História We are meant to be - Sizzy. - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis
Tags Alberaude, Alberto Rosende, Alec, Aleclightwood, Alicante, Amor, Clace, Clary, Claryfairchild, Drama, Emeraude Toubia, Isabellelightwood, Izzy, Izzylightwood, Jace, Jaceharondale, Magnus, Magnusbane, Malec, Romance, Shadowhunters, Simon, Simoneizzy, Simonlewis, Sizzy, The Mortal Instruments, Tmi
Visualizações 42
Palavras 1.677
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, LGBT, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Sci-Fi, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - Por acaso.


POV IZZY

 

Estava curtindo a festa maravilhosamente, tudo aqui está perfeito, um clima bom e animado, meu Martini me acompanhando, agora que tomei duas taças, sou fraca quando se trata de bebidas então é bom ir devagar. Já fui chamada pra dançar e ganhei encaradas de metade dessa festa se brincar. Vou terminar essa taça e ir aproveitar na pista de dança. Senti algo vibrar na minha mão, olho e logo vejo quem é. Meliorn. Eu esqueci de avisar que iria sair e ele provavelmente viu a foto que postei e vai fazer um drama agora. Não quero atender, mas sei que se não atender ele vai colocar na cabeça que estou com outro.

- Estou indo lá fora atender uma ligação. - Falei quase gritando no ouvido de Lucas, eu tinha falado a ele para não me perder de vista porque eu não queria ficar largada perdida aqui.

 

Ele concordou com a cabeça. Vou tentar ir mais  rápido, se essa ligação cair mais uma vez o Meliorn vai pirar. Pelo anjo, essas pessoas empurram sem pena quando começam a dançar. 

5 minutos depois consegui chegar até o lado de fora da boate.

 

Ligação on

Izzy: Oi, Meliorn.

Meliorn: A única coisa que eu te pedi foi para se comportar aí e você nem isso faz?

Izzy: Ah, Meliorn, faça-me o favor! Me comportar? Por acaso eu só faço o que você quer agora?

Meliorn: Não Isabelle! Mas o que custava ficar no hotel essa noite e esperar eu chegar aí amanhã?

Izzy: Quer saber? Melhor você nem vir amanhã, não quero ver seu rosto na minha frente por no mínimo 3 dias.

Meliorn: Por quê? Já arrumou um namorado por aí e pode se livrar de mim?

Izzy: Eu não to acreditando que eu to escutando isso! Eu realmente não to acreditando. Quer saber? To nem aí, fale o que você quiser, vou aproveitar minha estadia aqui com ou sem você.

Meliorn: Então é isso. Quer espaço? É isso? Então agora você tem. Tem espaço para o resto da sua vida. Para mim já deu!

Izzy: Não, Meliorn, para mim que já deu. Faça bom proveito do resto da sua vida também.

Meliorn: Ent...

Ligação off

 

Provavelmente Meliorn ia falar algo mais, mas eu desliguei na cara dele. Eu to com tanto ódio dele que poderia explodir agora. Que imbecil, fica sempre insinuando coisas como se eu fosse uma vadia. Ele que se foda, eu vou entrar nessa festa e vou curtir minha noite.

- Merda! Merda! Merda! Merda! - Quando percebi tava gritando na calçada da boate.

 

Na hora que fui subir a calçada da boate, porque eu fui até um beco aqui perto para conseguir escutar Meliorn no telefone, meu salto quebrou. Agora sim a noite está perfeita, nada deu errado. Vou ficar aqui e tentar ligar para o Lucas para ele arrumar um táxi e mostrar onde fica o hotel, não sei voltar para lá sozinha. 

 

POV SIMON

 

Aqui até que tá bem animado, eu não era muito fã de festas antes, mas agora adoro a sensação é o clima de estar em lugares assim. A noite só deu meio errada porque a garota que eu estava bebeu tanto que vomitou e desmaiou, tiveram que levar ela para algum canto, agora estou sozinho novamente, vou no bar pegar mais uma bebida, quem sabe assim não me solto mais um pouco e vou para a pista de dança curtir com alguém ou sozinho mesmo. 

Quando o bartender me entrou o copo, senti algo no meu bolso vibrar. Peguei, olhei, era Maya. Apenas cancelei a chamada e peguei meu copo. Assim que coloquei o celular de novo no bolso começou a vibrar novamente. Maya é insistente, melhor atender. Deixei meu whisky no balcão e sai para atender, não vai me custar nem 5 minutos.

Quando finalmente passei por aquela quantidade enorme de pessoas e cheguei lá fora a ligação tinha caído. Resolvi esperar ela ligar mais uma vez, caso contrário entraria de volta e fingiria que ela nem me ligou. 

Depois de uns segundo encostado no muro ao lado da porta de entrada da boate percebi uma mulher inquieta tentando acho que falar com alguém no telefone, ela parecia desesperada. Depois de um momento encarando ela, ela finalmente virou o rosto, não posso negar que só de ver aqueles cabelos negros eu queria ver a provável beleza que teria embaixo. Ela me encarou por um segundo, achei um rosto bem familiar mas não me recordo de ter visto ela antes. Tão linda, acho que nunca vi uma mulher tão bonita em toda a minha vida. Fui tirado dos meus pensamentos com a voz dela.

- Vai ficar a noite inteira aí me encarando? - Ela disse de maneira provocante, colocou um sorriso disfarçado ao lado da boca assim que a fechou.

- N-não, me desculpe, estou esperando uma ligação. - Dei uma travada antes de falar, ela me parece tão familiar, esse sorrisinho. - Só que... eu te conheço de algum canto? - Continuei com olhar confuso, eu realmente queria saber se a conhecia.

- Essa cantada já está um pouco velha, não acha? - Ela continuava provocante, mas dessa vez tinha um sorriso sincero no rosto, não sei o que estava acontecendo antes mas parece que ela mudou totalmente de humor ao falar comigo.

- Acredite, não foi uma cantada. Se bem que se eu tivesse uma eu a usaria com você. - Falei de forma a ser um pouco provocante também. Nossa, Simon, você está ficando cada vez melhor nisso hein, nem precisou de tanto whisky.

- Gostei de você. Tímido e ousado. - Ela falou rindo e logo se desequilibrando e quase indo ao chão, foi quando eu percebi que o motivo dela estar lá fora era o seu salto quebrado. 

 

Eu segurei ela e nos encaramos por um segundo. Eu com certeza queria beijá-la. Mas fui impedido por duas coisas, a primeira foi os meus pensamentos, ela poderia ter namorado ou não gostar da atitude e a segunda foi o meu telefone, maldito telefone. Desliguei na intenção da mulher não perceber, mas já era tarde demais, tinha quebrado o clima e ela voltou ao seu canto de forma a manter-se equilibrada.

- Obrigada. - Ela agradeceu e me olhou sorrindo mas ainda impaciente, com certeza não deve ser legal estar em uma festa e seu sapato quebrar.

 

Fiquei olhando para ela e apreciando pela milésima vez sua beleza, que mulher linda, esses cabelos dela, seus olhos negros e profundos que me fazem querer me perder apenas a encarando o quanto puder, sua boca, lábios carnudos e contidos, eu realmente quero sentir o sabor deles, seu cheiro tão forte e delicado ao mesmo tempo, acho que eu me apaixonaria por ela facilmente, estou encantado, mas talvez seja efeito do álcool e amanhã passe, ou talvez eu só esteja atrás de alguém por desespero, depois de anos ainda não me acostumei a estar sozinho. Estava perdido em meus pensamentos até que escuto uma voz masculina vindo em nossa direção e falando.

- Isabelle, finalmente te encontrei, eu já estava pirando. - Ele falou de maneira desesperada. 

 

Não não. Espera. Isabelle. Então esse é o nome dela, lindo nome, combina com a dona. Espera de novo. Isabelle. Era da Isabelle o sorrisinho que eu vi no rosto dessa mulher e me pareceu muito familiar. Não, não é possível!

- Isabelle? - Falei a olhando surpreso e confuso.

 

POV IZZY

 

Estou aqui flertando faz um bom tempo com esse cara. Nossa ele é realmente lindo e totalmente gostoso, consigo ver seus músculos através da roupa. E claro não posso esquecer que é um cavalheiro, me ajudou quando quase cai e está me fazendo companhia até alguém, vulgo Lucas, resolver aparecer. Ele perguntou se a gente se conhecia, ele tem um jeito familiar, mas já conheci tantas pessoas na minha vida que seria impossível identificar a quem pertence tal jeito,  se bem que até agora eu não sei se ele realmente queria saber ou se só era ruim com flertes e cantadas. Quando ele me segurou quase nos beijamos, eu acho, como falei, sou muito fraca pra bebidas, talvez nem tenha tido esse clima e eu inventei isso na minha cabeça zonza. Agradeci rápida por ter me segurado, eu realmente tive vontade de elogiar aqueles músculos e aquela pegada firme. Nossa Isabelle, se controla. Eu tava até agora pensando em tudo isso e o encarando, tomara que ele não pense que sou uma doida, só parei de encarar quando escutei um barulho e olhei para a porta. Lucas, finalmente.

- Isabelle, finalmente te encontrei, eu já estava pirando. - Disse ele rápido e tentando recuperar o ar, provavelmente deve ter rodado a boate inteira atrás de mim.

- Isabelle? - Falou o homem que estava comigo, é acho que ele queria perguntar meu nome e esqueceu. Se bem que agora novamente esse jeito dele me pareceu familiar, o jeito que falou meu nome. 

- Sim, desculpa, ficamos tão ocupados flertando que esquecemos de nos apresentar. Você é...? - Falei sendo direta como sempre e dando uma risadinha, não é porque o Lucas tá aqui que vou parar com o meu flerte, já tinha gastado boa parte do meu charme com ele, não iria sair daqui sem deixá-lo louco por mim.

-Você é a Isabelle Lightwood? - Ele falou com um sorriso e ao mesmo tempo os olhos enchendo de lágrimas, estranho. 

 

Na verdade não tão estranho. Ele me reconheceu de algum canto. Vamos Isabelle. Lembra Isabelle. Quem falava seu nome com esse entusiasmo? Só a Simon falava meu nome com entusiasmo. Mas não é possível. Meu Deus, eu to em Nova York. É mais do que possível. Agora olhando bem no rosto dele eu consigo ver os traços, só pode ser ele, branquinho, olhar sereno, cabelo bagunçado de forma sexy, mas cadê o óculos? Eu estou vendo uma enorme semelhança, se não for ele eu realmente não sei quem seria.

- Simon? - Falei quase sem ar, meu coração tá bem acelerado, só pode ser ele.

 


Notas Finais


Eai lindinhos. Sim eles se encontraram aeeeee, mas não se reconheceram ops ksksk. Vamos ser sinceros né, que dos 13 para os 23 muda muita coisa em uma pessoa e tinha o álcool no organismo pra deixar a vista meio bugada. Avisei logo antes que falem "mas eles ficaram mo tempão conversando e não se reconheceram".
É isto, espero que tenham gostado, beijinhos.❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...