História WEBTOON - Imagine Yuta Nakamoto; NCT. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Personagens Originais, Yuta
Tags Boygroup, K-pop, Nakamoto, Nct, Yuta
Visualizações 112
Palavras 1.838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, nctzens!
.
Primeiro, creio que devo explicações.
.
Passei um tempo afastada das minhas histórias e isso me deu um tempo para pensar melhor sobre elas. Li essa fanfic várias vezes e por mais que gostasse da ideia, não estava gostando da forma que eu estava executando. Sem contar que, tive ideias que poderiam melhorar a história e seria um desperdício se eu não as usasse, mas não queria fazer outra fanfic com essa mesma história, então apenas resolvi reescrever de uma forma melhor, me esforcei muito, espero que agrade a vocês.
.
.
Resolvi, também, que precisava me organizar, então, darei um dia certo para atualizar essa história. Toda sexta-feira terá capítulo novo, vou me esforcar para isso.
.
.
Sem mais delongas, vamos ao capítulo!
.
Espero que gostem!
Boa leitura!💕

Capítulo 1 - Primeiro Capítulo


Fanfic / Fanfiction WEBTOON - Imagine Yuta Nakamoto; NCT. - Capítulo 1 - Primeiro Capítulo

Seus passos decididos o guiam para o centro do tatame, onde o seu adversário o aguarda. As provocações de Taeyong foram o suficiente para encorajar Yuta a lutar consigo, mesmo que o japonês não se sentisse tão certo de que poderia derrotar seu oponente.

O professor instruiu os dois lutares uma última vez, antes de anunciar o início da luta entre Lee e Nakamoto. O coreano saiu na frente com um golpe inesperado, acertando um chute forte no abdômen de Yuta - ainda novato quando se trata de lutas corporais, afinal, acabara de chegar no Instituto Musul.

O japonês foi ao chão, com a respiração um tanto quanto irregular e ambas as mãos no abdômen, onde foi atingido. Taeyong o encarava de forma superior, como se estivesse debochando do quão fraco ele parecia agora... Bem, ele realmente estava. O ego de Lee Taeyong nunca esteve tão alto como nesse momento, ele sente como se estivesse provando para todos aqueles que se admiraram com Yuta e sua boa aparência, que ele -- Taeyong -- ainda é o melhor do instituto.

  
                       ________ Point of View.
                         Seul, Coreia do Sul.

- Aish! Lee Taeyong era tão irritante no começo! - Resmungou a garota ao meu lado, interrompendo sua narrativa dramática. Boo Hwa é boa em dar palavras aos desenhos, devo admitir isso.

- Por que está relendo isso? - Pergunto, antes que ela volte a narrar os quadrinhos. 

- Bem, você me disse que odiava esse manhwa, mas nunca leu antes, então eu pensei que, talvez, se você conhecesse a história, poderia mudar de ideia. - Respondeu com um sorriso brilhante nos lábios.

- Eu tenho os meus motivos para odiar essa... - Me contive para não exagerar nas palavras. - Coisa. 

- E quais são?! - Perguntou. - A história é legal, os desenhos são incríveis, os personagens são bonitos e o Yuta é incrível! - Argumentou, enquanto mostrava as páginas do manhwa

- São motivos pessoais. - Respondi, levantando do chão onde estávamos sentadas. - Vamos logo, o sinal vai tocar em breve. - Lhe virei as costas e segui o meu caminho para dentro do prédio escolar, tentando, ao máximo, evitar Boo Hwa e seu manhwa favorito.

O que Boo Hwa não sabe é que, pelo menos aquela parte, eu sei de cor e que antes de odiar o manhwa e tudo o que lhe envolve, eu já fui uma grande fã, na verdade, a primeira. A primeira pessoa a lê-lo e conhecer o Yuta, eu até mesmo nomeei alguns personagens, tudo isso, antes de descobrir o mal que aquela porcaria poderia causar na minha família.

                            [...]

A aula de inglês nunca foi muito atrativa, até porque, é repetitiva e o nosso professor é tão entediante quanto uma corrida de lesmas. Essa já era a última aula e como sempre, estávamos sob a maldição do relógio parado, o tempo demora a passar. Pelo menos Boo Hwa tinha me deixado em paz, desistindo de converter para o universo dos fãs de *Ssaum* e agora dormia com a cabeça apoiada em meu ombro. Eu também não estava muito desperta, as vezes dormia por alguns minutos, podia sentir a baba escorrendo pelo canto da boca. 

Repentinamente, uma bolinha de papel pousa sobre minha mesa. Boo Hwa acordou com o barulho que a bolinha fez ao bater em meus lápiz, a garota abriu o papel e leu a mensagem que ele trazia, era do Mark, um amigo próximo de Boo Hwa, os dois vivem falando sobre Ssaum, ambos são apaixonados por essa coisa. 

- O que foi? - Pergunto ao ver o largo  sorriso que tinha em seus lábios, enquanto escrevia algo no papel. 

- Mark nos chamou para sair... Vamos? - Perguntou esperançosa. 

  - Pra onde vamos? Não tem nada a ver com o Ssaum de vocês, certo? - Pergunto desconfiada, vendo a garota sorrir.

- Não, ________! Vamos ao shopping, só isso! - Sua resposta foi o suficiente para me convencer a aceitar sair com os dois após a aula.

Depois de aceitar o convite de Mark, voltamos nossa atenção para a aula, ou seja, nós duas pegamos no sono e acordamos com o sinal tocando, anunciando o término das aulas do dia. 

- Dormiram bem? - O canadense estava parado em nossa frente, rindo de nós duas e de nossas caras de sono. 

- Foi o melhor cochilo da minha vida! - Respondeu minha amiga, enquanto arrumava seus fios louros. Mark gargalhou de sua resposta sincera.

- E você, ________? 

- Juro que sonhei com gatinhos! - Respondi já em pé e jogando minha mochila no ombro direito. 

- Você e o Ten têm muito em comum. - Comentou Boo Hwa, levantando de sua carteira. - Creio que vocês dois foram feitos um para o outro, assim como eu nasci para o Yuta. - Suspirou apaixonada.

- Claro... Acontece que nenhum dos dois existe de verdade. - Trato de lembrá-la da realidade e que a vida não é como um manhwa ou um drama

- Você é tão cruel! - Fez uma carinha chorosa e fofa, impossível de resistir.

 
                                      [...]

Chegamos no centro comercial após alguns minutos de caminhada. Era normal estar tão movimentado, mas logo comecei a desconfiar daquelas pessoas e para onde Boo Hwa e Mark queriam me levar. Haviam muitos jovens na praça central do shopping, todos eles tinham consigo algum pôster ou o um dos livros físicos de Ssaum. Tinham até aqueles que usavam uma cópia do uniforme do Instituto.

Continuei a caminhada com meus dois amigos traidores, até chegarmos na praça, que estava totalmente decorada com itens do manhwa, até mesmo pôsteres em tamanho real dos personagens. Parei repentinamente, atraindo a atenção dos dois.

- Podem começar a se explicar! - Exijo, cruzando os braços na frente do corpo.

- O que? - Mark perguntou confuso. - Eu chamei a Boo Hwa para vir no evento surpresa e ela me disse que você queria vir também. 

- Bae Boo Hwa! - Olhei para a loira, que sorria nervosa e evitava contato visual

- Ah, amiga! É que você continua dizendo que odeia o manhwa, mesmo sem conhecê-lo direito! - Explicou-se, mas evitou olhar em meus olhos. 

- Amiga... Deixa pra lá, eu vou deixar passar, mas não vou ficar. - Digo ao pensar melhor sobre ela não estar totalmente errada, afinal, Boo Hwa não sabe o que aconteceu no passado, não posso culpar ela por isso. - Divirtam-se!

Assim, me despedi dos dois e lhes virei as costas, pronta para sair daquele lugar, mas paralisei assim que vi ele olhando para mim. Ele mudou um pouco desde a última vez que nos vimos, parecia mais velho e cansado, tinha mais algumas rugas no rosto e mais fios brancos entre seu cabelo escuro. Ele também estava, finalmente, usando seus óculos, sempre reclamou de problemas na visão, mas nunca ia ao oftalmologista. 

- ________... - Disse o meu nome em tom inaudível, seus olhos arregalados entregavam o seu espanto ao me ver de novo, bem ali, depois de seis anos.

- Gente, é o cartunista George Kim! - Uma garota notou sua presença e o anunciou em alto e bom som, causando um tumulto entre os fãs e admiradores dele.

Haviam alguns seguranças com ele, que não deixaram que aquelas pessoas se aproximassem. Eu fiquei ali, o observando. Não sabia como reagiria se o reencontrasse, pensei que isso não aconteceria, mas agora ele está aqui, diante de mim.

- ________? - Boo Hwa se aproxima de mim. - Está tudo bem? 

- Es... Está tudo bem. - Sorri forçado. - Eu já estou indo, tchau pra vocês. 

Me afastei dela rapidamente e tentei fugir daquele lugar, mas a voz dele chamou por mim. Todos estavam curiosos e então tudo se tornou silencioso, até mesmo eu parei para ouví-lo. 

- ________... - Repetiu meu nome. - Você está tão diferente! 

Aquele homem correu em minha direção e me tomou em seus braços, sem me dar tempo para raciocinar. Não tinha reação, permaneci imóvel, esperando o fim daquele momento estranho. 

Quando ele, finalmente, se afastou, sorriu para mim. Eu só pude despreza-lo e odia-lo mais ainda, como pode agir assim depois de anos? Nenhuma ligação sequer, nem mesmo para saber se eu estava bem. Ele apenas desapareceu. 

- Como pode? - Pergunto em um fio de voz. - Sumiu durante anos e agora me abraça assim?

- Filha eu... - Não deixei que continuasse, afinal, não queria ouvir suas desculpas mentirosas.

- Filha? Não! Eu não sou sua filha! - Verbalizei de forma rude. - Eu não tenho um pai, ele morreu de repente e eu não sinto falta dele!

Em passos largos, me afastei daquele lugar, correndo para longe do shopping e para longe dele, sentindo-me livre para poder demonstrar o que eu estava sentindo, raiva, sim, mas também me sentia triste por tudo o que ele não fez. 

Algumas lágrimas teimosas insistiram em cair, tentei limpa-las, mas novas lágrimas vinham, então eu as deixei. Sentei em um ponto de ônibus vazio, tentando me acalmar o suficiente para voltar para casa sem preocupar minha mãe. 

- Aish... - Murmurei. - Por que eu estou chorando tanto? 

Ergui a cabeça, decidida á não sofrer tanto com isso, mas a primeira coisa que meus olhos encontram é um pôster de Ssaum... Irônico. No pôster, a fachada do colégio em meio as montanhas, apenas, sem nenhum personagem ao redor. 

Aquele prédio me trás algumas lembranças do passado. Meu pai precisou de ajuda para escolher o prédio perfeito, ele desenhou vários e eu escolhi esse... Arquitetura coreana tradicional, porém, uma mistura interessante com toques europeus. 

- Merda! - Praguejei quando me vi chorando de novo. 

Levei ambas as mãos ao rosto, cobrindo os olhos brevemente. Ao abrir os olhos, notei o pôster de forma diferente, mais brilhante e vivo.  Sem dúvidas, aquilo parecia real, parecia estar vivo! 

- Como? - Me aproximei mais do pôster, notando que algumas flores do jardim do Instituto, estavam balançando, assim como as folhas das árvores. - O que é...? - Meu questionamento foi interrompido com um grito agudo que saiu de minha garganta, quando uma forma estranha saiu daquele pôster e me agarrou. 

Desesperada, gritei o mais alto que pude e tentei me soltar, mas ninguém aparecia e a rua se tornou deserta de repente. Senti meu corpo ser atraído por aquele pôster e a sombra que me segurava estava me puxando para lá, eu não pude fugir. 

Fechei os olhos assustada e apenas desisti de lutar. Meu corpo todo adormeceu por alguns segundos, eu não sentia nada e não consegui abrir os olhos. 

Isso durou muito pouco. Senti uma gota líquido cair sobre o meu rosto e então mais uma e outra. Abri os olhos devagar e então vi que já não estava no ponto de ônibus, eu estava em uma floresta estranha e a chuva caia de forma violenta. 

- O cara da previsão não falou nada sobre chuva! - Resmunguei, mas então caiu a ficha. Onde é esse lugar? E o que aconteceu ainda pouco?


Notas Finais


Vocês gostaram? Eu espero que sim.
.
.
.
Desculpem se algum erro escapou da correção.
.
.
Até a próxima!
Bye!
.
.
Ah, se alguém estiver lendo isso, o assassino na história anterior era o Jungwoo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...