História Water and Explosion - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Katsuki Bakugou
Tags Bakugo, Boku No Hero, Fanfic, Imagine
Visualizações 30
Palavras 9.158
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem...
A garota na foto é a Mei WaterHouse.

Capítulo 1 - 1 Capítulo


Fanfic / Fanfiction Water and Explosion - Capítulo 1 - 1 Capítulo


Sou Mei WaterHouse e Essa história é de como eu me tornei um dos 10 melhores heróis da escola U.A.

Minha individualidade é criação D'água, posso controla-la em qualquer estado físico. Posso transformar a água no que eu quiser. Vamos dizer que nem eu sei direito sobre minha individualidade.
Minha família são os Waterhouse, meus pais morreram sendo heróis, deixando eu e meu irmão sozinhos.
Meu irmão odeia os heróis por causa disso, ele não os aceita.

•••

Me tornei uma heroína só por causa dele.

•••

Me apaixonei por alguém que ninguém espera se apaixonar também.

•••


Primeiro dia na U.A, estou feliz por ter passado... Porém, preucupada ao mesmo tempo.

Eu estava na frente do portão da U.A, estava com uma trança de lado, meu tapa-olho, e o uniforme da escola.

Vocês devem estar se perguntando, "Por que está com um tapa-olho?", nunca ouviu aquela expressão?... a curiosidade matou o gato? Cuidado!
Mas enfim, cada olho meu é de uma cor, tenho um azul e outro vermelho. Uns dizem que o vermelho é a "Maldade" que eu tenho, E o azul... a minha individualidade.
Sou da família WaterHouse, a individualidade deles é criar água... só... só criar água... já eu, Posso mudar o estado físico dela e crio ela.
Até agora, só sei fazer isso... Não sei se tenho mais algo além de mudar o estado físico.
Uso o tampa-olho para que ninguém veja o vermelho do meu olho que pode conter a "maldade" que tantos dizem.

Mas enfim, voltando para U.A.

Eu estava prestes a entrar dentro da grande escola quando ouso uma voz masculina atrás de mim.

- HEY!

Olho para trás para ver de quem vem a voz, e lá estava a pessoa. Um garoto de cabelos vermelhos.
Pego um papel que estava dobrado em meu bolso.
Lá estava ele na lista: Eijiro Kirishima.
Sua individualidade era Endurecer e Enrijecer seu corpo como se fosse uma rocha maciça. 

- Oi? - Olho para ele sem entender.

- Você é Mei, certo? - Ele fala confiante me olhando. - Vi seu nome na lista, você é uma WaterHouse, se eu não me engano é claro... me disseram que os WaterHouse não iriam mais se inscrever na U.A...depois da tragédia...

Ele fala meio receoso sobre isso, porém não ligo.

- Decidi me inscrever... - Falo séria.

- Que legal, teremos uma WaterHouse.- ele fala sorrindo.- Sou Eijiro Kirishima.

- Prazer! - Falo dando um meio sorriso para o garoto.- Melhor eu entrar!- Falo e ele concorda.

•••

Após encontrar minha sala, percebo várias pessoa já lá sentadas e conversando, inclusive Kirishima!

~"Mas como essa peste chegou aqui antes de mim?!"~ - Penso sem entender.

Kirishima me vê e acena para mim, sorrio o olhando.

Procuro um lugar mais no fundo e me sento ali.

Pego a lista de alunos da sala.

Nesse exato momento na sala estão:

Kirishima- Endurecimento

Katsuki Bakugo- explosões a partir do seu suor que é similar a nitroglicerina.

Izuku Midoriya- Sem registro de sua individualidade.

Olho para o garoto sem ligar para o resto que ali estava.

"Como sem registro de individualidade?!"

Sem percebe que algum rebuliço havia acontecido.

Katsuki Bakugo estava gritando com Midoriya.
Observo o que estava acontecendo de longe.

- O que você faz aqui Deku?- Bakugo fala nervoso e alterado com o Midoriya.

O que me fez pensar, Deku significa inútil.

"Uma pessoa que não tem registro de individualidade, e conseguiu passar na U.A, não pode ser chamado de inútil!"

Bakugo joga as coisas de Midoriya no chão e grita com o garoto, mas o garoto dos cabelos verdes não fez nada.

Vejo um garoto gritar com Bakugo, para que ele parasse de fazer aquilo.

Procuro o garoto na lista e la estava ele: Tenya Iida, individualidade transformar suas pernas numa espécia de motor, concedendo a ele uma velocidade enorme que pode alternar entre primeira, segunda e terceira marcha.

- Cala boca! -Bakugo grita para Lida que o mesmo fica nervoso. - ou quer que eu exploda sua cabeça igual o que eu vou fazer com...

Ele foi interrompido por Kirishima.

- Calma Bakugo! - Ele fala puxando o garoto para sentar.

Kirishima senta em uma cadeira a frente de mim.
Bakugo senta ao lado dele, Kirishima vira para trás me olhando.

- Oi! - Ele sorri de orelha a orelha.

- aa... Oi - Falo receosa o olhando.- percebi que você é uma das poucas pessoas que Bakugo respeita... - Falo baixo sem querer ofender.

- Provavelmente... E aí, gostou do povo?

- Até agora só conversei com você... - Falo séria.

-Aa... daqui apouco você acaba se enturmando com eles... vou lhe apresentar então meu amigo aqui, Esse é Bakugo Katsuki.- Ele fala e o garoto apenas me olha e dá de ombros.- E Bakugo essa é a Mei WaterHouse.

O garoto dos cabelos loiros vira rapidamente fazendo uma careta.

- Ela é uma WaterHouse?!- o garoto de cabelos vermelhos apenas confirma sorrindo.- tá de brincadeira!

- Não estou! - Ele fala rindo.

- Sim, sou uma WaterHouse!- Falo confirmando.

Depois de um tempo sem acreditar, ele aceita e vira para frente, onde se encontra um homem que parecia que não dormia a séculos.

- Aizawa Shota... - Kirishima sussurra para mim.- Esse é um dos nossos professores.

Apenas sorrio como resposta voltando a olhar para frente.

- Vocês iram fazer pequenos testes para eu ver como suas individualidade funcionam.... - Ele fala com uma voz de sono.- se preparem, quero encontrar vocês no pátio externo.

Ele caí no chão e se fecha num tipo de "casulo".

Os alunos começa a falar sobre o assunto de teste que eles iriam fazer.
O que mais prejudicava eu, é que realmente eu não podia usar minha individualidade, só criação d'água. É o que um WaterHouse faria.
Não posso mostrar que eu não só crio água como outras coisas.

- HEY! O que tanto pensa aí? - Kirishima chama minha atenção.

- Nada de mais... - Falo olhando para ele.

- E esse tapa olho aí? - Bakugo fala finalmente.

- Para ser curioso Bakugo!- Kirishima fala chamando a atenção do garoto de cabelos loiros.

- Vai falar que também não ficou curioso? - Ele fala olhando para Kirishima- Me fala, Que porra é essa!? - Ele fala olhando para mim.

-Nada... conjuntivite... - Falo e Rio.

- Deixe me ver então! - Ele fala levantando e vindo até a mim.

- Não! - Falo levantando e indo para o outro lado.

Ele corre até onde eu tava, e começa uma "perseguição" dentro da sala.

Até que ouve uma explosão, papéis saíram voando para todo o lado, olho para Bakugo que estava parado com as mão abertas e explosivas.

- Se não tem nada de mais, por que eu não posso ver?!

E lá estava, a atenção de todos da sala veio para mim.

"Deku", Kirishima, Lida... entre outros me olhavam e olhavam para Bakugo.

Saio da sala sem mais nem menos, corro até sala de enfermagem, onde só se encontrava uma senhora sentada.

Ela me olhou assustada, era Chiyo Shuzenji, conhecida como curadora dos beijos.

- O que faz aqui... - Ela para assim que percebe algo em meu rosto.- Está machucada? Deixe-me ver!

Ela se aproxima puxando uma cadeira para eu me sentar.

Sento na baixa cadeira que ali ela colocou.

- Você é Mei WaterHouse, certo? Lembro de seus pais, Lembro de você quando criança...- ela fala rápido.- Sei sobre seu olho, eu ajudei sua mãe antes da tragédia...- ela fala tirando meu tapa-olho, e lá está, o olho que estava tampado estava sangrando sem motivos, ele estava mais vermelho que o normal.- O que fez para que sangre desse jeito?

- Bakugo Katsuki... ele me provocou, explosão... eu fiquei nervosa por não poder fazer nada... e começou a sangrar...

Nesse exato momento, Bakugo entra na enfermagem, ele me olha sem entender.

- POR QUE CARALHOS VOCÊ ESTÁ SANGRANDO? POR QUE SEU OLHO ESTÁ NA COR VERMELHA?

A pequena senhora da um tapa no mesmo.

- Fala baixo seu abastado! Primeiro, a culpa é sua! - Ela fala.- Vai ter que calar seu bico, e ajudá-la!

Ele se aproxima de mim e examina meu rosto.

- Por que isso? - Ele pergunta olhando para a velha.- Ela é diferente de um WaterHouse.

- Sim.. ela é! Agora venha ajuda-la se não eu conto pro professor o que você fez! - Ela fala ameaçando o garoto.

- Da para vocês pararem de brigar?! Eu estou sangrando! - Falo já nervosa.

Bakugo coloca a mão em minha cabeça.

- Como a velha aqui disse, vou ajudar você... apesar de odiar ajudar as pessoas...

Nesse exato momento, tudo havia parado, o sangue... e... a cor vermelha que ali antes havia.

A senhora examina meu olho novamente e apenas me libera.

- Mas... a cor...

Sou interrompida por ela.

- Não sei te explicar... mas, confie nele...

Bakugo sorri convincente.

- Mas nele?!- Falo irônica.

- Sim!

Ela dá as costas e manda a gente sair dali.

Eu e Bakugo saímos da sala sem trocar olhares e nem falar, vou até o banheiro trocando de roupa e jogando a antiga fora.

Olho no espelho vendo a cor azul... nos meus dois olhos.

- Vai demorar?! - Fala Bakugo nervoso lá fora.

- Pode ir, não pedi para ficar aqui!

- Você não ouviu a velha?

Reviro os olhos e saiu do banheiro o olhando, e lá estava ele com a cara brava de quem queria me matar.

- Vamos para o treinamento, toda sala está esperando lá!

Ele fala andando, até o pátio externo.

Apenas sigo o mesmo em silêncio.Primeiro dia na U.A, estou feliz por ter passado... Porém, preucupada ao mesmo tempo.

Eu estava na frente do portão da U.A, estava com uma trança de lado, meu tapa-olho, e o uniforme da escola.

Vocês devem estar se perguntando, "Por que está com um tapa-olho?", nunca ouviu aquela expressão?... a curiosidade matou o gato? Cuidado!
Mas enfim, cada olho meu é de uma cor, tenho um azul e outro vermelho. Uns dizem que o vermelho é a "Maldade" que eu tenho, E o azul... a minha individualidade.
Sou da família WaterHouse, a individualidade deles é criar água... só... só criar água... já eu, Posso mudar o estado físico dela e crio ela.
Até agora, só sei fazer isso... Não sei se tenho mais algo além de mudar o estado físico.
Uso o tampa-olho para que ninguém veja o vermelho do meu olho que pode conter a "maldade" que tantos dizem.

Mas enfim, voltando para U.A.

Eu estava prestes a entrar dentro da grande escola quando ouso uma voz masculina atrás de mim.

- HEY!

Olho para trás para ver de quem vem a voz, e lá estava a pessoa. Um garoto de cabelos vermelhos.
Pego um papel que estava dobrado em meu bolso.
Lá estava ele na lista: Eijiro Kirishima.
Sua individualidade era Endurecer e Enrijecer seu corpo como se fosse uma rocha maciça. 

- Oi? - Olho para ele sem entender.

- Você é Mei, certo? - Ele fala confiante me olhando. - Vi seu nome na lista, você é uma WaterHouse, se eu não me engano é claro... me disseram que os WaterHouse não iriam mais se inscrever na U.A...depois da tragédia...

Ele fala meio receoso sobre isso, porém não ligo.

- Decidi me inscrever... - Falo séria.

- Que legal, teremos uma WaterHouse.- ele fala sorrindo.- Sou Eijiro Kirishima.

- Prazer! - Falo dando um meio sorriso para o garoto.- Melhor eu entrar!- Falo e ele concorda.

•••

Após encontrar minha sala, percebo várias pessoa já lá sentadas e conversando, inclusive Kirishima!

~"Mas como essa peste chegou aqui antes de mim?!"~ - Penso sem entender.

Kirishima me vê e acena para mim, sorrio o olhando.

Procuro um lugar mais no fundo e me sento ali.

Pego a lista de alunos da sala.

Nesse exato momento na sala estão:

Kirishima- Endurecimento

Katsuki Bakugo- explosões a partir do seu suor que é similar a nitroglicerina.

Izuku Midoriya- Sem registro de sua individualidade.

Olho para o garoto sem ligar para o resto que ali estava.

"Como sem registro de individualidade?!"

Sem percebe que algum rebuliço havia acontecido.

Katsuki Bakugo estava gritando com Midoriya.
Observo o que estava acontecendo de longe.

- O que você faz aqui Deku?- Bakugo fala nervoso e alterado com o Midoriya.

O que me fez pensar, Deku significa inútil.

"Uma pessoa que não tem registro de individualidade, e conseguiu passar na U.A, não pode ser chamado de inútil!"

Bakugo joga as coisas de Midoriya no chão e grita com o garoto, mas o garoto dos cabelos verdes não fez nada.

Vejo um garoto gritar com Bakugo, para que ele parasse de fazer aquilo.

Procuro o garoto na lista e la estava ele: Tenya Iida, individualidade transformar suas pernas numa espécia de motor, concedendo a ele uma velocidade enorme que pode alternar entre primeira, segunda e terceira marcha.

- Cala boca! -Bakugo grita para Lida que o mesmo fica nervoso. - ou quer que eu exploda sua cabeça igual o que eu vou fazer com...

Ele foi interrompido por Kirishima.

- Calma Bakugo! - Ele fala puxando o garoto para sentar.

Kirishima senta em uma cadeira a frente de mim.
Bakugo senta ao lado dele, Kirishima vira para trás me olhando.

- Oi! - Ele sorri de orelha a orelha.

- aa... Oi - Falo receosa o olhando.- percebi que você é uma das poucas pessoas que Bakugo respeita... - Falo baixo sem querer ofender.

- Provavelmente... E aí, gostou do povo?

- Até agora só conversei com você... - Falo séria.

-Aa... daqui apouco você acaba se enturmando com eles... vou lhe apresentar então meu amigo aqui, Esse é Bakugo Katsuki.- Ele fala e o garoto apenas me olha e dá de ombros.- E Bakugo essa é a Mei WaterHouse.

O garoto dos cabelos loiros vira rapidamente fazendo uma careta.

- Ela é uma WaterHouse?!- o garoto de cabelos vermelhos apenas confirma sorrindo.- tá de brincadeira!

- Não estou! - Ele fala rindo.

- Sim, sou uma WaterHouse!- Falo confirmando.

Depois de um tempo sem acreditar, ele aceita e vira para frente, onde se encontra um homem que parecia que não dormia a séculos.

- Aizawa Shota... - Kirishima sussurra para mim.- Esse é um dos nossos professores.

Apenas sorrio como resposta voltando a olhar para frente.

- Vocês iram fazer pequenos testes para eu ver como suas individualidade funcionam.... - Ele fala com uma voz de sono.- se preparem, quero encontrar vocês no pátio externo.

Ele caí no chão e se fecha num tipo de "casulo".

Os alunos começa a falar sobre o assunto de teste que eles iriam fazer.
O que mais prejudicava eu, é que realmente eu não podia usar minha individualidade, só criação d'água. É o que um WaterHouse faria.
Não posso mostrar que eu não só crio água como outras coisas.

- HEY! O que tanto pensa aí? - Kirishima chama minha atenção.

- Nada de mais... - Falo olhando para ele.

- E esse tapa olho aí? - Bakugo fala finalmente.

- Para ser curioso Bakugo!- Kirishima fala chamando a atenção do garoto de cabelos loiros.

- Vai falar que também não ficou curioso? - Ele fala olhando para Kirishima- Me fala, Que porra é essa!? - Ele fala olhando para mim.

-Nada... conjuntivite... - Falo e Rio.

- Deixe me ver então! - Ele fala levantando e vindo até a mim.

- Não! - Falo levantando e indo para o outro lado.

Ele corre até onde eu tava, e começa uma "perseguição" dentro da sala.

Até que ouve uma explosão, papéis saíram voando para todo o lado, olho para Bakugo que estava parado com as mão abertas e explosivas.

- Se não tem nada de mais, por que eu não posso ver?!

E lá estava, a atenção de todos da sala veio para mim.

"Deku", Kirishima, Lida... entre outros me olhavam e olhavam para Bakugo.

Saio da sala sem mais nem menos, corro até sala de enfermagem, onde só se encontrava uma senhora sentada.

Ela me olhou assustada, era Chiyo Shuzenji, conhecida como curadora dos beijos.

- O que faz aqui... - Ela para assim que percebe algo em meu rosto.- Está machucada? Deixe-me ver!

Ela se aproxima puxando uma cadeira para eu me sentar.

Sento na baixa cadeira que ali ela colocou.

- Você é Mei WaterHouse, certo? Lembro de seus pais, Lembro de você quando criança...- ela fala rápido.- Sei sobre seu olho, eu ajudei sua mãe antes da tragédia...- ela fala tirando meu tapa-olho, e lá está, o olho que estava tampado estava sangrando sem motivos, ele estava mais vermelho que o normal.- O que fez para que sangre desse jeito?

- Bakugo Katsuki... ele me provocou, explosão... eu fiquei nervosa por não poder fazer nada... e começou a sangrar...

Nesse exato momento, Bakugo entra na enfermagem, ele me olha sem entender.

- POR QUE CARALHOS VOCÊ ESTÁ SANGRANDO? POR QUE SEU OLHO ESTÁ NA COR VERMELHA?

A pequena senhora da um tapa no mesmo.

- Fala baixo seu abastado! Primeiro, a culpa é sua! - Ela fala.- Vai ter que calar seu bico, e ajudá-la!

Ele se aproxima de mim e examina meu rosto.

- Por que isso? - Ele pergunta olhando para a velha.- Ela é diferente de um WaterHouse.

- Sim.. ela é! Agora venha ajuda-la se não eu conto pro professor o que você fez! - Ela fala ameaçando o garoto.

- Da para vocês pararem de brigar?! Eu estou sangrando! - Falo já nervosa.

Bakugo coloca a mão em minha cabeça.

- Como a velha aqui disse, vou ajudar você... apesar de odiar ajudar as pessoas...

Nesse exato momento, tudo havia parado, o sangue... e... a cor vermelha que ali antes havia.

A senhora examina meu olho novamente e apenas me libera.

- Mas... a cor...

Sou interrompida por ela.

- Não sei te explicar... mas, confie nele...

Bakugo sorri convincente.

- Mas nele?!- Falo irônica.

- Sim!

Ela dá as costas e manda a gente sair dali.

Eu e Bakugo saímos da sala sem trocar olhares e nem falar, vou até o banheiro trocando de roupa e jogando a antiga fora.

Olho no espelho vendo a cor azul... nos meus dois olhos.

- Vai demorar?! - Fala Bakugo nervoso lá fora.

- Pode ir, não pedi para ficar aqui!

- Você não ouviu a velha?

Reviro os olhos e saiu do banheiro o olhando, e lá estava ele com a cara brava de quem queria me matar.

- Vamos para o treinamento, toda sala está esperando lá!

Ele fala andando, até o pátio externo.

Apenas sigo o mesmo em silêncio.Primeiro dia na U.A, estou feliz por ter passado... Porém, preucupada ao mesmo tempo.

Eu estava na frente do portão da U.A, estava com uma trança de lado, meu tapa-olho, e o uniforme da escola.

Vocês devem estar se perguntando, "Por que está com um tapa-olho?", nunca ouviu aquela expressão?... a curiosidade matou o gato? Cuidado!
Mas enfim, cada olho meu é de uma cor, tenho um azul e outro vermelho. Uns dizem que o vermelho é a "Maldade" que eu tenho, E o azul... a minha individualidade.
Sou da família WaterHouse, a individualidade deles é criar água... só... só criar água... já eu, Posso mudar o estado físico dela e crio ela.
Até agora, só sei fazer isso... Não sei se tenho mais algo além de mudar o estado físico.
Uso o tampa-olho para que ninguém veja o vermelho do meu olho que pode conter a "maldade" que tantos dizem.

Mas enfim, voltando para U.A.

Eu estava prestes a entrar dentro da grande escola quando ouso uma voz masculina atrás de mim.

- HEY!

Olho para trás para ver de quem vem a voz, e lá estava a pessoa. Um garoto de cabelos vermelhos.
Pego um papel que estava dobrado em meu bolso.
Lá estava ele na lista: Eijiro Kirishima.
Sua individualidade era Endurecer e Enrijecer seu corpo como se fosse uma rocha maciça. 

- Oi? - Olho para ele sem entender.

- Você é Mei, certo? - Ele fala confiante me olhando. - Vi seu nome na lista, você é uma WaterHouse, se eu não me engano é claro... me disseram que os WaterHouse não iriam mais se inscrever na U.A...depois da tragédia...

Ele fala meio receoso sobre isso, porém não ligo.

- Decidi me inscrever... - Falo séria.

- Que legal, teremos uma WaterHouse.- ele fala sorrindo.- Sou Eijiro Kirishima.

- Prazer! - Falo dando um meio sorriso para o garoto.- Melhor eu entrar!- Falo e ele concorda.

•••

Após encontrar minha sala, percebo várias pessoa já lá sentadas e conversando, inclusive Kirishima!

~"Mas como essa peste chegou aqui antes de mim?!"~ - Penso sem entender.

Kirishima me vê e acena para mim, sorrio o olhando.

Procuro um lugar mais no fundo e me sento ali.

Pego a lista de alunos da sala.

Nesse exato momento na sala estão:

Kirishima- Endurecimento

Katsuki Bakugo- explosões a partir do seu suor que é similar a nitroglicerina.

Izuku Midoriya- Sem registro de sua individualidade.

Olho para o garoto sem ligar para o resto que ali estava.

"Como sem registro de individualidade?!"

Sem percebe que algum rebuliço havia acontecido.

Katsuki Bakugo estava gritando com Midoriya.
Observo o que estava acontecendo de longe.

- O que você faz aqui Deku?- Bakugo fala nervoso e alterado com o Midoriya.

O que me fez pensar, Deku significa inútil.

"Uma pessoa que não tem registro de individualidade, e conseguiu passar na U.A, não pode ser chamado de inútil!"

Bakugo joga as coisas de Midoriya no chão e grita com o garoto, mas o garoto dos cabelos verdes não fez nada.

Vejo um garoto gritar com Bakugo, para que ele parasse de fazer aquilo.

Procuro o garoto na lista e la estava ele: Tenya Iida, individualidade transformar suas pernas numa espécia de motor, concedendo a ele uma velocidade enorme que pode alternar entre primeira, segunda e terceira marcha.

- Cala boca! -Bakugo grita para Lida que o mesmo fica nervoso. - ou quer que eu exploda sua cabeça igual o que eu vou fazer com...

Ele foi interrompido por Kirishima.

- Calma Bakugo! - Ele fala puxando o garoto para sentar.

Kirishima senta em uma cadeira a frente de mim.
Bakugo senta ao lado dele, Kirishima vira para trás me olhando.

- Oi! - Ele sorri de orelha a orelha.

- aa... Oi - Falo receosa o olhando.- percebi que você é uma das poucas pessoas que Bakugo respeita... - Falo baixo sem querer ofender.

- Provavelmente... E aí, gostou do povo?

- Até agora só conversei com você... - Falo séria.

-Aa... daqui apouco você acaba se enturmando com eles... vou lhe apresentar então meu amigo aqui, Esse é Bakugo Katsuki.- Ele fala e o garoto apenas me olha e dá de ombros.- E Bakugo essa é a Mei WaterHouse.

O garoto dos cabelos loiros vira rapidamente fazendo uma careta.

- Ela é uma WaterHouse?!- o garoto de cabelos vermelhos apenas confirma sorrindo.- tá de brincadeira!

- Não estou! - Ele fala rindo.

- Sim, sou uma WaterHouse!- Falo confirmando.

Depois de um tempo sem acreditar, ele aceita e vira para frente, onde se encontra um homem que parecia que não dormia a séculos.

- Aizawa Shota... - Kirishima sussurra para mim.- Esse é um dos nossos professores.

Apenas sorrio como resposta voltando a olhar para frente.

- Vocês iram fazer pequenos testes para eu ver como suas individualidade funcionam.... - Ele fala com uma voz de sono.- se preparem, quero encontrar vocês no pátio externo.

Ele caí no chão e se fecha num tipo de "casulo".

Os alunos começa a falar sobre o assunto de teste que eles iriam fazer.
O que mais prejudicava eu, é que realmente eu não podia usar minha individualidade, só criação d'água. É o que um WaterHouse faria.
Não posso mostrar que eu não só crio água como outras coisas.

- HEY! O que tanto pensa aí? - Kirishima chama minha atenção.

- Nada de mais... - Falo olhando para ele.

- E esse tapa olho aí? - Bakugo fala finalmente.

- Para ser curioso Bakugo!- Kirishima fala chamando a atenção do garoto de cabelos loiros.

- Vai falar que também não ficou curioso? - Ele fala olhando para Kirishima- Me fala, Que porra é essa!? - Ele fala olhando para mim.

-Nada... conjuntivite... - Falo e Rio.

- Deixe me ver então! - Ele fala levantando e vindo até a mim.

- Não! - Falo levantando e indo para o outro lado.

Ele corre até onde eu tava, e começa uma "perseguição" dentro da sala.

Até que ouve uma explosão, papéis saíram voando para todo o lado, olho para Bakugo que estava parado com as mão abertas e explosivas.

- Se não tem nada de mais, por que eu não posso ver?!

E lá estava, a atenção de todos da sala veio para mim.

"Deku", Kirishima, Lida... entre outros me olhavam e olhavam para Bakugo.

Saio da sala sem mais nem menos, corro até sala de enfermagem, onde só se encontrava uma senhora sentada.

Ela me olhou assustada, era Chiyo Shuzenji, conhecida como curadora dos beijos.

- O que faz aqui... - Ela para assim que percebe algo em meu rosto.- Está machucada? Deixe-me ver!

Ela se aproxima puxando uma cadeira para eu me sentar.

Sento na baixa cadeira que ali ela colocou.

- Você é Mei WaterHouse, certo? Lembro de seus pais, Lembro de você quando criança...- ela fala rápido.- Sei sobre seu olho, eu ajudei sua mãe antes da tragédia...- ela fala tirando meu tapa-olho, e lá está, o olho que estava tampado estava sangrando sem motivos, ele estava mais vermelho que o normal.- O que fez para que sangre desse jeito?

- Bakugo Katsuki... ele me provocou, explosão... eu fiquei nervosa por não poder fazer nada... e começou a sangrar...

Nesse exato momento, Bakugo entra na enfermagem, ele me olha sem entender.

- POR QUE CARALHOS VOCÊ ESTÁ SANGRANDO? POR QUE SEU OLHO ESTÁ NA COR VERMELHA?

A pequena senhora da um tapa no mesmo.

- Fala baixo seu abastado! Primeiro, a culpa é sua! - Ela fala.- Vai ter que calar seu bico, e ajudá-la!

Ele se aproxima de mim e examina meu rosto.

- Por que isso? - Ele pergunta olhando para a velha.- Ela é diferente de um WaterHouse.

- Sim.. ela é! Agora venha ajuda-la se não eu conto pro professor o que você fez! - Ela fala ameaçando o garoto.

- Da para vocês pararem de brigar?! Eu estou sangrando! - Falo já nervosa.

Bakugo coloca a mão em minha cabeça.

- Como a velha aqui disse, vou ajudar você... apesar de odiar ajudar as pessoas...

Nesse exato momento, tudo havia parado, o sangue... e... a cor vermelha que ali antes havia.

A senhora examina meu olho novamente e apenas me libera.

- Mas... a cor...

Sou interrompida por ela.

- Não sei te explicar... mas, confie nele...

Bakugo sorri convincente.

- Mas nele?!- Falo irônica.

- Sim!

Ela dá as costas e manda a gente sair dali.

Eu e Bakugo saímos da sala sem trocar olhares e nem falar, vou até o banheiro trocando de roupa e jogando a antiga fora.

Olho no espelho vendo a cor azul... nos meus dois olhos.

- Vai demorar?! - Fala Bakugo nervoso lá fora.

- Pode ir, não pedi para ficar aqui!

- Você não ouviu a velha?

Reviro os olhos e saiu do banheiro o olhando, e lá estava ele com a cara brava de quem queria me matar.

- Vamos para o treinamento, toda sala está esperando lá!

Ele fala andando, até o pátio externo.

Apenas sigo o mesmo em silêncio.Primeiro dia na U.A, estou feliz por ter passado... Porém, preucupada ao mesmo tempo.

Eu estava na frente do portão da U.A, estava com uma trança de lado, meu tapa-olho, e o uniforme da escola.

Vocês devem estar se perguntando, "Por que está com um tapa-olho?", nunca ouviu aquela expressão?... a curiosidade matou o gato? Cuidado!
Mas enfim, cada olho meu é de uma cor, tenho um azul e outro vermelho. Uns dizem que o vermelho é a "Maldade" que eu tenho, E o azul... a minha individualidade.
Sou da família WaterHouse, a individualidade deles é criar água... só... só criar água... já eu, Posso mudar o estado físico dela e crio ela.
Até agora, só sei fazer isso... Não sei se tenho mais algo além de mudar o estado físico.
Uso o tampa-olho para que ninguém veja o vermelho do meu olho que pode conter a "maldade" que tantos dizem.

Mas enfim, voltando para U.A.

Eu estava prestes a entrar dentro da grande escola quando ouso uma voz masculina atrás de mim.

- HEY!

Olho para trás para ver de quem vem a voz, e lá estava a pessoa. Um garoto de cabelos vermelhos.
Pego um papel que estava dobrado em meu bolso.
Lá estava ele na lista: Eijiro Kirishima.
Sua individualidade era Endurecer e Enrijecer seu corpo como se fosse uma rocha maciça. 

- Oi? - Olho para ele sem entender.

- Você é Mei, certo? - Ele fala confiante me olhando. - Vi seu nome na lista, você é uma WaterHouse, se eu não me engano é claro... me disseram que os WaterHouse não iriam mais se inscrever na U.A...depois da tragédia...

Ele fala meio receoso sobre isso, porém não ligo.

- Decidi me inscrever... - Falo séria.

- Que legal, teremos uma WaterHouse.- ele fala sorrindo.- Sou Eijiro Kirishima.

- Prazer! - Falo dando um meio sorriso para o garoto.- Melhor eu entrar!- Falo e ele concorda.

•••

Após encontrar minha sala, percebo várias pessoa já lá sentadas e conversando, inclusive Kirishima!

~"Mas como essa peste chegou aqui antes de mim?!"~ - Penso sem entender.

Kirishima me vê e acena para mim, sorrio o olhando.

Procuro um lugar mais no fundo e me sento ali.

Pego a lista de alunos da sala.

Nesse exato momento na sala estão:

Kirishima- Endurecimento

Katsuki Bakugo- explosões a partir do seu suor que é similar a nitroglicerina.

Izuku Midoriya- Sem registro de sua individualidade.

Olho para o garoto sem ligar para o resto que ali estava.

"Como sem registro de individualidade?!"

Sem percebe que algum rebuliço havia acontecido.

Katsuki Bakugo estava gritando com Midoriya.
Observo o que estava acontecendo de longe.

- O que você faz aqui Deku?- Bakugo fala nervoso e alterado com o Midoriya.

O que me fez pensar, Deku significa inútil.

"Uma pessoa que não tem registro de individualidade, e conseguiu passar na U.A, não pode ser chamado de inútil!"

Bakugo joga as coisas de Midoriya no chão e grita com o garoto, mas o garoto dos cabelos verdes não fez nada.

Vejo um garoto gritar com Bakugo, para que ele parasse de fazer aquilo.

Procuro o garoto na lista e la estava ele: Tenya Iida, individualidade transformar suas pernas numa espécia de motor, concedendo a ele uma velocidade enorme que pode alternar entre primeira, segunda e terceira marcha.

- Cala boca! -Bakugo grita para Lida que o mesmo fica nervoso. - ou quer que eu exploda sua cabeça igual o que eu vou fazer com...

Ele foi interrompido por Kirishima.

- Calma Bakugo! - Ele fala puxando o garoto para sentar.

Kirishima senta em uma cadeira a frente de mim.
Bakugo senta ao lado dele, Kirishima vira para trás me olhando.

- Oi! - Ele sorri de orelha a orelha.

- aa... Oi - Falo receosa o olhando.- percebi que você é uma das poucas pessoas que Bakugo respeita... - Falo baixo sem querer ofender.

- Provavelmente... E aí, gostou do povo?

- Até agora só conversei com você... - Falo séria.

-Aa... daqui apouco você acaba se enturmando com eles... vou lhe apresentar então meu amigo aqui, Esse é Bakugo Katsuki.- Ele fala e o garoto apenas me olha e dá de ombros.- E Bakugo essa é a Mei WaterHouse.

O garoto dos cabelos loiros vira rapidamente fazendo uma careta.

- Ela é uma WaterHouse?!- o garoto de cabelos vermelhos apenas confirma sorrindo.- tá de brincadeira!

- Não estou! - Ele fala rindo.

- Sim, sou uma WaterHouse!- Falo confirmando.

Depois de um tempo sem acreditar, ele aceita e vira para frente, onde se encontra um homem que parecia que não dormia a séculos.

- Aizawa Shota... - Kirishima sussurra para mim.- Esse é um dos nossos professores.

Apenas sorrio como resposta voltando a olhar para frente.

- Vocês iram fazer pequenos testes para eu ver como suas individualidade funcionam.... - Ele fala com uma voz de sono.- se preparem, quero encontrar vocês no pátio externo.

Ele caí no chão e se fecha num tipo de "casulo".

Os alunos começa a falar sobre o assunto de teste que eles iriam fazer.
O que mais prejudicava eu, é que realmente eu não podia usar minha individualidade, só criação d'água. É o que um WaterHouse faria.
Não posso mostrar que eu não só crio água como outras coisas.

- HEY! O que tanto pensa aí? - Kirishima chama minha atenção.

- Nada de mais... - Falo olhando para ele.

- E esse tapa olho aí? - Bakugo fala finalmente.

- Para ser curioso Bakugo!- Kirishima fala chamando a atenção do garoto de cabelos loiros.

- Vai falar que também não ficou curioso? - Ele fala olhando para Kirishima- Me fala, Que porra é essa!? - Ele fala olhando para mim.

-Nada... conjuntivite... - Falo e Rio.

- Deixe me ver então! - Ele fala levantando e vindo até a mim.

- Não! - Falo levantando e indo para o outro lado.

Ele corre até onde eu tava, e começa uma "perseguição" dentro da sala.

Até que ouve uma explosão, papéis saíram voando para todo o lado, olho para Bakugo que estava parado com as mão abertas e explosivas.

- Se não tem nada de mais, por que eu não posso ver?!

E lá estava, a atenção de todos da sala veio para mim.

"Deku", Kirishima, Lida... entre outros me olhavam e olhavam para Bakugo.

Saio da sala sem mais nem menos, corro até sala de enfermagem, onde só se encontrava uma senhora sentada.

Ela me olhou assustada, era Chiyo Shuzenji, conhecida como curadora dos beijos.

- O que faz aqui... - Ela para assim que percebe algo em meu rosto.- Está machucada? Deixe-me ver!

Ela se aproxima puxando uma cadeira para eu me sentar.

Sento na baixa cadeira que ali ela colocou.

- Você é Mei WaterHouse, certo? Lembro de seus pais, Lembro de você quando criança...- ela fala rápido.- Sei sobre seu olho, eu ajudei sua mãe antes da tragédia...- ela fala tirando meu tapa-olho, e lá está, o olho que estava tampado estava sangrando sem motivos, ele estava mais vermelho que o normal.- O que fez para que sangre desse jeito?

- Bakugo Katsuki... ele me provocou, explosão... eu fiquei nervosa por não poder fazer nada... e começou a sangrar...

Nesse exato momento, Bakugo entra na enfermagem, ele me olha sem entender.

- POR QUE CARALHOS VOCÊ ESTÁ SANGRANDO? POR QUE SEU OLHO ESTÁ NA COR VERMELHA?

A pequena senhora da um tapa no mesmo.

- Fala baixo seu abastado! Primeiro, a culpa é sua! - Ela fala.- Vai ter que calar seu bico, e ajudá-la!

Ele se aproxima de mim e examina meu rosto.

- Por que isso? - Ele pergunta olhando para a velha.- Ela é diferente de um WaterHouse.

- Sim.. ela é! Agora venha ajuda-la se não eu conto pro professor o que você fez! - Ela fala ameaçando o garoto.

- Da para vocês pararem de brigar?! Eu estou sangrando! - Falo já nervosa.

Bakugo coloca a mão em minha cabeça.

- Como a velha aqui disse, vou ajudar você... apesar de odiar ajudar as pessoas...

Nesse exato momento, tudo havia parado, o sangue... e... a cor vermelha que ali antes havia.

A senhora examina meu olho novamente e apenas me libera.

- Mas... a cor...

Sou interrompida por ela.

- Não sei te explicar... mas, confie nele...

Bakugo sorri convincente.

- Mas nele?!- Falo irônica.

- Sim!

Ela dá as costas e manda a gente sair dali.

Eu e Bakugo saímos da sala sem trocar olhares e nem falar, vou até o banheiro trocando de roupa e jogando a antiga fora.

Olho no espelho vendo a cor azul... nos meus dois olhos.

- Vai demorar?! - Fala Bakugo nervoso lá fora.

- Pode ir, não pedi para ficar aqui!

- Você não ouviu a velha?

Reviro os olhos e saiu do banheiro o olhando, e lá estava ele com a cara brava de quem queria me matar.

- Vamos para o treinamento, toda sala está esperando lá!

Ele fala andando, até o pátio externo.

Apenas sigo o mesmo em silêncio.

Primeiro dia na U.A, estou feliz por ter passado... Porém, preucupada ao mesmo tempo.

Eu estava na frente do portão da U.A, estava com uma trança de lado, meu tapa-olho, e o uniforme da escola.

Vocês devem estar se perguntando, "Por que está com um tapa-olho?", nunca ouviu aquela expressão?... a curiosidade matou o gato? Cuidado!
Mas enfim, cada olho meu é de uma cor, tenho um azul e outro vermelho. Uns dizem que o vermelho é a "Maldade" que eu tenho, E o azul... a minha individualidade.
Sou da família WaterHouse, a individualidade deles é criar água... só... só criar água... já eu, Posso mudar o estado físico dela e crio ela.
Até agora, só sei fazer isso... Não sei se tenho mais algo além de mudar o estado físico.
Uso o tampa-olho para que ninguém veja o vermelho do meu olho que pode conter a "maldade" que tantos dizem.

Mas enfim, voltando para U.A.

Eu estava prestes a entrar dentro da grande escola quando ouso uma voz masculina atrás de mim.

- HEY!

Olho para trás para ver de quem vem a voz, e lá estava a pessoa. Um garoto de cabelos vermelhos.
Pego um papel que estava dobrado em meu bolso.
Lá estava ele na lista: Eijiro Kirishima.
Sua individualidade era Endurecer e Enrijecer seu corpo como se fosse uma rocha maciça. 

- Oi? - Olho para ele sem entender.

- Você é Mei, certo? - Ele fala confiante me olhando. - Vi seu nome na lista, você é uma WaterHouse, se eu não me engano é claro... me disseram que os WaterHouse não iriam mais se inscrever na U.A...depois da tragédia...

Ele fala meio receoso sobre isso, porém não ligo.

- Decidi me inscrever... - Falo séria.

- Que legal, teremos uma WaterHouse.- ele fala sorrindo.- Sou Eijiro Kirishima.

- Prazer! - Falo dando um meio sorriso para o garoto.- Melhor eu entrar!- Falo e ele concorda.

•••

Após encontrar minha sala, percebo várias pessoa já lá sentadas e conversando, inclusive Kirishima!

~"Mas como essa peste chegou aqui antes de mim?!"~ - Penso sem entender.

Kirishima me vê e acena para mim, sorrio o olhando.

Procuro um lugar mais no fundo e me sento ali.

Pego a lista de alunos da sala.

Nesse exato momento na sala estão:

Kirishima- Endurecimento

Katsuki Bakugo- explosões a partir do seu suor que é similar a nitroglicerina.

Izuku Midoriya- Sem registro de sua individualidade.

Olho para o garoto sem ligar para o resto que ali estava.

"Como sem registro de individualidade?!"

Sem percebe que algum rebuliço havia acontecido.

Katsuki Bakugo estava gritando com Midoriya.
Observo o que estava acontecendo de longe.

- O que você faz aqui Deku?- Bakugo fala nervoso e alterado com o Midoriya.

O que me fez pensar, Deku significa inútil.

"Uma pessoa que não tem registro de individualidade, e conseguiu passar na U.A, não pode ser chamado de inútil!"

Bakugo joga as coisas de Midoriya no chão e grita com o garoto, mas o garoto dos cabelos verdes não fez nada.

Vejo um garoto gritar com Bakugo, para que ele parasse de fazer aquilo.

Procuro o garoto na lista e la estava ele: Tenya Iida, individualidade transformar suas pernas numa espécia de motor, concedendo a ele uma velocidade enorme que pode alternar entre primeira, segunda e terceira marcha.

- Cala boca! -Bakugo grita para Lida que o mesmo fica nervoso. - ou quer que eu exploda sua cabeça igual o que eu vou fazer com...

Ele foi interrompido por Kirishima.

- Calma Bakugo! - Ele fala puxando o garoto para sentar.

Kirishima senta em uma cadeira a frente de mim.
Bakugo senta ao lado dele, Kirishima vira para trás me olhando.

- Oi! - Ele sorri de orelha a orelha.

- aa... Oi - Falo receosa o olhando.- percebi que você é uma das poucas pessoas que Bakugo respeita... - Falo baixo sem querer ofender.

- Provavelmente... E aí, gostou do povo?

- Até agora só conversei com você... - Falo séria.

-Aa... daqui apouco você acaba se enturmando com eles... vou lhe apresentar então meu amigo aqui, Esse é Bakugo Katsuki.- Ele fala e o garoto apenas me olha e dá de ombros.- E Bakugo essa é a Mei WaterHouse.

O garoto dos cabelos loiros vira rapidamente fazendo uma careta.

- Ela é uma WaterHouse?!- o garoto de cabelos vermelhos apenas confirma sorrindo.- tá de brincadeira!

- Não estou! - Ele fala rindo.

- Sim, sou uma WaterHouse!- Falo confirmando.

Depois de um tempo sem acreditar, ele aceita e vira para frente, onde se encontra um homem que parecia que não dormia a séculos.

- Aizawa Shota... - Kirishima sussurra para mim.- Esse é um dos nossos professores.

Apenas sorrio como resposta voltando a olhar para frente.

- Vocês iram fazer pequenos testes para eu ver como suas individualidade funcionam.... - Ele fala com uma voz de sono.- se preparem, quero encontrar vocês no pátio externo.

Ele caí no chão e se fecha num tipo de "casulo".

Os alunos começa a falar sobre o assunto de teste que eles iriam fazer.
O que mais prejudicava eu, é que realmente eu não podia usar minha individualidade, só criação d'água. É o que um WaterHouse faria.
Não posso mostrar que eu não só crio água como outras coisas.

- HEY! O que tanto pensa aí? - Kirishima chama minha atenção.

- Nada de mais... - Falo olhando para ele.

- E esse tapa olho aí? - Bakugo fala finalmente.

- Para ser curioso Bakugo!- Kirishima fala chamando a atenção do garoto de cabelos loiros.

- Vai falar que também não ficou curioso? - Ele fala olhando para Kirishima- Me fala, Que porra é essa!? - Ele fala olhando para mim.

-Nada... conjuntivite... - Falo e Rio.

- Deixe me ver então! - Ele fala levantando e vindo até a mim.

- Não! - Falo levantando e indo para o outro lado.

Ele corre até onde eu tava, e começa uma "perseguição" dentro da sala.

Até que ouve uma explosão, papéis saíram voando para todo o lado, olho para Bakugo que estava parado com as mão abertas e explosivas.

- Se não tem nada de mais, por que eu não posso ver?!

E lá estava, a atenção de todos da sala veio para mim.

"Deku", Kirishima, Lida... entre outros me olhavam e olhavam para Bakugo.

Saio da sala sem mais nem menos, corro até sala de enfermagem, onde só se encontrava uma senhora sentada.

Ela me olhou assustada, era Chiyo Shuzenji, conhecida como curadora dos beijos.

- O que faz aqui... - Ela para assim que percebe algo em meu rosto.- Está machucada? Deixe-me ver!

Ela se aproxima puxando uma cadeira para eu me sentar.

Sento na baixa cadeira que ali ela colocou.

- Você é Mei WaterHouse, certo? Lembro de seus pais, Lembro de você quando criança...- ela fala rápido.- Sei sobre seu olho, eu ajudei sua mãe antes da tragédia...- ela fala tirando meu tapa-olho, e lá está, o olho que estava tampado estava sangrando sem motivos, ele estava mais vermelho que o normal.- O que fez para que sangre desse jeito?

- Bakugo Katsuki... ele me provocou, explosão... eu fiquei nervosa por não poder fazer nada... e começou a sangrar...

Nesse exato momento, Bakugo entra na enfermagem, ele me olha sem entender.

- POR QUE CARALHOS VOCÊ ESTÁ SANGRANDO? POR QUE SEU OLHO ESTÁ NA COR VERMELHA?

A pequena senhora da um tapa no mesmo.

- Fala baixo seu abastado! Primeiro, a culpa é sua! - Ela fala.- Vai ter que calar seu bico, e ajudá-la!

Ele se aproxima de mim e examina meu rosto.

- Por que isso? - Ele pergunta olhando para a velha.- Ela é diferente de um WaterHouse.

- Sim.. ela é! Agora venha ajuda-la se não eu conto pro professor o que você fez! - Ela fala ameaçando o garoto.

- Da para vocês pararem de brigar?! Eu estou sangrando! - Falo já nervosa.

Bakugo coloca a mão em minha cabeça.

- Como a velha aqui disse, vou ajudar você... apesar de odiar ajudar as pessoas...

Nesse exato momento, tudo havia parado, o sangue... e... a cor vermelha que ali antes havia.

A senhora examina meu olho novamente e apenas me libera.

- Mas... a cor...

Sou interrompida por ela.

- Não sei te explicar... mas, confie nele...

Bakugo sorri convincente.

- Mas nele?!- Falo irônica.

- Sim!

Ela dá as costas e manda a gente sair dali.

Eu e Bakugo saímos da sala sem trocar olhares e nem falar, vou até o banheiro trocando de roupa e jogando a antiga fora.

Olho no espelho vendo a cor azul... nos meus dois olhos.

- Vai demorar?! - Fala Bakugo nervoso lá fora.

- Pode ir, não pedi para ficar aqui!

- Você não ouviu a velha?

Reviro os olhos e saiu do banheiro o olhando, e lá estava ele com a cara brava de quem queria me matar.

- Vamos para o treinamento, toda sala está esperando lá!

Ele fala andando, até o pátio externo.

Apenas sigo o mesmo em silêncio.





Primeiro dia na U.A, estou feliz por ter passado... Porém, preucupada ao mesmo tempo.

Eu estava na frente do portão da U.A, estava com uma trança de lado, meu tapa-olho, e o uniforme da escola.

Vocês devem estar se perguntando, "Por que está com um tapa-olho?", nunca ouviu aquela expressão?... a curiosidade matou o gato? Cuidado!
Mas enfim, cada olho meu é de uma cor, tenho um azul e outro vermelho. Uns dizem que o vermelho é a "Maldade" que eu tenho, E o azul... a minha individualidade.
Sou da família WaterHouse, a individualidade deles é criar água... só... só criar água... já eu, Posso mudar o estado físico dela e crio ela.
Até agora, só sei fazer isso... Não sei se tenho mais algo além de mudar o estado físico.
Uso o tampa-olho para que ninguém veja o vermelho do meu olho que pode conter a "maldade" que tantos dizem.

Mas enfim, voltando para U.A.

Eu estava prestes a entrar dentro da grande escola quando ouso uma voz masculina atrás de mim.

- HEY!

Olho para trás para ver de quem vem a voz, e lá estava a pessoa. Um garoto de cabelos vermelhos.
Pego um papel que estava dobrado em meu bolso.
Lá estava ele na lista: Eijiro Kirishima.
Sua individualidade era Endurecer e Enrijecer seu corpo como se fosse uma rocha maciça. 

- Oi? - Olho para ele sem entender.

- Você é Mei, certo? - Ele fala confiante me olhando. - Vi seu nome na lista, você é uma WaterHouse, se eu não me engano é claro... me disseram que os WaterHouse não iriam mais se inscrever na U.A...depois da tragédia...

Ele fala meio receoso sobre isso, porém não ligo.

- Decidi me inscrever... - Falo séria.

- Que legal, teremos uma WaterHouse.- ele fala sorrindo.- Sou Eijiro Kirishima.

- Prazer! - Falo dando um meio sorriso para o garoto.- Melhor eu entrar!- Falo e ele concorda.

•••

Após encontrar minha sala, percebo várias pessoa já lá sentadas e conversando, inclusive Kirishima!

~"Mas como essa peste chegou aqui antes de mim?!"~ - Penso sem entender.

Kirishima me vê e acena para mim, sorrio o olhando.

Procuro um lugar mais no fundo e me sento ali.

Pego a lista de alunos da sala.

Nesse exato momento na sala estão:

Kirishima- Endurecimento

Katsuki Bakugo- explosões a partir do seu suor que é similar a nitroglicerina.

Izuku Midoriya- Sem registro de sua individualidade.

Olho para o garoto sem ligar para o resto que ali estava.

"Como sem registro de individualidade?!"

Sem percebe que algum rebuliço havia acontecido.

Katsuki Bakugo estava gritando com Midoriya.
Observo o que estava acontecendo de longe.

- O que você faz aqui Deku?- Bakugo fala nervoso e alterado com o Midoriya.

O que me fez pensar, Deku significa inútil.

"Uma pessoa que não tem registro de individualidade, e conseguiu passar na U.A, não pode ser chamado de inútil!"

Bakugo joga as coisas de Midoriya no chão e grita com o garoto, mas o garoto dos cabelos verdes não fez nada.

Vejo um garoto gritar com Bakugo, para que ele parasse de fazer aquilo.

Procuro o garoto na lista e la estava ele: Tenya Iida, individualidade transformar suas pernas numa espécia de motor, concedendo a ele uma velocidade enorme que pode alternar entre primeira, segunda e terceira marcha.

- Cala boca! -Bakugo grita para Lida que o mesmo fica nervoso. - ou quer que eu exploda sua cabeça igual o que eu vou fazer com...

Ele foi interrompido por Kirishima.

- Calma Bakugo! - Ele fala puxando o garoto para sentar.

Kirishima senta em uma cadeira a frente de mim.
Bakugo senta ao lado dele, Kirishima vira para trás me olhando.

- Oi! - Ele sorri de orelha a orelha.

- aa... Oi - Falo receosa o olhando.- percebi que você é uma das poucas pessoas que Bakugo respeita... - Falo baixo sem querer ofender.

- Provavelmente... E aí, gostou do povo?

- Até agora só conversei com você... - Falo séria.

-Aa... daqui apouco você acaba se enturmando com eles... vou lhe apresentar então meu amigo aqui, Esse é Bakugo Katsuki.- Ele fala e o garoto apenas me olha e dá de ombros.- E Bakugo essa é a Mei WaterHouse.

O garoto dos cabelos loiros vira rapidamente fazendo uma careta.

- Ela é uma WaterHouse?!- o garoto de cabelos vermelhos apenas confirma sorrindo.- tá de brincadeira!

- Não estou! - Ele fala rindo.

- Sim, sou uma WaterHouse!- Falo confirmando.

Depois de um tempo sem acreditar, ele aceita e vira para frente, onde se encontra um homem que parecia que não dormia a séculos.

- Aizawa Shota... - Kirishima sussurra para mim.- Esse é um dos nossos professores.

Apenas sorrio como resposta voltando a olhar para frente.

- Vocês iram fazer pequenos testes para eu ver como suas individualidade funcionam.... - Ele fala com uma voz de sono.- se preparem, quero encontrar vocês no pátio externo.

Ele caí no chão e se fecha num tipo de "casulo".

Os alunos começa a falar sobre o assunto de teste que eles iriam fazer.
O que mais prejudicava eu, é que realmente eu não podia usar minha individualidade, só criação d'água. É o que um WaterHouse faria.
Não posso mostrar que eu não só crio água como outras coisas.

- HEY! O que tanto pensa aí? - Kirishima chama minha atenção.

- Nada de mais... - Falo olhando para ele.

- E esse tapa olho aí? - Bakugo fala finalmente.

- Para ser curioso Bakugo!- Kirishima fala chamando a atenção do garoto de cabelos loiros.

- Vai falar que também não ficou curioso? - Ele fala olhando para Kirishima- Me fala, Que porra é essa!? - Ele fala olhando para mim.

-Nada... conjuntivite... - Falo e Rio.

- Deixe me ver então! - Ele fala levantando e vindo até a mim.

- Não! - Falo levantando e indo para o outro lado.

Ele corre até onde eu tava, e começa uma "perseguição" dentro da sala.

Até que ouve uma explosão, papéis saíram voando para todo o lado, olho para Bakugo que estava parado com as mão abertas e explosivas.

- Se não tem nada de mais, por que eu não posso ver?!

E lá estava, a atenção de todos da sala veio para mim.

"Deku", Kirishima, Lida... entre outros me olhavam e olhavam para Bakugo.

Saio da sala sem mais nem menos, corro até sala de enfermagem, onde só se encontrava uma senhora sentada.

Ela me olhou assustada, era Chiyo Shuzenji, conhecida como curadora dos beijos.

- O que faz aqui... - Ela para assim que percebe algo em meu rosto.- Está machucada? Deixe-me ver!

Ela se aproxima puxando uma cadeira para eu me sentar.

Sento na baixa cadeira que ali ela colocou.

- Você é Mei WaterHouse, certo? Lembro de seus pais, Lembro de você quando criança...- ela fala rápido.- Sei sobre seu olho, eu ajudei sua mãe antes da tragédia...- ela fala tirando meu tapa-olho, e lá está, o olho que estava tampado estava sangrando sem motivos, ele estava mais vermelho que o normal.- O que fez para que sangre desse jeito?

- Bakugo Katsuki... ele me provocou, explosão... eu fiquei nervosa por não poder fazer nada... e começou a sangrar...

Nesse exato momento, Bakugo entra na enfermagem, ele me olha sem entender.

- POR QUE CARALHOS VOCÊ ESTÁ SANGRANDO? POR QUE SEU OLHO ESTÁ NA COR VERMELHA?

A pequena senhora da um tapa no mesmo.

- Fala baixo seu abastado! Primeiro, a culpa é sua! - Ela fala.- Vai ter que calar seu bico, e ajudá-la!

Ele se aproxima de mim e examina meu rosto.

- Por que isso? - Ele pergunta olhando para a velha.- Ela é diferente de um WaterHouse.

- Sim.. ela é! Agora venha ajuda-la se não eu conto pro professor o que você fez! - Ela fala ameaçando o garoto.

- Da para vocês pararem de brigar?! Eu estou sangrando! - Falo já nervosa.

Bakugo coloca a mão em minha cabeça.

- Como a velha aqui disse, vou ajudar você... apesar de odiar ajudar as pessoas...

Nesse exato momento, tudo havia parado, o sangue... e... a cor vermelha que ali antes havia.

A senhora examina meu olho novamente e apenas me libera.

- Mas... a cor...

Sou interrompida por ela.

- Não sei te explicar... mas, confie nele...

Bakugo sorri convincente.

- Mas nele?!- Falo irônica.

- Sim!

Ela dá as costas e manda a gente sair dali.

Eu e Bakugo saímos da sala sem trocar olhares e nem falar, vou até o banheiro trocando de roupa e jogando a antiga fora.

Olho no espelho vendo a cor azul... nos meus dois olhos.

- Vai demorar?! - Fala Bakugo nervoso lá fora.

- Pode ir, não pedi para ficar aqui!

- Você não ouviu a velha?

Reviro os olhos e saiu do banheiro o olhando, e lá estava ele com a cara brava de quem queria me matar.

- Vamos para o treinamento, toda sala está esperando lá!

Ele fala andando, até o pátio externo.

Apenas sigo o mesmo em silêncio.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado
♡♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...