História Watashi no Saiai no Sensei - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Gray Fullbuster, Juvia Lockser
Tags Gruvia, Professor, Romance
Visualizações 82
Palavras 1.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


BOM DIA/BOA TARDE/ BOA NOITE/ BOA MADRUGADA - nossa só o do dia que bom... Que metido kkkkk
Bem como prometido eu voltei no dia 16/09, sobre o próximo capítulo ele será postado somente quando eu terminar de escrever a parte II.
Bem eu dividi a fic em partes a primeira eu estou postando aos poucos, a segunda agora que eu cheguei na metade dela hoje. Pra não ficar naquele corre corre de escrever capítulo pra cumprir prazo eu resolvi dar uma pequena pausa, por isso SEMANA QUE VÊM NÃO TEM CAPÍTULO, SOMENTE NO DIA 30/09 OU UM POUCO ANTES!
Agora eu quero agradecer pelos comentarios e pelos favoritos - isso motivam muito em continuar a escrever a fic
OBRIGADO SEUS GATOS!
Bom capítulo a todos os maravilhosos que iram ler.
O poema do inicio é bem fofo por isso recomendo que leiam - eu não por nada mas não resisti quando li ele.

Capítulo 4 - Bad Dream


Fanfic / Fanfiction Watashi no Saiai no Sensei - Capítulo 4 - Bad Dream

Bad dream

“Preciso amar e ser amado

Eu vivo em um mundo de sonhos
onde meu Maior pesadelo é a realidade

Realidade essa de q eu não nasci pra ser feliz
muito menos ser amado, amado de verdade

É verdade que não sou amado como amo
mesmo assim nunca deixarei de amar como devo


Devo amar da melhor maneira possível
amar com toda sinceridade

Sinceridade é o que eu mais quero
Sinceridade é o que lhe peço

Peço que não me diga um "Eu te amo"
sem realmente me amar

Amar é o que eu mais faço
Amar é o que eu mas quero

Quero você aqui comigo
Quero você aqui me amando

Amando meu mundo fica completo
Amando tudo fica perfeito

O Perfeito não existe
è o que todos dizem

Dizem que o que passa em minhas veias
e faz meu corpo viver , é Sangue
no meu caso é diferente
O que passa em minha veias é amor
O Amor é vital para mim
Sem amor eu não vivo
Sem amor eu não existo.”

Caio Santos

Tive um dos piores sonhos, se é que posso chamar aquilo de sonho. Em meu pesadelo meu tio consegue me violentar. Ele fez aquilo repetidas vezes, fazendo com que eu me sentisse suja e humilhada. Ele ria da minha cara e dizia que deveria ter cedido antes. Dizia que tudo isso era minha culpa.

Como eu posso ser culpada, por algo que eu sequer fiz? Nunca vi meu tio com desejo, sempre o respeitei, será que custava ele fazer a mesma coisa comigo?

Acordei chorando. Quero arrancar aquelas lembranças de minha cabeça, mas eu infelizmente não posso. Sei que jamais irei superar aquilo, mesmo ele não tendo ido até o fim. Tive sorte de ter conseguido fugir e de ter sido acolhida por Gray, só que infelizmente nem todas as mulheres que conseguem escapar sem se machucar muito.

O que mais dói não é a dor física e sim a psicológica. Tudo em você fica abalado, sentido pelo ato.

Dificilmente pegarei no sono, temo fechar os olhos e ver aquilo tudo se repetir em minha mente.

Levantei-me da cama, é me pus a caminhar rumo ao quarto do professor, que ficava somente a poucos metros do meu. Pelo horário mostrado no relógio o professor deve estar dormindo a algum tempo, pois mesmo disse que iria terminar de corrigir algumas provas antes de dormir.

Adentrei em seu quarto e o vi dormindo somente de cueca, a noite estava fria, mas mesmo assim ele não usa nada pra se cobrir. É como se ele e o frio fossem amigos, por isso não se incomodavam com a presença um do outro.

Percebo que o meu amado tem algumas cicatrizes na região da barriga, cicatrizes que pareciam ter feito por arma de fogo e faca. Quero tocar nelas, sentir a sua textura, contudo me contive não quero que ele acorde.

Quero admirar ele mais um pouco, por isso não quero que ele desperte ainda. Sinto que posso passar a madrugada toda lhe olhando sem nem mesmo sentir sono ou cansaço.

Pois admirar a sua face adormecida é melhor do que qualquer sonho.

Caminho lentamente até sua cama desejo vê-lo mais de perto. Sentir aquele cheiro que me hipnotiza, cheiro capaz de deixar-me nas nuvens em questão de segundos. Devo estar parecendo aquelas stalker loucas agora, por ter invadido o seu quarto em plena a madrugada, somente para ficar lhe observando dormir.  

Gray começou a mexer, ele estava para mudar de posição já que o mesmo dormia de barriga para cima, ficando de lado agora.

Aproximo mais um pouco, na ajoelho e uso a minha mão como apoio para a minha cabeça que está encostada em colchão, enquanto penso em como irei acorda-lo.

Só que do nada ele me puxou para um forte abraço. Ele me aperta tanto que chagava doer, é como se ele estinha tentando impedir alguém de ir. Gray sussurrava o nome de alguém, disse isso varias vezes.

- Senhor Gray? Senhor Gray, por favor, acorda! – ele me apertou um pouco mais. – O senhor está machucando a Juvia.

Demorou um pouco para ele acordar e ver que sou eu. Devagar ele foi desfazendo o abraço.

- Juvia me desculpa, eu não quero te machucar – os meus braços doíam um pouco, mas nada muito serio – Eu estava tendo um sonho um pouco doido – ele ri sem humor.

- Professor você não machucou Juvia, por isso não faça essa cara. – ele parecia um condenado clamando por perdão.

Tento sorrir, mesmo sabendo que ele dificilmente se alegrara. O meu objetivo principal era pedir que ele me deixasse dormir com ele, mas agora acho que não será uma boa ideia.

Sinto-me uma pervertida por ficar encarando o professor mesmo ele estando somente de peças íntimas. Pra uma pessoa que nunca tinha visto um homem sem calças eu ate que estou aguentando bem. Mentiras, mil pensamentos passam pela minha mente, é como se o meu cérebro estinha esperando por essa chance há meses que agora que ela aconteceu não deixara de imaginar e nem de sonhar.

Teria sido tão bom se eu tinha sonhando com Gray ao invés de meu tio. Teria sido um sonho bem melhor, eu nem iria querer acordar, iria querer continuar sonhando com ele eternamente.

Ficamo-nos nós encarando por um longo período de tempo. Ele não me pareceu incomodado por eu ter entrado em seu quarto sem a sua permissão, atrapalhando o seu sono e invadido a sua privacidade.

- Posso saber o motivo de você ter vindo ao meu quarto há essa hora?

- É que Juvia não está conseguindo dormir. – não conseguia olhar em seu rosto.

- Teve algum pesadelo? – concordei suavemente com a cabeça. – Vem deita aqui comigo.

Gray se ajeitou na cama e me puxou para o seu lado. Mesmo a noite sendo fria, é ele se estando somente de cueca, o seu corpo se encontra quente e aconchegante. Os seus braços rodearam a minha cintura dando assim uma enorme sensação de proteção e de segurança. Ele acaricia os meus cabelos enquanto eu me encolho em seus braços, tento ficar cada vez mais perto dele. A minha cabeça fica encostada em seu peitoral, permitindo assim, que eu escute os seus batimentos cardíacos.

O seu coração batia de forma lenta e calma, transmitindo uma sensação de paz e de serenidade. As batidas de seu coração entram em forma de música em minha cabeça. Sua melodia é algo lento e relaxante, isso faz com que o meu sono volte rapidamente, mas não quero dormir ainda quero aproveitar esse fato inédito em minha vida. Eu estava dormindo na mesma cama que um homem pela primeira vez! Pra melhorar é o homem que eu amo.

Tudo em mim está começando a ficar quente, o meu estômago parece estar cheio de borboletas. As lembranças de meu pesadelo somem aos poucos, somente esse momento me importa a agora, pois estou dormindo nos braços do homem que juro amar. É difícil acreditar que um dos piores dias da minha vida se tornaria o melhor! Por causa de um ato hediondo e por uma suplica de ajuda a minha vida pode finalmente melhorar.

Finalmente irei encontrar o meu sol! Depois de tantos anos vagando em meio a uma chuva sem fim, o professor Gray Fullbuster está se mostrando ser um verdadeiro anjo da guarda. Mesmo ele sendo um anjo frio e de asas negras.

Posso sentir um ar quente sobre a minha cabeça. Aproximo-me um pouco mais dele, eu necessito de mais calor, de senti-lo mais. Ele solta o ar de forma calma e silenciosa, sem duvidas ele já deve ter adormecido novamente.

 

Mesmo não querendo aos poucos aquela gostosa sensação de sonolência foi me dominado, sem que eu me dessa conta eu já tinha me entregado ao meu doce e amargo sono. 

 


Notas Finais


Obrigado por terem lido até o dia 30/09 ou um pouco antes!
Quem gostou comente e favorita, é me digam o que acham da fic, pra eu melhorar ela caso for preciso e do que acham da ideia de eu voltar lá pro dia 30/09!
Mas uma vez obrigada, é até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...