História We are equally different! - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Stranger Things
Tags Dustin, Eleven, Lucas, Mad Max, Mike, Stranger Things, Will Byers
Visualizações 12
Palavras 1.838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 10 - Você é inteligente demais para alguém da sua idade


Fanfic / Fanfiction We are equally different! - Capítulo 10 - Você é inteligente demais para alguém da sua idade

POV Julia

- Como?- pergunda Will desesperado

Vou até a mesa que havia em seu quarto, peguei papel e gis de ceira

- Desenhando- falo

- Brilhante!- fala Hopper

- Will pode desenhar o que vê?- Joyce pergunta

Ele assenti e vai para a mesa. Ele começa a desenhar freneticamente.

No começo achei que minha ideia tinha sido boa, mas depois de 20 desenhos, perdi as esperanças. Will estava desenhando em um monte de folhas, não sei como não acabou, e todos pareciam iguais, só mudava as posições dos rabiscos.

Eu e Hopper estávamos na sala, sentados no sofá, cansados daqueles desenhos sem explicação, tinhas uns 50 no chão da sala

- O que é que significa isso? O que ele quer dizer?- pergunta Joyce entrando na sala com mais um desenho

- Não faço a mínima idéia- falo sincera

- Talvez não seja nada- fala Hopper

- Por que ele iria desenhar esse monte de folhas a toa?- questiono

- Para que a gente deixe ele em paz

- Não, acho que tem um significado, mas nós não conseguimos descobrir qual é- fala Joyce

Levanto e vou ao quarto do Will, ele ainda está desenhando

- Will?

- Fala- ele diz sem tirar os olhos do papel

- Podemos conversar?

- Fala- ele repete

Eu tiro o gis da mão dele

- Esses desenhos tem algum significado?- eu pergunto

- Vocês pediram para eu desenhar o que eu vejo, é o que estou fazendo

- Mas isso não tem sentido, o que tem por trás desse monte de rabisco? É o mostro que te pegou? Ou é o que está te incomodando agora- pergunto

- Eu não falei em hora nenhuma que isso representava um desenho, apesar de ser um- ele fala e volta a desenhar

Eu saio do quarto pensando, como assim?

Isso parece uma dica, ele quer falar, mas algo o prende. Lembro de quando jogava detetive com meus pais, tínhamos que analisar as pistas e ligar os pontos, por mais que não faça sentido o resultado.

Volto para sala, Joyce e Hopper ainda discutem. Fico pensando

- Ele falou alguma coisa?- pergunta Joyce

- Nada

- Melhor desistimos de entender esses desenhos

- Eu não falei em hora nenhuma que isso representava um desenho, apesar de ser um

Olhei para os desenhos, vi dois que estavam um do lado do outro, eles se ligavam, mas precisavam de continuidade para que eu possa entender. Mas é claro! Como não pensei nisso antes?

- Joyce esses desenhos não tem significados, Will precisa ir no médico- fala Hopper

- Você me prometeu que não ia ter médico- fala Will aparecendo

- E não vai- fala Joyce

- Então por que ele está falando que eu estou louco?

- Não falei isso, só falei que esse monte de rabiscos não tem nenhum sentido- fala Hopper

- Claro que tem, mas não tem a intenção de ser um desenho- eu falo

- Como assim querida?- pergunta Joyce

- Não é um desenho, é um mapa- eu falo

Will sorri para mim, um sorriso de agradecimento, um agradecimento mudo

Hopper analisa os desenhos no chão

- Isso não paresse um mapa- ele fala

- Por que precisamos juntar as partes, para poder ver e entender

Joyce e Hopper começam a me dar os desenhos e eu vou juntando, colamos os desenhos por todo lado

- Falta esse, onde fica?- pergunta Joyce

Vejo uma parte da parede sem desenho

- Ali- eu aponto

Ela cola

- Pronto, o mapa está completo- fala Hopper

Todos nós olhamos o mapa

- É um mapa de onde?- pergunta Hopper

- Eu também não sei

A porta se abre de repente e entram Mike, Dustin, Max, Lucas, Eleven, Jonathan e meu pai.

- Descobriram alguma coisa?- pergunta Mike

- Will contou alguma coisa?- pergunta Dustin

- Não, mas ele desenhou- eu falo apontando para a casa, que estava coberta de desenhos

- Acho que ele se empolgou- fala Jonathan, referente a quantidade de desenhos.

Eles olharam os desenhos

- Tá, o que é isso?- pergunta Lucas

- É um mapa- eu falo

- Um de onde?- pergunta Max

- Também estamos tentando descobrir- fala Hopper

- Não é só perguntar para o Will?- fala Dustin

- Se ele pudesse falar acha que já não teria falado?- questiono

Hopper levanta e vai em direção a porta

- Onde você vai?- pergunta Joyce

- Ver se acho alguma coisa- fala e sai pela porta

Meu pai vem até mim

- Você está bem?

- Vou ficar

- Então temos que descobrir onde o mapa leva?- pergunta Eleven

- Mais ou menos isso- eu falo

- Isso é impossível- fala Lucas

- Nada é impossível- eu falo voltando a olhar os desenhos.

Começo a andar pela casa até chegar na sala novamente

- Descobriu?- pergunta Dustin

- Eu não sou inteligente nesse nível, preciso de tempo

- Nem se levar 100 anos vai descobrir isso- fala Lucas

- Isso é o que nós vamos ver.

Quebra de tempo

Todos estavam na sala, menos meu pai que havia ido embora, eu estava andando pela casa, tentando entender onde o mapa quer nós levar.

- Por que não desisti?- pergunta Mike

- Por que eu quero descobrir onde esse mapa quer nós levar- respondo

- Mas está à horas aí, o sol já vai se por- fala Lucas

- Se acha fácil por que não tenta?- pergunto

- Não estou tentando por que sei que não vou chegar a lugar nenhum- ele responde

- Se nunca tentar realmente não vai chegar a lugar nenhum- volto a olhar os desenhos

Will de repente começa a se mecher

- O que está acontecendo querido?- pergunta Joyce

- É ele de novo

- O que ele fez? O que ele quer?- ela questiona

- Ela....- ele aponta para mim

- A Julia?

- Sim...

Fico em choque, sou uma ameaça? Se ficar perto dele vou lhe fazer mal?

- Por que ele quer ela?- pergunta Max

- Isso é como um jogo- começa Lucas

- Julia acabou de chegar, e ela é igual à Eleven- Dustin segue o raciocínio

- Mas não sabemos o que ela pode fazer- continua Max

- Talvez ela seja importante para a vitória do jogo- fala Eleven

- Tirando ela dá jogada....- começa Eleven

- Só resta Eleven, e ela sozinha é mais fácil de vencer, fazendo assim ele ganhar o jogo- eu concluo

- Ele quer se livrar da Eleven também?- pergunta Jonathan

- Não.... só ela- fala Will

- Por que ele só quer se livrar dela?- pergunta Dustin

- Ele não quer se livrar dela, quer algo dela- fala Will

- Mas o q.....- atrás de Will tem um desenho, um formato que não me é estranho

Olho com mais atenção e percebo algo

- Eu já vi esse formato antes- falo e penso um pouco- o lago perto do campo de futebol da escola!

Eles me olham com mais atenção, perceberam que eu descobri algo

- Se aqui é o lago- ando até a janela- aqui é o flipetama, faz todo o sentido

- O que faz todo o sentido?- pergunta Eleven

- O mapa não quer nós levar para algum lugar, nós já estamos no lugar- falo

- Era para isso fazer sentido?- pergunta Lucas

- Isso não são ruas, nem rios, são os dois, por que esse mapa é de um lugar que já estamos

- Pode falar algo que a gente entenda?- fala Mike

- Esse mapa não quer nós levar para lugar nenhum, nós já estamos aqui, o mapa de Hawkins

Eles se entreolham e Will abre um lindo sorriso, de agradecimento por eu ter entendido

- Você é muito inteligente para alguém da sua idade- fala Jonathan sorrindo e eu abro um enorme sorriso

Will levanta e vai para o quarto

- Licença- eu falo e vou atrás dele

Vou até o quarto e sento na cama ao seu lado

- Tá tudo bem?- pergunto

- Claro que sim- ele sorri fraco

- Agora a verdade- eu falo e ele ri

- Nada bem

- O que você sente?

- Ele está aqui

- Nessa casa?

- Nessa casa e em mim- ele fala em tom de desespero

- E como sabe disso?

- Eu vejo o que ele vê

- Isso já faz tempo?

- Antes era como um sonho que você tem que se esforçar para lembrar, mas agora eu não consigo esquecer, eu vejo toda hora- escorre uma lágrima por seu rosto

- Olha eu não vou mentir falando que vai ficar tudo bem, eu não sei, mas não vou desistir de te ajudar- eu falo

Ele sorri

- Obrigado por entender meu mapa- ele fala

- Aquilo é fácil- eu debocho

- Achei que era impossível alguém descobrir

- Então mais uma vez eu fiz o impossível

- Você sempre faz?

- O que?

- O impossível

- Sim, acredito que nada é impossível, somente se você acreditar que é

- Você fala coisas que me fazem refletir- ele fala e eu sorrio

- Eu brinco com as palavras e normalmente isso deixa as pessoas pensativas

- Então você é especial

- Acho que não

- Isso não foi uma pergunta- ele fala olhando nos meus olhos

O analisei por um instante, era lindo o que eu via, aqueles olhos verdes que penetram sua alma, o cabelo liso e castanho claro, tudo lindo

- Acha que sou especial?

- Tenho certeza

- Especial para todos ou para você?- me aproximo

Ele fica vermelho, percebo que é o Will não aquele mostro

- Os dois- ele fala sem olhar para mim

- Por que não olha para mim?

Ele olha, estávamos muito próximos

- Eu não quero deixar ele te machucar- ele fala e eu fico emocionada por ele se preocupar comigo

- Eu sei me defender

Estávamos muito próximos, quando de repente seu rosto se torna assustado e ele sai rápido do quarto e vai para a cozinha correndo, vou atrás

Todos na sala nos seguem, ele coloca a mão em um desenho

- Hopper....- ele fala

- Você tá vendo ele?- Joyce pergunta

- Ele tá bem?- eu pergunto

Ele faz não com a cabeça, escosto em seu ombro, sinto desespero e sei que alguém está por um fio de vida. Tiro a mão dele rapidamente

- Seus olhos....- fala Jonathan

- Precisamos achar o Hopper- eu falo

- Como? Esse mapa é enorme- fala Lucas

- Eu sei como fazer isso, mas preciso de um mapa da cidade- eu falo

- O que você não sabe fazer?- pergunta Max

Joyce sai da cozinha e volta com um mapa, o coloca sobre a mesa

- Como o Will viu isso?- pergunta Eleven

- Não foi ele, foi o monstro- eu falo

- Então o Will é um espião? Isso é ótimo- fala Mike

- Não, isso é péssimo- eu falo

- E por que senhorita sabe-tudo?- pergunta Mike

- Por que se o Will vê o que o monstro vê, o monstro também vê o que o Will vê senhor cara se sapo- eu retruco

- Sem brigas vocês dois, a Julia está certa, mas precisamos achar o Hopper agora- fala Jonathan

Eu pego o mapa da mesa e um lápis, começo a anotar nos desenhos os lugares que eles significam

- Se aqui é o fliperama.....- saio da janela e vou até a cozinha, na geladeira onde Will apontou- aqui é uma plantação

- A plantação de abóbora- fala Dustin

- Sempre estão em cultivo na época do dia das bruxas- fala Lucas

- Hopper está lá- eu falo

- Garota você é um gênio!- fala Jonathan

- Depois podem falar o quanto sou incrível, mas agora precisamos ir até lá- eu falo

- Como, voando?- pergunta Mike

- Existe uma coisa chamada carro- eu respondo

- E quem vai dirigir?

Aponto para o Jonathan

- Então vamos!- fala Joyce



   









Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Até a próxima🖤🖤🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...