História Weak - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Sensational Feeling 9 (SF9)
Personagens Inseong, Rowoon
Tags Bdsm, Happy Bday Manu, Nie, Roseong, Roseong É Vida
Visualizações 172
Palavras 1.330
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


ta pesado

Capítulo 1 - ;uniq; Quem é o fraco?;


— Droga, Inseong. Droga, droga, droga! — Falava Seokwoo, andando em círculos pela sala de sua casa.

— O que foi, Woonie? — Falou seu namorado, Inseong.

— Você, Inseong. Você faz noção do que você fez comigo? Eu estava no meio de uma reunião, e você fez o favor de mandar aquela foto eu..Aish, Inseong!

— Seokwoo, foi só uma foto..

— Você não tem noção do efeito que você causa em mim..

— Talvez a foto nem foi tanto, você que é fraco... — Murmurou.

— Como é? — Virou-se para Inseong. — Repete.. — Caminhou até o mais velho, colocando as mãos nas coxas do mesmo e apertando ali.

— Eu disse que você é fraco.. — Sorriu desafiadoramente, trancando um gemido em sua garganta sentido Seokwoo apertar mais suas coxas.

— Você está me desafiando, Kim Inseong? Me responda! — Espalmou uma das coxas do menor, vendo-o se contorcer tentando conter-se.

— E-E se eu e-estiver? — O sorriso de Inseong apenas aumentava.

— Chega. — Puxou-o, levantando o mesmo do sofá. — Passa, pro quarto agora. Eu vou te mostrar quem é fraco, Inseong.

— E se eu não quiser ir pro quarto? — Riu, cruzando seus braços.

— Mas você vai. — Tirou seu cinto, usando-o para bater nas partes traseiras da coxa e na bunda de Inseong, que arrepiou no mesmo momento. Quando Seokwoo fazia coisas do tipo, não estava para brincadeiras ou apenas 'sexo casual'. — Anda, Inseong. — Fez novamente, vendo-o andar com passos lentos até o quarto.

Seokwoo e Inseong nunca foram muito tradicionais na hora de suas 'brincadeiras', sempre gostavam de arriscar coisas novas. Inseong sempre soube que seu namorado tinha fetiches, e gostava de coisas mais "pesadas" e naquele momento, sabia que Seokwoo com certeza não iria pegar nem um pouco leve consigo.

— Vai, tira a roupa. — Ordenou, em quanto ia até o armário pegar o que precisava. — Inseong, quando eu me virar quero te ver sem roupa nenhuma, se você estiver com uma pecinha de roupa... — Riu, ah essa risada, Inseong já sabia que estava encrencado. — Acho que alguém vai ser bem castigado hoje.  — Virou-se para trás vendo Inseong retirar sua boxer. — Hm, vou deixar esta passar. — Deixou a caixa na cabeceira da cama. — Senta aí.

— E se eu não quiser? — Sorriu desafiando-o novamente.

— Mas será possível? — Pegou-o pelos ombros, sentando o mesmo na cama. — Hoje você está impossível, Kim Inseong. — Posicionou-o com as mãos para trás, tirando uma das coleiras da caixa e usando-a para prender as mãos de Inseong na cabeceira da cama, o deixando imóvel. — Você lembra das regras?

— Não posso me tocar, não posso gemer, não posso te desobedecer..

— Isso, bom garoto. — Sorriu. — Agora afaste as pernas para mim.

O mais velho estava sentado, encostado na cabeceira da cama onde por sinal estavam amarradas suas mãos. Em quanto Seokwoo estava a frente, de joelhos na cama, com o seu cinto em punhos para castigar Inseong a qualquer momento que fosse preciso.

— Eu não quero. — Fechou as pernas, sorrindo desafiadoramente.

— Como é? Repita. — Estalou seu cinto na coxa do mais velho, que respirou fundo contendo a vontade de gemer.

— Eu...Eu não quero. — Não perdia seu sorriso, aquele sorriso desafiador que fazia Seokwoo perder a linha.

— Mas você vai. — Repetiu o ato. — Anda, Inseong. — Bateu na coxa do menor forte, como jamais tinha feito. Fazendo o mesmo soltar um suspiro que quase saiu junto a um gemido.

Então Inseong fez o que lhe foi pedido. Seokwoo não hesitou em logo posicionar-se entre as pernas do mais velho e tomar seus lábios num beijo malicioso e cheio de desejos, suas mãos passeavam livremente pelo corpo do outro, apertando suas coxas, arranhando seu abdômen e fazendo outras coisas.

Seokwoo desceu os beijos pelo corpo do mais velho, beijos que logo se tornaram molhados e incrivelmente prazerosos. Estes sendo desde o pescoço até as partes internas das coxas e as virilhas do mesmo.

Ao chegar no membro de Inseong, que já gotejava de tamanha excitação, deixou apenas uma breve lambida ali, apenas para o provocar. O corpo inteiro de Inseong contraiu-se no mesmo momento, reagindo a ação inesperada de Seokwoo.

— Acho que vou mudar as regras desta vez, você poderá sim gemer.

— O-Obrigado Woonie. — Agradeceu, com sua respiração descompassada.

— Afaste mais suas pernas, Seonggie. — Pediu sorrindo ao ver o mesmo logo o obedecer.

Seokwoo apenas passou um pouco de  lubrificante na entrada do mais velho e sem preparação muito menos aviso prévio, penetrou-o usando um vibrador que sempre teve ali, mas era apenas usado em ocasiões 'especiais'. O mais novo não hesitou em logo ligar o aparelho, em sua velocidade máxima. Levantou-se da cama para se despir em quanto ouvia Inseong praticamente gritar chamando por si, gritos arrastados e completamente excitantes por sinal.

Era assim que Seokwoo gostava que Inseong fizesse, gostava quando Inseong gemia tão alto que seus gemidos podiam ser confundidos com gritos, pois assim todos saberiam a quem Inseong pertencia, e quem ele realmente amava de verdade.

— S-Seokwoo, eu não quero mais isso. — Falou, entre gemidos. — Eu quero você..

— Hm? — Falou sorrindo sadicamente.

— Eu quero você, por favor, você é muito melhor que isso, por favor. — Pediu, sentindo o pequeno aparelho roçar em sua próstata e acabar por soltar um grito por isso.

— Você me quer? Hm? — Ajoelhou-se entre as pernas de Inseong novamente.

— Q-Quero. P-Por favor.

Seokwoo retirou o aparelho do interior de Inseong, guardando-o na caixa junto as outras coisas. Pegou um preservativo na gaveta do criado ao lado de sua cama e colocou-o em seu membro, apenas para facilitar seu trabalho. Posicionou-se ali e cuidadosamente penetrou seu membro em Inseong, fazendo-o gemer seu nome alto novamente.

— Parece que alguém aqui já tá bem acordadinho, não? — Riu, envolvendo sua mão no membro de Inseong e passando a masturba-lo lentamente.

Seokwoo não demorou muito para passar a se movimentar dentro do menor, estocando dentro do mesmo com vontade, era prazeroso ouvir o mais velho gritar seu nome em quanto se contorcia, ansiando em tocar o mais novo. Os movimentos feitos pela mão de Seokwoo iam rápido assim como as estocadas no mais novo.

Em certo momento, Seokwoo sem deixar que Inseong percebesse, bloqueando a fenda do pênis do mais velho com seu polegar, parando com os movimentos ali. Em pouco tempo após isso, acertou o ponto sensível outro, fazendo Inseong contorcer-se mais ainda.

O orgasmo de Inseong estava para acontecer, mas não era possível, com Seokwoo bloqueando sua fenda isso era impossível.

— Seong, quem é o fraco? — Perguntou, ainda estocando no ponto sensível do mesmo.

— S-Seokwoo, p-por favor.. — Gemeu agoniado, sentia seu baixo ventre repuxar ansiando por seu orgasmo, Seokwoo apenas precisava deixar-lo fazer.

— Inseong, quem é o fraco? — Continuou acertando ali.

— S-Seokwoo.. — Sentiu seus olhos marejarem, sua voz ficava enrolada, tudo indicando que logo iria chorar. — Woonie.. — Pediu manhoso, já praticamente implorando desta vez.

— Inseong, eu te perguntei quem é o fraco aqui, acho melhor você responder. — Mandou num rosnado, e então se desfez no interior do mais velho.

— Eu sou! Eu sou o fraco! — Assumiu, já derramando suas lágrimas.

— Como é? Não ouvi.. — Mesmo após já ter se desfeito, estocou dentro do menor acertando sua próstata novamente. — Quem é o fraco?

— Eu sou! — Falou novamente, era possível perceber que naquele momento Inseong estava tremendo, suas pernas, suas mãos, tudo tremia.

— Isso, bom garoto. — Sorriu, tirando seu polegar dali e continuando a masturbar o maior até que finalmente chegasse ao seu ápice.

Seokwoo logo soltou Inseong, vendo o logo cair cansado em cima de si. Sorriu satisfeito e deitou ambos na cama, deixando o mais velho deitado em cima de seu peitoral, cobriu ambos com a coberta e acariciou os cabelos de Inseong até ver o mesmo pegar no sono, deixando um selar nos lábios do mais velho, e só então permitindo-se também pegar no sono, acompanhando Inseong.


Notas Finais


o final ta uma merda eu sei

eu precisava escrever uma roseong pra ela cara, sinceramente.

enfim, hoje o dia é só dela (@fuckroseong). 13 aninhos vividos já e quase 1 desde que a gente se conheceu, obrigadão mesmo por todos esses dias que você me aguentou e você me suportou e é né...eu te amo demais e você é uma das pessoas mais importantes pra mim ouviu futura namorad????eu sou iludida mesmo e ponto não me critiquem sksndkdnkdndnd brincadeiras a parte manuzinha eu te amo ok?

por favor deixem seu feliz aniversário pra essa bebê porque ela merece ok? amo vocês e obrigado por terem lido <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...