História WebCam.txt - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias VIXX
Personagens Leo, Ravi
Tags Daddykink, Levi, Taekshik, Vixx, Wontaek
Visualizações 142
Palavras 1.730
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá estrelinhas, boa noite (postei durante a noite) koepkopkokpjoo
Provavelmente essa fic será continuação (não paralela) entre os diversos momentos de Taekwoon após conhecer o tal.
Só, felizmente, para quem gosta (??), haverá lemon nesse conjunto de capítulos.
Quem não gostar, surta.

Capítulo 1 - W


Fanfic / Fanfiction WebCam.txt - Capítulo 1 - W

Ele estava com as costas, incomumente, encostadas na cadeira agora. As pontas dos dedos iam até os lábios, que por sua vez formavam uma fina linha de um sorriso que ele não conseguia tirar da cara. Estava com as famosas borboletas no estômago e suas mãos, no mouse, tremiam enquanto ele decidia se aceitava ou não a chamada em vídeo.

—Oh meu Deus, o que eu fiz...?—Disse rindo num murmúrio sentindo seu estômago doer.—O que eu faço... Aigo.—Tapou o rosto com uma mão e suspirou.

Por fim, acabou aceitando a chamada, mas com a condição do início, que era não mostrar seu rosto, somente dos lábios para baixo. O homem do outro lado não fazia o mesmo, pelo contrário, seu rosto estava totalmente exposto para a webcam, além do seu colo, que com uma camiseta de botões branca fechada, acompanhada de uma gravata frouxa, mostrava uma tatuagem que ele havia próxima da clavícula. Taekwoon suspirou assim que a câmera se abriu. O tal Ravi, tal como seu login, parecia ser muito, muito gostoso, assim como na foto, sem aquela roupa.

—Leo?— Ravi o chamou pelo seu login também.—Está tudo bem em não mostrar o seu rosto? Eu me sinto sozinho.— Riu soprado.

Taekwoon estava tão envergonhado e excitado com a experiência que não conseguiu falar, então pôs-se a digitar caixa do bate-papo.

"Não estou preparado ainda…"

Ravi sorriu ao ler a mensagem.

—Tudo bem então, mas eu quero te ver todinho.— Sorriu de canto quando Taekwoon suspirou ao ver o dorso de sua mão, a qual havia um relógio, cheio de veias aparentes, ir até a gravata e puxá-la fora.—Eu queria…—Disse formando um fio com a gravata.—…prender ela na sua linda boquinha.—

Nunca havia tido nada como isso. Na realidade, o fator social estava fora de cogitação na vida real. Se o vissem como era rígido no trabalho, vestido ao terno, gravata, calça social e óculos que lhe davam uma aparência de sério, jamais o imaginariam do jeito que está agora.

Não ele, Jung Taekwoon, o demônio da editora.

Taekwoon usava um suéter branco, e nas outras partes, não visível para a câmera, usava uma meia 7/8 rosa bebê e um short de seda na mesma cor.

—E o que você quer ver?— Falou pela primeira vez, baixinho e sentindo sua voz falhar, se aproximando mais da câmera do Notebook. Aquilo era tão difícil para si, mesmo que não mostrasse o rosto estava nervoso.

—Eu quero que se deite na cama, coloque a câmera filmando seu cuzinho...—Falou rindo soprado numa voz autoritária, excitando ainda mais Taekwoon.—…não use nada além de suas mãos ou saliva. Quero te ver todo manhoso para mim.—

—Ual…—Taekwoon murmurou alto, inconscientemente. Aquilo era tão.…

—Isso é demais para você, bebê?—Sorriu ao ritmo que desabotoava a própria camiseta, fazendo Taekwoon observar botão por botão ser tirado.—Vá para a cama e pegue um fone de ouvido.—

Taekwoon negou a primeira pergunta, pegando o Notebook, levando-o com cuidado para a cama para não mostrar seu rosto. Afundou no colchão e pôs o Notebook no meio de suas coxas, em seguida se esticou até o criado-mudo e pegou o fone.

—O que eu faço agora, daddy?— Ravi, grunhiu ao ouvir a última palavra, rindo ríspido de um modo totalmente sem vergonha.

—Abra as pernas, e sem retirar o seu short, empurre o tecido e mostre-me seu buraquinho.—

Taekwoon já respirava forte, ofegante. Seu membro estava começando a formigar em excitação quando puxou a seda rosa e deu a visão ao outro do seu íntimo. Umedeceu os dedos na boca e os levou até a borda do seu buraquinho, incitando Ravi a ordenar o próximo movimento.

—Suba as mãos até seu pênis.—Ele se mexeu parecendo desconfortável onde quer que estava.—Eu ainda não vou te foder, querido. Vamos brincar mais.—Ele havia se levantado e caminhou deixando o Notebook na cama, ficando em pé de frente para ele.

Taekwoon viu que ele usava uma calça preta, e que seu abdômen era totalmente gostoso, definido, assim como os traços firmes de seu rosto. Em seguida ele moveu sua mão até o volume na calça, apertando o tecido e posteriormente moveu o zíper e os botões para fora, exibindo uma cueca branca abaixo do jeans.

—Sua boquinha é muito linda, alguém alguma vez já te falou isso? É perfeita… e eu queria ela aqui.—Adentrou as mãos na cueca, mas retirou rapidamente, voltando ao foco em Taekwoon.—Leo… mova lentamente suas mãos, aperte a sua glande de leve e desça até o fim.—Quando Taekwoon o fez, ele o estimulou.—Isso, assim mesmo, que gostosinho…—Grunhiu ao ver os dedos finos e delgados do outro deslizar o membro diversas vezes, aumentando com o tempo a velocidade em consequência de um gemido baixo e sôfrego.

—P…por favor, pare…— Taekwoon estava sentindo leves choques por conta da voz de Ravi, que saía rouca num sussurro em seus ouvidos.

—Hm...?—Sorriu leve.—Leo… leve seus dedos na boca, molhe-os para mim?

Taekwoon levou os dedos na boca, lambuzando-os com saliva ao fazer sons eróticos enquanto a outra mão ainda estava em seu membro rijo.

—Ah isso, assim mesmo. Agora eu vou aumentar a velocidade ao te masturbar, você aguenta sem gozar?—

Taekwoon no mesmo instante aumentou o ritmo, soltando gritos contidos e manhosos.

—N...não sei s…se eu consi-go!—Suas pernas se contraiam incontrolavelmente.

—Introduza apenas um dedo no seu cuzinho e diminua a velocidade na masturbação. Oh, isso bebê.—

As palavras "sujas" que Ravi usava eram mais estimulantes que o ato em si. Taekwoon queria que ele lhe ordenasse cada ação sua com aquele tom rouco e excitado. Taekwoon sabia que Ravi estava excitado também, pois a cada movimento ou gemido seu, o homem grunhia em aprovação.

—Você pode fazer algo por mim? Já que não posso ver seu rosto de qualquer maneira…—Murmurou a última frase.—

Taekwoon assentiu afobado.

—Retire toda a sua roupa e fique de quatro para mim.—

Por sorte ele não estava mostrando o rosto, pois se tivesse, com certeza não conseguiria fazer aquilo de tão envergonhado que ficou. O fato de estar ocultando o rosto o deu coragem para ser pôr de quatro prontamente. Retirou as vestes como pedido e colocou as mãos apoiadas no colchão, que tremiam em ansiedade. Não poderia demorar tanto naquela posição, ou ficaria quebrado no dia seguinte.

—Agora…—A voz soou em seu ouvido, arrepiando-o por completo.—Insira os dois dedos em você, devagarinho.—

Os seus quadris moviam inconscientemente a cada investida, e como a única mão livre estava apoiada no colchão, ele não podia se masturbar.

—Ravi… n…não consigo mais, meus b…braços estão…—Taekwoon movia freneticamente seus dedos em direção ao ponto interior que lhe causava um sentimento de euforia e longos arrepios. Não demorou a se cansar por ficar apoiado somente em um braço, encostou os ombros na cama, ficando somente com as nádegas para cima, dando uma visão erótica a Ravi.

—Eu queria poder te segurar, dar-lhe muitos tapas nessa sua bunda até deixar vergões. Eu iria te segurar tão firme, assim como você merece… Leo.—Disse ao ver o corpo de Taekwoon jogado sobre os lençóis, ofegante.—Eu ia te puxar por esses cabelos negros até colar seu cuzinho no meu pau e te fazer implorar por mais, você teria um cheiro tão gostoso, que me faria enlouquecer.—

Taekwoon já estava com a mente em branco, tomado pelo prazer que estava tendo apenas usando os dedos. Mas o milagre não estavam neles, e sim naquela maldita voz sussurrando-lhe perversões. Não demorou a gozar, deixando os jatos voarem em direção ao seu peitoral.

Tomou um tempo para recuperar a respiração enquanto Ravi lhe dizia através do fone de ouvido o quão gostoso ele havia gozado.

—Pervertido…—Disse entrecortado. Seu tórax estava voltando ao ritmo normal.

Ficou-se um silêncio perturbador após Leo chegar ao orgasmo. Mas ele logo foi desperto pelo barulho de uma fivela. Ravi estava soltando o cinto da calça. Leo se sentou na cama e não tirou os olhos da tela por milagre nenhum. Nem se estivesse chovendo meteoros janela a fora sairia dali.

Taekwoon pressionou os lábios assim que teve a visão da base rija de Ravi. Não era tão grande, e nem pequeno também, mas com certeza conseguiria fazer um estrago em si. Abriu os lábios só de pensar o quão quente e duro ele estaria, ali, agora.

—Diga…—Ravi sorriu ao manipular as mãos num ritmo lento para cima e para baixo.—O que está pensando, Leo?—

—Oh… você está tão duro, Ravi. Eu queria muito punhetar o seu pau enquanto beijaria seus lábios.— Respondeu colocando um dedo dentro de sua boca.—Seria a melhor coisa eu que faria em anos. Eu quero bagunçar você todo.—

Ravi olhava para a webcam o tempo todo, mas de vez ou outra pendia a cabeça para trás num sorriso de canto ao morder o lábio.

—Eu deixaria você foder a minha boca com seu pau, Ravi, e após isso, sentaria gostoso em você, prendendo o seu pênis com meu buraquinho ao subir e descer bem gostoso, rebolando bem lento, só para te deixar mais louco.— Era realmente as coisas que queria fazer no momento, e as sussurrou numa voz baixinha e suave pelo microfone, gemendo junto do outro.—Seus olhos são tão bonitos que eu queria que você estivesse aqui agora, me olhando por cima enquanto se toca bem próximo ao meu rosto, gozando na minha boca enquanto enlaça meu pescoço com sua outra mão.

—Você iria engolir meu leite?— Sua voz estava ainda mais rouca pela excitação e suas mãos estavam mais rápidas.

—Ah sim… eu iria limpar todo o seu pau com a minha língua, sem desperdiçar uma gotinha.—Disse ao abrir as pernas e dar a visão de seu buraco avermelhado pelo ato anterior.—Você é tão grosso, quer meter em mim?—

—Oh sim, eu quero.—

—Então venha, goza aqui dentro, Ravi-ah.—Falou ao inserir dois dedos em seu ânus para abri-lo e com a mão livre arranhou a extensão de suas virilhas até seu pescoço, traçando quatro linhas vermelhas em sua pele alva.

Ravi gozou num grunhido, gemendo baixo. Seu sêmen voou em seu queixo e respingou na câmera do Notebook. Taekwoon se aproximou e lambeu a câmera, simulando tomar seu líquido.

—Isso foi gostoso.— Taekwoon falou após pôr o suéter novamente.

—Realmente… foi uma sorte te encontrar aqui, justo hoje. Raramente uso esse tipo de método, quis tentar algo diferente, suponhamos.—Respondeu ao abotoar a camiseta e ajeitar a gravata.—Quer repetir isso uma outra hora?—

Taekwoon sorriu sapeca e assentiu. Adoraria de verdade repetir a dose.

—Adicione o meu login. E…—Taekwoon desligou a chamada com Ravi após escrever o número do seu celular na caixa de mensagens.

Se ele realmente quisesse, não demoraria a ligar.


Notas Finais


É isso até então.
Não vou colocar como finalizado porquê posso voltar com mais capítulos (nada garantido).
Bjs mores 💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...