História We Are Furious - Jikook - 2Jae - Chanbaek - Capítulo 89


Escrita por:

Postado
Categorias ASTRO, B.A.P, Bangtan Boys (BTS), EXO, Got7, Monsta X, Seventeen, SHINee, VIXX
Personagens Baekhyun, BamBam, Boo Seungkwan, Chanyeol, Chen, D.O, Daehyun, Eunwoo, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Hongbin, Hyuk, Hyung Won, I'M, Jackson, JB, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jeon Wonwoo, Jinyoung, Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Junghan "Jeonghan", Kai, Ken, Ki Hyun, Kim Mingyu, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Kris Wu, Lay, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Lu Han, Mark, Min Hyuk, Min Yoongi (Suga), Minho Choi, Moonbin, N, Park Jimin (Jimin), Sehun, Seungcheol "S.Coups", Show Nu, Soonyoung "Hoshi", Suho, Taemin Lee, Tao, Wen Junhui "JUN", Won Ho, Xiumin, Xu Ming Hao "THE8", Youngjae, Youngjae, Yugyeom, Zelo
Tags 2jae, Carros, Chanbaek, Corridas, Furiosos, Jikook, Kpop, Taoris, Velozes, Vhope
Visualizações 224
Palavras 1.853
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Lemon, Policial, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


QUASE NO FIM PESSOAS

Bem, eu gosto é de dar tiro hehhehe mas esse ta mais de leve.

até o fim dessa fic eu tenho um desafio: não ter odio de Yoo Youngjae XDXD

Capítulo 89 - Plain


Pov Normal

Califórnia, 14:00 da tarde.

-“Tem certeza que quer isso Jae?” A pergunta de Jin ficou no ar no meio da sala, onde Youngjae, Kris, Hobi e Jin estavam conversando. Tao cuidava das crianças enquanto os meninos ali estavam nos sofás da sala.

O silêncio de YoungJae estava assustando eles. –“Tenho sim, pessoal.” Disse e olha para baixo. –“Não consigo esquecer ele, não consigo. Mesmo que eu tente.”

Jin levanta e senta ao lado do genro, puxando ele para um abraço. –“Entendemos e respeitamos querido, não fica assim. Não liga para o que as pessoas dizem.” Deixa um beijo em sua bochecha.

-“Obrigado Hyung.” Sorri e recebe um carinho na cabeça.

-“Tem que ter muita coragem, mesmo com as crianças, você quer seguir sozinho.” Wu elogia. –“Saiba que estamos aqui sempre que precisar.”

-“Por isso eu amo vocês.” Sorri para os amigos, ele tinha escolhido seguir sozinho, não conseguia tirar Jaebum de sua cabeça, mesmo que tentasse.

Depois que teve um certo ‘encontro’ com um garoto da faculdade, ele chegou nisso. Ou pelo menos, para ele por hora era o melhor a ser feito por hora.

Enquanto isso, em algum lugar do globo, o pessoal da EBS estava mais focado que nunca. Desde indo atras de imagens de satélite e câmeras de segurança até preparar as armas para quando saírem.

E eles tinham uma ordem, não atirar contra Jungkook. Essa era uma ordem direta e que não poderia ser quebrada de jeito algum.

Mesmo depois de 2 anos sem mexer em algo do tipo, Luhan, Baekhyun e Sehun estavam mais que focados nas armas em cima da mesa de vidro. Tinha de tudo ali, desde a mais simples pistola até uma metralhadora.

Armamento pesado.

-“Espero que não tenhamos que usar isso.” Chanyeol dizia, ainda com certo trauma de armas depois daquele plano.

-“Sabe que vamos.” Chen entra na sala. -“Quem aqui entende de primeiros-socorros?” Pede e Mark levanta a mão. –“Aqui nessa mala tem o que vai precisar cado algum de nós se machuque, sinta-se a vontade.”

Mark assente e pega a mala, indo para a outra mesa ao lado. Aquilo era uma missão para trazer Jungkook de volta, mas estava se tornando quase um pesadelo.

Jimin não sabia mais o que esperar. –“O que vamos fazer? Ainda não o achamos.” Dizia sentado contra a parede de vidro, apenas esperando qualquer sinal de seu marido.

Jeonghan coça a nuca e suspira. –“Estamos olhando tudo que podemos, mas está mais complicado do que pensamos.” Aquilo não ajudava em nada.

Esperar, era a pior coisa do mundo agora.

(...)

O som dos carros era alto naquela região, com prédios e mais prédios, Jungkook estava odiando fazer parte disso. Não queria. Mas não era como se fosse sua escolha, não podia ir embora e deixar Jaebum com a memória rala e deixa-lo ali. Ele tinha que fazer alguma coisa.

-“Pensar demais frita os neurônios, garoto.” Youngjae aparece ao lado dele, com aquele sorriso da noite passado estampando seu rosto.

Kook rosna e faz de tudo para se segurar e não bater no garoto, tinha ordens á seguir.

-“Ainda está zangado?”

-“E ainda pergunta???” Diz irônico. –“Você ajuda a enganar meu irmão, como quer que eu não queira quebrar seu nariz?”

Youngjae não segura a risada nesse momento. –“Você não sabe mesmo de nada.”

-“Do que está falando seu cretino?” Olha para o garoto com raiva, mas a calma do mais velho só o deixava assustado.

-“Quando estiver mais calmo, tente descobrir, como o Jaebum sobreviveu, se me odeia tanto, então ao menos divida esse ódio de forma igual.”

Agora seus pensamentos pararam. Ele ainda não tinha pensado nisso... Como Jaebum tinha sobrevivido naquela explosão, isso agora era um assunto que ele precisava tratar, e rápido.

-“Você teve algo a ver com isso?” Olha para o mais velho.

-“Não.” Responde mas sorri daquele jeito que Kook odeia. –“Na verdade, eu sei como.” Quando ele diz isso, Jungkook se prepara para partir pra cima, se não fosse um outro cara alto que estava supervisionando eles o parar.

-“Comporte-se.” Diz, e Jungkook vê que era um garoto de cabelos loiros e alto. Rosnando ele se solta do garoto e olha para Youngjae com olhar assassino.

-“Confie em mim, querendo ou não.” Yoo disse. –“Me matar ou me bater até morrer não vai ajudar seu irmão em nada.”

-“Tem razão.” Rosna. –“Mas assim estarei me livrando de uma cobra.”

Youngjae franzi o cenho e mostra uma expressão mais descontente, agora era ele quem estava irritado. –“O que disse seu pirralho?”

-“Disse o que você ouviu, sua cobra.” Repete sem medo. –“Você aceita o plano para enrolar a cabeça dele, e pra isso aceita ficar se agarrando com ele, deve ser uma vadia também.”

-“Não me faça te matar e deixar seu corpo na linha do trem!” Youngjae se irrita e avança, agarrando Jungkook pela gola da camisa.

-“Pode vir, sua víbora.”

-“Chega!” O garoto separa os dois. –“Jungsu vai punir os dois se não pararem, agora chega!”

YoungJae rosna e solta o garoto da forma mais rude e estúpida possível. Ainda com ódio guardado. –“Cadê aqueles babacas, Junhong?” Pede ao garoto.

-“Devem estar vindo.” Olha para tras quando ouve um barulho. –“Ai estão.”

O som de motor enche o espaço onde eles estavam, e um Pagani Huayra fosco e com detalhes de carbono nas laterais (deixando ele com uma aparência mais robusta). De dentro dele, saem as duas pessoas que eles estavam procurando.

Jaebum e Jongin.

Jaebum voltou com aquela expressão fria desde o começo, o que fez o mais novo dali pensar que tudo que tinham conversado noite passada tinha ido por água àbaixo.

-“O que temos?” Jaebum pede ao maior de todos ali.

-“Esperar o sinal, e quando ele mandar, agir. Só temos que dar cobertura pra ele, mais nada.” Junhong disse, foi ai que eles perceberam algo.

-“V-Vamos ser apenas nós 6???” A pergunta de Jongin teve o silêncio como resposta, é, eles iriam agir apenas os 5 que estavam ali, e mais o Jungsu. Mas o que eles iriam fazer? Bem, o alvo deles estava bem ali na outra rua daquele prédio em que estavam.

A sede de um batalhão Russo.

-“Isso é suicídio.” Kook sussurra para si mesmo, Jungsu era mesmo um louco. –“Não podemos fazer isso.”

-“Podemos, e vamos.” Youngjae descruza os braços. –“Junhong vai entrar despercebido e acessar o sistema de segurança para liberar a passagem pra nós, Jongin e Kook vão dar cobertura e se livrar dos soldados pelos fundos enquanto eu e Jaebum fazemos o mesmo pela frente.”

-“Vocês NÃO vão ficar juntos.” Jungkook foi rígido no tom de voz, tanto que Jaebum até estranhou a briga entre os dois.

-“Cala a boca.” Responde no mesmo tom. –“Quem manda aqui sou eu, então você vai fazer o que eu disser.”

O sangue dele estava fervendo. –“Do jeito que você é, pode querer matar eu e o Kai de propósito.” Rosna pra ele.

-“E eu acho que seu esposo deve estar muito sentindo sua falta. Quer voltar pra ele? Faça o que eu mando caso contrário eu terei o maior prazer de entregar seu corpo morto na frente da casa dele se não parar de me irritar.”

Essa resposta foi dura e pesada, mas provocar Jungkook usando Jimin, foi um grande erro. Quando ele avança para socar seu rosto, Jaebum o defende.

-“Hyung!” Reclama.

-“Não toque nele, pirralho.”

Jungkook se afasta de cabeça abaixada, enquanto Youngjae estava com aquele sorriso vitorioso no rosto. Se inclina para beijar o rosto de Jaebum.

-“Valeu amor, agora vamos esperar e seguir com o plano.”

Aquilo estava se tornando um pesadelo, tanto para Jungkook quanto para Jongin, o que ia acontecer depois dali?

(...)

Voltando a base da EBS:

Jimin brincava com uma pistola, armando e desarmando, estava entediado e ansioso. Isso estava deixando ele maluco.

Não sabia mais o que fazer enquanto esperava.

-“Um garoto como você não devia estar desse jeito, és jovem demais.”

-“Sai daqui Taeyang.” Se levanta e vira a cara. –“Não estou com paciência pra conversas pacíficas.”

O mais velho engole o seco. –“Calma garoto, só pensei que precisava de alguém para conversar, tem andado tão quieto.”

Soltando um suspiro cansado, ele se vira para o policial. –“Desculpe, só que... Esse silêncio todo está me matando aos poucos.”

-“Te entendo.”

O moreno olha curioso. –“Como assim, entende?”

-“Bem, para alguém como você que vivia uma vida normal não devia ser algo fácil vir e viver algo assim.”

-“Eu vivi algo assim por 2 anos.” Olha para ele. –“Desde o 3º do ensino médio.”

Taeyang desvia o olhar por um tempo, algo que Jimin estranhou.

-“Não acho que isso conte, experiência policial não se consegue assim, mas você parece estar lidando bem com a pressão disso tudo.”

-“Sabe o que é pressão? Aguentar o amor da sua vida chorando nas noites, ter seus amigos afastados e tudo que vocês tiveram durante 2 anos parece ter sido em vão, tudo isso por causa da morte de uma pessoa. Isso é que é pressão. Esse trabalho de vocês, nem se compara.” Jimin estava pronto para virar a cara pra ele, a não ser por uma frase que ele disse.

-“Jaebum deve fazer muita falta mesmo.”

Park arregala os olhos e olha para ele. –“Como sabe o nome dele???”

-“Quem você acha que liderou a busca pelo corpo dele nos destroços? Eu.” Diz e fica ao lado de Jimin. –“Sinto muito pela perda de vocês.” Disse e estava prestes a sair, se Jimin não tivesse o segurado.

-“Onde está o corpo dele?”

Taeyang sentiu-se paralisar no lugar, o olhar que Jimin mandava pra ele, não era dos melhores.

-“Bem hã... Eu preciso ir.” Taeyang usa a força para sair, e deixa Park sozinho no corredor, com a pulga atras da orelha. Tinha alguma coisa errada.

E Jinyoung, que estava ouvindo todaa conversa, também sabia disso.

*Alarme*

As sirenes vermelhas refletiam em todas as paredes e o som do alarme ecoa por todo o prédio. Os dois Parks se encaram por um segundo e antes de assentirem e irem até a sala principal.

-“Finalmente temos algo.” Vernon abre o computador.

-“Partiu Rússia.” Seungcheol disse e os meninos os olham estranhados.

-“Que lugar é esse que estamos afinal? Querem chegar lá por teletransporte???” Taehyung questiona.

-“Vocês não sabem mas estamos mais perto da cidadezinha do que parece.” Rosé disse pegando as armas. –“Vamos meninos!”

-“Vocês esperam aqui.” Jeonghan diz mas Yoongi nega.

-“Alguém precisa ir para falar com o Kook caso ele esteja lá.” Disse o Min.

-“Kook não vai ouvir vocês.” Chanyeol diz olhando para os policiais. –“Precisa ir um de nós.”

Os meninos pensam, quem poderia ir com eles?

-“O Yoongi deveria ir.” Sehun sugere ao pessoal. –“Ele sabe se defender e, ele sabe como fazer o Kook ouvi-lo.”

Todos, inclusive Jimin, concordam com isso.

-“Aqui.” Jinyoung entrega uma arma mais avançada para o albino, que aceita. –“Vamos!”

A equipe se despede, mas antes, Jinyoung bate no ombro de um dos guardas ali, um de seus melhores amigos ali. Se inclina sobre seu ouvido e sussurra de forma discreta. –“Fique de olho no Taeyang.”


Notas Finais


Heheheheheheeh tramas tramas! Não sei quantos caps mais mas acredito que até o 95 ou 97 por ai. Só mais alguns então AGUENTEM kkkkkk

PS: Agora sou uma Baby! B.A.P TE AMO!
Bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...