História We Were One. - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Emma Swan, Regina Mills, Swanqueen
Visualizações 302
Palavras 3.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Ficção Adolescente, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi xuxus, sim eu sei, eu demorei demais, e peço desculpas por isso.

Boa leitura! ♥

Capítulo 18 - Calcinha vibratória.


POV Emma

Em 3 dias meus pais estarão aqui,e eu estive pensando em coisas que eu poderia fazer com eles e lugares para ir, algo que incluísse Regina também. Nem minha mãe, nem meu pai sabiam de sua volta, e nem que estávamos juntas de novo, não sei como vão reagir, ou melhor, como David irá reagir, mas sinceramente, isso não tem me importado muito.

Regina estava insistindo para eu em ir com ela e o tal do Robin pra onde quer que eles fossem, mas eu não me prestaria a esse papel. Lhe disse para ela ir se quisesse, que eu iria confiar nela. Por que de fato confio, não gosto da relação deles, mas não posso impedi-la de fazer amizades com quem ela quiser... E não devo me preocupar, certo?

Meu celular tocou e balancei a cabeça mandando embora os pensamentos que viam.

-Rose, oi!! -Disse animada.

-Oi Emma, estou ligando pra dizer que vou poder ir com você no orfanato. Ok?

-Você vai adorar. Passamos na sua casa amanhã e te pegamos ok?

-Ok. Eu tenho umas fantasias aqui, vou levar caso você queira usar.

-Já tá no espírito da coisa. Ótimo! – Rimos no telefone e ela deu tchau.

Tem alguns dias que eu chamei Rose para ir conosco, e fiquei feliz em saber que ela iria.

POV Regina

Eu tinha comprado novos narizes de palhaço para dar à Emma e Ruby. Eu adorei a primeira visita ao orfanato, e queria continuar indo com frequência.

Enquanto eu ia ao apartamento de Emma, eu pensava como e em qual momento eu ia fazer ela usar a calcinha vibratória. Talvez eu já soubesse, só preciso fazê-la aceitar.

Toquei a campainha e fui recebida por Ruby que já estava toda caracterizada de palhacinha. A cumprimentei e pude ouvir risadas, uma delas era a de Emma a outra não reconheci, fui até seu quarto seguindo o som da risada e ao entrar descobri quem ria com ela.

-Oi,professora Mills. – Rose disse, parecendo um pouco surpresa com minha chegada ali.

-Oi. – Sorri tentando mostrar simpatia. – Fora da faculdade é Srta Mills,por favor.

Ela sorriu.

-Oi meu amor. – Emma disse me dando um selinho.

-Olha, eu trouxe isso para você e Ruby. – Estendi as mãos dando uma caixinha com os dois narizes de palhaço dentro.

-Obrigada. - Emma sorriu abrindo.

-Não sabia que viria Srta McIver. Desculpe pelo nariz.

-Imagina. – Nos olhamos e podia jurar que seu sorriso conseguia ser ainda mais forçado que o meu.

POV Rose

Eu não posso negar que fiquei muito surpresa ao ver a professora Mills entrando no quarto de Emma, e também não sei se consegui disfarçar como não gostei disso.

Ela era a ultima pessoa que esperava ver ali.

Agora todas as minhas suspeitas se confirmaram. Elas têm algo. Não sei se ficou tão claro a minha cara de desapontamento ao vê-las se beijarem. Mas ainda assim sorri para a professora Mills.

Saímos e eu tive que presenciar cada momento de “melação” das duas até chegarmos ao orfanato.

POV Emma

Chegamos. Senti meus lábios formarem um sorriso largo.

Eu não conseguia explicar o que sentia ao entrar naquele lugar e ver cada um daqueles sorrisinhos se formarem com a nossa chegada. Éramos sempre recebidas com muitos carinho.

-Vamos brincar de esconde-esconde, a tia Gina vai procurar a gente. Corram. – Eu disse e pude ver Regina fingir estar brava comigo, e correr atrás de mim enquanto todas as outras crianças corriam para se esconderem. Logo Regina parou de correr para contar com olhos fechados.

-...39,40. Lá vou eu. Encontrei tia Emma aqui. – Gritei fingindo estar assustada. – Olha, é o bumbum do Luis ali. - Ela foi encontrando e gritando o nome de cada um, até que todos os outros saíram de seus esconderijos e se jogaram em cima dela.

Ruby estava com os bebês e crianças menores. Deixei Regina com as crianças e fui até uma das mulheres que trabalhavam ali, não eram muitas.

-Percebi que algumas crianças que vi na ultima vez que vim não estão aqui. É sempre bom saber que elas encontrarão um lar em algum momento.- Nessa hora vi Rose que antes estava com Ruby, se aproximar de mim e da funcionária do lar.

-Sim, nós sentimos sempre um grande aperto no coração ao vê-las saírem daqui. Mas elas precisam de uma família, né. – Ela disse cabisbaixa.– Alguns aqui acreditam que nunca serão adotados por ninguém por serem um pouco maiores, e que nunca terão "uma família como todo mundo tem", eles nos dizem.

Eu não respondi em palavras,apenas com meu olhar desanimado. Eu sabia que isso era uma realidade dentro de orfanatos, dentre tantas outras realidades tão tristes vividas por algumas crianças que viviam ali; os motivos pelos quais entraram lá, o fato de talvez nunca conseguirem acreditar no amor novamente,o medo de confiarem nas pessoas, e todos os traumas que sei que alguns ali tiveram, mesmo tão pequenos, mesmo tendo vivido tão pouco, e desse pouco terem passado por tantos sofrimentos.

Mas me alegro em saber que nós conseguíamos pelo menos um pouco, trazer felicidade e amor para cada um deles.

Uma menininha parou ao nosso lado puxando meu vestido, me fazendo sair dos meus pensamentos, ela sorria e apontava para Regina que vinha correndo atrás dela. A peguei no colo e saí correndo dizendo que eu iria protegê-la de Regina.

Uma hora e alguns minutos já haviam se passado, estávamos agora saindo do lar indo em direção ao carro.

-Eu vi como ficou mal com o que a moça lá dentro te falou. Mas não quero te ver assim, ok?

-Ah, é sempre muito tocante, não é? Mas eu estou bem. Obrigada Rose.

Sorri para ela.

Ruby deixou Rose em sua casa e depois fomos para meu apartamento, Regina pegaria seu carro que havia deixado lá. Nós duas nos despedimos e fiquei sozinha com Ruby.

No dia seguinte,fui à casa de Rose dar continuidade ao trabalho do professor Hopper. Ruby não pôde ir pois não se sentia bem, assim como também provavelmente não iria à aula a noite.

Rose parecia estar séria, ou mal humorada, não sei, mas estava diferente do dia anterior. Mas eu não perguntei o motivo. Me sentei no chão ao lado de Killian e o restante do grupo e iniciamos de onde havíamos parado na ultima vez, e depois que terminássemos todos iriamos juntos para a faculdade.

********

-Srta Swan?

-Oi, srta Mills? - Eu disse ao ver Regina se aproximar de seu carro, onde eu a esperava em pé em frente a porta do motorista.

-O que faz aqui?

-Pensei em aproveitar e tirar umas duvidas com minha professora preferida.

-Qual sua dúvida,querida? - Ela disse colocando suas mãos no vidro do carro me prendendo ali.

Tentei me aproximar para um beijo mas ela se esquivou.

Regina abriu a porta do carro e entramos.

Suas mãos subiram por dentro da minha blusa. Senti meu corpo arrepiar.

Seus lábios distribuía beijos pelo meu pescoço, chegou no lóbulo da minha orelha o qual ela mordiscou.

-Ainda tem gente saindo da faculdade. - Ela disse vendo algumas pessoas ao longe.

-Eu sei.

Respirações descompassadas.

Vidros embaçados.

Me sentei no colo de Regina,ela começou a tirar minha blusa rapidamente. Seus lábios agora desciam beijando e chupando meus seios.

-Merda.

Regina disse assim que,ao tentar abrir minha calça meu corpo apertou a buzina do carro,fazendo com que todos ali no Campus olhassem pro estacionamento. Começamos a rir e eu voltei pro banco do passageiro.

-Podemos terminar isso lá em casa. - Regina falou já ligando o carro e saindo do estacionamento. Sorri perversa para ela.

POV Regina

Chegamos à minha casa, tomamos banho juntas para depois jantarmos.

-O que acha de irmos ao restaurante amanhã? - Sugeri.

Emma comia sentada no sofá com uma de suas pernas em cima da minha. As duas estávamos usando apenas camisetas largas,e calcinhas, e meias.

-Só nós duas?

-Sim. A menos que queira levar sua amiga Rose. - Rose ter ido ao orfanato hoje e estar tão unida com Emma não me agradou em nada. Mas não quis demonstrar isso hoje cedo.

-Não, claro que não. Por que falou isso? - Revirei os olhos. - Não me diga que é por ela ter ido com a gente hoje pro orfanato?

-Sim.

-Ciumes srta Mills?

-Claro que não, Emma.

-Você não tem que ter ciumes, meu amor. Além do que Rose com certeza é hétero. - Disse levando comida à boca.

-Por que você acha?

-Simplesmente não acho que ela curta mulheres,ué.

Não respondi. Não havia pensado nisso, mas de qualquer forma não conseguia acreditar naquela garota.

Comemos e fomos para meu quarto. Deitadas com as pernas entrelaçadas,a mão de Emma começava a passar pela minha coxa,não sei se era sua intenção me excitar, mas ela estava conseguindo aos poucos.

Seus dedos chegavam até minha vagina,ainda por cima da calcinha,e desciam de volta para minha coxa.

Senti meus seios arrepiados com seus toques, que agora subiram até eles.

Fechei meus olhos sentindo seus toques tão suaves e ao mesmo tempo tão intensos. Suspirei forte.

- Emma.

Disse suspirando e a puxei colocando em meu colo. Vi seu sorriso perverso, era sim sua intenção me deixar excitada. E você conseguiu Emma, pensei.

Puxei ela pela nuca e nos beijamos sedentas. Minhas mãos agora fazia sua bunda se mover em cima do meu sexo já muito úmido.

Emma abocanhou meus peitos com gosto, me deixando - se é que isso era possível - mais molhada. Desceu lambendo minha barriga até chegar em minha vagina, se lambuzando e chupando enquanto me sentia rebolar na sua boca.

Meu corpo se contorcia mais e mais, conforme suas chupadas se faziam mais rápidas. Emma enfiou um dedo e depois o outro, que entraram com facilidade em mim.

Chupava e estocava seus dedos com força.

Gemi e ela entendeu que eu queria mais força em seus movimentos.

Gozei, sua boca sugava todo meu liquido.

Emma deitou em meu peito nu e assim dormimos.

POV Emma

Era sábado a tarde, eu havia passado a manhã toda com Regina. Não tinha melhor maneira de se iniciar um dia.

Depois pedi para ela me trazer em casa, havia me esquecido que meus pais chegariam hoje. Só não haviam confirmado horário ainda.

Liguei para Ruby e ela disse que não poderia me ver hoje,iria sair com alguém no fim da tarde,e agora estava colocando em dia as atividades da faculdade do dia em que havia faltado. Ok,eu disse e revirei meus olhos para sua resposta.

Eram quase 19h00, então comecei a me arrumar para o jantar com Regina. Optei por um vestido vermelho justo, altura à cima dos joelhos e com um decote, nada exagerado. Nos pés um salto preto, e uma leve maquiagem.

Regina chegou e esperou que eu terminasse de me arrumar.

-Emma, onde está a calcinha que te dei?

-Não Regina, eu não vou usar isso. -Eu disse saindo da frente do espelho para fitá-la.

-Eu não vejo problema em usar isso.

-Então coloque-a você, vou adorar apertar esse controle e te ver descontrolada. - Sorri mordendo os lábios.

-Eu comprei essa especialmente pra você, e não vejo melhor momento para usar que não agora.

-Num restaurante? É inapropriado.

-Ninguém irá notar. - Eu olhei para Regina e ela tinha os mesmos olhos de uma criança pedindo por doces.

-Eu uso. - Sorriu quase saltitando feliz com minha resposta.- Mas desde que use quando eu pedir também.

- Imaginei que não iria ser fácil te fazer usá-la. Mas diferente de você, eu não vejo problema em usar isso. - Disse debochada andando na minha frente até a porta enquanto eu vestia a calcinha.

Deixei avisado ao porteiro do prédio para que deixasse meus pais entrarem no meu apartamento assim que eles chegassem, pois eu não iria poder recebê-los.

-Eu não sabia que tinha esse fetiche, srta Mills.

-Eu também não. - Riu. - Até que eu vi essa calcinha no Sexshop.

Chegamos ao restaurante e estava bem cheio, e eu não acredito que tive coragem de aceitar esse pedido louco de Regina.

-Sei o que está pensando. Mas não vale tirar.

Revirei os olhos. Eu iria fazer ela pagar por isso.

Ela ria de mim enquanto eu sentia vibrações em minha vagina. Era gostoso, eu não posso negar, mas eu sentia que todos ali sabiam o que estava acontecendo debaixo da saia do meu vestido. A caminhada até a mesa parecia eterna e torturante. Regina apertou o botão do vibrador eu tentei andar normalmente, tentativa falha, já que quase caí.

-Relaxa, ninguém sabe o que está acontecendo na sua calcinha, amor. - Ela disse rindo passando seus dedos em minha mão. -Garçom. - Fez sinal com a mão e ele veio até nossa mesa.

Ela fez o seu pedido, e quando o garçom se virou para mim, eu acreditei que Regina não iria apertar, mas ela apertou e me mexi estranhamente na cadeira. O olhar do rapaz para mim era curioso e talvez até um pouco preocupado.

-E-eu quero- Minhas pernas se cruzavam embaixo da mesa, e meu pedido saia quase num gemido que eu estava tentando conter. -camarã-ão. - Sorri tentando mostrar naturalidade na fala.

Finalizei meu pedido e ele saiu, Regina ria de mim enquanto eu começava a sentir uma umidade no meu sexo. Ela havia deixado de apertar o botão um pouco, e então começamos a conversar enquanto esperávamos pela comida.

-Imagino que você esteja toda molhada agora, srta Swan. - Ela sussurrou em meu ouvido me causando arrepios.

Fechei meus olhos e por baixo da mesa apertei sua perna.

POV Ruby

Eu não contei para Emma com quem eu iria sair hoje, não quero contar ainda já que é algo muito novo. Eu estava com Killian num ótimo restaurante, combinamos de fazer algo diferente esse final de semana. Mas não imaginei que Emma e a professora Mills pensariam no mesmo. Me assustei quando vi as duas sentadas, não tinha como escapar então falei com elas.

-Oi Emms, oi professora Mills.

-Rubys, - Emma disse animada e um pouco surpresa ao ver com quem eu estava. - Killian,oi. O que fazem aqui?

-Viemos jantar, comer algo diferente essa noite. - Eu disse ignorando seu olhar interrogativo cheio de raiva e me sentei na mesa sem nem perguntar se elas se importavam. Notei Emma se contorcer de um jeito estranho na cadeira.

Senti meu celular vibrar, era uma mensagem da tia Mary.

Oi tia! Sim, estou com Emma. Estamos no restaurante Flavor.

-Sua mãe está vindo para cá, Emma. -Sorri- Vamos fazer o pedido Killian?

POV Emma

Eu queria muito matar minha melhor amiga nesse momento, por dois motivos.

1. Ela não me contou que saía com Killian.

2. Disse à minha mãe onde eu estava.

Não adiantava mais dizer para que meus pais não viessem, eles sabem onde fica o restaurante,e não era muito longe do meu apartamento, não demorariam à chegar.

Regina me olhou sem jeito, talvez estivesse um tanto sem graça já que estava jantando com alunos e um deles era sua namorada. Mas nem isso fez ela parar de aperta o maldito botão da calcinha. 

Ruby havia feito seu pedido com Killian, e nós quatro conversávamos animados e já mais um pouco à vontade.

 

POV Regina

Eu não tinha falado para Emma e acho que ela não havia notado,mas o controle da calcinha havia caído no momento em que me levantei para cumprimentar Ruby e Killian,procurei por ele quando me sentei,mas não o encontrei. Por sorte não caiu em mãos erradas,já que Emma parecia não sentir mais nada.

-Vocês querem mais um vinho?

-Sim. - Disseram e eu chamei o garçom, senti as mãos de Emma puxarem meu braço e o apertar.

Ela sorria mas não parecia contente. Comecei a rir quando entendi,alguém apertava o controle,mas eu não sabia quem. Senti suas mãos apertarem minha coxa por baixo da mesa. Seus olhos fechavam e abriam como que tentasse se controlar diante da situação.

- Senhora está tudo bem? Precisa de algo. - O garçom que chamei perguntou para Emma.

-Estou - Ela disse quase gritando.- Eu to-to muito bem. - Suas pernas cruzavam embaixo da mesa.

Killian que sentou ao lado de Emma, pegou seu celular acreditando que vinha dele a vibração que escutava.

-Eu vou ao banheiro. - Emma tentou dizer mas eu sugeri um brinde, não podia deixá-la sair dali.

-Um brinde, à família, amigos, amores. À isso. - Segurei sua mão e não pude conter o riso.

-À isso ,um brinde, à TUDO- Emma falou um tanto ofegante, e gritando algumas palavras. Ela era a unica que estava em pé na frente da mesa.- tudo isso,i-issSOO.-  Pude notar o olhar de Ruby e de Killian para Emma, não entendo a maneira como ela falava. O garçom ainda parado na mesa.

- Gostariam de fazer mais algum pedido, senhora? 

- sIM - Emma disse quase gritando. - Eu quero uma, uma, é. - Parecia perder as palavras. Ainda de pé ela apoiou as mãos na mesa fechando os olhos soltando um suspiro para logo sorrir e se sentar ao meu lado apertando minhas mãos. - Vamos ao banheiro Regina.

Saímos deixando todos, incluindo o garçom confusos.

-Por que você fez isso?

-Não fui eu, eu juro. Caiu quando cumprimentei seus amigos, não sei onde está. Mas parece ter sido bom, acho que não precisa mais de meus serviços, srta Swan.

-Ainda é cedo para piadas. - Ela disse séria ,o que me deu ainda mais vontade de rir. - Não sei como aceitei isso, mas tenho que dizer que foi gostoso. - Me olhou contendo o riso, com certeza não queria demonstrar o quanto gostou. - Não sei como voltar para aquela mesa. Te odeio Regina. 

****

POV Emma

-Emma, o que aconteceu com você? É o que estou pensando? - Ruby me perguntou se aproximando do meu ouvido, eu apenas a olhei arqueando minhas sobrancelhas e ela riu.

-Filha- Ouvi a voz da minha mãe e me levantei para cumprimentá-la. - Como você está? Quanta saudade eu senti de você.

-Oi Emma. - Meu pai disse um tanto menos animado que minha mãe, mas nos abraçamos. Senti muita saudade dele ainda que com tantos problemas.

- Eu estou ótima e vocês dois, hein? Essas são Regina e Ruby, como vocês sabem. - Sorri vendo a expressão séria de David. - E esse é Killian, dever ser o novo namorado de Ruby. - Disse a encarando.

Nos sentamos, e começamos a conversar, e por incrível que pareça, a conversa fluía bem e gostosa, mesmo com Regina e meu pai estando juntos no mesmo lugar.

Mais tarde todos fomos embora, somente Ruby com Killian que foram para um lugar diferente.

-Eu queria que você ficasse aqui essa noite, meu amor. - Eu disse ainda dentro do carro de Regina. 

- Eu também queria, mas é melhor eu ir para não causar nenhuma confusão. - Regina disse vendo meus pais saindo do taxi e me esperando em frente ao meu prédio. 

- Te amo.

- Te amo.

Nos beijamos e eu saí do carro, antes de fechar a porta Regina segurou minhas mãos e disse:

- É uma pena eu não poder finalizar o que a calcinha começou. - Ela piscou pra mim e fechou a porta antes que eu pudesse responder. 

- Vamos querida. - Mary disse e subi com os dois, rindo de raiva e de amor pelo que Regina me fez passar hoje.


Notas Finais


O que acharam??? sjkdhjf
Não sei se ficou tão bom, eu tentei colocar minha ideia da melhor maneira, mas não sei se consegui muito aaaa enfim. Alias inspirada no filme "A Verdade Nua e Crua". kkkkkjj

Beijos e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...