História We are meant to be - Sizzy. - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis
Tags Alberaude, Alberto Rosende, Alec, Aleclightwood, Alicante, Amor, Clace, Clary, Claryfairchild, Drama, Emeraude Toubia, Isabellelightwood, Izzy, Izzylightwood, Jace, Jaceharondale, Magnus, Magnusbane, Malec, Romance, Shadowhunters, Simon, Simoneizzy, Simonlewis, Sizzy, The Mortal Instruments, Tmi
Visualizações 79
Palavras 1.796
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, LGBT, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Mudanças não são bem vindas.


 

POV IZZY

 

Eu estava definitivamente nervosa com todo aquele suspense. Que problema afetaria tanto uma garota de 13 anos para eles estarem assim? Papai provavelmente traiu a mamãe de novo, não sei porque ela ainda perdoa. Meus pensamentos estão a mil, criando teorias, mas vou parar e escutar a mamãe, acho que finalmente ela vai começar a falar agora.

- Você se lembra do mês passado quando conversamos sobre o seu pai estar tendo alguns problemas no trabalho?

Eu balancei a cabeça concordando, mas na verdade quando estávamos conversando isso durante o jantar eu estava trocando mensagens com o Simon e pensando que horas eu teria que lavar o cabelo para ele estar bonito no dia seguinte às 2 p.m., nunca achei esses problemas de adultos interessantes. Fui tirada dos meus milhares de pensamentos quando escutei a voz da mamãe novamente.

- Então... Depois daquilo ele continuou tendo problemas e ontem foi demitido. Ele foi tentar conseguir o emprego de volta hoje antes de falar com a gente, porém não conseguiu.

- Sim, mas você tem seu emprego, não é mãe!? - Perguntei, estou um pouco confusa. Tá o papai perdeu o emprego, mas ele pode conseguir outro ué.

- Isabelle... - Ela acariciou meu cabelo e me olhou com um rosto de dó como se pensasse "que iludida" - Somos 5 pessoas, meu emprego não teria dinheiro suficiente nem pra 3 de nós.

- Eu, Alec e Jace podemos ficar sem mesada até o papai conseguir um novo emprego. - Ah, eu juntei algum dinheiro que eu não usava, conseguiria ficar um tempo sem gastar tanto e o Jace e o Alec vão dar um jeito de se virar eu acho.

- Você não entendeu ainda o que eu quero dizer Isabelle. Estamos quase quebrados, mas temos outra casa em Idris, podemos... - Assim que escutei a palavra Idris já entendi tudo. Meu Deus, eles querem voltar para Idris!!! 

- Não diz o que você vai dizer! - Gritei colocando as mãos para tapar os ouvidos involuntariamente. - Vocês querem voltar para Idris não é? Por que sempre fazer isso? Moramos em um lugar, eu consigo ser feliz e então querem mudar-se de novo.

- Oh Isabelle... - Alec veio e me abraçou assim que percebeu a falha em minha voz, ele me conhece, sabia que eu queria chorar mas não ia fazer isso na frente de ninguém que não fosse ele, Jace ou Simon. Minha mãe estava com uma cara abatida mas continuou.

- Essa foi a última opção, eu mais do que qualquer um aqui não quero voltar a Idris, voltar a ver aquela mulher. - Nesse momento fiquei com dó da minha mãe, nunca fomos muito próximas, quase nunca nos abraçávamos, mas naquele momento, sai dos braços de Alex e fui abraçá-la, sabia que aquilo estava doendo nela também. 

O papai que até então não tinha dito uma palavra resolveu continuar e me explicar o motivo de aquela ser a última opção.

- Izzy, resumindo tudo que a sua mãe falou e explicando, não temos quase nada mais de dinheiro, venderemos essa casa e iremos morar na nossa casa em Idris, com o dinheiro dessa casa eu comprarei ações em uma empresa ou criarei uma para a nossa família, sendo dono não terão como me demitir. - Papai foi bem direto, me conhecia perfeitamente e sabia que eu odiava enrolação. Porém isso tudo que ele falou de ações e empresa no meu cérebro se traduziu tudo em "blá blá blá", eles sempre agem comigo como se eu tivesse 20 anos e entendesse tudo.

Depois dessa conversa eu estava totalmente destruída e só uma pessoa vinha a minha mente toda hora: Simon. Eu não vou conseguir abandonar ele, deixar meus amigos em idris foi difícil e olha que nem éramos tão próximos, imagina o Simon, estávamos juntos a 7 anos, até nas férias quando um viajava o outro ia junto. Preciso falar com ele, mas não quero, não quero ver ele triste, quando eu ver ele triste, uma parte de mim vai quebrar. Nossa, Isabelle, por que você está tão melosa? Você não é assim. 

Olhei o relógio e vi que a conversa tinha demorado mais do que eu pensava, agora tenho que me arrumar se quiser estar pronta na hora que Simon chegar aqui. Já decidi, como sei que meus pais são e vão querer fazer a mudança o quanto antes, eu vou passar a noite de bem e aproveitar com o Simon o que provavelmente será nossa última noite livre de problemas e da distância. No fim da noite vou até a casa dele com ele e conto tudo antes de vir para casa arrumar minhas malas.

Estava pronta com uma sainha rodada preta, um body branco bem colado e uma sapatilha bem delicada também preta(Narradora- A Izzy ainda tem 13 anos, então por enquanto ainda usa roupas um pouco infantis, não da para botar aquelas roupas provocantes nela, to guardando para a Isabelle adulta). Assim que terminei de pentear o cabelo escutei o Jace gritando que o Simon já estava lá embaixo. Respirei profundamente e desci, seria difícil passar a noite com Simon e outros amigos se divertindo sem pensar que logo eu não estaria mais aqui com eles.

- Isabelle Lightwood, linda como sempre! - Simon adora tirar sarro comigo dando cantadas, mas no fundo eu percebo que ele fica nervoso, pois sempre que fala ajeita o óculos no rosto e da um sorrisinho de lado, não sei porque ele fica sem jeito comigo.

- Simon Lewis, estiloso e nerd como sempre. - Falo em tom brincalhão e indico a porta para sairmos logo antes que alguém invente de abrir a boca para Simon sobre a mudança e estrague toda a noite. Ele estava com uma calça jeans e uma camiseta, que como sempre, fazia referência a alguma história que só o Simon e outros nerds entendiam, eu também entendia já que conhecia todas a roupas dele e ele em algum momento já havia me explicado cada uma das referências.

Nos encontramos com mais uns amigos para comer pizza e ficarmos conversando, a noite estava indo perfeita, mas tenho que confessar que às vezes eu ficava olhando para o nada e pensando no quão triste eu tava de ter que me despedir daquilo, espero que ninguém tenha percebido nada.

 

POV SIMON

 

Eu consigo e não consigo entender a Isabelle ao mesmo tempo. Quando saímos da escola ela estava tão animada para essa noite e agora ela está aérea, tenho que chamar a atenção dela a cada 5 minutos, tenho quase certeza que ela está me escondendo algo. Aqui está começando a ficar entediante, gosto muito dos nossos outros amigos, mas prefiro estar sozinho com a Izzy, com ela eu posso ser eu, falar das musicas, filmes e mangás que eu gosto, aqui tenho que ficar falando de coisas que na verdade nem entendo, as meninas discutem roupas de modelos e os meninos só falam das garotas que beijaram. Eu estava fundo em meus pensamentos e despertei com um estranho de dedos na minha frente, uns dedinhos delicados, era a Maya, Izzy sempre disse que ela gostava de mim, mas acho que não, ela também é muito bonita para mim.

-O que você acha disso Simon? - Pergunta Maya enquanto todos da mesa me encaram. 

- Disso o que? - Eu não fazia ideia do que estavam falando. 

- Disso o que mesmo? - Perguntou Isabelle, agora eu tive certeza de que algo estava acontecendo, ela sempre presta atenção na conversas que temos quando estamos todos juntos, adora ficar informada sobre tudo.

-Meu Deus, gente, em que mundo vocês estão? - Pergunta Maia dando uma gargalhada.

- Dá para repetir? - Isabelle disse ajeitando o seu cabelo como quem nem ligava para o assunto.

- Jonas nos chamou para irmos a casa dele, não tem ninguém, podemos jogar verdade ou desafio. - Lucas disse com um olhar de quem queria aprontar nessa brincadeira. Não entendo porque eles gostam tanto de se amostrar por "pegarem" alguma garota. Na verdade não quero ir, se os garotos descobrirem que eu nunca beijei, vão tirar sarro de mim até eu entrar na faculdade.

- Na verdade, já está um pouco tarde e eu e o Simon temos que ir, não é Simon? - Isabelle sempre me salvando, deve ter percebido meu desespero.

- Sim, seus irmãos me matam se eu te deixar em casa no mínimo 1 minuto atrasado. - Eu disse entrando na onda da mentira de Isabelle. 

Nos pagamos cada um sua parte e saímos. Isabelle continuava distante e eu não aguentava mais.

- Isabelle, pode me dizer o que está acontecendo? - Perguntei com um tom que pareceu bravo, mas não foi intencional, na verdade só percebi que soou assim quando ela virou para mim com um olhar meio assustado.

- Calma, Simon, iremos conversar quando chegarmos lá. - Ela falou em tom triste e calmo. Se fosse por telefone eu diria que isso é só drama e que ela provavelmente ficou em recuperação em química e queria minha ajuda, ela sempre odiou química, mas vendo essa expressão dela fico com medo do que vem por aí. Espera um pouco. Quando chegarmos lá? O que ela quis dizer com isso? Para onde estamos indo?

- Lá onde? - Perguntei depois de um segundo pensando.

- No nosso lugar. - Meu Deus, nosso lugar é sagrado, só vamos lá quando temos que resolver algo sério, sério entre aspas, são problemas que anos depois percebemos que são besteiras de crianças. O nosso lugar era debaixo de uma árvore próxima a um pequeno lago, desde quando aprendemos a nadar lá, aos 8 anos, resolvemos que aquele seria o nosso lugar, até escrevemos na árvore "IxS". O primeiro problema "grande" que resolvemos lá foi quando Izzy fechou o batom favorito da Maryse com ele ainda pra cima e quebrou ele todo. Dei uma risadinha quando pensei nisso. Izzy me olhou estranho, tipo "acabamos de ter uma conversa bem séria e ele está rindo". Foi quando percebi que chegamos lá e que tínhamos ido o resto do caminho em silêncio. 

Lá tava bem escuro, mas deixávamos uma lanterna escondida lá perto caso precisássemos em uma ocasião como essa. Izzy acendeu a lanterna e indicou o chão para que eu me sentasse ao lado dela. Sentei e olhei dentro dos olhos dela, aqueles olhos lindos, poderia passar o dia olhando. Provavelmente eu estava encarando ela com uma cara de bobo e confuso ao mesmo tempo.

- Bom, Simon, eu realmente não sei uma maneira fácil de ter contar isso.- Izzy começou, mas como assim, o que ela fez dessa vez? Estou preocupado. Ela fez uma pausa para notar qual expressão eu fazia, provavelmente, e continuou.- Eu estou...


Notas Finais


Então galera, teve POV . Capítulo grandão hein. Bom, se tiver erros avisem, eu terminei de escrever agora e já estou postando. Quem está desesperado com eles crianças, relaxem, próximo cap eu termino com a narração de 13 anos, passo para uns 16 anos para mostrar como eles estão longe um do outro e com essa idade e depois já será eles adultos. Como assim, Bela? Bom, a história vai se passar na verdade eles adultos e o amor e tals, eu só quero mostrar eles crianças e adolescentes para vocês entenderem o que eles passaram e verem como eles cresceram para entender a formação da personalidade de cada um. E eles adultos terão mais maturidade, é claro. É isso, espero que tenham gostado.❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...