1. Spirit Fanfics >
  2. We >
  3. Coração

História We - Capítulo 9


Escrita por:


Capítulo 9 - Coração


Fanfic / Fanfiction We - Capítulo 9 - Coração

É realmente verdade aquele ditado em que dizem "O que os olhos não vêem o coração não sente" ?

Tamanha brutalidade assustou ainda mais cada alma da bela Deep Hills. O silêncio seria absoluto se a agonia de Leticia não fosse ouvida a quilômetros dalí.

Leticia havia perdido seu irmão, a única ponte na terra que segurava sua sanidade, levariam anos para que essa ferida em seu peito se fechasse, talvez nunca de fato pudesse cicatrizar.

Aqueles mêses que seguiam foram os piores de toda a sua vida, no primeiro mês veio os ataques de pânico. Nos outros dois mêses vieram o sentimento de angústia e raiva pois não sabia quem tinha feito tal monstruosidade e a polícia parecia está inércia nas investigações. Tudo só complicou no quarto mês, Thalia havia se tornado parte de Leticia, ambas tinham dores parecidas e isso as uniu ainda mais.

Thalia estava dormindo quando ouviu um barulho no quarto ao lado, desde a morte de Louis, Thalia foi morar junto a Leticia. Sua mãe Leila foi morar com alguns familiares no Texas, ela e a filha se falavam sempre, mas encontraram formas diferentes para lidar com a perda de Lola.

Thalia acordou de sobressalto e foi até o quarto de Leticia.

- Leticia - ela disse ofegante pelo o susto - tá tudo bem?

Qual não foi a tristeza de Thalia ao ver sua amiga, sonâmbula parada em frente a janela batendo com os punhos no batente. Aquilo era só uma das várias manifestações do luto que Leticia passava.

Mesmo se passando 4 mêses desde a morte do irmão, Leticia passava a maioria de seu tempo revivendo toda aquela noite, na tentiva falha de acordar de algum sono profundo e terrível, para encontrar seu irmão sentado no sofá lendo alguma crônica.

Thalia se aproximou devagar para não acordar Leticia, e com cuidado segurou a amiga em seus braços direcionando ela de volta para cama.

- Prontinho Leti, agora volta a dormir. Tenha sonhos felizes.

Thalia cobriu sua amiga com o cobertor e ajeitou seu cabelo que estava escorrido em seu rosto.

Ao se levantar ouviu em um suspiro baixinho, Leticia parecia querer dizer uma palavra, ou uma frase...

A luz...ela está aqui...a luz...não vá...a luz

Thalia não entendia o que aquilo queria dizer, mas por recomendação do psicólogo ela anotava tudo que Leticia falava durante seu sono, para então poder tratar, talvez ajudar a amiga à sair daquele looping de sofrimento.

°•°•°•°•°•°

James e Rick criaram uma amizade que poderia se dizer de irmãos, desde daquele noite, durante esse quatros mêses eles investigaram junto com a polícia os crimes brutais que ocorreram naquele inverno.

O que a polícia não sabia era que Rick e James contaram com uma ajuda misteriosa de cartas aleatórias que chegavam em suas casas. Algumas tinham fotos de lugares, parques, outras haviam poemas e feches de linhas vermelhas de lã, uma em específico continha todos esses itens, e uma data 1986 curiosamente foi ano da primeira tragédia em Deep Hills, nesse mesmo ano um orfanato pegou fogo, não deixando sobreviventes.

Mas pelas as cartas tudo indicava, que alguém havia sobrevivido.

Rick tentou achar documentos daquela época para continuarem a investigação mas não descobriram muita coisa, mesmo com a suspeita de que alguém tivesse sobrevivido não teriam muito o que fazer.

James buscou por pistas fora da cidade e em uma dessas buscas ele encontrou uma senhora, que vivia ao leste do interior em Deep Hills. Sua localização era um pouco complicada, ele ouviu boatos de que aquela senhora poderia ler pensamentos e até mesmo memórias, como fotos e objetos pessoais.

Quando James finalmente encontrou aquela senhora, as coisas que ela disse não foram as mais animadoras, diria até assustadoras e sem sentido.

******

A casa da senhora era simples e pequena, havia muitas plantas em volta da casa e algumas árvores.

Tinha uma cadeira de balanço na frente e um vaso antigo ao lado da coluna que sustentava parte da estrutura de cobertura.

- Entre meu rapaz, sente-se na escada.

James tomou um susto pois não viu quando a senhora surgiu na porta. A senhora estava com uma jardineira um pouco suja e por baixo uma blusa verde esmaecida. O cabelo era preto e preso numa trança que vinha até a cintura.

- Ah...oi meu nome é...

- James, sim meu rapaz eu senti que você iria me procurar.

- Uau...ahm, então, eu preciso que a senhora me fale tudo o que puder sobre isso.

James entregou uma das cartas que ele e Rick receberam e um dos fios de lã.

- Hummm, sobre isso meu rapaz, isso não lhe trará nada além de mais dúvidas.

- Por favor senhora, eu preciso de respostas, eu preciso saber.

- O fio vermelho que interliga o destino está em suas mãos, alguém que você amava, alguém que era parte de você, partiu... Espere

A senhora fechou os olhos e buscou pelas mãos de James, quando as tocou teve uma visão.

Nessa visão James estava abraçado com Lola, eles estavam felizes, mas ele abriu mão dela. Por amor, ou pelos os motivos que ele pensava ser o melhor.

- Meu rapaz, tome cuidado... O mal que ronda Deep Hills vai além do que seu coração possa aguentar.

- Eu não entendo, eu achei que a senhora poderia saber se alguma coisa, qualquer coisa sobre estas cartas.

- Quem lhe mandou tais cartas, tem um coração podre, e sua marca já provou um pouco desse veneno, só que agora é diferente pois marcaram seu coração. Não se engane James, o mal que você procura não esta mais em Deep Hills... Esse mal se foi.

- Por favor senhora qualquer outra pista, algo mais claro...

- 1986...o fogo...uma alma ficou...essa alma é amarga, ela não quer partir...

- Obrigado senhora, isso já ajuda muito.

Como James suspeitava realmente alguém sobreviveu aquele incêndio, e talvez essa pessoa fosse o assassino que ele busca. Antes de sair a senhora deu um aviso a James.

- Meu rapaz antes de ir, é melhor você saber de algo... A morte anda entre vocês.

- O quê você tá dizendo?

- Ela caminha naquelas ruas. Aqui - a senhora tirou do pescoço um colar de prata fino, com um pingente de sol com uma pedra vermelha no meio. Talvez fosse, sim, era um rubi - leve consigo este colar, com ele você poderá vê-la.

******

James e Rick iam conectando cada peça daquele quebra-cabeça.

James ficou relutante com a decisão de Rick em contar para Kira e Luca o que eles estavam fazendo.

- Rick eles não vão entender.

- James, presta atenção eles sofreram tanto quanto você, Lola e Louis eram importantes para eles.

- Rick eu sei, só que e se eles contarem para Leticia e Thalia?

- A gente conversa com eles. Elas são as únicas que não precisam serem jogadas no meio disso tudo.

- OK, mas se eles estragarem tudo, a gente faz o plabo B.

- Não vai ser necessário usar esse plano doido.

- É...eu espero.

°•°•°•°•°•°

Em Deep Hills muitas coisas podem te surpreender ou te matar.

No final, os olhos não vêem mas o coração sente, e sente muito.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...