1. Spirit Fanfics >
  2. We Fell in love in Paris(Michaeng) >
  3. Capítulo 7 - Rain's girl

História We Fell in love in Paris(Michaeng) - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Bom, olá pessoas! Eu avisei que não iria desistir da fanfic kkkkkkk! Eu só preciso de mais tempo pra organizar as ideias que eu tenho. E, também, eu tenho tentado mudar a estética da fanfic em alguns pontos, nada muito exagerado, ou notável, como... "A importância de horário das mensagens" isso não afeta a história, então, eu apenas retirei. É isso! Espero que vocês gostem do capítulo!

Capítulo 8 - Capítulo 7 - Rain's girl


______________♡________________


A noite das garotas estava sendo perfeita, o clima romântico estava no ar. Elas jantaram em meio à risadas, beijos, e carícias. Não tinha como nada dar errado naquele momento.

Elas estavam tão animadas, que trocavam beijos intensos, cheios de desejo. Havia muitas mãos bobas naquele beijo, elas não se controlavam, bom... Pelo menos Chaeyoung, não!

— Chae, Chae! Espera... Vamos devagar!— Joy para o beijo um tanto quanto ofegante.

— Devagar pra que? A gente já fez isso antes. — A menor continua depositando beijos no pescoço da morena.

— Eu sei, mas não é a mesma coisa!

— Não? Isso mostra que estou inovando, não é? — Chaeyoung pergunta divertida enquanto continua com os beijos.

Joy não resiste, e se deixa levar pela vontade que a deixava fora de si. Mas, lembrou que Chaeyoung tinha algo a dizer.

— Ei, é sério, Chae! Vai, me conta o que você queria me dizer. — Diz a maior afastando dos braços da garota a contra gosto.

Chaeyoung de repente ficou muda.

— Ei, o que houve? Você está bem? Está passando mal de novo? — Joy pergunta já preocupada.

— Não, não! É... Não é nada importante! Esquece isso! — A mais velha responde nervosamente.

— Ué, mas você estava aí toda séria pra me contar.

Definitivamente Chaeyoung tinha desistido de contar. Ela não queria magoar a garota de novo! E, ela com certeza daria um fim naquilo com Yeri, e se certificaria de que a garota mantenha a boca fechada.

— Eu só... Eu só estava pensando em começar a trabalhar. — A garota não estava mentindo totalmente. Ela tinha aquele plano em mente, apenas não era aquilo que ela planejava contar.

— Você? Sério? Uau! Você está realmente mudando, não é?

— É, eu... Eu acho que sim! — Responde meio sem graça.

— Chae, não seja modesta! Você está evoluindo muito! Acho que você até está merecendo um prêmio. — Joy começou a beijar a garota.

— Prêmio? Que prêmio?

— Não se faça de inocente, Son! Nós duas sabemos muito bem o que você pode fazer, não é? — Sussurra a última frase no ouvido da garota.

— Então, está tarde, não é? — Chaeyoung olha as hora sem celular, e tenta levanta da cama da mais nova. — Eu não vou sair hoje à noite, eu vou ficar com a minha mãe, tá? Ela está precisando de mim.

— Nem está tão tarde assim, poxa! Fica mais um pouco? — Joy pede com um bico em seus lábios.

— Realmente não vai dar, tá? Depois eu venho aqui. Até depois! — Se despede com um rápido beijo nos lábios.

Joy estava completamente confusa sobre o que tinha acabado de acontecer. Chaeyoung nunca havia lhe negado fogo. Será que ela havia feito algo errado?

Por outro lado, Chaeyoung estava já fora da casa da namorada, pensando no rumo que aquela história iria tomar, e estava rezando para que Joy não soubesse de sua traição. Ela resolveu pensar naquilo em outro momento, apenas se concentrou em voltar pra casa.


××××



Quando chegou em casa, Chaeyoung foi até o quarto que era de seus pais, e viu sua mãe deitada em sono tranquilo, ela ficou na porta do quarto por alguns minutos, sentindo o alívio de finalmente estarem livres de Dongyul, mas também pensava em quanto tempo duraria sua paz. Chaeyoung estava muito animada para morar com sua avó, aquele sempre foi o seu sonho desde que as coisas ficaram ruins, o único refúgio de sua vida, era sua avó. A senhora sempre a protegeu, a menor não poderia imaginar sua vida sem aquela mulher extraordinária que é Son Minyoung. Ela é gentil, educada, carinhosa, mandona, e a neta ama cada detalhe.

Ela queria se mudar o mais rápido possível. A mãe de Chaeyoung não iria vender a casa, afinal, aquela casa significa muito para Chaeyoung, é o lugar em que ela cresceu, em que teve boas e horríveis memórias. A mãe entende isso, portanto, futuramente aquela casa seria de Chaeyoung, a mais velha não queria que a filha não tivesse um lugar para se viver quando se torna-se uma adulta responsável, ela teria a casa de sua infância.

Chaeyoung voltou-se para a realidade quando seu celular vibrou no bolso. Quem poderia ser àquela hora da noite?

[Dahyun]:

Você precisa controlar o seu amigo!

Sabia que ele anda espalhando que você ficou com a Yeri na festa do Yoongi?

Oh Céus! Era só que o que lhe faltava.

[Chaeyoung]:

Diz que você está me zoando?

Meu Deus, Dah!!!! A Joy me disse que ele ligou pra ela do nada com uns papos bem estranhos.

[Dahyun]:

Papos estranhos? O que ele disse?

Chae, você contou pra ela?

[Chaeyoung]:

Sim, ele disse pra ela ter cuidado comigo e não sei o que. Ela não me contou direito. Ela disse que ele estava estranho.

E sobre a sua segunda mensagem: Bom... É uma história engraçada, sabe?

[Dahyun]:

Ele não teve coragem de contar pra ela.

E não é engraçado fazer alguém de idiota, Chaeyoung!

[Chaeyoung]:

Quer saber? Eu vou resolver isso agora!

Chaeyoung simplesmente larga o celular, e vai até a casa de um certo alguém. Como a casa não era longe, ela foi à pé tarde da noite mesmo. Não demorou muito até Chaeyoung estar na porta da pessoa, tocando incansavelmente a campainha.

— Mas que diab- A pessoa foi interrompida quando Chaeyoung a empurrou para dentro da casa.

— Olha aqui! Eu só vou falar uma vez, está me entendendo, Yeri? — Pergunta enquanto segura a garota contra a porta de sua casa. — Experimenta falar alguma coisa para a Joy, que eu vou ter certeza que todos saibam a vadiazinha que você é! Se eu me foder nessa história, eu faço questão que você vá junto comigo. Me entendeu? Eu espero que sim! — Chaeyoung apenas ameaçou a garota e foi embora.


— Você está mexendo com a pessoa errada, Son! Eu vou fazer você sofrer um pouquinho. — A garota fala sozinha, planejando o que faria para dar o troco.

Chaeyoung voltava para casa, só não esperava que começasse a chover. Não costumava chover muito em Londres. A rua estaria deserta, se não fosse pela presença de uma garota que parecia ser um pouco mais alta que Chaeyoung. Ela estava toda agasalhada, mas mesmo consideravelmente longe, dava pra ver que a garota tremia um pouco.

— Hey, você! Está tudo bem? Precisa de ajuda? — Chaeyoung corre em direção da garota. Quando olha em seu rosto, ela até poderia dizer que já tinha visto aquela garota, mas não se lembrava de onde. A chuva também a atrapalhava a ter uma visão clara.

— Não, eu só... Estou esperando os meus amigos aqui, eles estão vindo me buscar. Eu achei que poderia vir andando da casa de uma colega, mas a chuva me surpreendeu. — A garota diz rindo um pouco.

— Você está realmente com muito frio, pega o meu casaco! — Chaeyoung já estava a tirar a vestimenta.

— Oh! Não! Está tudo bem! Eu nem te conheço, e eu não quero te incomodar. Eu só... Realmente preciso ir! Mas, eu estou muito feliz que exista pessoas gentis como você. — Sorriu.

Ela era extremamente adorável.

— A pessoa gentil aqui agradece. — Chaeyoung estava sendo muito gentil mesmo, a mesma estava até se estranhando. — Então, a gente vai ficar conversando aqui na chuva mesmo?

— Você é de açúcar? — Brinca a garota.

— Bem engraçadinha você, não? — Chaeyoung ri. — Eu apenas não quero que você adoeça, você é bonita demais pra ficar doente, estranha!

— Esse tipo de flerte realmente funciona? Olha, se funciona... As garotas que te dão mole precisam ser mais exigentes. — As duas vão para debaixo de um tipo de tenda que havia na rua.

— Seu rosto me parece familiar... — Chaeyoung encara a garota à sua frente.

— Céus! As garotas realmente precisam ser mais exigentes. — Ri.

— Eu não estava dando em cima de você.

— Sério? — A garota lhe olha desconfiada.

— Bom, antes, não! Agora talvez... Você pode me dar o seu número? — A menor tentar jogar seu charme.

— Não dou meu número para estranhos. — A maior olha para Chaeyoung com uma falsa culpa.

— Não quer me conhecer melhor?

— Na verdade, não! — A maior ri.

— Você é cruel! — Chaeyoung cruza os braços.

— Tudo bem, uh... Me diz o seu nome! — A garota tenta puxar assunto.

— Oh! Agora você quer saber? — Chaeyoung pergunta com um sorriso convencido.

— Não, eu só não quero ser culpada caso você morra de tristeza por não conseguir atenção de uma garota que você encontrou no meio da rua em uma noite chuvosa.

— Cruel... — Murmura.

— Não quer me dizer? Tudo bem! Então, me deixe sozinha!

— Tudo bem! Você venceu, estranha!

— Não é como se fosse uma grande novidade pra mim.

— Son, Son Chaeyoung.

— Belo nome, Son Chaeyoung! — A maior sorri novamente.

— Você tem um sorriso bonito.

— Oh! E lá vamos nós de novo! — Revira os olhos.

— Eu... Eu não estava flertando, okay?

Elas apenas se olham.

— Você não vai me dizer o seu nome? — Chaeyoung pergunta.

— Eu poderia... Se eu não tivesse que ir embora.

— O que Mas, os seus amigos... — A menor foi interrompida por um carro que lentamente parava perto delas.

— Vamos, Pinguim! Não temos o dia todo. — Uma garota no carro direciona suas palavras à garota que está com Chaeyoung.

A garota desconhecida apenas entra no carro.

— Pinguim? Esse é o seu nome? — A menor ri.

— Oh! Você queria que fosse... Mas, você não saberá, estranha! Até nunca! — A desconhecia lhe direciona mais uma sorriso.

— Ei, você! Obrigado por cuidar da nossa menina! Ela é muito preciosa para nós. — O garoto que estava no volante fala.

— Como se eu precisasse de uma babá. — A estranha resmunga.

— Ela é sempre assim? — Chaeyoung pergunta rindo.

— Apenas quando está de bom humor! Enfim, obrigado mais uma vez! Tchau! — O garoto agradece mais uma vez, e dá partida com o carro.

Aquela noite foi ESTRANHAMENTE feliz para Chaeyoung.




           ______________♡________________


Notas Finais


Eu espero que vocês tenham gostado do capítulo! Ah! E, eu queria esclarecer que a fanfic se passa na Inglaterra, mais especificamente em Londres. Mas, logo vocês irão entender o motivo da fanfic se chamar "We Fell in Love in PARIS". Bom, é isso! Até a próxima, e não se esqueça de comentar e votar na fanfic para ajudar no crescimento.

Me siga no Twitter: @hiraijendeukie

~ Beijo da Hoshi.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...