História We Are Peaceful Gamers - Hyunin - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids, TWICE
Personagens Bang Chan, Dahyun, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Personagens Originais, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags Boy X Boy, Clichê, Fluffy, Game!au, Hwang Hyunjin, Hyunin, Jeongho Levinho, Yang Jeongin
Visualizações 52
Palavras 1.717
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, boa leitura! ♡
E bom, é meio tarde para descrever o ambiente ali, mas antes tarde do que nunca. ):

Me perdoem por qualquer erro ou algo confuso e desculpem os espação, é culpa do spirit.

Capítulo 8 - Chapter 7; O convidado que causa ciúmes.


Quando Jeongin visualizou a mensagem de Hyunjin no dia seguinte, ficou boquiaberto. Foi inevitável não corar, seu coração estava batendo tão forte, mas estava segurando-se para não surtar, uma vez que Minho se encontrava agarradinho em si na cama. Eram por volta das oito da manhã e tinha acordado alguns minutos antes, mesmo dormindo tarde, por causa de Minho, que tinha o abraçado de repente.

Mesmo ainda submerso em anseio, Jeongin fez o convite que tanto desejou ter feito no dia anterior para Hyunjin. Faltava pouco para suas aulas começarem de novo e ao menos queria ter algum contato com um, até então amigo, uma vez que os outros estavam viajando para praias e fugindo do outono que já se fazia presente, deixando o meio fio e as ruas cobertas de folhas mortas.

Antes que o jovem Yang pudesse ver o que Hyunjin responderia ao seu "Vamos nos encontrar?", Minho puxou o garoto e lhe desferiu muitos beijos molhados na bochecha, ao que o mesmo reclamava pelo melo todo. Jeongin não imaginava que alguém pudesse mudar tanto em alguns anos e se tornando totalmente o inverso do que era antes, mas nem pensou muito. O celular do mais novo caiu entre os lençóis e por muito tempo o aparelho ficou por lá, pois o primeiro citado estava ocupado dando atenção ao mais velho.

Minho, por seu lado, estava adorando encontrar-se nessa situação com seu querido Jeongin, ele por cima do garoto como um coalinha, lhe fazendo carinhos e rindo consigo de algo que nenhum dos dois fazia ideia. Durante anos, depois que foi obrigado a parar de visitar este, percebeu que gostava do garoto e a saudade de seu jeitinho bobo e adorável foi imediata. Se arrependeu por tudo que tinha feito a ele e até cogitou a ideia deste o odiar por ter rasgado os desenhos que fizera com tanto amor de gatinhos, mas pelo contrário, Jeongin não sentia um pingo de ódio. Pelo menos era isso que Jeongin tinha dito a Minho.

Agora, com seu rosto tão próximo ao de Jeongin, desejou beijá-lo. Seu rosto foi descendo devagar ao alheio, até as respirações de ambos já estarem fundidas, para enfim, grudar seus lábios ao do jovem Yang de modo demasiado delicado, em um selinho que não durou meio minuto, mas que foi o suficiente para fazer o coração do Yang disparar, o deixando ainda mais nervoso do que já estava e o fazendo tornar-se um cosplay de pimenta e, Minho querer mais do que uma simples bitoquinha.

De fato, Jeongin podia ter fugido antes que tal coisa acontecesse, podia ter guardado seu primeiro beijo, mas quando Minho estava tão perto de si, imaginou Hyunjin ali e então sua vontade de tê-lo falou mais alto.

Minho estava preparado para tirar mais uma lasquinha de Jeongin, começar a aproveitar bastante o mais novo antes de ir embora, todavia, o celular deste começou a tocar e o Jeongin desesperado, vendo a oportunidade, não demorou a sair debaixo do mais velho e pegar seu celular entre os lençóis para atender do lado de fora de seu quarto.

- A-alô? - atendeu, sem mesmo saber de quem se tratava, seu coração estava muito acelerado e querendo sair pela boca para se concentrar em outras coisas.

- Jeongin? Por quê não me responde?! Mandei milhões de mensagens te perguntando onde quer que eu lhe encontre. - reclamou Hyunjin e Jeongin só faltou morrer, estava em choque e o outro ter ligado para si naquele momento foi de longe uma ideia horrível.

- E-eu... Ah, pode me encontrar aqui em casa, quer dizer... Não! Não sei, vem. É! Vem. - totalmente confuso disse qualquer coisa rapidamente que lhe veio na mente e desligou o telefone em seguida, na cara de Hyunjin.

Ele se encostou na parede escura e parou para respirar um pouco, assim podendo raciocinar no que tinha feito, no que tinha acontecido. Ele beijou Minho pensando em Hyunjin. Tentou se acalmar, inspirando e soltando o ar agressivamente. Como olharia no rosto de Minho agora? Os lábios de Minho eram tão doces e podia sentir como se ainda estivessem nos seus, mas se culpava imensamente por isso.

- Você precisa ser forte, assim como seu pai lhe ensinou... - disse para si mesmo e então criou coragem, entrando no quarto e encontrando um Minho apenas com a toalha na cintura. - Por que você está desse jeito?! Vista algo, por favor. - reclamou e colocou as mãos em frente aos olhos para não continuar vendo. Tinha custado a se acalmar e Minho faz aquilo.

- Eu estava indo tomar banho, só que decidi te esperar para pedir desculpas. - informou, em tom plácido.

- Pedisse depois do banho! - rosnou. - Que saco, Minho. Vá logo tomar seu banho e depois conversamos. - dito isto, Minho sorriu e voltou para o banheiro.

Jeongin acabaria ficando louco.

Agora os dois garotos estavam a caminho da cozinha com um Jeongin aflito tentando lidar com sua timidez e Minho, que prestava mais atenção nos detalhes do local por onde estavam passando, para não acabar disparando em Jeongin e fazendo coisas que não deveria.

Por mais que Minho tenha ido muitas vezes ao casarão quando mais novo, não lembrava-se das paredes escuras, tantos quadros e os lustres, não tão grandes, porém luxuosos pelos corredores e, apesar de tanta riqueza posta ali, Minho notou que o lugar tinha um ar meio deprimente e sombrio, por conta da luz amarelada das lâmpadas dos lustres. Se perguntava se o lugar havia sido reformado e provavelmente sim, uma vez que tinha noção que os pais de Jeongin precisavam gastar seu dinheiro com alguma coisa e em suas memórias antigas, o interior da casa eram em tons pastéis e claros.

Quando chegaram a cozinha, novamente Minho procurou ali coisas que podiam ter sido mudadas com o tempo - a distração tinha se tornado minimamente interessante no momento -. No dia anterior, Minho não chegou a ir na cozinha, comeu na grande sala de jantar da casa com Jeongin. E de fato, na cozinha, o antes chão quadriculado divertido, havia sido substituído por um piso laminado escuro e tinha sido colocada uma nova ilha por ali, só que está ilha servia - aparentemente - para tomar café, uma vez que tinham alguns banquinhos em sua volta e, outra coisa que Minho notou foi o tom em creme que o lugar ostentava; Minho gostava desses tipos de ambientes, era luxuoso mas não tão sério. Minho desistiu de tentar buscar mais detalhes quando sentou-se ao lado de Jeongin no banquinho da ilha, conversar com o garoto enquanto degustava de um cereal de bolinhas coloridas parecia bem mais legal do que tentar captar os ricos detalhes da casa mais que milionária.

Passaram entre as duplas escadas, saindo da cozinha após terem recheados seus estômagos e adentraram ao batente arredondado e espaçoso que dava para a sala de televisão. A mesma, como os outros cômodos, era luxuosa e grande, ao centro em frente ao sofá existia uma mesa marrom redonda onde se achava no meio do móvel um ramalhete de rosas amarelas dentro do vaso de porcelana branca; plantas essas que foram a recém tiradas do jardim, uma vez que os dois garotos puderem sentir o cheirinho gostoso pairando no ar.

Minho se atirou no enorme sofá do lugar, enquanto Jeongin pegava o controle na mesinha e sentava-se em seguida ao lado do mais velho. Ele ligou a televisão e então conectou a Netflix, para assistir um filme que Minho começou a o encher para assistir quando estavam na cozinha.

- Tenho certeza que vai gostar, Inn-

Fora interrompido pelo som estridente da campainha. Jeongin que antes se encontrava um pouco tímido e nervoso ainda, ficou animado de imediato, já sabia de quem se tratava, então logo tratou de ir atender e como esperado, lá estava Hyunjin, com seu cabelo um pouco úmido e as roupas que provavelmente foram colocadas de mau jeito por estar com pressa, mas o sorriso torto e sem graça ainda morou em seus lábios por um tempo depois de ter visado que fora Jeongin a o atender. O cujo dito, Jeongin, deu espaço para Hyunjin entrar e assim que ele o fez, Jeongin pegou em sua mão e o arrastou até a sala.

Minho estava com a cabeça apoiada no encosto do sofá, olhando para um canto aleatório enquanto esperava Jeongin e, quando notou a presença do outro ali, viu que mais alguém estava consigo e sua expressão eufórica pelo garoto mais novo ter voltado, fechou-se em seguida. Estava com ciúmes e Hyunjin não estava diferente de si, este último dito, que achava que enfim ficaria sozinho com o jovem, mas quando chega encontra um outro amorenado em seu sofá.

- Hyunjin, este é Minho e Minho, este é Hyunjin! - apresentou os dois, animadamente.

Enquanto Minho e Jeongin estavam na cozinha minutos atrás, Jeongin havia dito que não poderia retribuir os sentimentos do mais velho, pois já sentia algo muito forte por outra pessoa e Minho, por mais que não tenha demonstrado, não gostou nem um pouco daquilo. Agora que via o outro garoto ao lado de Jeongin, julgou ser aquela a pessoa por qual o mais novo sentia algo forte, já que Jeongin não parava de sorrir em sua presença.

Sim, o jovem Yang já era sorridente, mas com Hyunjin perto era pior e isto só atiçou o ciúmes de Minho quando notou.

Quando os três estavam no sofá, está sendo a ordem; Minho na ponta, Jeongin no meio e Hyunjin na outra ponta, os dois mais velhos não paravam de soltar olhadinhas raivosas um para o outro e de vez em quando, um dos dois levava a mão para a coxa de Jeongin alisando a área ou apenas lhe fazendo carinhos nas madeixas. Jeongin, enquanto isso, estava concentrado assistindo ao filme dirigido por Del Toro, que nem notou a rivalidade dos garotos e até mesmo tinha esquecido que esses mesmos hyungs tinham o feito passar por uma taquiocardia de nervosismo e o feito parecer um tomatinho bem maduro.

Marta assistia tudo de longe, estava rindo por dentro e perguntando-se quando os jovens tomariam jeito. Mas claro, resolveu ser infantil como eles e torcer para que Minho - seu sobrinho, claro - conseguisse o amor de Jeongin primeiro. 


Notas Finais


Não sei vocês, mas eu surtei com a beijoca Jeongho. Eu não iria fazer isso, mas quando terminei de escrever que o celular do Jeongin tinha caído nos lençol tudo, eu não me aguentei gente. 😭✌

Bom, espero que tenham gostado! ♡
E sim, o Minho é meio safadinho, mas tudo na medida certa.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...