História We Belong Together ( Two-shot T.O.P ) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Big Bang, T.O.P
Personagens Personagens Originais, T.O.P
Tags Top, We Belong Together
Visualizações 35
Palavras 3.119
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aqui está a última parte meus anjinhos. Espero que gostem e aproveitem esse gif extremamente excitante do meu homem. 😏
Boa leitura ♡♡♡

Capítulo 2 - We Belong Together


Fanfic / Fanfiction We Belong Together ( Two-shot T.O.P ) - Capítulo 2 - We Belong Together

-Estou em frente à portaria, pode descer. - avisou Choi Seung hyun do outro lado da linha, fazendo com que eu me desesperasse ao observar o meu reflexo no espelho do quarto.

 -Eu acho que deveria verificar uma última vez a minha vestimenta. - começo a refletir ao observar o vestido branco estampado de flores tropicais, deixando a baixo dos meus joelhos, em meus pés, simples sapatilhas de tom bege e os meus longos cabelos a altura dos ombros. - Será que estou boa?

 Saio do recinto assim que pego a minha bolsa, dirigindo-me até o elevador e aguardando que ele subisse até o meu andar. Feito isso, após chegar eu aperto o botão para que elevador descess e durante esse curto tempo me observo no imenso espelho que havia lá. Ao chegar no térreo, caminhei até a portaria e lá pude ver Choi Seung hyun me aguardando. 

 O garoto vestia algo casual. Algo do tipo como uma camiseta branca estampada com o número vinte e sete, calça jeans escura e em seus pés, tênis brancos de uma marca famosa da temporada. 

 -Ah meu anjo, como está? - perguntou ele ao aproximar-se de mim, colocando seus óculos escuros por cima da cabeça e me observando de cima a baixo. - Se eu soubesse que viria tão linda eu arranjaria algo melhor para vestir.

 -Você está bonito desse jeito. - eu sinto um rubor em minhas bochechas ao elogiá-lo, deixando-o totalmente constrangido. - Podemos ir?

 -Ah, certo. - Choi sorriu desajeitado e segurou a minha mão direita por estar livre, enquanto a outra mão eu segurava a minha bolsa. - Eu trouxe isso também. - mostrou uma cesta de piquenique em suas mãos sorrindo singelamente para mim. 

 Durante o percurso, conversávamos sobre as novidades que aconteceram nesses longos anos. Nessa conversa descobri que a sua sua grande paixão era a fotografia, e isso o possibilitou a entrar em um curso de artes visuais para conhecer cada ângulo certo, conseguindo capturar a beleza certa da sua objeção. Não pude esconder que durante esse tempo, eu sofri demais sem tê-lo ao meu lado. A minha confissão fez com que Choi prometesse que não iria me largar jamais, sobre hipótese alguma deixaria ver eu longe de seus braços. 

 -Eu senti tanto a sua falta meu anjo, você não tem ideia. - ditou ele ao sentarmos sobre um carvalho, deixando o lençol xadrez por cima do gramado e amassando algumas folhas. - Muito obrigado. - agradeceu ele por eu ter entregado uma carrafa de suco cítrico. 

 -Eu também senti o mesmo Choi. Todas as noites eu pensava nos ótimos momentos em que tivemos juntos. 

 -Você esteve presente em meus pensamentos o dia inteiro. - Choi se envergonhou e comeu um pedaço do sanduíche vegetariano que eu tivera entregue a ele. - Você era a primeira coisa que eu pensava, e a última ao dormir...eu sei, é clichê isso.

 -Claro que não. - digo e no mesmo instante começo a me abanar com as mãos devido ao forte calor que estava. 

 -Eu te fiz ficar quente? - caçoou o homem tocando o meu ombro sem brusquidão. - Nossa, estou saindo melhor que planejei. - gargalhou como satírica. 

 -Não é isso. O sol está muito forte e o meu pescoço está soando.

 -Entendi...quer que eu te ajude nisso? - eu me assusto assim que Choi oferece a sua ajuda, pois não sabia qual o que ele iria fazer em relação a isso. 

 -O que vai fazer? 

 -Espere e verá. - Choi arrastou-se ao meu lado com um singelo sorriso em seus lábios e logo começou a mexer em meus cabelos. Percebo que ele fazia uma trança com cada mecha em suas mãos habilidosas, e isso deixava-me ruborizada. - Lembra...quando eu mexia no seu cabelo na escola durante o intervalo? - eu acabei assentindo ao relembrar e no mesmo instante o homem demonstra um sorriso. - Está pronto. - Choi afastou-se de mim e rapidamente monstrou o resultado ao entregar-me o seu celular aberto já na câmera frontal. - Hum...está faltando algo. - resmungou pensativo e eu observo-o alcançar uma pequena flor lilás ao nosso lado, colocando por trás da minha orelha e deixando-me envergonhada com tal ato. - Pronto...está linda como uma princesa.

 -Como você é galanteador Choi Seung hyun. - digo na brincadeira entregando o seu celular e no mesmo instante volto a comer o meu sanduíche de queijo parmesão. 

 -Eu mudei bastante sabe? Não sou mais aquele garotinho tímido que tinha medo de encostar perto das garotas. Aliás, você sempre foi uma exceção para mim. - Choi encostou as nossas mãos no final desta última frase e novamente aquele sentimento que eu sentia ontem à tarde voltara.

 -Eu não quero me esquecer deste momento Choi. Você é muito importante para mim e não quero vê-lo partindo novamente sem se despedir. 

 -Eu não irei fazer mais isso. - deu a sua promessa assim que retira uma mecha do meu cabelo que ousava cair sobre os meus olhos, onde nesse momento noto que o mesmo não retirava os seus olhos dos meus lábios vermelhos. - Eu também não quero me esquecer desse momento...

 Choi fechava os olhos a medida em que aproximava o seu rosto ao meu, selando nossos lábios em um movimento só. Estática, mantenho os meus olhos abertos ainda processando tudo o que acontecera. Foi apenas aos poucos que fui me entregando, dando permissão para aquele ósculo que antes não tinha movimento algum.

 Durante esse curto tempo que para mim havia durado minutos, Choi sorria a cada carícia que deixava em minhas bochechas. Tal ato simples contudo havia uma grande significância para mim, pois percebia o quão atencioso Choi Seung hyun era.

 Fomos nos afastando aos poucos ainda segurando o rosto um do outro, enquanto Choi segurava meu queixo impedindo que eu me afastasse. Eu me perguntava no mesmo instante se eu era a única que me sentia estranha por ter beijado um amigo de infância meu, todavia nada saiu da sua boca a partir de então. 

 -Vamos andar de bicicleta, hum? - Choi pronunciou fazendo com que eu me livrasse daquele devaneios. Após assentir, caminhamos juntos em direção às bicicletas que serviam de aluguel do parque.

 A tarde que passamos foi tudo que esperávamos, porém aquele beijo ainda não saía da minha cabeça. E assim durou a semana inteira. Desde o passeio que tivemos, eu não me ousei a conversar com o meu amigo. Uma onda de sentimentos e confusões emergiam em mim, deixando-me confusa com aquilo que sentia. 

 Fui despertada dos meus pensamentos com a campainha do meu apartamento soando pelo recinto. Me perguntei o motivo pelo qual o porteiro não tivera avisado antes que alguém estava subindo até o meu quarto, pois sempre o alertei que não gostava de qualquer tipo de visita súbita quando eu estivesse despreparada para recebê-las.

 -Choi oppa? - me deparo com o homem que eu estava me despistando a semana inteira assim que abro a porta do meu apartamento. - O que está fazendo aqui? Eu estou desarrumada e...

 -Creio eu que o seu cabelo pode esperar já que tenho algo importante para perguntar. - eu fui interrompida pelo mais velho, notando uma certa rispidez em suas palavras. - Esteve me evitando a semana inteira? 

 -Eu? Por que pensa isso? - pergunto rindo nervosa, algo que eu fazia quando me deparava com uma situação comprometedora.

 -Eu liguei para você diversas vezes além de você ter ignorado as minhas mensagens...Aliás, fui ao seu trabalho hoje e descobri que foi dispensada mais uma vez. O que está acontecendo? Eu quero saber o que há com você. Por acaso foi aquilo que ocorreu entre nós dois no parque?

 -Choi oppa, eu não quero falar com você...não agora. 

 -Eu não vim aqui só para tirar satisfações. - Choi aproximou-se morosamente, o que me fez recuar furtivamente para trás. - Queria avisá-la que estou partindo neste fim de semana...meu chefe me mandou voltar uma semana mais cedo para Toronto. 

 -Você vai embora? Mas...não conseguimos fazer tudo o que queríamos. - me entristeço ao sentir um forte aperto em meu coração, me obrigando a segurar as lágrimas que ousava escorrer em meu rosto. - Você também havia dito que iria reencontrar a garota que você gostava aqui em Seul e...

 -Você é muito inocente S/n. Até quando você vai perceber que a única garota que esteve presente em meu coração era você? O real motivo de eu ter aceitado voltar a Seul era me reencontrar com a minha melhor amiga que desde os meus quinze anos eu guardava um certo sentimento por ela.

 -Choi, eu estou sem palavras. Eu pensei que aquele beijo que tivemos não teve significância para você. 

 -Acredita, eu estava ansiando tanto por aquele momento. - sua respiração próxima ao meu rosto me fez congelar, sentindo aquelas mãos gélidas acariciarem minhas bochechas. - Eu amo você...eu me preocupo com você. 

 -Eu digo o mesmo. - por impulso eu me arremesso em seus braços confortáveis e aconchegantes.

 Seu eflúvio era um atrativo para mim.

 Súbito, me entristeço e novamente aquele aperto no coração retornou com ainda mais furor. Choi Seung hyun notando a minha enquietação, prontamente foi desfazendo o nosso aperto e observando-me logo após. 

 -O que houve? Parece estar querendo me contar algo.

 -Eu acho não posso mais esconder isso de você. - falei cabisbaixa, levando-o segurar o meu queixo e observar-me como se eu pudesse confiar nele. - Eu estou desempregada Choi. Foi por isso que você não me encontrou no trabalho...eu sinto muito por ter escondido isso de você. 

 -Como isso aconteceu? 

 -Eu acabei mentindo para você. Naquele dia em que você me convidou para sair no parque, eu acabei dizendo que estava livre...ao contrário, eu não podia faltar mais uma vez no emprego pois já fui advertida três vezes. 

 -Meu anjo...por quê?

 -Eu não sei, estava cansada do trabalho e...

 -Não é isso. - me interrompeu segurando ambas das minhas mãos. - Por que não disse que estaria ocupada? Eu poderia mudar os meus compromissos e procurar um dia em que as nossas agendas fossem dar certo. 

 -Eu não sei porque fiz isso. Eu queria ficar do seu lado já que você permaneciria duas semanas em Seul. - as minhas mãos trêmulas apertam ainda mais as suas e seguidamente observo-o perplexo. - Eu estava sentindo algo aqui e não queria furar com você. - falei ao apontar para o meu coração.

 -Me permite? - Choi aproximou-se de mim e eu me recusei a consentir um tanto opressiva. Logo os nossos lábios estavam colados, deixando carícias em meus flancos e trazendo uma leve embriaguez em minha parte. 

 Seus lábios então tomam conta do meu pescoço, trazendo aquele delicioso eflúvio para perto de mim. No mesmo momento os meus braços foram envolvidos em torno de seu pescoço, trazendo-o para os meus lábios e assim continuássemos o ósculo agradável.

 -Quer fazer isso? - notei um tom de preocupação ao chegarmos em meu quarto. - Eu não quero parecer que estou me aproveitando desse momento. Não sou um pervertido. 

 -Eu estou convicta da minha decisão...daddy. - sussurrei esse final antes de mordiscar o lóbulo da sua orelha e jogá-lo de costas para o colchão, deixando-o vulnerável e atônito com a minha atitude. - Você me desejou esses anos, agora pode fazer o que quiser comigo já que desejo a mesma coisa. 

 -Oh, vem aqui minha gatinha. Eu quero fazer isso da maneira certa...quero ser delicado fazendo isso. - Choi deu dois tapas no colchão insinuando que eu sentasse ao seu lado. Obedecendo o seu pedido, não tardou para que suas mãos percorressem pelo meu corpo. - Tão linda...quero vê-la entregue para mim minha gatinha. 

 -Choi, continue... - pedi às súplicas para que ele acariciasse novamente a minha intimidade excitada coberta pela calcinha. 

 Os meus gemidos saíam em um tom silencioso. A medida em que o homem me tocava, aquela excitação apenas aumentava e o meu anseio de senti-lo também.

 Os seus lábios marcava cada parte do meu corpo, chegando até entre o meio das minhas pernas e depositando diversos selares naquela região. Oscilava em seu rosto clamando insistentemente para que o jovem penetrasse a sua língua áspera por dentro da minha vagina.

 E assim ele fez. Penetrou a sua língua em mim e lá começou a fazer diversos movimentos circulares no clitóris, enquanto que os seus dedos acariciavam levemente os lábios vaginas.

 -Está gostando meu anjinho? - perguntou me observando, voltando em seguida aos seus movimentos e fazendo-me gemer ainda mais algo. Para mim, aquele delicioso sexo oral já era satisfatório o suficiente para acabarmos com isso, todavia eu também queria proporcionar prazer a ele e por isso empurrei o seu rosto para trás, pedindo por ele deitar-se no colchão. - O que vai fazer querida?

 Um sorriso maroto formou-se em meus lábios, e assim comecei a despir o seu corpo, deixando-o apenas com a sua cueca preta. Aproximei-me dele transbordando uma certa sensualidade, selando os meus lábios em seu peitoral e depositando sucções eu seus mamilos. Choi Seung hyun oscilou no colchão tentando conter a sua excitação e logo ambas das suas mãos percorreram aos meus cabelos, retirando os fios que permaneciam frente ao rosto.

 Deixando de lado um pouco os mamilos, desço os meus selares entre o meio da suas pernas começando a provocá-lo.

 -Querida, isso é tortura. - a sua expressão de sofrimento surgiu assim que passei a minha língua em seu membro ereto ainda por cima da peça íntima, escutando o som de estalos da minha boca e suplicando que eu fizesse o meu dever. - Ah...me chupa de uma vez.

 -Esse é o seu pedido? - angustiado, ele assentiu e isso me possibilitou a retirar aquela única peça que restava e sem preliminares, coloquei toda aquela extensão em minha boca e retirando um grunhido alto de sua parte.

 Era uma gratificação enorme vê-lo desesperado enquanto eu fazia o meu trabalho. Choi Seung hyun permanecia de olhos fechados dando concentração apenas no prazer que recebia, contudo isso não o incapacitava de sussurrar obscenidades enquanto eu tinha dominado totalmente a minha presa.

 -Ah chega. - esbravejou fazendo com que eu retirasse o seu membro da minha boca. - Eu não estou suportando mais. Quero tê-la dentro de mim agora.

 Choi deitou delicadamente o meu corpo no colchão, seguidamente caminhando em direção à calça jeans que estava jogada no chão. Eu não perguntei o porquê dele ter um pacote de um preservativo em seus bolsos, pois talvez ele já tivesse em mente o que iríamos fazer antes do mesmo partir.

 Assim, logo revestido apropriadamente, Choi aproximou-se de mim ainda sem retirar os seus olhos de mim. As minhas pernas foram abertas e não demorou muito para que o meu interior fosse preenchido por uma pequena parte do seu membro, deixando que eu me acostumasse com o seu tamanho. Eu não era virgem, mas faz tempo que eu não mantinha relações sexuais com um homem. 

 Os nossos corpos foram juntados, e Choi foi deslizando as suas mãos pelo meu corpo até chegar as minhas, segurando elas e começando a movimentar-se.

 Os nossos gemidos prevaleceram-se o local. Choi Seung hyun sabia exatamente o que fazia, e com isso os espasmos em meu corpo não sumiam.

 O êxtase percorrendo por ambos os corpos a medida em que os movimentos apenas aumentava dava-nos apenas mais um motivo de não estarmos separados. Eu precisava do meu melhor amigo, se é que agora eu devo chamá-lo dessa forma. 

 -Ah eu não aguento mais. - gemeu encostando o seu rosto em meu corpo e acelerando ainda mais.

 O som dos nossos corpos se chocando mesclava-se com os gemidos sôfregos. Eu não me continha de soltar as suas mãos, direcionando as minhas até as suas costas e arranhando em demasia. Aquele simples toque o fazia revirar os olhos, apenas o motivando de oferecer prazer para ambas as partes. 

 -Choi... - eu gemi assim que o meu clímax tivera chegado, com o seu chegando logo em seguida e encostando o seu rosto em meu peitoral exausto. Com isso, ele retirou-se de mim e deitou ao meu lado logo ter tirado o preservativo de si mesmo.

 Observamos o teto de tom bege do meu quarto, aguardando não apenas as nossas respirações que agora estavam descompassadas mas também alguém que tivesse coragem de abrir a boca questionando sobre o que tivera ocorrido nesse momento. 

 -Eu... - finalmente ele sussurrou algo, quebrando o taciturno silêncio e fazendo-me observar o homem. - Eu gostei disso... - encarou profundamente os meus olhos e eu notei uma certa sinceridade de sua parte. - Eu me sinto aliviado de ter dito o que sinto por você.

-Eu acho que também sinto o mesmo. - senti um forte rubor em minhas bochechas e as suas mãos acariciaram a área. - Eu sinto muito por ter evitado você nessa semana, e por ter escondido a minha situação do trabalho...era a única semana que iríamos estar juntos e acabei estragando tudo. 

 -Não se sinta culpada minha pequena, eu te amo e não gosto de vê-la triste. - eu senti os seus lábios selando os meus e o meu coração teve fortes palpitações. - Eu não quero mais ficar longe de você. 

 -Eu digo o mesmo.

 -Por isso que eu não só vim até aqui para me despedir. - Choi segurou as minhas mãos enquanto eu o encarava confusa com a pronúncia do homem. - Eu estou precisando de uma parceira para a minha próxima coleção de arte lá em Tóquio...haverá um evento de lançamento dos novos animes e a minha agência quer que eu fotografe os cosplayers. O que acha? Quer quer a minha parceira? 

 -Você está falando sério? - ele assentiu seguidamente. - Mas eu não sei nada de fotografia. 

 -Por isso que você será a minha estagiária. Quero ensiná-la sobre a fotografia e o que sentimos ao vermos as coisas através das lentes...além disso, eu teria mais tempo para ficar ao seu lado. 

 -Com certeza eu não quero me afastar de você. - abracei de lado e sinto carícias suas em meus cabelos. - Eu aceito a proposta.

 -Que ótimo...nós pertencemos um ao outro. - eu levanto a minha cabeça para observá-lo e um sorriso formou-se em seus lábios. 

 -Um ao outro? 

 -Um ao outro... - por fim eu senti os seus lábios carnudos e viciantes aos meus e as suas mãos percorrerem pelo meu corpo.


Fale bem baixinho, com esses doces lábios

Fique perto de mim, com todas as lágrimas que derramamos juntos

Olhamos para o céu e prometemos

Estaríamos juntos para sempre, vamos rezar todos os dias

Acredite em mim, eu te amo (vamos)

We Belong Together


Notas Finais


Eu amo tanto esse homem #Sofro
Gostaram? Espero que sim ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...