1. Spirit Fanfics >
  2. We Are The Art >
  3. 01.

História We Are The Art - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi! Essa historia se trata dos 6 tipos de arte, são eles:
1-Pintura
2-Dança
3-Musica
4-Literatura
5-Teatro/Cinema
6-Escultura
É só isso mesmo.
Boa Leitura!

Capítulo 1 - 01.


  Os quadros sempre estão ali, eles nos observam e sussurram entre si, eles carregam mensagens sejam elas boas e ruins.  Alguns são mais novos e outros mais velhos, já outros mostram a crueldade do mundo. Eles são notáveis na realidade, uns os amam e outros odeiam, mas ninguém pode negar que a arte é incrível, a arte é como uma droga, você segura um pincel e é levado para um mundo de deleite e felicidade. As tintas são uma passagem para o mundo da serotonina grátis e Van Gogh é a prova disso. Uma pena que você tenha decidido transformar nosso quadro de sonhos em pesadelos.

   Ao dançar sobre uma musica você pode ir para o seu mundo perfeitamente destruído, se encher de dopamina até desmaiar, ficar ofegante até seus pulmões pedirem arrego, se equilibrar nas pontas dos pés com tutus leves como penas abraçando sua cintura, deixando amostra suas pernas erguidas cobertas por meias que vão ate seus quadris. Você é flexível, você estica suas pernas no alto de sua cabeça, transformando qualquer conjunto de movimentos em sua arte pessoal. É realmente triste saber que você se aproveitou de minha flexibilidade e me esticou tanto que, quando acordei percebi que você tinha me empurrado de volta para longe.

   A sua voz e seus instrumentos musicais tem um poder tão grande de fazer pessoas mudarem suas opiniões da realidade, faz pessoas chorarem tanto de felicidade quanto de tristeza. Você cria uma revolução com toques suaves em seu violão encantando batalhões de pessoas as fazendo ouvir e reproduzir as suas musicas, mesmo que seja algo tão estúpido sem sentido tipo “Eu quero ser seu aspirador de pó” mesmo assim isso é arte. Os seus dedos escorregam entre as teclas do piano suavemente como se você nascesse sabendo isso á vida toda, você canta tão suavemente e me encanta tão rápido como se fosse a primeira vez. Seu canto me deixa em transe, como se fosse o canto da mais cruel das sereias prestes a afogar um marinheiro desavisado. Um fato é de que você me viu afogar, me tirou do lago, me curou, me encantou e me levou contigo para o fundo do lago novamente com promessas vazias de que ia ficar tudo bem, e eu não iria me afogar novamente, mas o que eu esqueci era de que eu não conseguia respirar de baixo d’água, e você sabia disso.

   Escrever, eu admiro sua capacidade de ser genial e criar um mundo inteiro a partir de inspirações inimagináveis, você fez eu me apaixonar por cada canto de sua mente criativa e perversa. As suas historias digitalizadas são as minhas drogas e você é o fornecedor desse vicio. Você me encanta com palavras bonitas de seus livros, você é original e me encantou com isso, aproveitou-se de minha ingenuidade e eu sabia disso, mas você era o fornecedor de minhas drogas, eu precisava de mais, então deixei que você me usasse como papel para ser uma de suas historias. Seria tão magnífico se você me mantivesse por perto e me protegesse com suas palavras, mas você me usou tanto como folha de inspirações deprimentes que acabei rasgando, você me jogou no lixo e partiu em busca de uma nova.

   Você atua tão bem, os nossos encontros são os mais mágicos, você me mostra todos os seus filmes e peças de teatro, você é inalcançável. Você tem fantoches e eu sou um deles, como disse, você atua bem, eu sou a louca, você é perfeito e eu sou o fantoche favorito de sua coleção. Fantoches ficam sem graça com o tempo, e eu descobri mais um talento seu. Você me mostrou seus roteiros, perfeitos, com caligrafia perfeita e eu me encantei por você mais ainda. Agora eu sou um roteiro que não pode ser renovado, você me leu, releu e me modificou para ser a miss perfeita, e eu fui, mas você se cansou, eu não sei o que fez você me embolar e jogar no lixo e me acertar nele como uma cesta de basquete, mas em pouco tempo, eu tinha uma companhia no lixo.

   As esculturas do museu são feitas por você, é tão incrível pensar que você esculpiu pessoas, incluindo eu, você me deixou perfeita em seu gesso, você me usava e eu sempre deixei, você sabe convencer uma pessoa a fazer algo que ela não quer. Eu admirava tanto as suas esculturas que um dia me tornei uma, você me deixou á mostra no seu museu, e as pessoas adoravam me ver desesperada para sair do gesso grudado em minha pele, mas elas não ouviam, eu tinha gesso na minha garganta. Um dia eu perdi a graça parei de trazer lucro pra você, e você me jogou no chão me deixando em pedacinhos, como um copo. Você não se importou com isso, mas me limpou e descartou pela janela de seu museu e foi em busca de uma escultura perfeita.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Perdoem-me por qualquer erro:)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...