1. Spirit Fanfics >
  2. We won (vhope) >
  3. Twenty seven

História We won (vhope) - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


👋🏿hello
Estou um pouco desanimada com a fic,ent n tenho muito o que falar por aqui kk
Boa leitura

Capítulo 27 - Twenty seven



Taehyung narra:

Tentava imaginar o quão agoniante aquilo era para ele. Ter a ausência de seu pai durante toda sua vida,sem nem mesmo ter a chance de olha-lo nos olhos. Pensei o quão difícil sua infância deveria ter sido por conta disso. Todas as vezes que teve que contar,mesmo sem querer,que não sabia quem era seu próprio pai. Todas as vezes que não pode se orgulhar de ter um pai presente. Imaginava a dor constante que sentia. O quão grande era esse sentimento de falta. O quão grande  deveria ser a ausência de uma peça quase essencial na vida de uma pessoa. Não digo por não  saber. Saudade mata,fere e destrói. Acaba com nosso psicológico aos poucos,e nos faz,todos os dias,somente pedir por olhar para o rosto que tanto faz falta pela última vez. E era nesses momentos que agradecia por ter tido uma mãe. Por poder passar 7 anos ao seu lado,e a conhecer. Minha mãe brilhava. Sentia sua presença por sempre querer que estivesse ali comigo,a tocar meu rosto e brincar de Castelo de areia nos dias quentes de verão. Minha infância fora relativamente boa até certo momento. Tinha que agradecer por aquilo. Por ter conhecido Kim Haru. Como seu nome já dizia,tão bela quanto a luz do dia. E a par disso,me perguntava como era nem mesmo poder pronunciar seu nome com orgulho. Ele o deixara. Deixara sua mãe grávida de si,que aguentou de tudo para dar uma vida decente aos seus filhos. E os fez refém de uma agonia constante e presente em todos os dias em diante. Era cortante. Por isso queria tanto encontrá-lo. Não por achar que Hosoek gostaria completamente da ideia de ve-lo,mas para pelo menos,dar uma chance para que essa dor passasse,e o deixasse em paz.

{🪐}

O vi folhar o álbum,e fez uma expressão estranha ao ver as fotos. Estiquei-me para ver as belas fotografias e escutei um gemido manhoso vir do menino.

- Se ele estivesse aqui,tudo seria diferente.- Murmurou.

Voltei a pensar em questão de infância.

 Fungou e se curvou ao sentir meus braços o cercarem. Me levantei indo até o menino,para depois agachar-me,afim de olhar em seus olhos.

- Ei,Hope.- Suspirei recebendo  sua atenção.- Fique calmo,pode ser?

Assentiu,passando as pequenas mãozinhas por cima dos olhos molhados. Fechou o pequeno livro de fotos e colocou em sua boca um pedaço de pão puro,que quase não cabia ali,e fungou,puxando ar.

O encarei  rindo baixinho. 

- Tá,coma.- Aborreceu-se ao me ver rir se si.

Tomei um gole de achocolatado,pois não gosto,e não posso tomar café.

Acho que Hoseok come quando fica nervoso.

{🪐}

Esperei o menino terminar,que acredito que se não o impedisse,comeria o pacote todo de pães. Nos levantamos,e Hoseok acabou por me emprestar outra roupa. Me troquei em seu banheiro,vendo o mesmo se dirigir ao outro,que usara ontem.

Já vestido,o esperei sentado em sua cama. Observei os inúmeros livros coloridos em estantes. Alguns pequenos papeizinhos colados nas paredes indicavam compromissos e lembretes. Seus tênis um tanto chamativos eram expostos,e todas aquelas cores me deixavam encantado. Hosoek tinha personalidade. Suas roupas com enfeitinhos de flores com carinhas,e sua mochila azul e preenchida de chaveiros feupudos. 

Meu menino entrou pela porta alta,me vendo distraído em meio a todos os detalhes daquele cômodo. Eu nunca havia parado para ver. 

- Tae,Tae, Tae!- Saltitou repetindo o apelido enquanto gritava a meio do nome.

- O que é isso,Hoseok?- Confuso,tentava entende-lo.

- Tem uma cobra no banheiro!- Saltitou inquieto,franzindo o rosto e gritando estridente.

- Não caio não,viu?

- É sério,tem uma cobra no banheiro!-Continuou pulando e gritando.

- Como?

- Sei lá,esse bicho demoníaco saiu do chão.Vem logo,não quero morrer. - Estava desesperado.

-Pare de gritar,vai acordar sua mãe.- Me levantei.

Deu de ombros,realmente parecia ter uma cobra no banheiro (??). E não é que tinha mesmo?

Hosoek ficou atrás de mim,enquanto tampava sua boca para não voltar a gritar. O animal de um tom marrom alaranjado era extremamente esquisito. Nunca havia visto uma cobra assim. Olhei para o "bicho demoníaco" que estava encolhido no chao molhado. Imagino o quanto Hosoek pulou ao ver a cobra.

- Está  bem,calma.- Murmurei com medo.- Não parece ser peçonhenta.

Hosoek me encarou,como se debochasse do que dizia. Ele estava realmente com medo,e sentia suas mãos tremerem ao encostarem em meus ombros.

- Tae,faz alguma coisa!- Gritou.

-Cala a boca Hoseok.- Balancei a cabeça.- Eu que não vou pegar esse "bicho demoníaco".- Zombei.

Começou a pular outra vez.

- Pare com esse drama,ela não vai te atacar do nada.

- Não é drama.Eu poderia ter morrido,sabia?- Franziu a testa,olhando para o animal pegajoso outra vez.

Escandaloso.

- Vamos chamar o controle de animais. A tiram e a devolvem para a natureza.

O menino me entregou o telefone  que estava em um dos bolsos da calça  larga,e procurei pelo número que deveria ser discado.

- Alô?

- olá como posso ajudar?- Uma voz grave veio do outro lado da linha.

- Tem um bicho esquisito aqui.- Hoseok disse,e aparentemente fora possível ouvir.

- Me deixa falar,obrigado.- Suspirei,segurando o riso.

{🐍}

O serviço nos atendeu,e alguns minutos depois já estavam ali para retirar a cobra. Hoseok ficou a observar tudo aquilo com uma expressão confusa,como se não acreditasse que o homem conseguisse chegar perto do animal. A essa altura,a mãe do moreno já havia acordado. Para ser sincero,não acho que seja fácil dormir com aqueles gritos estridentes.

- Tchau demoníaco.- Hoseok acenou, vendo o homem já de idade, sair com o animal.

- Obrigado.- Acenei e fechei a porta.

Logo me virei,soltando a maçaneta devagar. Olhei para o menino que não tinha uma expressão específica.

Outra coisa que precisava saber sobre Hoseok: Ele odeia cobras.

{🪐}

Enfim,a aquela altura,depois do surto  do Hoseok,não fizemos muitas mais coisas. Conversamos um pouco em o que faríamos em relação a nossa busca. Para falar a verdade,eu meio que já tinha pensado em algo. Hoseok disse que seu tio morava em uma cidade próxima,quer dizer,não tão próxima assim...Mas que poderíamos ir ve-lo,afim de acharmos mais fotos,talvez informações recentes,e que nos levassem logo ao que precisávamos.


















Notas Finais


Obrigadaa por ler,até!
😀


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...