História Weak and Powerless - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Dabi, Enji Todoroki (Endeavor), Kai Chisaki (Overhaul), Kurogiri, Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Sir Nighteye, Stain, Toga Himiko, Tomura Shigaraki
Tags Angst, Chisaki X Shigaraki, Colegial, Dabi, Drama, Fluffy, Romance, Tododabi, Yaoi
Visualizações 6
Palavras 1.313
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí meus queridos! Eu aqui com mais fanfic! Na verdade eu sempre quis escrever sobre esse OTP do meu coração, mas nunca conseguia pensar em algo que não fosse trágico entre eles. Eis que bateu aquela onda de inspiração maravilhosa e eu tive essa ideia. Essa fanfic que será super açucarada entre meu shipzão kaimura ou simplesmente Chisaki x Shigaraki. Porque eu tive essa ideia de trazer eles pro universo de adolescentes confusos e que estão na fase de se descobrir e descobrir todo o resto. Então pra quem curte essas paradas mais fluffy, kawaii, super doceeeeeeeee que dá até diabetes de ler, então tá aí!
Uma ótima leitura pra todos.

Capítulo 1 - Prólogo


Naquele habitual fim de tarde, os passos apressados de Chisaki ecoavam pelo extenso corredor do colégio. Ele estava indo em direção à sala do conselho estudantil, uma vez que precisava entregar o orçamento do clube de Kendo daquele semestre. Era uma dentre tantas responsabilidades que possuía naquele ano, sendo ele um dos alunos mais notáveis daquela instituição e estando em seu último ano. Chisaki conhecia aquele local como a palma de sua mão ou pelo menos era o que ele pensava. Seus pensamentos rotineiros que corriam em sua mente naquele momento foram todos levados pela melodia que vinha da sala de música, sua curiosidade foi aguçada a tal ponto que Chisaki se viu obrigado a desviar de seu caminho. Ele conhecia aquela música, conhecia aquele som, mas não tocado de forma tom sombria. Ao aproximar se da entrada da sala viu que a porta estava entre aberta o que permitia o som ecoar daquela maneira.

Für Elise estava sendo tocada com notas mais pesadas, mas estava igualmente tão bela harmoniosa como a melodia tocada em lá menor. O que havia atraído Chisaki até ali foi justamente essa forma diferente que a melodia soava. Seus olhos se aventuraram um pouco mais pela sala e ele logo avistou o conhecido piano alemão Grotian, uma antiguidade muito bem preservada por aquela escola e os alunos do clube de música. Sentado na frente do instrumento estava o rapaz de cabelos cinzentos. A janela daquela sala estava aberta e o vento de fim de tarde agitava os cabelos daquele garoto tão concentrado em sua música, seus olhos estavam fechados e em sua face havia uma expressão que Chisaki não conseguiu decifrar. Ele sabia que o conhecia de vista, afinal aquele era um de seus colegas de classe, mas ele mal falava com aquele rapaz, pois este andava com um certo alguém que Chisaki não gostava nem um pouco. No entanto permitiu se admira lo da maneira que ele ficava tão belo com os cabelos ao vento, com a postura levemente encurvada, os dedos que corriam com leveza sobre as teclas do piano e principalmente pela forma como tocava aquela música. A medida que a pequena bagatela atingia seu apogeu para depois declinar o corpo de Chisaki permitia se paralisar, enquanto arrepios percorriam a sua pele. 

Ele deve ter ficado parado ali no máximo uns poucos minutos, mas fora surpreendido pelo cessar repentino do instrumento, quando notou que outro rapaz o encarava de forma constrangida. Seus olhos dourados se encontraram com aquele par de rubis entristecidos. Naquele curto instante Chisaki se viu preso pela primeira vez no olhar de uma pessoa. Notando o desconforto da situação, ele bateu palmas de maneira contida, apenas por não saber como quebrar aquele clima esquisito.


- Eu não sabia que Für Elise também poderia ser tocada dessa forma. - Foi o melhor que conseguiu dizer com o típico sotaque japonês ao pronunciar o nome da melodia. 


- Eu... É uma melodia versátil. - A voz rouca do outro rapaz pareceu tão boa aos ouvidos de Chisaki que ele realmente gostaria de escutar mais. - Eu preciso ir.


- Peço desculpas se eu atrapalhei. 


- Na verdade... Eu acabei perdendo a hora. - Estranhamente a face daquele garoto parecia corar cada vez mais era como se estivesse febril ou algo assim. 


- Precisa de ajuda para trancar a sala? - Era o mínimo que Chisaki podia fazer depois de ter perturbado o momento alheio. 


- Não eu... É posso fazer isso. - Ao terminar a fala o outro garoto pegou seu material apressado, apagou as luzes e rumou em direção a porta. Chisaki afastou se apenas para não atrapalhar o processo visivelmente atrapalhado e corrido. Observou que o outro era mais alto agora que estavam próximos de certa forma. Os dedos longos e pálidos que trancavam a sala apressadamente. Ele não queria mesmo ter acabado com todo o clima, mas pelo jeito havia realmente arruinado tudo. 


- Eu gostei mesmo da forma como você tocou Elise. - Chisaki tentou fitar aqueles olhos mais uma vez, entretanto o outro encarava o chão. 


- Obrigado Chisaki San. - O curvar desajeitado e educado foram as últimas coisas que Chisaki viu antes do rapaz sair dali apressado. 


                             (^.^)


Shigaraki Tomura caminhava com pressa ainda sem direção, ele só precisava sair dali de perto daquele outro garoto. Seu dia havia sido enfadonho, complicado e vazio e ele só conseguia achar refúgio na música. Naquela tarde sentia se pra baixo, por isso procurou por abrigo no seu lugar favorito. Sentado de frente para aquele velho piano. Shigaraki estava sem imaginação ou inspiração para tocar algo, então iniciou pela melodia que lhe veio na cabeça, ele até gostava de Elise, entretanto não se sentia no clima para toca lá como de costume, logo optou por notas mais sombrias, assim como mais pesadas era como ele se sentia naquele momento. Perder se no som do que tocava era a melhor forma de distrair se de seus problemas, de suas frustrações de suas lembranças dolorosas. Era a forma que ele se encontrava, que ele se expressava, que ele sentia se um pouco melhor. No entanto nem em um milhão de anos achou que pudesse ser pego daquela maneira. Vejamos... Fato era que Shigaraki sempre foi apaixonado por Chisaki desde o primeiro ano. Eles eram de turmas diferentes no começo, mas justo em seu último ano naquela escola ele foi cair na mesma turma que Chisaki. Tudo bem aquilo havia sido um baque até bom já que poderia admira lo mais de perto, mas também era ruim, pois para Tomura, Chisaki era alguém inalcançável. Seu primeiro amor, seu calcanhar de Aquiles, seu amor platônico que ele sabia que nunca seria correspondido. Chisaki Kai era sim um dos mais populares do colégio, tanto por sua beleza física, quanto por ser um excelente aluno e ainda pelas façanhas nos campeonatos de Kendo. Chisaki era simplesmente um sonho inconcebível e Tomura apenas um mortal. 

Se o destino, Deus ou qualquer outra coisa gostava de sacanea lo ele obteve a prova no momento em que abriu seus olhos e deparou se com seu grand Kenyon a observa lo com cara de paisagem. Se aquilo poderia ser um delírio seu? Antes fosse, pois do momento que Kai bateu palmas e lançou um sorriso de Mona Lisa para Tomura, seu coração parecia que ia sair pela boca assim como estava nevando em seu estômago. A única coisa que Shigaraki teve certeza naquele momento era que precisava desesperadamente sair dali. 


Shigaraki caminhou até a quadra onde o time de basquete ainda treinava arduamente. Procurou sentar se afastado quase escondido, afinal ele odiava ser alvo de olhares. Seu coração ainda batia tão forte que ele achava que pudesse parar a qualquer momento, enquanto tentava acalmar a si mesmo a voz de Kai ecoava por sua mente, assim como o elogio e as palavras educadas que este lhe dirigiu. Seria Hilário se não fosse trágico pelo fato de Tomura ter mesmo fugido, como o bom covarde com extrema dificuldade para interagir com outras pessoas que era. Talvez fosse melhor que Chisaki ficasse no pedestal inalcançável que Shigaraki havia lhe colocado, talvez fosse melhor que seus olhares nunca tivessem cruzado, talvez fosse melhor que Tomura permanecesse aonde sempre esteve. Seria melhor assim. Era o que ele achava, mas com os alunos do time empolgados com a partida e outros se juntando à quadra ficava mais cheia. Em meio aquele pequeno aglomerado Shigaraki não percebeu os olhos dourados sobre si. Ele não podia imaginar que havia despertado algo novo em Chisaki, algo que o próprio achava que não sentia. Agora que ele havia se recordado que o nome daquele garoto era Shigaraki Tomura e que este era amigo de algumas pessoas que Chisaki não gostava, mas que ele também era alguém misterioso e muito encantador. Talvez seu último ano pudesse ser no mínimo interessante. 



Notas Finais


Então é isso um prólogo básico só pra iniciar a fic. Não vou demorar pra postar o próximo ❤️
Só lembrando que é claro que vai ter uns momentos mais tensos pq eu amante angst não posso deixar essa minha veia obscura de lado.
Eu não tenho beta então se houver erros peço perdão. Até o próximo capítulo 😊


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...