1. Spirit Fanfics >
  2. We Can Love Even in the Age of Extinction >
  3. Hong Kong

História We Can Love Even in the Age of Extinction - Capítulo 9


Escrita por: e kurozkin


Notas do Autor


ᴡᴏʀᴅ ᴄᴏυɴт: 5119 ᴘᴀʟᴀᴠʀᴀs.
[10 ᴅᴇ ғᴇᴠᴇʀᴇιʀᴏ ᴅᴇ 2020 | ᴄᴀᴘɪ́тυʟᴏ ᴇᴅɪтᴀᴅᴏ ᴄᴏм ᴀ ᴠᴇʀsᴀ̃ᴏ ʀᴇ-ᴇsᴄʀɪтᴀ.]

já falei para vocês que tenho um carinho especial pelo Stormwave? ele é um dos primeiros personagens originais bem desenvolvidos que já criei, daí ele é um dos meus babies. mas enfim, eu notei que eu estou chegando perto dos 80 favoritos, não sabia que tinha muita gente que gostava de transformers como eu gosto desse jeito LOL, agradeço todos vocês lendo por terem paciência comigo. ♥

uns dias atrás, eu tava pensando em fazer uma fanfic que fosse uma extensão dessa daqui, mas teria one-shots, headcanons, imagines, drabbles e talvez alguns desafios de escrita, lá eu atenderia pedidos sobre mais do relacionamento da personagem principal com o optimus, ou com o stormwave, ou com os outros autobots, ou com a família dela (as duas famílias, os Yeagers e a biológica), ou até mais sobre os poderes da personagem principal, eu fiz uma votação e deixarei o link nos comentários.

e como sempre, love y'all! ♥

Capítulo 9 - Hong Kong


Fanfic / Fanfiction We Can Love Even in the Age of Extinction - Capítulo 9 - Hong Kong

Agora que você estava longe o suficiente da cidade, mais especificamente em um pátio com trens abandonados. Bumblebee dirigiu até a grama e derrapou enquanto parava. Ele abriu a porta do passageiro e todos os quatro humanos saíram.

 

O primeiro robô que você viu foi seu querido guardião em sua forma de dragão, e quando o mesmo notou você, ele caminhou até você e inclinou a cabeça para que você pudesse acariciar seu focinho, e quando o fez, ele começou a ronronar furiosamente sem se importar se estava sendo barulhento ou não, um sinal de que ele claramente sentiu sua falta, embora vocês dois não estivessem longe um do outro por tanto tempo. Mas isso nunca impediu seu guardião de querer seu carinho e, para ser sincero, você tinha uma quantia bastante grande para dar a ele.

 

— Vamos contar pro Bumblebee as boas notícias: Temos uma nave. Vamos embora. — Crosshairs anunciou, movendo sua posição deitada no trem não funcional para que ele pudesse sentar.

 

— Vocês, humanos. — Optimus começou quando você e Cade escalaram uma pequena pilha de carvão, — Depois de tudo que fizemos. Não sabem o que provocaram a si mesmos.

 

— O que? O que foi agora? Do que você está falando? — Cade perguntou, — Digo, estou fazendo mais do que eu posso!

 

— Você não está vendo quem controla quem. Dentro do protótipo que enfrentei, eu senti a presença, — você fez um sinal para que ele parasse, para poder terminar a frase.

 

— De Megatron. Então não fui a única que sentiu… — você disse calmamente, cruzando seus braços em frente ao seu peito.

 

— O que, o Decepticon que iniciou a guerra de Chicago? — o Yeager mais velho perguntou.

 

— Como acha que a KSI construiu os robôs, hm? — O minúsculo robô que você e os Autobots (também conhecidos como Crosshairs, Hound e o Chefão) resgataram quando vocês atacaram a KSI, perguntou enquanto ele estava no topo da escada de um silo.

 

— Eles tinham várias cabeças de Decepticons mortos e transferiram dados de seus cérebros! E eu estava encarregado da autópsia. Sem sindicato, benefícios, nada. Me conectaram ao Megatron, mas a mente dele não estava morta como pensaram. Ele forneceu toda a ciência, e eles criaram um novo corpo pra ele! Depois ele infectou com os próprios cromossomos malignos! Eles tinham olhos redondos e vermelhos. Entraram nos meus belos cachos! Oh! Eu consigo sentir o cheiro agora! Personalização mal-intencionada. — ele deslizou para um poste e saltou no teto de um trem, — A KSI deu-lhe esse nome estiloso de “Galvatron”, — apesar de parecer que ele queria falar mais, ele não disse mais nenhuma palavra.

 

Você pegou o silêncio como uma sugestão para continuar sua explicação, — Mas é só o Megatron reencarnado… — Você disse com uma das mãos nos quadris, enquanto a outra se posicionou perto da boca, com o dedo em cima da boca, tomando uma posição pensativa. “Agora eu notei que até os nomes são similares.” Você pensou.

 

— Você sabia disso e não os avisou? — a adolescente loira perguntou.

 

Brains começou a descer, — Garotinha, a gente pode ficar bem alterado no corredor da morte. Ele manipulou a KSI esse tempo todo, só para que ele manipulasse eles para irem atrás da Semente. — ele usou um sino para poder pular no chão, e a ação fez o sino tocar.

 

— Espera, a Semente? — Shane perguntou, confuso.

 

— Aqueles soldados terríveis que estavam nos perseguindo. Eu vi eles na nave-mãe, e eles levaram algo que chamaram de Semente. — Tessa informou.

 

— Olha. Há seis milhões de anos atrás, mais ou menos um éon… — Hound começou, arma em seu ombro.

 

— Milhares de planetas eram ciberformados com Sementes. Eles transformam sua vida orgânica em nossos metais primários. Nossos criadores destruíram seu mundo para nos fazer. — o líder dos Autobots terminou a explicação.

 

— E é isso que Galvatron quer que aconteça de novo. Ele quer detonar a Semente na maior cidade e matar milhões! Ele vai mostrar para o mundo: “Baby, voltei.”.— Brains acrescentou, andando no chão que tinha algumas lindas flores brancas.

 

— A onda de explosão transformará a cidade em metal derretido. Ele terá o suficiente para construir um enorme exército e aniquilará sua espécie para sempre. — o Prime disse.

 

— Humanos burros e gananciosos acionaram sua própria extinção. — o robô minúsculo disse, pegando uma flor, — Mas não é meu problema. Estou finalmente livre. Deu tudo certo para mim. Estou andando.

 

Você rosnou baixinho, mas se acalmou com Stormwave esfregando suas costas com a parte de trás da pata dele, tomando cuidado para não machucá-la ou rasgar uma parte da blusa com suas partes afiadas.

 

— Eu tenho uma dúvida. — você disse para Brains e o mesmo olhou para você, — Havia um outro robô que eu não tinha visto, junto com Stinger e Galvatron. Sabe quem era? — você perguntou enquanto se agachava perto dele.

 

— Ah, esse aí é péssimas notícias em forma cibertroniana… Eles disseram que ele é especial, nomearam ele de Howler, usaram a cabeça de um perigoso Decepticon para o construir, o nome desse ‘Con era Deathblade, e agora que ele tomou a forma do Howler, ele só responde a esse nome. Me dá uns calafrios nervoso.

 

Você quase pulou ao ouvir o rosnado repentino que saiu de Stormwave, — Precisamos pegar a Semente antes do Galvatron. — o dragão cibernético declarou, seus dentes afiados cerrado em raiva.

 

Você olhou para ele, curiosa com sua ação e linguagem corporal, você nunca o viu tão furioso, mas ao invés de perguntar para ele sobre, você decidiu deixar de lado por agora. Mas você não pode deixar de notar que os Autobots pareciam saber o motivo de sua fúria.

 

– Quebra de tempo –

 

Seu colar brilhou brevemente quando o transfórmio saiu do chão e grudou em seu corpo, você sentiu deslizar até você ordenar que ele fosse para o seu braço [dominante], e seu braço se transformou em seu braço cibertroniano, mas o tamanho não havia mudado. Com o seu braço cibernético, você socou as correntes e a fechadura, quebrando-as e facilitando o caminho dos humanos até os trens. Os humanos entraram primeiro, enquanto o transfórmio se soltou de seu braço e deslizou de volta para o chão, o brilho em seu colar se dissipando.

 

— Pai, estou cansada de correr e roubar. — Tessa admitiu, andando logo atrás dele enquanto caminhavam ao lado de um trem.

 

— Bom, um lugar para dormir. — Cade disse enquanto colocava sua jaqueta no chão e inspecionava a porta de metal trancada, — [Nome], consegue abrir?

 

— Posso tentar. — você disse se aproximando da porta.

 

Cade se afastou para lhe dar espaço para fazer suas coisas. Seu colar brilhou novamente enquanto você se concentrava para poder controlar o transfórmio. Saindo do chão novamente, as partículas pairavam no ar sob seu comando, o transfórmio voaram em direção à porta e passaram pela fechadura, sob seu controle, o transfórmio destrancou a porta e alguns momentos depois, a porta se abriu sozinha mesmo você não tem controlado o transfórmio para fazer tal ato, quem disse que o cavalheirismo morreu?

 

— Pronto. — você anunciou e o transfórmio voltou para o chão.

 

— Obrigado, querida. — Cade agradeceu você com um beijo em sua testa e ele entrou no trem, você logo atrás dele.

 

— É, só mais uma invasão. — Shane comentou enquanto sua namorada também entrava no trem.

 

– Quebra de tempo –

 

Você estava sentada em uma poltrona confortável no trem vazio, lendo um livro aleatório e antigo que encontrou por aí; o conteúdo do livro não era algo que lhe interessava, mas era a única coisa que você tinha para passar o tempo, é claro, você podia controlar o transfórmio e treinar até masterizar o controle completo do material, mas você já estava mexendo com o material entre seus dedos enquanto o resto estava flutuando ao seu redor, Tessa estava perto de você, dormindo em duas poltronas para imitar uma cama.

 

— Sabe, quando eu tinha sua ideia, eu gostava de aventuras. Gostava de carros, garotas. — Cade admitiu para Shane para quebrar o silêncio.

 

— Qual jovem não gosta? — você perguntou retoricamente, e começou a distanciar seu foco para poder brincar com o material flutuante ao seu redor.

 

Cade suspirou enquanto continuava, — Mas aí chegou a Tessa. E quando ela nasceu, tudo o que eu queria na vida para ela era felicidade, saúde e segurança. E então alguns anos depois, [Nome] entrou na minha vida, e foi como se minha felicidade duplicasse. Achei que só eu bastaria para protegê-las. — Cade pausou por alguns segundos para olhar para a fonte de felicidade dele como pai, que era você e Tessa, — Mas não bastarei. Nunca.

 

Cade olhou para Shane, — Então tomara que alguém baste para Tessa. — ele virou seu olhar para a janela, — E também alguém para [Nome]... — ele disse enquanto observava você colocando o livro aberto sob sua cara para você dormir sem a luz te incomodar.

 

— Quer dizer, o Storm? — Shane perguntou, olhando para Cade de relance.

 

— Não, estava falando sobre o Optimus… Mas o Storm também serve. — ele murmurou, — Obrigado por estar aqui, Duende.

 

— Obrigado por não me matar quando você teve a chance. — Shane respondeu com sinceridade.

 

— Ah, eu terei mais. — o homem mais velho assegurou, um pouco sério.

 

Shane riu em sua respiração, seus lábios se curvando em um pequeno sorriso,  — É, eu sei.

 

– Quebra de tempo –

 

Algum tempo depois de descansar um pouco dentro do trem, todos os humanos e robô (e a metade das duas espécies mencionadas) estavam do lado de fora para que pudessem se preparar para ir para Hong Kong e pegar a Semente.

 

— Interceptamos comunicações encriptadas. — Drift relatou, — Joshua Joyce segue para sua fábrica em Cantão, na China.

 

— Ei, chefia! — Cade cumprimentou Joshua em um telefone que estava funcionando, — A sua empresa está com sérios problemas.— ele disse após trocar um olhar com você e Shane, que estavam perto dele.

 

Stormwave deitou no chão perto de você, que estava sentada em uma cadeira improvisada, e sua cabeça se aconchegou em seu estômago, e ele começou a ronronar quando você acariciou sua cabeça em seu ponto fraco que só você sabia onde estava.

 

— É melhor você tenha um bom advogado. — você ouviu Joshua respondendo.

 

— É mesmo? — o Yeager revidou, — É melhor que você tenha um melhor ainda, porque você está prestes a ser responsável pela aniquilação de uma cidade.  — e isso calou a boca do mais rico, — Agora, me escuta. A sua tecnologia foi hackeada. Seus protótipos, infectados. E agora Galvatron quer essa Semente. Olha, eu sei que você tem consciência porque você é um inventor, como eu. Não deixe Galvatron perto dessa Semente.

 

— Eu controlo o Galvatron. Eu o criei.

 

— Por dentro, eu sei que você sabe, que seu protótipo controla você. — Cade desligou a ligação antes que mais palavras sejam ditas e ele olhou para Drift, — O quão rápido é essa coisa para chegar ao outro lado do mundo?

 

— Bastante. É uma nave. — Drift disse, passando a mão pela lâmina de sua espada.

 

Todo mundo virou a cabeça quando ouviram hélices e carros se aproximando de sua posição, você olhou para cima e viu um helicóptero e na hora soube que vocês foram encontrados. Você e outros dois humanos correram para Tessa, que estava espiando os vários carros da polícia e o helicóptero atrás de uma árvore.

 

— Se quisermos viajar, é agora. — Hound disse e ele e Bee, que haviam seguido o trio de humanos, começaram a voltar para a nave. Stormwave, que fez o mesmo e agora estava atrás de você, ficou no lugar dele enquanto esperava a decisão final dos humanos.

 

— Tudo o que eu quero é voltar para nossa vida de antes. Você decide, o que quiser. — Cade admitiu para Tessa, que não tirou os olhos da polícia que se aproximava cada vez mais de suas posições, — Estamos mais seguros sozinhos, ou com eles? — Tessa respirou fundo ao tomar sua decisão, ela se afastou da árvore e se aproximou de você.

 

Você reconheceu aquele olhar nos olhos dela e abriu os braços, Tessa aceitou seu abraço e você abraçou sua irmã adotiva. Se afastando de seu abraço caloroso, a adolescente loira segurou sua mão e vocês duas começaram a voltar para a nave. Enquanto Stormwave seguia vocês, você podia jurar que sua irmã murmurou as palavras que você sempre dizia para ela em sua infância.

 

— Estaremos juntas para o que der e vier, para todo o sempre.

 

Finalmente chegando onde os cibertronianos e a nave estavam, você notou que a nave já estava pronta para decolar.

 

— Mexam-se! — Optimus deu as ordens quando as portas da nave se abriram e ele gesticulou para os outros entrarem, — Vamos recuperar a Semente, mas depois não defenderemos mais os humanos.

 

— Não? Como assim não? — Cade perguntou enquanto ele e Shane seguiam os que já haviam entrado na nave, sendo Tessa, Bee e Stormwave. Você estava na pequena ponte, esperando que todos subissem.

 

— Quer dizer “encerrou”, “tchau”, “adeus”. — Crosshairs explicou como se não entendessem o conceito, mas o que Cade realmente queria era uma explicação.

 

— Bom, eles não precisam de vocês os protegendo… — você disse para o Prime, o mesmo olhou para seus olhos [cor dos olhos], e o mesmo não podia recusar que seu olhar tinha um belo encanto, — Eles têm a mim e ao Stormwave quando precisarem. — Stormwave, com seu alto sentido de audição, fez um barulho para concordar com o que você disse.

 

Optimus não disse nada, mas fez um gesto com a cabeça para você entrar na nave, mas quando você disse "Depois de você", ele endureceu o olhar, mostrando que não estava pensando em recuar nessa breve discussão, vendo isso, você suspirou e caminhou até a nave, o Autobot seguindo você. Depois de garantir que tudo estava bem, a nave espacial começou a decolar, os carros da polícia pararam a uma distância segura e todos começaram a viajar para a China.

 

– Quebra de tempo –

 

O sol estava começando a se pôr ou estava nascendo? Você não sabia mais por causa da mudança do fuso horário.

 

— Quando você disse que não vai mais defender os humanos, não é verdade, ou é? — Cade perguntou sentando ao lado de Optimus, que também estava sentado no chão.

 

— Quantos de nós ainda serão sacrificados para reparar os erros de vocês? — o Prime perguntou de volta.

 

— O que acha que significa ser humano? É o que fazemos.

 

Você aproveitou para entrar na conversa, — Nós erramos. Mas ás vezes, desses erros surgem as coisas mais incríveis.

 

Cade olhou para onde Tessa e seu namorado estavam, agarrados enquanto olhavam para a maravilha abaixo deles. — Quando eu te consertei, foi pela recompensa. Foi por isso, por dinheiro. Era eu cometendo um erro.

 

— E sem isso, você não estaria aqui… — você disse.

 

Optimus só piscou e virou a cabeça para o outro lado.

 

— Então mesmo que não tenha mais fé em nós, te peço para fazer o que eu faço. Te peço para olhar para a sucata e ver um tesouro. Precisa ter fé, Prime, no que podemos nos tornar.

 

Com isso dito, você decidiu ter algum tempo com seu guardião, que estava deitado no chão com os olhos fechados, mas você sabia que ele não estava dormindo. Sentindo alguém se aproximar dele, Stormwave abriu seus olhos amarelos e levantou a cabeça parte olhar. Cade e Optimus assistiram enquanto você brincava com seu guardião cibernético, Cade tinha um sorriso no rosto quando percebeu o quão você estava feliz com a companhia de Stormwave, Optimus sentiu uma sensação calorosa em seu coração. Sua expressão se suavizou e ele começou a olhar carinhosamente para você.

 

Essa foi uma ação que não passou despercebido por Cade, — O que você sente em relação a [Nome], Optimus?

 

Optimus olhou para Cade com o canto seus olhos azuis, mas voltou a olhar para você e demorou a responder, — Eu… — o Prime hesitou.

 

— Estou incerto sobre meus sentimentos em relação a [Nome]. Mas eu sei como meu coração começa a agir de forma mais... Agitada, mas de um jeito bom, quando ela fala comigo ou quando se aproxima de mim. — Optimus admitiu, ainda olhando carinhosamente para você, — O dia em que você me consertou quando nos conhecemos... Senti uma grande quantidade de dor em meu coração quando vi seu braço ferido, a ferida que eu fiz. E quando Lockdown me capturou, senti a mesma dor quando ela tentou me resgatar, mesmo gravemente ferida, mas no momento que ela começou a chorar enquanto gritava por mim... Eu realmente pensei que iria morrer por causa do aperto.

 

Cade riu baixinho da grande confissão de Optimus de como ele se sentia em relação à filha adotiva. Ele sabia o que o grande robô estava se sentindo porque já havia passado por isso com a mãe da Tessa, — Você está apaixonado pela [Nome].

 

— Me perdoe?

 

Cade riu novamente, — Sabe, Optimus… — ele voltou o olhar para a garota de cabelos [cor do cabelo], — Desde aquele dia em que você se transformou e nos deu um grande susto, no fundo, senti que podia confiar em você para cuidar da [Nome]. E sendo honesto com você e comigo, esses sentimentos ainda estão aqui.

 

Os olhos castanhos de Cade chocaram com os azuis de Optimus, — Ter a confiança e a amizade da [Nome] é a melhor coisa que você poderia pedir, e eu digo isso por experiência! — Cade riu baixinho enquanto algumas lembranças de vocês dois passando tempo juntos desde que Cade a levou sob sua tutela passaram através de sua mente. — Ela é um tesouro muito raro. E estou contando em você para protegê-la de mãos gananciosas… — Cade parou, suspirando, — [Nome] conta com você, o robô que ela ama, para cuidar dela também.

 

– Quebra de tempo –

 

Depois de algumas horas, você e os outros estavam finalmente na China, mais precisamente, em Hong Kong. Você já estava em sua forma cibertrônica com Stormwave ao seu lado, ainda bem que você conseguia fazer o transfórmio voar com você; caso contrário, você não seria capaz de puxar transfórmio do chão enquanto estava voando em uma nave.

 

— Eu e Stormwave vamos liderar vocês até Joshua Joyce! — você disse para os outros cibertronianos e eles assentiram, — Vamos, Stormwave.

 

Stormwave agachou o suficiente para você subir na junção de seu pescoço com as costas, para que você não interferisse com os mecanismos que fazia o dragão voar. Você colocou seus pés perto da extensão do torso e metal começou a se transformar ao redor de seus pés para poder te segurar para você não correr o risco de cair.

 

— [Nome]. — antes que o dragão pudesse se levantar, seu nome foi chamado. Você olhou para a pessoa e viu Optimus se aproximando até ele parar do seu lado, — Tome cuidado quando sair da nave. Não é somente Galvatron que iremos enfrentar.

 

— Eu sei disso, não se preocupe. — o líder dos Autobots ainda não estava satisfeito com só isso e você sabia, — Mas se isso te acalmar, irei tomar mais cuidado ainda, ok? — ele assentiu, agora mais satisfeito.

 

Antes que ele pudesse se virar e se afastar para se preparar para a batalha, você o chamou. Você agradeceu todos os seres celestiais por ainda estar montada no Stormwave, ele fez com que você fosse alta o suficiente para que seus olhos colidam com os de Optimus diretamente sem precisar olhar para cima. E por que isso te deixou feliz, você me pergunta? Porque assim que Optimus olhou para você, você agarrou o rosto dele com suas duas mãos metálicas e fechou o espaço entre vocês dois, conectando seus lábios de metal com os dele.

 

Seu beijo foi hesitante enquanto você esperava a reação de Optimus, se ele iria aceitá-la ou rejeitá-la, e ele podia sentir essa hesitação. Assim que o Prime saiu de sua surpresa, ele rapidamente a beijou de volta e foi como se ele acordasse no paraíso quando percebeu o quão feliz estava se sentindo com o beijo, uma emoção que não sentia desde que a da guerra em Cybertron iniciou-se, quando Cybertron foi destruído e quando todos os cibertronianos começaram a ser caçados na Terra.

 

Você podia sentir o desejo de Optimus em aprofundar o beijo, mas você sabia que se vocês continuassem, você não iria conseguir parar e precisava sair para a batalha, então você quebrou o beijo.

 

— Eu te amo. — você murmurou para ele, olhando fundo nos olhos dele, e Optimus quase se sentiu impressionado com a quantidade de amor que ele podia ver em seus próprios olhos.

 

Antes que Optimus pudesse sussurrar as lindas palavras de volta para você, Stormwave levantou-se do chão e correu para a saída aberta da nave, quando saltou da nave espacial, abriu suas belas e longas asas para voar, você começou a voar em direção a Joshua Joyce, a nave logo atrás de vocês dois.

 

– Quebra de tempo –

 

— Encontrei ele! — Stormwave exclamou enquanto apontava para o terraço de um prédio com a garra de sua pata direita, você cerrou seus olhos e com alguns ajustes em sua visão, você viu Joshua sentado no terraço, em seu lado estava uma bolsa de couro que continha a Semente dentro, ele parecia estar bebendo uma caixinha de leite.

 

Quando você ouviu uns barulhos nas ruas abaixo de você, você olhou para a mesma direção para ver vários protótipos se aproximando.

 

— Parece que temos companhia. — você disse, mas ignorou os protótipos para olhar para o homem careca.

 

Ao ouvir algumas asas batendo e turbinas de nave atrás dele, ele lentamente virou a cabeça, canudo ainda na boca, saindo da caixinha de leite junto com o movimento de sua cabeça, e viu o dragão robótica com cibertroniana montando nele e uma nave espacial logo atrás deles, ele pensou que eram os protótipos inimigos enquanto cuspia todo o leite e gritava um 'Não!', enquanto tentava fugir com a Semente.

 

A nave espacial se aproximou do prédio onde Joshua estava e girou com cuidado, a cabine na parte de trás se abriu, revelando Cade, Shane, Tessa e dois Autobots, Bumblebee e Hound.

 

— Joshua! — Cade gritou o nome dele para chamar sua atenção para mostrar que eles não eram o inimigo.

 

— Ei, careca! — Hound também chamou seu nome. Bom, não especificamente o nome dele, mas ele merece um 7,5 por esforço.

 

— Ei, sou eu! Ei! — Joshua chamou ao notar que não era o inimigo, mas ao invés, a ajuda.

 

Cade mencionou para ele ir até onde eles estavam, — Traga a mala agora! Vamos! Depressa, corra! Depressa! Anda!

 

— Vamos! Mexa-se! — Hound acelerou enquanto os humanos fizeram uma "corrente" para que nenhum deles caísse, Bee sendo a base essa "corrente", pois ele era mais forte e não caía facilmente. Hound estava sentado na pequena ponte para o interior da nave, arma nas mãos em caso de qualquer ataque a eles.

 

— Dê para mim! Agora! — Cade acelerou Joshua enquanto o mesmo arrastava a Semente, que parecia bastante pesada para o humano segurá-la normalmente.

 

Hound avistou os protótipos abaixo deles, — Parece que temos companhia.

 

Um dos protótipos que pareciam um pouco com Stinger transformou-se e disparou mísseis na nave, alguns mísseis atingiram a nave, quase atingindo os humanos, que caíram no telhado do prédio, os dois Autobots também caíram da nave. Os outros mísseis que foram atirados em sua direção você foram esquivados por pouco pelo dragão.

 

— Fomos atingidos! Fomos atingidos! — Hound reportou ao resto dos Autobots dentro da nave enquanto ele deslizava a rampa, sua arma e munição também deslizando com ele.

 

Stormwave aterrissou no telhado de outro prédio perto de onde os humanos estavam, para que ele não perdesse o equilíbrio com o movimento estreito e repentino que fez para desviar dos mísseis, ele cravou suas garras no prédio para não cair, todos vocês olharam para a nave espacial, uma fumaça espessa saindo de seu motor quando o navio perdeu o controle e decolou para cair em uma selva próxima.

 

— Parece que é só a gente agora.  — assim que Stormwave disse isso, os humanos começaram a correr até o fim do terraço onde estavam, eles espiaram as ruas para ver como estava a situação lá embaixo.

 

Você fez o mesmo e foi capaz de contar dez protótipos que cercavam o prédio.

 

— Contei dez lá embaixo. — Hound relatou.

 

— Pensei que tinha dito que só um protótipo estava infectado. — Cade disse, olhando para Joshua ao seu lado.

 

— Agora ele controla os outros cinquenta.

 

— Vamos. — Cade respirou ao começar a andar de volta, os outros o seguindo.

 

Você assistiu enquanto os protótipos subiam o prédio sob as ordens altas de Galvatron.

 

— Estão planejando os cercar para pegar a Semente. — Stormwave afirmou, também olhando para os protótipos com um brilho predatório em seus olhos, mas ele manteve seus instintos controlados enquanto esperava suas ordens.

 

— Não se preocupe, meu amigo. Logo a hora da caça irá chegar, lembre-se, paciência é uma virtude e você será recompensado. — você citou algo que aprendeu com seu pai. O dragão apenas grunhiu e seu rabo começou a balançar para os lados, ansioso.

 

— Posso ter iniciado o Apocalipse, mas você trouxe sua família. E isso é, sabe, péssima parentalidade. — Joshua declarou a Cade, enquanto os humanos ainda andavam rápido.

 

— Estou prestes de te socar, pegar a bomba e te deixar aqui. — Cade ameaçou, sem sequer olhar para Joshua.

 

— Por favor, faça-me esse favor. — Joshua murmurou.

 

– Quebra de tempo –

 

— Optimus, está vivo? — Hound perguntou usando seu rádio internet para se comunicar, mas logo começou a atirar em um protótipo por perto, — Vamos lá, idiota!

 

— Vamos! — Cade acelerou os humanos a correrem quando o ataque começou.

 

Stormwave virou a cabeça para olhar para você, e quando seus olhares se encontraram, o dragão sabia que era hora de soltar a fera dentro dele. O dragão rugiu para o céu para alertar os outros de que o perigo agora estava à solta ao redor deles para caçar sua presa, o dragão disparou para o céu quando mais mísseis foram lançados em direção aos humanos. Você pegou suas pistolas enquanto sua máscara de batalha cobriu todo o seu rosto, ajustando sua mira para melhorar sua precisão, e começou a derrubar os protótipos. Você atirou em um dos protótipos que ficava próximo ao prédio onde os humanos estavam antes que o jovem Autobot amarelo pudesse matá-lo.

 

— Ei! — ele reclamou infantilmente enquanto olhava para você sob sua máscara de batalha, e se ele fosse humano, você tinha certeza de que ele estaria fazendo beicinho agora.

 

— Devagar demais, Bee! — você encolheu os ombros de brincadeira com o abate que você roubou dele, o que fez Bee soltar alguns palavrões com o rádio dele.

 

— Evacuar! Evacuar! Ataque no flanco! — Hound exclamou enquanto atirava com sua metralhadora, — Temos companhia no chão! — ele avisou enquanto pegava uma pistola pequena, saltou para o prédio oposto enquanto atirava nos protótipos abaixo deles e esquivava de alguns tiros.

 

E então ele aterrissou no prédio de costas. — Oof! — ele estava preso, — O meu bundão ficou preso! Bee, [Nome], acabem com eles.

 

Bumblebee saltou para o prédio e disparou mísseis contra os protótipos, enquanto você fazia alguns tiros na cabeça em alguns outros. Embora os mísseis e tiros na cabeça funcionassem com alguns, Stinger pulou para longe do ataque e voltou a atirar em você e nos outros.

 

Você olhou para os humanos e os viu entrando em um elevador, mas quando ouviu um tiro de uma pistola humana, olhou para o mesmo prédio, porém mais distante de seus aliados e viu James Savoy, o homem que invadiu a propriedade Yeager, os perseguiu e o primeiro humano a entrar na sua lista negra. Os humanos no elevador se abaixaram para evitar serem baleados.

 

— Por que o elevador não está fechando? — Stormwave perguntou com o braço de um dos protótipos em sua boca.

 

— Muitos humanos junto com o peso da Semente, então o elevador não vai conseguir segurá-los. — você respondeu enquanto atirava em outro protótipo, Stormwave pegou o mesmo corpo e o arrancou ao meio.

 

Quando você viu Cade saindo do elevador e gritando “Ei! Você me quer!” e desviando de todas as balas que Savoy disparou contra ele. Você estava prestes a fazer Stormwave pegar Cade, mas cinco mísseis foram disparados em sua direção, mas Stormwave se esquivou de alguns e ele usou sua cauda e patas para mover os mísseis restantes para atingir os protótipos nos prédios e no chão. Você olhou para a direção de onde os mísseis vieram e sentiu como se seu coração parasse de funcionar por um momento. Lá estava ele, o McLaren P1 verde escuro, o protótipo transformou-se em sua forma bípede quando ele notou que você o viu.

 

Você olhou para Stormwave para ver sua reação e você o viu tão calmo que era assustador, mas ao ver o olhar que tinha, ele na verdade estava longe de estar calmo, — … — Stormwave estava quieto demais enquanto mandava um olhar ameaçador para o protótipo abaixo, que devolveu o mesmo olhar, — Eles o fizeram para ser como a Skyblade e o Sunfire, teriam acertado se não fosse infectado pelo Deathblade. — o dragão informou dos pensamentos para você, e então suspirou pesadamente, — É como voltar para o passado quando eu conheci seus pais, e para o dia que eles ganharam meu respeito e lealdade… — o dragão sorriu internamente enquanto lembrava das ditas memórias.

 

Mas então ele disse as palavras. As palavras que você odiou quando soaram dentro da sua mente.

 

— [Nome], deixe Howler para mim.

 

— O que?! É claro que não! — você protestou, olhando para o dragão como se ele tivesse ficado louco, o que no caso, ele ficou.

 

— [Nome], os outros precisam de você. Eu fiz uma promessa para seus pais que eu irei te proteger com minha vida, eu quase falhei quando Lockdown te atacou para poder capturar Optimus sem problemas. Eu não irei arriscar te perder dessa vez. — Stormwave usou sua cauda para tirar você de seu pescoço e ele te colocou em outro prédio.

 

 — Está é minha luta, [Sobrenome].

 

Você arregalou seus olhos azuis com a menção de seu sobrenome, sabia que quando Stormwave te chamava pelo sobrenome, ele não ia recuar do argumento.

 

Hesitantemente, você deixou o dragão ir, apesar do seu pressentimento dizendo que deveria fazer o contrário e apenas sair daí com seu guardião, — Por favor, eu te imploro para voltar para mim.

 

— Infelizmente, não posso prometer nada, patroa.

 

E com isso, Stormwave mostrou suas presas para Howler e ele voou em direção a Howler para agarrá-lo entre suas garras com um rugido, Stormwave jogou o protótipo para longe e foi atrás dele, enquanto gritava: 'Está na hora da caça!', deixando você para trás com um coração se apertando. Poucos minutos depois, você pulou para o chão e, quando chegou ao chão, transformou-se em sua Lamborghini Aventador e foi atrás dos outros, atirando em alguns protótipos que estavam no seu caminho. Apenas uma frase vagando em torno de sua mente e coração.

 

— Você ainda tem tanto para me ensinar, então por favor… Não se atreva a morrer, Stormwave!


Notas Finais


como sempre, no comentário fixado vai ter os links usados

obrigado por lerem, amo todos vocês meus xuxus! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...