História We will be queens of the world. - Capítulo 7


Escrita por: e Mima-Lee

Postado
Categorias A.D. Police
Personagens Personagens Originais
Tags Countryhumans, Universoalternativo
Visualizações 5
Palavras 2.110
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Científica, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu sei que demorei... Sim. Mas... Têm de me dar um desconto, poh... Obrigado por esperarem e espero que gostem. Não se esqueçam de, por favor, deixar asks.

Capítulo 7 - A terra perdida


Fanfic / Fanfiction We will be queens of the world. - Capítulo 7 - A terra perdida

Point of view Snow

Estávamos perto dos montes Ursais e do lago Karachai (o lago mais puluido do mundo e também já serviu como depósito para serviços nucleares). Eu, o Jão, a Aninhas, a Lee e o Dmitry. (que a muito custo veio). Estávamos numa aldeia pequena e que vivia mais ou menos como em metade do séc. XIX. Ele não tinha sido esquecida, o antigo governo russo sabe bem que ela existe, mas para outros países, foi perdida. Porque estávamos ali? A A implorou que fossemos investigar algumas cidades perdidas que existem na Rússia e eu também, curiosa, fui ver. Existem sítios mais perigosos mas mesmo assim tivemos de vir com equipamento. 

-Olha só para isto Snow! A À gua quase não perdeu a cor! Muita gente podia vir aqui e enganar se... Devíamos pôr algumas placas... 

-Sim, talvez... - disse, o D pôs uma mão no meu ombro e aponto para o ouvido. 

Aquilo queria dizer para amplificarnos a audição... É uma das coisas boas de sermos erros. Ouvi algo distante, pesado a vir na nossa direção a uma velocidade exorbitante,quase como uma.... 

-Bomba! - disse o D a apontar para um ponto preto que vinha não na nossa direcção, mas sim na direcção do lago... 

Se aquilo fosse parar ao lago iria causar um tsunami de resíduos nucleares, o que iria matar muita gente! E os danos seriam quase irreparáveis! Não tinhamos muito tempo... O que poderíamos fazer...? 

-Mas que raio... - disse a Lee a apontar para outra bombas que ia na direção da bomba que vinha na direção do lago. 

Passados alguns segundos uma colidiu com a outra. Como as bombas estavam muito perto de nós ouviu se um estondro enorme que deixou o ouvido esquerdo (o único que não estava computadorizado) a sangrar, por isso não ouvia nada. Eles diziam qualquer coisa mas eu não percebia patavina. 

-Temos de sair daqui o mais rápido possível! - eles olharam para mim espantados e  aí não sei porquê caí e depois não vi mais nada. 

***

-Bem, feliz Halloween! E bem... Para comemorar o Halloween trazemos notícias horríveis! Ahaah, percebeste, percebeste? - disse o apresentador a dar cotoveladas na apresentadora. 

-Sim, sim muito engraçado Kaile, estares a gozar com isto. - ele aclareou a voz e permaneceu calado. - continuando... Na Rússia, mais concretamente ao pé do lago Karachai, uma /uclear tentou atacar a Presidente, Snow, e outros presidentes /generais. Mas, felizmente outra interceptou, já estão a investigar o caso e agora Ken, podes nos dizer o que já se sabe. - ele ficou a olhar para a câmera por uns momentos e depois falou. 

-Sim! Tive o privilégio de falar com a Anovsli, Anovs... Anovski...? Ah pronto, cientista que esteve no local quando a bomba os ia atacar. E pelo que se sabe a presidente foi a única com danos, não sabemos ao certo quais ainda... Pensa se que os países envolvidos nesta catástrofe são : a Turquia, Síria, França, Alemanha e Itália...-alguém desliga a televisão e ouço passos, tento abrir os olhos mas... Não consigo, nunca estive tão imponente, a minha cabeça martelada e nem pensar conseguia. 

-Sim, podem entrar. - diz uma voz que não conheço, tento ligar algo computadorizado, para... Pelo menos... Me mecher. - Conseguimos curar o ouvido que está surdo dela, mas os químicos que afetaram os dois nos circuitos. Podemos não conseguir cura los.... - Quê?! Como assim? Deus minha Nossa senhora! Dá Tocha! Eu posso ficar... Imóvel. 

-Não... - Boa, consegui dar um sinal de vida, agora tenta te mecher... Boa, falhaste. 

-S-Snow? Estás bem? - ouço a Aninhas dizer. Mas tu estás a gozar, achas sinceramente que estou bem? 

-O-o D t-tambem f-foi afetado...? - digo mais lentamente que esperava. 

-S-sim está como tu, ao teu lado. - tento abrir os olhos e.... Consigo! Ponto para mim! 

Aquilo parecia mais um funeral, o meu funeral aparentemente, elas estavam com o rimel esborratado e eles suavam... Ou seriam lágrimas, não sei, confundia se. Tentei virar a cabeça para o lado e foi como se um parafuso tivesse furado na minha cabeça, deveria ser o local do ferimento do ouvido,até larguei umas lágrimas de dor. Depois vi o D, que estava completamente queimado de um lado e do outro não, ou seja da parte computadorizada. Então aí olhei para mim estava igual a ele... Isto poderia piorar? 

-Ähm, meus senhores, a senhora Gots precisa de repouso.... Podem me dizer porque raio eles od ois são.... Como hei de dizer.... Cyborgs? - RU aceno que não com a cabeça com o máximo de forças que consegui juntar. 

-Ahm , coisas do governo.... - disse a Lo rapidamente antes do Jão dizer alguma porcaria. 

-Muito bem. Mas agora eles precisam repousar o máximo possível. - todos saíram meio depressivos e eu tentei repousar... Mas não deu certo, a ansiedade de saber se vou ficar paraplégica era muita. Então olhei para o D que abriu os olhos de seguida quando a mulher saiu. 

-Tu estavas acordado este tempo todo, certo? - penso que ele disse um sim e olhou na minha direção, a boca dele estava cozida de um lado. Se ele estava assim e não tinha sido muito computadorizado, nem quero imaginar como eu estou.... - O que fazemos? - ele encolhe os ombros. 

-Ouviste quem possa ter feito... - acenei que sim- Estão a tentar matar nos mesmo assim... Vamos ter de os tomar! - eu olho para ele com uma cara de espanto. 

-Achas que vamos conseguir alguma coisa assim? - aponto para os ferimentos. 

-Não, fazemos um plano enquanto estivermos assim... 

***

-Oi Snow, tudo bem, ähm, estiveste a chorar? - disse a A sentado ao lado da minha cadeira. Ela olha para mim curiosa, como se estivesse à espera de pelo menos uma lágrima. Realmente tinha estado, mas é a vantagem de fazer reações que ninguém consegue distinguir. 

-Se com tudo bem referes te a estar igual uma visita após a outra...? - ele olhou para baixo. - Порошу прощения... Não é assim tão fácil estar assim. 

-Sim, percebo... Então o que vais fazer quanto a eles...? Eles tentaram mesmo eliminar vos à luz do dia! Isto não vai ficar assim! 

-Sim, tens razão, mas também precisamos de um bom plano para tomar essas nações, porque são poderosas, ricas e o mundo ainda não sabe ao certo o porquê de eles terem feito isso, se eles continuarem a insinuar que foi um acidente ainda lhes fica pior.... Espera aí... Aquilo é vodka?Voskaaaaa!!!!!! - levantei - me um pouco a custo mas fui buscar a minha querida vodka. 

-E-espera tu estás bem....? Como ficaste bem tão de repente. 

-Aninhas, é vodka, dá te aaaaasas! - ela olhou para mim incrédula. 

-Keim? - (parece quem, mas é keim...)   

-Dá aí para mim! - disse o D de repente. 

-Tu estavas acordado?! Vocês são mesmo estranhos. 

***

-Estou farta... - já nem conseguia manter a minha imponência na voz. Estava tão escuro na minha cabeça que só me apetece pôr me numa bola e chorar. 

-Mas Snow... Vocês estão ainda... Como hei de dizer... Ähm... Doentes....! 

-Não quero saber, vou como tenho de ir! 

-Ela é mesmo teimosa... - disse o J, então o D o pegou pela gola e o levantou. 

-Мне это надоело ... Посмотри, заткнись!-disse o D já com os nervos em franja. 

***

-Andem lesmas! Estão à espera de quê?! - disse o  T já com pouca paciência no avião (ele ia conduzi lo). - Que as galinhas tenham dentes? 

-Elas já têm idiota! - disse a Lo. - ao passo deles.... 

-Ei também não estão a pensar que eu consiga correr já! - disse a coxear um pouco, se repararem, enquanto o D foi paralisado em sítios ocalhas eu estava só paralisada de um lado do meu corpo enquanto o outro está completamente bem. 

Entrámos todos no helicóptero e elas já estavam com o terço nas mãos de ser o Tom a pilotar. 

-Oh, vá lá dêem lhe uma chance, ainda não sabem se ele pilota be... Jasus! - o avião mudou de rota com uma força descomunal que o J ia caindo do helicóptero abaixo. - Deux miha nosha cenoura! Que porcaria foi esta T?! 

-Ah, pensei que queriam mais ação... - disse ele um picado desconsolado. 

-A importância dos cintos de segurança, parte um-disse num tom sarcástico. 

-Depois da Lee e a Lo terem dito ao Tomás os Perigos de cair avião abaixo aterramos e o J beijou o chão.

-Estamos vivos!!! Nunca mais voltas a pilotar essa coisa, 'tas a ouvir? - o T mostra as mãos como se a polícia o tivesses a ameaçar.

-Estamos vivos, ähm? Ninguém estava à espera. - digo.

-Pilotas melhor?-disse ele muito ofendido e eu murmurei <<да>> em russo. - já te disse que não percebo coreano. - estava para partir lhe os dentes todos, mas a A precisa dele... Infelizmente.

Só tinha reparado onde estávamos agora. Um vale enorme... Com uma pedra no meio do chão onde o helicóptero aterrou.

-Onde estamos? - eles olharam para mim, a maior parte estava confusa.

-Aparentemente no C* de Judasda França... Este sítio não tem nome sequer. É como uma cidade perdida, mas nem mesmo o governo sabe deste sítio. - disse a Lee a olhar em redor.

-É como tu sabes...? - perguntou o J e ela encolheu os ombros.

***

Trouxemos uma tenda, mas só metade sabia monta lá, era uma tipie grande com um poste para a segurar a meio, o resto ajudou a fazer o comer, tive de ajudar com a tenda mesmo tendo caído umas boas vezes. Pelo menos os que iriam fazer o comer sabiam(o Tom sabe fazer comer, sim) O suposto era esta noite fazermos um plano, mas começaram a dançar no '' varão '' e a rirem se, então não deu para fazer mais nada.

***

Acordei... 8h, já era uma boa hora de acordar, aproveitei que todos estavam a dormir e vesti me. 8h e 15min. Saí, felizmente estava aquele frio matinal, que dá aquele ar especial aos pulmões. Peguei na minha moleta e comecei a explorar, havia ali um lago gelado, e era ainda só Dezembro, parecia o verão na Rússia. Havia uma floresta e uns pássaros, até que vi um gato preto e olhos verdes.

-Olá pequenino... - o gato assanhou se é fez me ''sssssssss''- Nem os animais gostam de mim... Acho que a Le se podia dar bem com ele...

Tomei um banho lá no lago, enxuguei me e voltei para a tenda 9h e 30 min. os preguiçosos dormiam como pedras, sim fui a primeira a adormecer, mas pelo amor de Deus. Busquei a coluna e comecei a pôr música russa e a levantaram se logo.

-Epa, S, mas tu 'tás parva? - disse a Lo ainda meio ensonada. - alguém nos pode ouvir!

-Извините, пожалуйста. 

-Tipo os pássaros? - disse a A rebolando os olhos.

Fiz um plano enquanto vocês ressonavam. - disse calmamente estendendo o plano para a mão da Lo que ainda estava um pouco chateada comigo.

-Que hieróglifos são estes? - disse ela apontando para as únicas palavras russas, ou seja, o título.

-É russo... Isso é só o titulo... - digo o mais calmamente possível. Ela solta um '' Oh... ''

O plano era o seguinte: daqui a dois dias os 3 presidentes vêm para França fazer uma conferência para dizer a verdade aos jornalistas (sabe se lá o que vem para aí.) É nós vamos aparecer para '' falar'' provoca mo Los para eles nos darem informações com os jornalistas, problema n. 1:os polícias não nos podem ver, caso eles nos impedirem de tentar sequer. Para chegarmos lá, de onde estamos (uns 56km do nosso objetivo) vamos usar a boleia que sei lá como a Mima arranjou (é a Lee, tá). Arriscado? Talvez. Mas se viessemos normalmente teríamos de trazer curandeiros atrás...

***

-Óh Tom! Onde raio vai ficar o helicóptero?

-Ah, eu o deixo aqui, também vamos ser donos deste poha toda! - ele ri se, mas sei que este era o seu melhor helicóptero...

-Olhem é ele! - disse a Lee apontando para um carro que parecia ser muito caro. Era um gajo de cabelos castanhos e vermelhos. - Bonjour. - ele fez algo com os dedos... Parecia que ia para cortar algo com as mãos.

-É o MC-todos disseram '' Ahhhhhh.... '' em coro, menos o D que ficou na mesma.

O caminho foi rápido, saímos no sitio e o MC insistiu em vir connosco.

-Ei vocês! Parados-virei para trás e era a polícia.

-Vish Maria corre!!! 

___________________

Мне это надоело ... Посмотри, заткнись-Estou farto disto! 

Извините, пожалуйста-Desculpa. 


Notas Finais


Obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...