu comando.

O caminho até Topázio seguia em silêncio. Jimin não conseguia parar de pensar na Rainha, se repreendendo por isso. Sequer disfarçava sua feição de raiva ao lembrar do que ela havia feito consigo. Se sentia um pouco mal por afastar o Kim da general, pôde perceber que o amigo estava realmente apaixonado pela mulher, mas não podia deixá-lo em Turmalina.

Fitou o general ao seu lado, que cavalgava olhando para o chão, a expressão triste do amigo era evidente. Voltou à olhar para o caminho, sentindo a culpa crescer em seu peito. Prometou que ao chegarem em Topázio pensaria em uma solução para juntá-los novamente, sem precisar se encontrar com S/N. Ah, S/N. Bufou ao lembrar do sorriso da mulher. De forma involuntária seu coração começou à bater mais forte. Sua vontade era de retornar para Turmalina, fazer as pazes com a Rainha e tentar novamente. Mas era muito orgulhoso para isso.

Ainda atordoado, andava pelo Palácio procurando por Jieun até que foi parado por uma serva.

— Jungkook, Jieun pediu para eu lhe entregar este bilhete! — entregou o papel para o homem que sorriu se sentindo feliz.

Leu o bilhete em que ela pedia para ele encontrá-la em um lugar distante do castelo. Em uma casinha abandonada que era usada para guardar os utensílios usados na jardinagem. Ele sorriu guardando o bilhete no bolso, se apressando para ir encontrá-la. Porém ao sair viu que mais soldados estavam indo na mesma direção que ele. Pode escutar uma conversa entre os soldados que andavam à sua frente.

— Jieun também te chamou? — o homem perguntou confuso para o oficial que concordou.

Jungkook parou de andar ficando um pouco para trás, vendo o que estava acontecendo. Ele realmente fora enganado pela dama. Cerrou seus punhos sentindo a raiva tomar conta de si, decidiu ir apenas para tirar satisfações com a mulher.

Jieun aguardava a chegada dos soldados ansiosa, andando de um lado para o outro. Escutou passos do lado de fora e arrumou sua postura, lançando um olhar para dois soldados Nacárianos que estavam escondidos atrás de umas prateleiras.

— Jieun, o que significa isso? — um dos dez soldados que estavam ali, perguntou irritado. Ela apenas sorriu com a confusão aparente dos homens ali presentes.

— Significa que vocês são tolos e que caíram como patinhos em meu plano! — cruzou os braços deixando com que os inimigos se aproximassem.

Os soldados nacarianos surpreenderam os topazianos e os mataram facilmente.

— Perfeito! — a mulher bateu palminhas beijando a bochecha do soldado vendo os corpos falecidos no chão. Ela era uma espiã do Rei Kim Namjoon, tudo havia sido planejado desde o aniversário da princesa.

Jungkook abriu a porta do local, assustando a morena que se separou do homem. O Kim se assustou com os corpos no chão e encarou Jieun, furioso.

— Matem ele! — gritou partindo ainda mais o coração do mais novo.

Os homens partiram para cima dele, porém Jungkook era bem treinado, então os matou rapidamente. Jieun engoliu em seco, vendo o mais alto jogar a espada no chão e andar à passos rápidos em sua direção. A mulher recuou os passos até bater na parede.

— O que você fez? — gritou a prendendo contra a parede, a morena sobressaltou assustada com a fúria do mais alto. Ele estava triste e decepcionado, seu coração estava destruído. Pensava que era único para ela.

— Você é muito ingênuo, Jungkook! Você com certeza era o mais bonito de todos mas muito romântico e carinhoso, não é homem de verdade para mim! — a garota disse provocativa mas sendo sincera. O Kim agarrou seu pescoço, fazendo a mulher se debater, sentiu seus pés se afastarem do chão, se desesperando conforme não conseguia respirar. — Está perdendo seu tempo! Todos vão morrer e Namjoon tomará Topázio! — disse com dificuldades, se assustou com sua fala e a soltou, ela caiu bruscamente no chão colocando sua mão no pescoço o olhando com raiva.

Os dois foram surpreendidos pelo som da trombeta, que era usada para avisar que estava havendo uma invasão.

O Kim sem dizer nada lhe deu as costas, pegou a espada pronto para sair do local.

— Você terá sua cabeça cortada por traição! — disse com ódio apertando a o objeto afiado em suas mãos.

— Acha mesmo que sou a única, Jungkook? — falou por fim, vendo o homem sair sem dizer nada.

— O que houve? — Seokjin entrou no quarto da princesa, vendo o quarto completamente distraído. Ela o olhou com o rosto vermelho molhado por suas lágrimas.

— Jungkook é um idiota! — gritou passando suas mãos pelo rosto. Jin suspirou se aproximando da mulher a abraçando.

Ele era recente no castelo, assim como Jieun, porém chegou antes da mulher. Ele sabia do que tinha acontecido entre ela e o irmão do general. Os dois tiveram um caso, e quando Jieun chegou, Jungkook pediu que ela esquecesse tudo.

Seokjin ia falar mas foi interrompido pela sinal. Se separaram assustados, sentiu o corpo da princesa tremer.

— O que está acontecendo? — perguntou olhando para o rosto do amigo. O mesmo olhou pela janela vendo que guerreiros de Nacár e de Analásia invadiam o castelo.

— Venha comigo! — a puxou sem explicar o que estava acontecendo.

Hoseok corria pelo castelo procurando pela Park, sendo atrapalhado pelos servos que estavam desesperados. Seokjin corria segurando a mão da princesa que estava completamente assustada, ao ver o general se aproximando, ele deu meia volta, procurando se afastar do homem.

— Jin, o que? — empurrou a princesa para dentro da sala do trono. Vendo que não conseguiria afastá-la do general, decidiu desistir de sua missão.

— Fique aqui, eu— foi interrompido pelo estrondo das portas sendo derrubadas. Arregalaram os olhos quando soldados de Analásia invadiram o lugar.

— Ana! — Jungkook gritou entrando na sala do trono acompanhado por outros soldados.

Tomando a frente da princesa, começaram à lutar contra os guerreiros de Analásia. A Princesa estava distraída olhando para Jungkook, se preocupou quando o exército de Nacár entrou atacando os topazianos. Estavam em minoria, sendo mortos facilmente pelos inimigos. Seokjin disfarçadamente passou para o lado inimigo, sendo protegido por soldados de Analásia, o que passou despercebido por todos.

Jungkook foi atingido no tórax e em sua coxa, o fazendo gritar e cambalear. Ana se assustou ao ver o moreno sendo ferido. O Kim colocou a mão em sua cabeça, ele parecia meio desnorteado e o nacariano se aproveitou de sua fraqueza para atacá-lo.

— Não! — a princesa gritou entrando na frente de Jungkook, este que levantou sua cabeça assustado, parecendo despertar de repente.

Mas fora tarde demais, o nacariano enfiou sua espada na cintura da princesa. Jungkook se encontrava paralisado, tão paralisado que não conseguia se mover.

— Ju-jung— cuspiou sangue olhando a espada manchada de seu sangue. O nacariano puxou o objeto, sorrindo maldoso.

O Kim gritou firmando a mão sua espada pronto para matá-lo mas se surpreendeu quando soldados de Turmalina invadiu a sala do trono, eliminando seus inimigos, deixando apenas os topazianos vivos.

— Viemos em paz! — a soldada de Turmalina disse levantando as mãos, assim como os outros, demonstrando que não os atacaria. Mas deixando os topazianos confusos e desconfiados.

— Ana! — antes que a princesa caísse no chão, o Kim a pegou, se sentando no chão junto com a mesma, deitando sua cabeça em seu colo.

Ela sorriu com seus dentes sujos de sangue, ele soluçou colocando as mãos em seu ferimento, em uma tentativa inútil de parar o sangramento.

— Sua idiota. — soluçou, vendo o líquido vermelho sair de sua boca. — Por que entrou na minha frente? — acariciou o rosto da princesa.

— Porque eu te amo.. — sussurrou fazendo o homem chorar ainda mais, com o coração doendo em culpa.

Jimin sorriu ao ver que finalmente chegaram em Topázio, estava com saudades de sua casa. Porém estranhou quando viu pessoas correndo para fora do reino.

— Fiquem à postos! — Taehyung tomou à frente do Rei ao ver que as pessoas corriam em sua direção.

— Majestade, o reino está sendo atacado! — o plebeu disse apontando para Topázio. O Kim encarou Jimin com os olhos arregalados, que não demorou para mandar o cavalo andar, ignorando o chamado de Taehyung.

Cavalgava pelas ruas de Topázio, desviando das pessoas e objetos que atrapalhavam sua passagem. Seu coração estava acelerado pela adrenalina e por pensar em sua irmã. No caminho pôde ver soldados de Nacár e de Analásia mas também viu guerreiros de Turmalina, o deixando confuso. Será que S/N fez uma aliança com Namjoon e MinKyung?

Desceu do cavalo ao chegar nos portões do castelo, correu para dentro do mesmo, vendo vários homens mortos na extensão do castelo. Tanto Topazianos quanto Nacárianos e Analásianos. Mas havia uma grande quantidade de Topazianos mortos.

Seus olhos se encheram de lágrimas, tirando a atenção dos corpos. Parou de correr próximo à sala do trono, vendo que Turmalinos estavam na entrada da sala. Ao notarem a presença do Rei se curvaram, o deixando surpreso.

— Rei Park.. — a soldada se levantou o olhando com respeito.

Jimin entrou no sala vendo as portas caídas e os corpos no chão. Levantou o olhar com pesar, arregalando os olhos ao ver Jungkook sentado no chão com o corpo da princesa nos braços, o moreno chorava compulsivamente. Jimin caiu de joelhos se arrastando até os dois, soluçou ao ver o ferimento na cintura de sua irmã.

— Jimin.. — Ana sorriu torto por vê-lo, ao contrário de seu irmão que já chorava olhando para seu rosto pálido. — Você voltou.. — disse com a voz fraca.

— Fique quieta! Poupe suas— o rei foi cortado pela princesa.

— Escute.. eu te amo, Jiminie! Você foi o melhor irmão que eu poderia ter, sempre fez de tudo para me proteger e fazer com que eu me sentisse amada.. Eu te amo! — sussurrou sentindo seus olhos pesarem.

Taehyung entrou rapidamente na sala, cumprimentando os soldados de Turmalina. Mas ao ver a cena, sentiu seu coração doer.

— Quero que seja feliz e que escute seu coração! — deu um último sorriso para o irmão antes de fechar seus olhos.

— Não! Acorde! — Jungkook gritou balançando seu corpo, Taehyung rapidamente se aproximou abraçando seu irmão que gritava enquanto Jimin olhava para sua irmã chorando silenciosamente.

— Jimin! — ouvi Taehyung me chamar porém não lhe dei ouvidos.

Caminhava para o lado de fora do Palácio, minha visão embaçava de vez em quando por conta das minhas lágrimas mas não deixei de andar. Seokjin havia levado o corpo de minha irmã para preparar o sepultamento, e eu, eu estava indo acertar as contas.

Rapidamente cheguei ao rio que separava Topázio dos demais reinos. Apertei a espada em minhas mãos com raiva. Estava claro que S/N planejou tudo isso, junto com Nacár e Analásia. Por isso ela prendeu os soldados em seu calabouço, para ter uma garantia.

Todo o exército de Turmalina estava do outro lado do rio, inclusive S/N e sua general. Parei no meio do rio, chamando a atenção da rainha que estava de costas para mim. Ela se virou lentamente me olhando surpresa.

— Por que fez isso? Por que a matou? — gritei com o peito doendo.

— Majestade, por favor— Taehyung segurou meu ombro, o empurrei com força, fazendo ele cair na água.

— Ela não tinha culpa! Ela não merecia morrer! — S/N me olhava confusa, ri de sua cara sonsa.

— Não sei do que está falando, Jimin. — disse se aproximando de mim, JunHee a acompanhou. Soltei uma risada baixa observando todo o exército atrás dela.

— Não sabe do que estou falando? Por que este exército atrás de você? Por que está aqui? Por que invadiu meu reino junto com Nacár e Analásia? — soquei o ar, irritado. Ela franziu o cenho, olhando para JunHee.

— Jimin, ela não invadiu Topázio com a intenção de— Taehyung tentou dizer, segurando meu ombro. O empurrei novamente.

— Não tente me enganar! — gritei o olhando irritado.

— Jimin, eu vim para te ajudar! — S/N disse em um tom desesperado, balancei minha cabeça.

Ela já me enganou uma vez, não posso deixar que ela me engane novamente. Mas só de pensar que ela planejou este ataque, planejou a morte de minha irmã.. meu coração se despedaça ainda mais.

Joguei a espada no chão, abrindo meus braços e a olhando.

— Me mate! — gritei soluçando. S/N deixou algumas lágrimas descerem por suas bochechas, me olhando com pesar. — Vamos me mate! Não era isso que desejava, me matar? — ela negou abaixando a cabeça. — Me mate, S/N!

Gritei pela última vez, ela sobressaltou e me olhou triste. Trinquei meu maxilar, sentindo Taehyung se aproximar de mim por trás. Ficamos nos olhando por um tempo, até que ela acenou para o exército atrás de si, e então eles começaram à recuar.

Sem dizer nada, S/N me deu as costas, montando no cavalo e sumindo de minha vista. JunHee lançou um olhar para Taehyung antes de subir no cavalo e ir atrás da Rainha. Observava o exército se afastando com raiva, apenas escutei o general atrás de mim suspirar.

Me sentei na cama passando as mãos pelo meu rosto. Passei meus olhos pelo quarto que pertencia minha irmã. Meu coração doeu novamente e desta vez não segurei minhas lágrimas. A porta se abriu e Taehyung entrou com uma cara irritada.

— O que foi? — perguntei baixo, sem olhá-lo.

— S/N não estava envolvida com o ataque, imbecil. — o olhei e me levantei, pronto para repreende-lo pelo modo que falou comigo. Antes que eu pudesse falar, ele me interrompeu. — Ela veio defender Topázio dos inimigos, mandou soldados ficarem vigiando nosso reino para evitar o ataque mas como os turmalinos só podiam atacar com o comando dela, eles demoraram para nos ajudar. Porém, Jimin, ela realmente não teve nada com este ataque covarde! — disse por fim. Arregalei meus olhos e encarei o chão. O Kim estalou a língua socando meu ombro. — Imagine como ela deve estar se sentindo agora? Completamente culpada pela morte de sua irmã!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...