História We can't stop - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias JoJo no Kimyou na Bouken (JoJo's Bizarre Adventure)
Personagens Giorno Giovanna (GioGio), Guido Mista, Josuke Higashikata, Jotaro Kujo, Trish Una
Tags Giomis, Giomistrish, Giotrish, Josugio, Josujota, Jotajosu, Mistrish
Visualizações 53
Palavras 1.583
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ecchi, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello amigs
Então, lendo alguns comentários, eu me dei conta que provavelmente muitas pessoas não interpretam o Giorno com uma personalidade tão aberta sexualmente a ponto de estar no meio de um trisal, principalmente por causa do jeito dele "certinho". Como eu sempre achei a dinâmica de GioMisTrish canônica (é, eu tenho uma imaginação fértil), vou tentar expor um pouco mais sobre o relacionamento deles nos próximos capítulos (não desistam de mim aaaaaaa).
Bom, aproveitem o novo pedacim dessa história pra lá de maluca

Capítulo 11 - Liberdade


Fanfic / Fanfiction We can't stop - Capítulo 11 - Liberdade

As palavras de Fugo havia atingido as dúvidas de Josuke em cheio. O medo da abertura de uma nova ferida era persistente, mas agora o rapaz percebia que ele não poderia se fechar para sempre naquele temor de novamente ser machucado, como Jotaro fez. Finalmente ele reconheceu que não precisava colocar em sua cabeça os mesmos temores do antigo relacionamento, que poderia seguir em frente e aproveitar as oportunidades que recebia. E a oportunidade, agora, era Giorno. 

 A cada passo que avançava, Higashikata deixava para trás um dos seus medos e preconceitos: o temor de uma nova paixão, o receio de novamente se envolver com um familiar, a sensação de pertencimento ao Kujo. Aceitar aquele convite do seu anfitrião seria o símbolo do fim dos seus sentimentos por Jotaro: afinal, ele não precisaria se preocupar com perdão ou remorso por se envolver com Giorno se aquele relacionamento estivesse enterrado.

E foi com essa confiança que Josuke entrou no banheiro, surpreendendo Giogio. O loiro estava debruçado sobre uma das pias arrumando seu penteado quando viu o moreno pelo reflexo, o que lhe fez dar um sorriso ladino. Higashikata se aproximou devagar, olhando para seu rosto através do espelho.

- Giorno, eu… - Começou Josuke, reunindo sua coragem. - Quero te pedir desculpas por hoje.

Aquele pedido de perdão deixava o loiro um pouco surpreso, a ponto do sorriso se desmanchar. Sua expectativa era uma resposta às provocações e não um pedido de desculpas. Seu corpo se virou de forma lenta, deixando de observar Josuke pelo reflexo para olhá-lo diretamente nos olhos para entendê-lo melhor.

- Eu estava bêbado e confuso com algumas coisas que aconteceram no Japão, eu não sabia o que fazer e o que pensar… - Continuou Josuke. - Aquilo foi um erro.

Os olhos de Giorno se abaixaram para não encarar a face de Higashikata, pois ele era tomado por vergonha. Sentiu-se mal e sujo por ter provocado o rapaz, uma vez que agora ele acreditava ter se aproveitado do seu momento de fragilidade e, ainda pior, ter forçado uma aproximação até mesmo após a fuga do outro. No entanto, para a sua surpresa, Josuke se aproximou ainda mais, levando as mãos em seu rosto. Os dedos do moreno correram pelas bochechas levemente coradas de Giogio devido a vergonha, descendo um dos polegares até seus lábios e tocando-o com calma.

- Não vou mais fugir. - Disse Higashikata enquanto acariciava o rosto do outro. - Eu quero aproveitar esses dias. Eu quero você.

Josuke aproximou seu rosto ao dele, beijando-lhe lentamente. Ainda que os dois tivessem um grande desejo, o moreno fazia questão de ser carinhoso, como se sua dedicação e cuidado pudesse compensar sua fuga e seu descaso com o loiro. Aquela delicadeza desarmou Giorno, tirando-o da posição de predador e deixando-lhe a mercê do outro. Era como se todos os planos para chamar a atenção do convidado sumissem de sua mente, a qual era dominada apenas pela sensação de ser tocado gentilmente, o que era reconfortante.

Uma das mãos de Higashikata escorregou até sua nuca, entrelaçando seus dedos entre os fios loiros e macios do rapaz. Lentamente, sem usar força, ele puxou a cabeça de Giorno para trás, fazendo seus lábios se separarem e o pescoço do mesmo ficar exposto. 

 Com o fim do beijo por causa daquele movimento, Josuke escorregou sua boca pelo queixo do parceiro, levando-a até sua garganta, onde começou a dar pequenos beijos. Já sua outra mão ia até o meio das costas do anfitrião, abraçando-o para apoiá-lo. Estando no controle do corpo de Giorno, o rapaz o encostou contra a pia do banheiro, como forma de dar mais um apoio ao loiro.

A natureza cuidadosa de Josuke fazia com que ele se preocupasse, o que era notado por Giorno, dando-lhe a oportunidade de relaxar totalmente seu corpo nas mãos do seu convidado. Seus olhos continuavam fechados, o que demonstrava a confiança adquirida em Higashikata, deixando-se ser surpreendido pelos seus toques. 

E foi assim que ele acompanhou apenas pelo tato o caminho que o moreno fazia por seu peito com os lábios, descendo aos beijos pela fenda de sua camisa. As mãos de Josuke escorregaram pelo seu corpo para terminar de desabotoar sua camisa e, ao chegar no abdômen, abrir sua calça, a qual foi abaixada logo em seguida.

Só então Giogio abriu seus olhos, deparando-se com Josuke ajoelhado em sua frente, o qual pegou em seu membro semi-ereto e, com delicadeza, o levou à boca, colocando a glande entre seus lábios e esfregando-a. Isso arrancou um gemido baixo de Giorno, que se inclinou para frente por reflexo. Aquilo era visto como um sinal positivo pelo moreno, o qual levou a cabeça para frente e, assim, passou a colocá-lo dentro de sua boca, chupando-o.

Os movimentos de Josuke eram calmos e progressivos, aumentando a velocidade e a profundidade com que chupava o membro do loiro aos poucos. Sua língua acariciava-o por dentro de sua boca, enrolando-se e roçando-se ao pênis de Giorno, muitas vezes empurrando o seu prepúcio. Assim como os movimentos, os gemidos do rapaz também se tornavam mais altos com o tempo.

Entretanto, não era apenas o prazer físico que estava a satisfazer Giogio. Era gratificante ver alguém se dedicar somente a ele, mesmo que de forma sexual, com tanto carinho e afeto. Estava a tanto tempo pulando entre a cama de Trish e Mista, suplicando por contato físico e satisfação, que ele mal conseguia se lembrar da última vez que alguém havia se devotado inteiramente ao seu corpo, sem dividir sua preocupação e atenção.

Enquanto uma de suas mãos se apoiava a pia, mantendo o corpo firme, a outra mão de Giorno foi até o rosto de Josuke, tocando-lhe no queixo e levantando-o de leve. Com isso ele trazia em sua direção o olhar de Higashikata, o qual estava focado em seu membro até o momento. Ele encarou os olhos lilases do moreno, o qual não parava de lhe chupar. Na verdade, a sucção ficava até mais forte, uma vez que o rapaz aproveitou o momento para estimulá-lo ainda mais fisicamente e visualmente.

Giorno estava tão excitado que precisava lutar contra si mesmo para não agarrar os cabelos de Josuke e puxá-lo contra seu pênis para sentir-se dentro dele por completo. Ao mesmo tempo que seu corpo pedia por mais,o loiro não queria terminar aquele momento de devoção tão cedo, buscando aproveitar ao máximo aqueles instantes de prazer.

 No entanto, não demorou para que ele perdesse o controle sobre si: sentiu um intenso frio na barriga, o qual era acompanhado da contração do seu membro que, em fortes pulsadas, jorrava seu sêmen para dentro da boca de Josuke. O moreno apenas fechou seus olhos, sentindo o gosto levemente amargo de Giorno em sua boca. 

- A-ah… M-me desculpa! - Falou Giogio, entre fortes suspiros. 

Giovanna ficou extremamente vermelho, envergonhado por ter ejaculado dentro da boca de Josuke. Suas experiências com Mista, nesse sentido, não eram tão boas: Guido sentia-se mal, talvez enojado, com o sêmen de Giogio. Contudo, a reação de Higashikata era diferente. O estrangeiro lambia os próprios lábios, engolindo o conteúdo de sua boca com um sorriso. 

 Ao terminar, o moreno se levantava, novamente aproximando seu rosto de Giorno. Porém, dessa vez ele não o beijava, roçando seu nariz ao do loiro enquanto suas mãos passavam em volta do corpo dele em um abraço carinhoso.

- Você está satisfeito? - Sussurrou Josuke, ainda com um sorriso nos lábios. - Porque se não estiver… Eu poderia ficar o resto da noite com você, se quiser.

Giorno riu com aquela pergunta, apenas balançando a cabeça positivamente. Seus braços passaram em volta do pescoço de Josuke, puxando o homem em sua direção, dando-lhe um beijo rápido, apenas para confirmar o seu desejo de continuar com ele.
Em um giro, o loiro desfez o abraço, saindo da beira da pia. Pegou na mão de Higashikata e, com uma grande pressa, saiu do banheiro, arrastando o outro consigo.

Os dois cruzavam o camarote pela beirada, tentando se esquivar dos outros 3 que ainda estavam ali. Trish e Mista, distraídos um com o outro não percebiam o casal em fuga, mas Pannacotta sim. Ao ver os dois rapazes saindo de fininho, Fugo ria sozinho.

Josuke percebeu que estava sendo encarado, dando um sorriso bobo e fazendo um sinal de positivo.  Panna respondeu levantando o seu copo, como em um brinde, afinal havia sido o seu conselho que levou os dois àquela situação.

E foi assim que eles saíram do camarote e da boate às pressas. Para não atrapalhar a volta dos outros, Giorno e Josuke entraram no primeiro táxi disponível. Os dois novamente se abraçavam, encarando-se por alguns segundos antes que novamente seus lábios se encontrassem.

No caminho, entre beijos e pequenas risadas, um pequeno diálogo se seguiu:

- Giorno. - Disse Josuke, ficando vermelho em tocar no assunto. - … Você prefere ser ativo ou passivo?

O loiro deu um pequeno sorriso, não pela pergunta mas sim pela timidez de Higashikata em falar sobre aquilo, visível pelas suas bochechas coradas.

- Para mim tanto faz. - Respondeu o loiro com naturalidade. - Qualquer um dos dois será bom se eu estiver com você.

A troca de carinhos e os pequenos diálogos seguiram até a mansão, onde Josuke e Giorno se recolheram no quarto do anfitrião.

Dessa vez, sem álcool ou qualquer outra coisa que pudesse confundir a mente de Josuke, os dois finalmente ficaram a sós para aproveitarem um ao outro por completo, até o amanhecer. 


Notas Finais


Taxista vendo e ouvindo a conversa de Josuke e Giorno: https://pbs.twimg.com/media/DxhwtQJXcAYgbAV.jpg:large


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...