História We Have To Hit, So Make It Right - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, 2young, Jinson, Jjproject, Markjin, Markjinson, Markson, Yugbam
Visualizações 30
Palavras 1.370
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


turu pom? quem é vivo sempre aparece

Capítulo 31 - XXIX


– Eu não acredito nisso Jaebum. – Youngjae dizia indignado batendo forte a porta após passar pela mesma.

– Você não acredita? Imagina só se isso passou pela minha cabeça!? – Encarou o mais novo.

– Por isso você não queria me falar sobre sua relação com ele? – Cruzou os braços.

– Por isso você não queria me contar de onde conhece ele?

– VOCÊ NÃO PODE ME CULPAR! – Youngjae disse, estava nervoso, sabia que tinha razão, mas Jaebum também.

– VOCÊ TAMBÉM NÃO PODE ME CULPAR!

– Eu só fiquei com ele porque você sabia que você tinha algo com mais alguém e ficava dizendo que nós não tínhamos nada sério e blábláblá. – Levou as mãos a cintura encarando o chão. – Mas, eu não achei que você realmente me traía... E por isso eu me senti culpado durante muito tempo. – Choi tinha mantinha o tom alto.

– Não é bem assim que as coisas acontecem, e você que disse que era melhor ficar como estávamos e blábláblá. – Imitava a forma como Youngjae falou. – E eu não traí você com ele!

– Traiu sim, e se você diz que não traiu não tem o menor direito de me acusar de algo. – Dizia com convicção.

– Eu não te traí com ele porque eu namorava ele muito tempo antes de te conhecer. – Fez Youngjae se calar. – Depois resolvemos terminar o relacionamento sério, e foi ai que eu comecei a ficar com você.

– Eu não acredito. – Levou a mão a boca.

– Ele me pediu para escolher entre você e ele. – Jaebum, finalmente, havia percebido o quão babaca estava sendo. – Eu escolhi você, e ele não quis mais falar comigo. – Falava já quase como um sussurro, envergonhado.

– Jaebum... – Youngjae se aproximou do mais velho. – O que mais você esconde de mim?

– Você também escondeu de mim. – Dizia indignado. – Não venha fazer eu me sentir mal, porque você também merece ser culpado.

– Eu sei... – Youngjae encarava o chão. – Eu escondi de você e você escondeu de mim. – Parecia triste. – Em um relacionamento saudável as pessoas não escondem as coisas uma da outra.

– Eu sei que não. – Abraçou o mais novo.

– Eu quero saber mais sobre você. – Pegou o celular e abriu o ‘notas'. – Pode me contar tudo... Tudo mesmo. – Jaebum sorriu, não sabia muito sobre si, não tinha boa memória, nem se lembrava de muitos momentos importantes, mas, havia algo que ele sabia, e que, com toda certeza, nunca esqueceria; ele amava Youngjae, e somente a hipótese de perdê-lo já o fazia sofrer.

– Eu te amo. – Deixou escapar, corando em seguida ao ver a expressão de surpresa que foi estampada no rosto do mais novo.

– Que!?

– Nada. – Jaebum se virou, nervoso demais para continuar encarando os olhinhos brilhosos de Jae.

– Eu também te amo. – Abraçou o mais velho pelas costas.

Jaebum sorriu bobo, não sabia que aquela pequena frase poderia o fazer tão feliz.

[ai que eu sou muito bixa romântica 💅]

...

– Não, não, eu não quero ouvir. – Mark tentava se livrar dos dois que haviam o seguido.

– Mas eu nem fiz nada! – Jackson dizia confuso.

– EXATAMENTE! – Gritou os encarando. – Você devia apoiar a boa convivência entre nós três.

– Mas, nós nem estávamos juntos. – Jinyoung tentava explicar. – Foi antes da gente te pedir...

– Não é esse o problema! – Mark o interrompeu.

– E foi no mesmo dia que você transou comigo, mesmo estando com ele. – Jackson se calou instantaneamente ao ver como Mark o encarava.

– É melhor você não se meter. – Estava realmente irritado. – E o problema não é que ele transou com alguém, o problema é ele não ter me dito nada.

– Eu vou me meter porque eu também faço parte desse relacionamento. – De Jackson, o namorado divertido, para Wang, o chato e sério; eles teriam problema para lidar com isso, e Jinyoung sabia disso.

– Jackson, calma. – Park tentava acalmar o chinês. – Vamos resolver isso.

– Qual o problema? – Tarde demais. – Qual o problema Mark? – Talvez fosse o estresse do trabalho, tudo que vem acontecendo com Hui Ying e Jia Li, o cansaço, a ansiedade, tudo de uma só vez; Jackson não estava bem, e sabia disso, mas, tinha que lidar com tudo aquilo, e não queria que brigassem nesse momento tão delicado. – Desculpa, é só que... Tem tanta coisa acontecendo, não vamos brigar agora, ok?

– Nós estamos só conversando. – A expressão emburrada de Mark ainda estava presente em seu rosto.

– Certo. – Jinyoung se mantinha calmo. – Foi errado... Não devemos esconder nada um do outro, mas, Mark, você também não deve esconder as coisas. – Chegou perto do mais velho. – O que está acontecendo?

– Nada. – Encarava um ponto fixo na parede. – Na verdade. – Suspirou alto. – Eu me sinto mal com isso.

– Como assim? – Jackson se aproximou dos dois. – Se sente mal com o que?

– Parece que eu sou um terceiro. – Abaixou a cabeça.

– Que!? – Jackson disse alto. – Ah não! Nem começa! Por favor.

– Jackson! – Jinyoung o encarou.

– Desculpa, é só que... é ridículo ele pensar essas coisas! – Se virou para Mark. – É ridículo você pensar essas coisas. – Segurava o rosto do mais velho com as duas mãos.

– Mas não é raro. – Jinyoung era compreensivo. – Você não deve se sentir assim, nós te amamos igual amamos um ao outro e você nos ama.

– Que? – Jackson o encarava confuso fazendo Park revirar os olhos.

– Eu sei, acho que eu só estou sensível. – Mark fazia manha. – Tudo isso com a mãe de Yugyeom me fez lembrar do quão fodida minha família também é.

– A família de todo mundo é meio fodida. – Jinyoung deixou um beijo na testa de Mark.

– Menos a sua. – Jackson abraçava Mark pela cintura.

– Minha mãe é uma boa mãe, mas o resto da minha família já pode queimar no mármore do inferno. – Continuou ao ver que os outros dois esperavam uma explicação. – Quando eu me assumi homo, minha mãe ultra me apoiou, mas só ela mesmo! Todo o resto da minha família me odeia, e nenhum deles fala mais com minha mãe, por ela ter deixado que eu “transformasse” numa “bichinha”. – Bufou. – Eu me senti culpado por muito tempo... Ainda bem que ela encontrou alguém sensato! Uma pessoa maravilhosa! Adoro meu padrasto. – Sorriu encarando os rostos interessados. – Eu não conheço meu pai biológico, ele sumiu assim que descobriu que minha mãe estava grávida.

– Meu pai ainda espera eu sair dessa “fase”. – Jackson dizia com uma voz tristonha. – Mas nenhum deles me renegou ou algo do tipo.

– O meu problema é com um primo meu. – Mark se encolheu ao perceber que começou a falar sem querer. – Ele é um cuzão, babaca, mal amado. – Tentou desviar o assunto.

– O que ele fez? – Jackson perguntou encarando o mais velho que engoliu seco ao se ver em uma rua sem saída.

– Ele já está preso. – Sorriu falsamente.

– O que ele fez para estar preso? – Jinyoung perguntou assustado.

– Esse assunto está muito deprimente! – Tentava mudar o rumo da conversa. – Vamos assistir um filme?

– Mark!? – Jackson chamou sua atenção. – O que ele fez? – Dizia rouco.

– Nada! – Encarou os dois com o cenho franzido. – Não gosto de falar sobre isso! E, já passou! Agora está tudo bem. – Tinha um sorriso nervoso.

– Sem esconder, lembra Mark? – Jinyoung segurava a mão de Tuan.

– Eu sei! Quando eu me sentir confortável eu conto, ok? – Abraçou os dois, sorriu ao perceber o quão bom era o cheiro dos perfumes misturados.

– Me deixar criando teorias é bem pior. – Jackson disse recebendo um puxão de orelha de Jinyoung.

..

//Chamada: Desconhecido.

– Jia Li?

– Como as vacas teclam se vocês não tem polegares?

– Escuta! Eu sei que você está atrás de mim.

– Hum...

– Se você ao menos pensar em estragar meus planos, ou ao menos se imaginar chegando perto de mim, eu juro, eu juro que eu vou fazer você se arrepender amargamente pelo resto da sua vidinha... Que não vai ser longa!

– Ah, ok, anotado, a gente se vê boneca! Espero que esteja preparada, meu sangue ferve por uma boa briga.

– Eu estou falando sério... Eu sei aonde JiYoo mora. – Cantarolava.

– Encosta um dedinho nela e eu mato o Jackson e depois você.

– Mas você não está trabalhando com ele?

– Exatamente! Fica mais fácil assim.

– Nós seriamos imbatíveis se trabalhássemos juntas! Seríamos donas do mundo!

– Meu ódio por você é maior que o meu ódio pelo riquinho nojento Wang. Então, Hui Ying, não me testa a paciência!

Chamada finalizada.//


Notas Finais


acabei de perceber que o cap inteiro é só diálogo
parabéns aos ícones que ainda leem isso
vocês são demais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...