História Webnamorado (Hiatus) - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Haechan, Jaemin, Jeno, Jisung, Mark, RenJun
Tags Chensung, League Of Legends, Markhyuck, Norenmin, Texting, Webnamorado
Visualizações 461
Palavras 2.458
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Antes de tudo, me perdoem muito pela demora de semanas e semanas que eu esqueci de escrever, as aulas voltaram e eu estava meio que desmotivada. Também estava trabalhando em um futuro projeto de uma fanfic de nct porém de terror que eu espero que seja bem recebida.
Enfim enfim.
Eu entendo que vocês gostam de ChenSung mas no próximo capítulo vamos ter DEDO NO CU E GRITARIA MARHYUCKKKKK
provavelmente os próximos vão ter um pouco de NoRenMin, mas o próximo vai ser exclusivamente (com o começo chensung só pra explicar a situação deles) MarkHyuck.
É isto, espero que gostem e perdão pela demora.

Capítulo 11 - Hands


Jisung não tinha palavras para descrever o que estava sentindo. Sua boca estava boquiaberta, as bochechas vermelhas, o coração acelerado e a situação não poderia ser a mais vergonhosa para ChenLe que, estava ainda sentado sob a cadeira e os olhinhos tímidos não conseguiam encarar o rosto do coreano direito. Suas mãos estavam posicionadas no tecido do vestido trêmulas, não era para ter acontecido, não era para que entrasse em seu camarim.

- D.. Desculpa, eu deveria ter batido... - O Park disse baixo, quebrando aquele silêncio constrangedor entre os dois.

- Não precisa... - ChenLe disse baixo, levantando-se e caminhando até o coreano, pegando a mão de Jisung que estava posicionada na maçaneta para retirar dali. - Pode ficar... Eu preciso tirar essa roupa daqui a pouco mesmo.

- É-É que... O Renjun perguntou se nós podemos ensaiar já com as fantasias para que nos acostumemos com isso. Todos já concordamos com isso mas só falta você. - Jisung explicou.

O Zhong não notou, mas assim que seus olhares desceram por todo o corpo do maior, notou que a sua roupa era semelhante a um príncipe europeu da época medieval. Haviam tantos detalhes e o pior é que aquilo o caíra muito bem, em seu peito possuía pequenas medalhas minuciosamente fabricadas. Não era de se surpreender os mais pequenos detalhes, aquela escola era conhecida por suas ótimas peças teatrais que continham tantos enfeites e decorações que davam um ar realista a cada atuação. Estava completamente perdido em pensamentos.

- A-Ah... - Ao retornar de seus devaneios, pensou duas vezes antes de suspirar e afirmar com um breve aceno com a cabeça. - Certo. - Não faria nenhum mal, até porque o Huang apenas estava pensando em como iriamos nos acostumar com a roupa, afinal, não seria muito agradável ter que se vestir já no dia da apresentação sem qualquer treinamento antes. - É agora?

- Sim. Na realidade só falta o Mark e o seu amigo, o Haechan. - Jisung explicou.

- Então vamos.

Deixou a timidez de lado e, assim que Jisung lhe deu espaço para que saísse primeiro, sussurrando ‘’ Damas primeiro ‘’ ChenLe não pode evitar o sorriso no rosto levemente corado. Suas mãos seguravam a barra de seu vestido para que pudesse andar com mais facilidade, visto que aquela vestimenta longa e detalhada em junção com o sapato de salto - pequeno - que usava poderia ser convite para que tropeçasse e passasse vergonha na frente do Park. O corredor dos bastidores não era tão distante do palco, logo chegaram e se viram diante de uma cena um pouco vergonhosa na região das cadeiras.

- RenJun... - Jisung chamou a atenção do Huang, este que se mantinha sentado no colo de Jeno enquanto trocavam alguns selinhos. O casal se separou, o chinês tossiu como se nada tivesse acontecido e subiu as pequenas escadas que davam acesso ao palco. - Cadê o resto?

- Ah, os figurantes eu separei um outro dia. Vocês são os personagens principais e precisam de mais atenção, ainda mais o ChenLe que nunca atuou em nada.

Renjun se aproximou e mostrou o básico, os papeis que tinham todo o roteiro estavam com Jaemin - que até então, não se sabia onde estava. Porém, ainda assim explicou o básico que eles fariam e sobre os seus atos, elogiou e agradeceu ChenLe não sabe-se lá quantas vezes por ter aceitado a sua proposta de participa como uma garota e também pela maquiagem e o restante da fantasia terem ficado perfeitas, mal dava para notar que era um garoto de dezessete anos.

- Desculpem pela demora - Jaemin retornava, também estava nos bastidores. Sua vestimenta parecia revelar que era o vilão principal - Estava ajudando o Haechan a colocar o vestido dele. - Explicou, aproximando-se dos três.

- Tudo bem, eles estão pronto ou resolveram que vão transar no camarim também? Juro que se um vestido meu aparecer sujo de porra ou rasgado, Jaemin eu--

- Estamos aqui.

Todos presentes desviaram sua atenção para Mark e DongHyuck. O canadense trajava roupas semelhantes a de Jisung, porém eram completamente escuras - pequenos detalhes em ouro e medalhas falsas. Já Haechan, seus cabelos escuros castanhos tinham um largo aplique - um pouco maior que a de ChenLe - da mesma cor com as pontas levemente onduladas soltos. Também usava como acessório, uma tiara prateada sem muitos detalhes. O seu vestido era branco, mas não completamente já que possuía alguns bordados de rosas vermelhas bem destacadas e não parecia ser tão complicado para andar, ou pelo menos DongHyuck já teria o mínimo de experiência em andar no salto pequeno sem precisar levantar o vestido para não tropeçar.

- Alguém já está entrando no personagem - RenJun comentou ao encarar ambos se aproximando, o Lee mais velho segurava a mão de seu amante com cuidado, era como se a mão de Haechan fosse um pedaço frágil de cristal. - Ótimo. Acho que por hora poderemos começar o ensaio. ChenLe, você sabe o básico né?

- Sim... Quando era pequeno, fazia outras coisas pequenas relacionadas a teatro, mas nunca tentei atuar de verdade como agora. - ChenLe explicou. Pegou um conjunto de papéis com o tal roteiro e as suas falas. - E vamos ainda ensaiar com os outros? Os figurantes eu digo...

- Sim, mas esse dia não é hoje. Ainda temos algum tempinho.

O ensaio iniciou e de início, foi um pouco desajeitado por conta da falta de experiencia dos garotos, com algumas exceções como Jeno, Jaemin e Jisung. A cada cena que entravam em ação, seus atos eram realizados com perfeição e objetividade, concentrados para que saíssem uma coisa perfeita para sua primeira peça juntos. Por outro lado, apesar de Haechan fazer o seu melhor, suas participações tinham alguns pequenos erros que não passavam despercebido por Renjun, que não deixava de corrigi-lo. ChenLe tinha um erro inevitável a cada cena que seria em um baile e dançaria com Jisung, o seu nervosismo era maior que a vontade de fazer uma boa cena para o Huang e também para o futuro público no dia.

- Olha, ChenLezinho do meu coração... - Renjun intrometeu-se mais uma vez perante a cena. - Se você ficar nervoso assim na hora, como vamos fazer uma cena decente de romance em cena de baile?

- Desculpa... - O chinês afastou-se novamente, suas bochechas estavam vermelhas e suas mãos tremiam, tinha medo de não alcançar a expectativa que o Huang havia colocado em si.

- Tudo bem. Você tem muita coisa a aprender mas... Recomendaria que vocês passassem mais tempo entre si. - Jaemin interviu, referindo-se a Jisung e ChenLe. - Mark e Haechan estão ótimos, até parece que vão se comer aqui no meio do palco, já até sabemos o porquê - DongHyuck o encarou com ódio, até o momento estava no canto esquerdo também dançando na cena, mas fazendo o máximo para não atrapalhar o casal principal.

- Jaemin tem razão. - Mark intrometeu-se, ignorando completamente o que o Na havia dito sobre si. - Fiquem mais tempos juntos pro ChenLe deixar de agir como um bobo apaixonado. Não que ele não esteja mas...

- Mark! - ChenLe rapidamente o repreendeu, seguido de um riso baixo por parte de Jisung. - E-Ei, isso não tem graça...

- Realmente não tem, mas é uma ideia até que boa. - O Park sorriu gentil para o chinês. - Você pode ir pra minha casa depois e te apresento aos meus pais, conversamos sobre a peça e passamos um tempo juntos. O que acha?

- Dá última vez que aceitei a proposta de ir pra casa do Jaemin.. - Jeno comentou de modo despreocupado. - Acabou com nós dois deitados e--

- Nos poupe de detalhes. - RenJun disse, já descendo as curtas escadas. Fez um breve sinal com as mãos para que fossem para os bastidores e se trocassem. - O ensaio acabou, amanhã vocês estão liberados porque é algo por enquanto separado dos figurantes. Depois, tratem de estarem aqui realmente dispostos a encenarem com seriedade.

O seu tom era sério, não se deu o trabalho de esperar por Jeno ou Jaemin. Estava claramente irritado com o resultado do primeiro ensaio, mas tinha em mente e consciência que era a primeira vez da maioria dos colegas que selecionou. Seus passos eram firmes, o único ato que fizera antes de sair do teatro foi colocar os vários papéis com todas as cenas e falas para que pudesse seguir bem o decorrer dos acontecimentos da atuação. Suspirou em frustração ao subir as escadas em direção a porta e sair, caminhando pelos corredores com o pensamento de que o seu primeiro projeto sem a intervenção de professores ou superiores poderia ser um completo desastre.

- Desculpem por isso mas... - Jaemin tentou quebrar tal atmosfera. Ainda em cima do palco com as suas devidas vestimentas, o grupo de colegas estavam em um silêncio constrangedor.

- É um sonho dele. Ser um diretor famoso, ele ama teatro mais que qualquer pessoa. - Jeno completou. - Acho que poderíamos fazer o máximo pra fazer isso dar certo. Ele nem sequer pegou os roteiros, podemos levar pra casa e ensaiar lá. - Ao propor, encararam aquilo como uma ótima solução.

- É uma boa ideia - Haechan disse, descendo as escadarias pequenas e caminhando até as poltronas e recolhendo os papéis que seriam as falas e ações. - E o que temos que fazer é só tomar cuidado pra isso não acabar rasgando ou amassando eu imagino...

- Nós vamos pegar cada parte e ensaiar em casa. Estou confiando isso em vocês. - Jaemin sorriu com a disposição dos colegas.

Quando ChenLe foi descer, esqueceu-se de levantar a barra do vestido na qual não estava nada acostumado a utilizar. Acabou pisando em falso no tecido com o salto e em súbito, o seu corpo foi impulsionado para trás involuntariamente, tropeçando. Os seus olhos se fecharam como se já esperasse o impacto do chão frio e o seu corpo se contorcendo em dor por conta do impacto e algum provável machucado que poderia se abrir.

Porém, sentiu o seu corpo cair não sobre o chão, mas sim sobre um corpo maior que o seu, braços abertos o segurando com firmeza para que não caísse e um cheiro do perfume amadeirado. Ao abrir os seus olhos, encarando o rosto de Jeno sorrindo para si com carinho em um misto de ternura, os olhos eram simpatizantes com a sua situação. Poderia se dizer uma cena cômica, em que a princesa está diante os braços do malfeitor e a mercê de qualquer coisa que ele poderia fazer. Ao se separarem, riram da situação e retornaram a realidade. Do outro lado, Jisung encarava a situação com seriedade, os papéis de suas ações já estavam em suas mãos e estava prestes a ir para o camarim de trocar.

- Então ChenLe... Você vai querer vir comigo em casa? - O Park indagou, aproximando-se do chinês.

- Claro. Eu vou me trocar, pode me esperar na saída? - Sorriu ao ver que o maior havia acenado em confirmação.

Se despediu dos colegas que também já iam até os seus devidos camarins para se trocar e, dali, iriam embora. ChenLe caminhava com dificuldade, em uma de suas mãos que - ainda seguravam as barras dos vestidos - se encontravam completamente ocupadas, ainda prestava atenção por onde passava para não tropeçar. Dessa vez, não teria um Jeno para que o segurasse e muito menos um Jisung, já que o Zhong não notou, mas os dedos longos e grandes do loiro seguravam os papéis encarando a visão como se não estivesse acreditando no que via, mesmo que fosse um gesto tão inocente. Talvez ciúmes.

Enquanto isso, Jisung havia sido ágil em se trocar, deixou as suas vestimentas nos cabides que o camarim oferecia e colocou os papéis com cuidado em meio uma de suas pastas em sua mochila. Estava encostada na parede de concreto da construção ao lado do grande portão que ficava aberto até certo horário, logo mais tarde, os funcionários provavelmente fechariam. Suspirava em frustração ao relembrar da expressão que fizera ao reagir observando a cena de Jeno segurando ChenLe em sua cintura, o sorriso de ambos e sua proximidade não havia o agradado em nada. Massageou a têmpora pensativo, mal notando o chamado de Jeno em seu ombro.

- Ei, cara - O chamou, Jisung logo desviou olhar para o amigo. - Pode ficar tranquilo que não to’ querendo roubar o ChenLe de você. Desde quando é tão ciumento?

- E quem disse que isso é ciúmes? Só achei estranho você ter sido tão cavalheiro com o Jaemin praticamente do seu lado. - O maior tentou explicar, mesmo que de um modo certamente desajeitado que o Lee percebera e sorriu.

- Mas isso não tem nada haver, ele poderia se machucar sabia? - Encostou-se do lado do Park. - E aí ChenLe. - Sorriu ao ver o chinês saindo da escola já vestido com suas roupas comuns e a mochila em seu ombro esquerdo. Havia tirado também toda a maquiagem, mesmo que os seus lábios ainda estivessem com uma coloração vermelha fraca e um fraco sabor doce de morango que foi praticamente impossível Jisung ignorar.

- Obrigado por ter me segurado no teatro... - O chinês sorriu - Provavelmente estaria com um machucado se não fosse você.

- Que isso. Era o máximo que eu poderia fazer... Mas é isso, marquei com o Jaemin de ir na casa do RenJun mais tarde e não quero me atrasar. - Desencostou, acenando as mãos em um gesto de despedida. Na realidade, tal encontro era daqui algumas horas e sua real intenção era deixar os dois sozinhos para que passassem a se acostumar um com o outro.

- Então... Nós podemos ir? - ChenLe indagou ao ficar sozinho com o maior. Não era a primeira vez, mas também não iria mentir dizendo que aquele coreano não mexia mais consigo. Seu rosto havia ficado levemente ruborizado ao notar os olhos fixos do Park caindo sob seus lábios bem adornados, parecendo convidativos. - Jisung...?

- Ah sim... Vamos, o meu motorista já chegou, estava esperando você sair. - O Park sorriu desajeitado, aproveitando para pegar a mãozinha pequena do chinês com cuidado apesar de parecer ter uma necessidade de tocar a pele macia de bebe do Zhong. Começaram a caminhar em direção ao estacionamento enquanto sentiam a fraca brisa tocar os fios de seus cabelos, o calor fraco da tarde e o sol alaranjado deixava tudo ainda mais semelhante a um filme de romance clichê.

- Hum... Jisung... - ChenLe o chamou com a voz tímida enquanto caminhavam.

- Sim?

- Por que você... Está segurando as minhas mãos?


Notas Finais


Gente vcs não sabem o quão eu amo ciúmes, sério. Eu não me aguento, uma hora ou outra eu tenho que colocar um pouquinho de ciúmes se não, tenha certeza que a fic não é minha.
Ai eu to mto fritada e espero que vocês também estejam.
Minhas aulas voltaram, amanhã eu tenho prova então não sei se vou conseguir escrever. Faço o meu melhor.
Obrigada pelo apoio a todos, obrigada por não desistirem e acompanharem até aqui <3.
Até a próxima anjos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...