História We Have All The Night - Capítulo 40


Escrita por:

Visualizações 59
Palavras 1.816
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Volteeeeei com a continuação, com pequenas alterações, da fanfic mais fofa desse Brasil! 😍

Espero que curtam 💕

Ah, e irão descobrir o segredo da Kara logo, juro! 🤭💗

Capítulo 40 - Merry Christimas!


Fanfic / Fanfiction We Have All The Night - Capítulo 40 - Merry Christimas!

Kara Grace p.o.v

 

A semana de provas finais passou voando, mas com ela, trouxe, além do frio congelante, as férias e as comemorações comuns de fim de ano, como o Natal, que, no caso, é amanhã. Nesse momento, Jack e eu estávamos jogando basquete no parque próximo as nossas casas, mas logo iríamos para a minha casa nos arrumar para a Ceia na casa do Jack, onde vão estar nossas famílias.

Jack: Vai arremessar essa bola ou eu vou ter que ir até aí e tirar ela de você?-ele fala, cruzando os braços, impaciente.

Eu: Vai ter que vir tirar de mim!-falo, mostrando a língua, ele começa a vir na minha direção e eu dou risada, quando ele estava próximo, eu arremesso e acabo acertando, fazendo mais uma cesta- Isso!

Jack: Droga! Como deixei isso acontecer?

Eu: Você não deixou, eu só sou boa no basquete!-falo, dando um pulinho, animada.

Jack: Você é tão exibida!-ele fala, me abraçando por trás e beijando minha bochecha.

Eu: Jack, acho melhor voltarmos pra casa, logo teremos que ir para a sua casa.

Jack: Você tem razão, está quase na hora.-ele fala, olhando o horário no celular. Enquanto ele buscava a bola, eu pegava minha bolsa em um banco, quando voltávamos para casa, ficamos conversando sobre o amigo secreto dos nossos amigos que ocorrerá amanhã quando nos encontrarmos de manhã na fazenda dos Gilinsky’s onde passaremos o final de semana, sorteamos os nomes no último dia de aula , eu tirei a Maya, meu presente? Ah, acho que nunca comentei, mas a Mayane é uma Vampette, ou seja, fã do The Vamps, e quando encontrei os meninos no programa eles me deram o novo CD, autografado, que só vai ser lançado daqui a uma semana- Conseguiu comprar todos os presentes de Natal?

Eu: Comprei todos, exceto uma parte do seu.

Jack: Por que não comprou o meu?

Eu: Eu já comprei, só falta chegar.

Jack: Qual é o meu presente?-ele pergunta, com expressão curiosa.

Eu: Não vou contar, Jack!

Jack: Se você não contar eu vou parar de falar com você!-ele fala, cruzando os braços, como uma criança.

Eu: Então não fala mais comigo.

Jack: É assim?-ele fala, parando de andar e fechando a cara.

Eu: Gilinsky, anda logo, estamos atrasados!

Jack: Me conta o que eu vou ganhar! 

Eu: Argh! Como você é chato! Okay! Vamos passar cinco dias em Nova York, para assistirmos a final do Super Bowl! 

Jack: Está me zoando?-ele fala, boquiaberto.

Eu: Não, já comprei as passagens e os ingressos, ah, e Angie fez nossa reserva em um hotel próximo a Times Square!-falo e Jack corre ao meu encontro, me abraçando e me rodando no ar- Jack! Me solta! 

Jack: Não vou te soltar nunca! Você é a mulher da minha vida, vamos nos casar?-ele fala,  o que me faz rir.

Eu: Jack, se acalma! Fique sabendo que eu só quero ir porque o meu time vai jogar!

Jack: Seu time? Você gosta de futebol americano?

Eu: Claro, torço para o Big Blue, baby!-falo, me referindo ao time que torço desde criança, “New York Giants”, como o Hayes e a Brid, ah, e como toda minha família.

Jack: Sério? Por que não para o Big Red?-ele fala, falando do time que ele torce, o Nebraska Cornhuskers, também conhecido como Big Red, que, a propósito, será o adversário do NY Giants na final desse ano.

Eu: Porque eu fui influenciado pela minha família.-falo, rindo da sua cara de decepcionado- Agora, podemos ir?

Jack: Sim.-ele fala, sorrindo e voltamos a caminhar- Se quer saber, já comprei o seu presente.

Eu: Com essa sua ceninha quase me esqueço! Qual é o meu presente?

Jack: Segredo...

Eu: Jack, não ouse esconder...-falo, cruzando os braços, ele começa a rir e sai correndo, corro atrás dele e nesse clima de risadas e brincadeiras, chegamos na minha casa, quando chegamos, colocamos nossos casacos e cachecol no mancebo ao lado a porta e fomos até a cozinha, onde meus pais estavam organizando os presentes.

Mãe: Kara, você deixou os presentes da Katherine e do David na mesa, certo?

Jack: Sogrinha, relaxa! 

Pai: É, Kris, relaxa!-ele fala, concordando com o Jack- Você está muito ansiosa.

 Eu: Isso tudo é medo dos meus sogros não gostarem de você?-falo, me sentando no balcão da cozinha.

Jack: Se esse for o seu medo, pode ficar tranquila, meus pais gostam muito de vocês.

Pai: E nós gostamos muito deles, só que a Kris nunca precisou lidar com jantares de Natal, porque sempre trabalhava nos feriados.

Eu: Vai dar tudo certo, mãe.

Mãe: Eu tenho certeza, bem, estou assando cookies e biscoitos.

Eu: Vai querer ajuda para finalizar os biscoitos?-falo, sorrindo, animada.

Mãe: Vou querer sim, os Gingerbread Man não vão se enfeitar sozinhos.-após nós quatro terminarmos de enfeitar os biscoitos e assar uma torta de amora, Jack e eu subimos para o meu quarto para nos vestirmos, tomei um banho quente e me vesti com um cropped de mangas longas preto, uma saia rodada vermelha de cintura alta, uma meia calça preta, uma bota estilo coturno cano curto preta com um salto baixo. Sento em frente à penteadeira, secando meus cabelos, os deixando soltos e naturalmente lisos, faço uma maquiagem leve, com muito rímel, delineado de gatinho e um batom matte vermelho.

Jack: Meu amor, você está linda.-ele fala, me rodando.

Eu: Obrigada! Na verdade, acho que estou pronta.

Jack: Na verdade falta uma touca.

Eu: Touca?-pergunto, confusa, ele sorri, deixando à mostra duas toucas de Papai Noel, o que me faz rir- Eu não vou usar isso!

Jack: Por favor, princesa!-ele fala, me abraçando, suspiro e reviro os olhos.

Eu: Me da essa touca.-falo, tirando a touca de suas mãos e a colocando, ele faz o mesmo e minha mãe entra no meu quarto, nos chamando para irmos.

Mãe: A propósito, vocês estão uma gracinha.-ela fala, segurando o riso, bufo e olho para o Jack, que se divertia com minha cara de quem estava detestando usar a touca. Descemos, levando as sobremesas e Kia para o carro conosco, quando chegamos na casa dos Gilinsky’s fomos recebidos pela Katherine e David, que pareciam tão empolgado quanto a gente.

Katherine: Kris! Victor! Que bom que conseguiram vir, podem deixar que eu ajudo com as sobremesas,-ela fala, ajudando minha mãe a levá-las para a cozinha- não precisavam trazer nada.

Mãe: Imagina, fizemos questão, mas não sei se estão bons, por mais que eu goste de cozinhar não faço isso há séculos!

David: Tenho certeza que estão ótimos, ah, podem deixar os presentes embaixo da árvore.

Katherine: Kris, se você gosta de cozinhar, me ajuda com a ceia? Pelo amor de Deus, eu não sei o que estou fazendo naquela cozinha!

Mãe: Claro, Katherine, vamos lá.

David: Victor, eu e o Jake estamos jogando basquete com os garotos lá fora, quer vir junto? 

Pai: Com certeza!

David: Ei, Jack, vem jogar com a gente, filho!

Jake: Isso, e aí fazemos os fodões,-meu tio fala, indicando meu pai e meu sogro- contra os pirralhos.

Dustin: Quem você está chamando de pirralho?

Tristan: Acabamos com vocês, coroas.

Pai: Quem está chamando de coroas, moleque?

David: Acabamos com vocês.

Jack: Essa eu pago pra ver! Posso jogar com eles, amor?-ele fala, virando pra mim.

Tristan: Claro que pode, Kara fica falando com as meninas.

Eu: Óbvio que pode, amor.-falo, ele me dá um selinho e os seis correm para o lado de fora da casa do Jack, onde tinha uma cesta de basquete, vou atrás deles, indo com Kia nos braços até Molly, que estava sentada em um banco, observando o jogo, com um cachorrinho do tamanho de Kia no colo- Oi, Molly!

Molly: Kara!-ela fala, se levantando e me abraçando- Que bom que chegou, senta aí, Laura foi buscar chocolate quente.

Eu: Quem está ganhando o jogo?

Molly: Acredita que nossos pais?-ela fala, me fazendo arregalar os olhos- Nossos namorados são péssimos perto dos velhotes.

Eu: Nunca pensei que meu pai era tão bom.

Molly: Idem. Ah, Kara, essa é a Kia?-ela fala, acariciando a cabecinha da Kia, concordo com a cabeça e ela sorri.

Eu: E esse pequeno?-pergunto, olhando para o filhote com pelo marrom em um tom alaranjado em seu colo.

Molly: É o Pumpkin, Dustin me deu há alguns dias.

Eu: Ele é um amor! E parece ter gostado da Kia.-falo, vendo os dois brincarem, colocamos eles no chão e os dois cachorrinhos correm pelo gramado. 

 

QUEBRA DE TEMPO

 

Laura: Kris, essa torta está maravilhosa!-ela fala, cortando mais um pedaço  de torta.

Mãe: Que bom que gostou, querida!

Tristan: Realmente, tia, esses cookies estão maravilhosos.

David: Mas por que alguns biscoitos parecem ter sido enfeitados por uma criança?

Eu: O papai que não sabe fazer nada direito!-falo, rindo.

Jake: Ih, te entregou, Victor!

Pai: Minha filha, eu sou médico, não o Buddy Valastro!-ele fala, fazendo todos rirem ao se comparar com o apresentador do “Cake Boss”.

Molly: Gente, e se abríssemos os presentes? Para conseguirmos brindar a meia noite.

Eu: Apoio!-começamos a distribuir os presentes, dos meus sogros eu ganhei saltos Louis Vuitton, da Laura ganhei uma pulseira da Pandora, da Molly e do Dustin, ganhei uma maleta de maquiagens da Mac, do meu tio ganhei um abajur rosa em forma de flamingo, que combinava muito com meu quarto, do meu pai eu ganhei um colar de ouro com meu nome em letras cursivas e da minha mãe eu ganhei um conjunto de brincos, colar e anel da marca Harry Winston- Ei, Jack, e o meu presente?

Jack: Vai lá buscar no meu quarto, pequena.-ele fala, com um sorriso malandro estampado nos lábios, o olho desconfiada e subo para seu quarto, chegando lá, vejo sobre a cama uma caixa e um buquê de Poinsettias vermelhas, ou, como são conhecidas, as “Flores do Natal”, sento na beira da cama e puxo o embrulho até mim, tento abrir com delicadeza, só tento, porque depois de perder a paciência o rasgo, deixo a caixa cair sobre meu colo, de tanta surpresa- Gostou, minha linda?

Eu: Se eu gostei? Jack, você me deu um Launchpad!-falo, o abraçando, Launchpad é um aparelho que auxilia na criação de músicas eletrônicas, você já deve ter visto em vídeos, aquele “teclado” que pisca quando a pessoa toca, basicamente- Meu presente ficou até sem graça perto do seu.

Jack: Não fala besteira, vamos para Nova York! 

Eu: Eu sei!-falo, rindo.

Katherine: JACK! KARA! VENHAM BRINDAR, FALTA UM MINUTO!-descemos para a sala, onde estavam todos em meio a comida e papéis de presente rasgados, Katherine servia champanhe pra todo mundo, assim que o soar da meia noite chegou, brindamos e demos abraços uns nos outros falando “Feliz Natal”.

Jack: Feliz Natal, minha pequena.-ele fala, me beijando.

Eu: Feliz Natal, meu amor.-falo, o abraçando.

Jack: Esse foi o melhor Natal que eu já tive.

Eu: Jura? Por quê?-falo, me afastando para poder olhar seus olhos.

Jack: Por você estar aqui comigo.


Notas Finais


Gostaram desse Natal, babies? 🎅🏻 Eu só sei que to com inveja dos presentes que a Kara recebeu, e vocês? Comentem tudo aí que eu vou estar acompanhando! 💛💥

Não esqueçam de conferir minhas outras fanfics sobre os meninos! ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...