História We Are Young! - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Akaashi Keiji, Asahi Azumane, Bokuto Koutarou, Daichi Sawamura, Hajime Iwaizumi, Kei Tsukishima, Kenma Kozume, Koushi Sugawara, Ryuunosuke Tanaka, Shouyou Hinata, Tadashi Yamaguchi, Tetsurou Kuroo, Tobio Kageyama, Tooru Oikawa, Yuu Nishinoya
Tags Asanoya, Bokuaka, Cotidiano, Daisuga, Desenvolvimento Lento, Família, Hello My Twenties, Kagehina, Kuroken, Kuroo X Yamaguchi, Kurotsuki, Tanaka Hétero, Tsukkiyama
Visualizações 270
Palavras 1.231
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


V o l t e i :v

Primeiramente, desculpem a demora >.> eu sou horrível com atualizações, já vou logo avisando
Mas não desistam de mim! D:

Obrigada a todos que comentaram e favoritaram <33

Boa leitura! /o/

Capítulo 2 - Capítulo dois


Hinata não imaginou que os dias ali começavam tão cedo. Acordou com Nishinoya jogando travesseiros em sua cara, mandando-o levantar. Forçou os olhos a abrirem, pegando o celular ao lado do travesseiro para olhar as horas.

‘’Ainda são seis horas. Por que me acordou tão cedo?’’ resmungou, voltando para debaixo dos lençóis.

‘’Deus ajuda quem cedo madruga, vamos!’’ Yuu puxou suas cobertas, fazendo-o grunhir contra o travesseiro.

‘’Melhor desistir, Hinata.’’ disse Tanaka em meio a um bocejo. ‘’Ele não deixa ninguém sossegado pela manhã.’’

Ainda resmungando, Hinata levantou da cama, descendo preguiçosamente as escadas do mezanino.

‘’Quem acorda cedo não precisa enfrentar fila para o banheiro. Vocês deveriam me agradecer!’’ exclamou Nishinoya, empurrando Hinata para fora do quarto. Enquanto descia as escadas para a sala, Shouyou pôde ouvir o cantarolar agradável de quem estava fazendo o café da manhã. E, como havia imaginado, encontrou Sugawara e Sawamura na cozinha.

‘’Bom dia!’’ saudaram, chamando a atenção dos dois.

‘’Bom dia.’’ falou Sugawara, colocando o que havia feito sobre a mesa. ‘’Por que estão de pé tão cedo?’’

‘’Noya-san’’ resmungou Ryuunosuke, sentando à mesa, junto ao Daichi. Hinata se juntou a eles.

‘’Já entendi.’’ riu Koushi, retirando o avental. Ele não iria tomar café da manhã, estava atrasado para o trabalho. ‘’Vocês vão estar aqui na hora do almoço?’’ perguntou, pegando suas chaves.

‘’Vamos passar o dia arrumando o quarto, certo, Shouyou?’’ disse Nishinoya, e Hinata assentiu, com a boca suja de farelos das torradas.

‘’Eu não sei se voltarei para casa hoje,’’ murmurou Daichi contra sua xícara de café morno. ‘’Recebi um e-mail da agência ontem à noite, abriram mais três casos engavetados.’’

‘’Boa sorte, Detetive Sawamura’’ debochou Tanaka.

‘’Se realmente não for voltar esta noite, ligue avisando’’ pediu Sugawara e, novamente, enquanto os observava sussurrar entre eles, Shouyou teve a sensação de que aqueles dois estavam em sua própria bolha de conforto.

‘’E ainda insistem em dizer que não estão juntos’’ provocou Nishinoya, assim que Sugawara partiu.

‘’Vocês, hein…’’ Sawamura revirou os olhos.

Logo, Tsukishima e Yamaguchi se juntaram a eles, e a refeição seguiu calmamente. Daichi foi o primeiro a levantar, o dia seria longo para o jovem detetive criminal.

Depois do café da manhã, Shouyou subiu primeiro para poder organizar suas coisas em seu novo quarto. Depois pensaria em sua volta na faculdade, continuaria cursando o que havia trancado meses antes; Jornalismo.

‘’Espero que dê tudo certo dessa vez...’’ murmurou enquanto subia as escadas até seu quarto. Mesmo no meio da escada pôde-se ouvir uma certa movimentação no andar de cima, e quando finalmente chegou no corredor dos dormitórios, Hinata ouviu alguém exclamar.

‘’Finalmente!’’ assustou-se com a aparição repentina no corredor. O garoto estava com os joelhos cravos no chão, enquanto erguia um notebook. Julgando que ele havia acabado de sair do quarto que estava trancado até então, Hinata reconheceu aquele garoto como Kageyama Tobio.

Kageyama continuou no chão, enquanto resmungava coisas que Hinata não se deu o trabalho de prestar atenção. Já que o garoto estava preso em seu próprio mundo, Shouyou passou direto por ele. Poderia se apresentar depois.

Assim que passou por Kageyama, o mesmo notou sua presença no corredor. Não tardou em chamar sua atenção.

‘’Ei, você!’’

‘’Quem? Eu?’’

‘’Tem mais alguém aqui além da gente?’’

Hinata franziu as sobrancelhas. Que tipo de pessoa usava aquele tom de voz com alguém que acabou de conhecer?

‘’Ah!’’ Tobio exclamou. ‘’Você deve ser o cara novo que o Sugawara-san falou. Como era seu nome, mesmo? Sei que era parecido com um tipo de molho–’’

‘’Hinata Shouyou’’ cruzou os braços, olhando Kageyama nos olhos. Hinata quase vacilou o olhar ao perceber como aquele garoto estava acabado. O cabelo negro estava um completo desastre – Hinata poderia jurar que viu migalhas de pão entre os fios. Em seus olhos havia olheiras escuras e em seu queixo a barba por fazer se manifestavam aos montes. Shouyou colocou a mão sobre a boca, abafando o riso. Ele não iria discutir com alguém naquele estado tão lamentável.

O laptop que Kageyama segurava apitou, notificando uma nova mensagem. Ele rapidamente sentou-se no chão, olhando a mensagem ali mesmo. Ignorando totalmente Hinata.

Shouyou apenas revirou os olhos, seguindo para seu quarto. Ele tinha coisa mais importantes para tratar daquele momento.


xXx
 

Enquanto trocava seus lençóis de cama, Hinata recebeu uma mensagem avisando que suas bagagens haviam chegado. Com ajuda de Tanaka e Nishinoya, ele levou as caixas até o seu quarto.

‘’Vamos levar você para conhecer a cidade, Shouyou’’ disse Nishinoya, colocando a última caixa no chão. Hinata estava esperando continuar arrumando o quarto, principalmente agora que suas coisas haviam chegado, sabia que se não arrumasse tudo agora iria ficar enrolando até sabe-se lá quando.

‘’Vamos partir pra noitada, pegar algumas garotas’’ cutucou Tanaka, fazendo-o rir. ‘’Ah! Mas vamos só nós dois. Noya-san é comprometido.

‘’Sério?!’’ exclamou Shouyou, olhando para Yuu que estava sentado sobre as caixas com os braços cruzados e nariz empinado. ‘’Quem é?’’

‘’A pessoa mais linda dessa casa’’ falou Nishinoya, meio abobado.

Hinata colocou a mão sobre o queixo, pensando em quem poderia ser.

‘’A mais bonita? Mas o Sugawara-san não tá de rolo com o Daichi-san?’’

‘’A segunda mais linda, então’’ alfinetou Ryuunosuke, ignorando os protestos de Nishinoya.

‘’Eu?’’

‘’O Asahi-san!’’ explodiu Yuu.

‘’Ah...’’ Hinata deixou escapar, um pouco surpreso. Não percebeu interação entre os dois, talvez não fossem tão indiscretos quanto Daichi e Sugawara.

‘’Estamos namorando desde o dia que ele chegou na casa.’’ continuou Nishinoya. ‘’O único problema é que o Asahi-san ainda não sabe sobre a gente.’’

Tava explicado...

xXx
 

‘’Yamaguchi…’’ chamou Tsukishima, raiva e mágoa dançava em sua voz. Tadashi parou, com a mão sobre a maçaneta. Não se atreveu a olhar para trás, não queria encarar Tsukishima.

‘’O que?’’ sua voz saiu mais irritada do que planejava, assustando Tsukishima; Yamaguchi nunca usara aquele tom de voz consigo, com ninguém! Engolindo a saliva presa na garganta, Kei desceu do beliche. Se ele causou aquele tipo de reação em Yamaguchi, significava que havia feito merda, – maior do que havia imaginado.

‘’Não vai dormir no quarto hoje de novo?’’

‘’Não’’ Tadashi foi curto e grosso, tratado de abrir a porta. Porém não chegou a dar dois passos, Kei o puxou pelos ombros, forçando-o a encarar seus olhos.

‘’Onde você anda dormindo desde a semana passada?’’ rosnou entre os dentes, buscando nos olhos de Yamaguchi alguma resposta. Encontrando ali apenas fúria e um vestígio de mágoa.

‘’Me solta, Tsukishima’’ esbravejou, e Kei tentou não se abalar pela falta de seu amado irritante ‘Tsukki’. ‘’Desde quando devo satisfação para você?”

‘’Desde quando você me esconde qualquer coisa?’’ rebateu, e continuou, antes que Tadashi pudesse escapar. ‘’Vamos conversar, foi algo que eu fiz? Fiz algo que o deixou magoado? Eu n–’’

Parou de falar no instante que os dedos da mão esquerda de Yamaguchi marcaram seu rosto. Com a mão sobre o tapa, encarou o outro. Estava pronto para gritar e quebrar tudo, porém o rosto choroso de Tadashi o parou.

‘’Yamaguchi–’’

‘’Você nem ao menos sabe o que fez!’’ gritou, esmurrando o peito de Tsukishima. O loiro segurou seus pulsos, pedindo para que se acalmasse; Causando o efeito contrário. ‘’Eu estou calmo, solte-me! Não quero ver você agora!’’ conseguiu enfim se afastar de Kei. Pegou seu travesseiro e lençol no chão e saiu do quarto, batendo a porta com força ao sair.

Deixando Tsukishima confuso para trás.  


 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...