1. Spirit Fanfics >
  2. Wedding Day. Malec - Sizzy >
  3. Capítulo Vinte e um: Libertar.

História Wedding Day. Malec - Sizzy - Capítulo 21


Escrita por:


Notas do Autor



Capítulo 21 - Capítulo Vinte e um: Libertar.


Fanfic / Fanfiction Wedding Day. Malec - Sizzy - Capítulo 21 - Capítulo Vinte e um: Libertar.

Capítulo 21 

Libertar. 

 

 

— Então você e Magnus estão namorando? - Isabelle perguntava enquanto mantinhas as mãos levantadas para que a mulher arrumasse seu vestido de noiva. 

Alec havia a acompanhado dessa vez a Boutique enquanto Isabelle fazia mais uma prova do seu vestido de noiva e estava maravilhado como sua irmã estava deslumbrante parecendo uma princesa. Ela já havia contado que o vestido era incrível, mas vê-la pessoalmente o usando fazia com que o destaque daquela palavra fosse mais real. Um orgulho carinhoso aqueceu seu coração o fazendo sorrir gentil enquanto estava parado ao lado dela naquele momento especial. Todas as recordações passaram uma a uma em sua mente olhando carinhosamente para Izzy e de como sua garotinha havia crescido e se transformado em uma mulher. Com esses pensamentos também o levavam a perceber que havia a superprotegido demais achando que estava fazendo algo bom para ela e também para si mesmo.  

Alec não havia reparado que Isabelle já não era mais aquela menina assustada de sete anos que perdeu os pais ao mesmo tempo que não havia reparado que ele ainda era o rapaz de dezessete anos agonizando em suas próprias feridas abertas. Perceber isso fez com que finalmente pudesse abrir seus olhos para tentar enfrentar todos os seus receios e o primeiro deles era finalmente deixar que sua adorada irmã começasse a caminhar sozinha.  

Só em pensar que faltava poucos dias para que levasse Izzy nos braços até o altar o deixava nervoso, mas dessa vez não era algo ruim de encarar como antes. Era apenas uma sensação de nervosismo natural de um irmão que era toda a família da noiva. Algumas preocupações era de não cair na igreja quando caminhasse com Izzy ao seu lado ou que não chorasse na frente de todos emocionado e que tudo finalmente desse certo. Eram coisas meramente tolas, mas que importavam para seu coração leve.  

Mas Alec estava muito feliz.  

Tão feliz que sentia que seu coração podia explodir com todo aquele turbilhão de emoções dentro dele em ponto de ebulição. Dessa vez não havia sequer rastros de emoções negativas, Alec sorria tanto que estava até desacostumado com essa nova expressão em seu rosto.  

As vezes ele passava as mãos nos lábios se recordando dos beijos trocados com Magnus e sorria ainda mais. Era como se voltasse no tempo sentindo os beijos dele sob sua boca.  

— Alec? - Izzy o observou franzindo as sobrancelhas observando seu irmão aéreo.  

Finalmente podia ver o tão sério Alec desfocado agindo naturalmente como uma pessoa apaixonada e feliz. Ter essa imagem na sua frente demonstrava o quanto realmente seu irmão estava mudando para melhor e isso só iria lhe fazer bem.  

Ela já sabia a resposta porque havia realmente os pegado de surpresa quando os viu abraçado no outro dia e empurrado Simon para que não atrapalhasse. Estava tão feliz que finalmente Alec havia dado uma chance para viver e experimentar todas as coisas que tinha deixado de lado. 

Nada poderia realmente tirar sua felicidade que tudo estava dando certo. 

E Alec estar em devaneios era a questão suficiente para que Isabelle já soubesse a resposta se fosse algum segredo. As reações do carinho e amor de Magnus para seu amado irmão estava sendo refletido a todo momento, Alec estava transbordando amor para todos os lados.  

— Hm... - Alec pigarreou sorrindo para a irmã - Você está bonita...  

Isabelle deu uma volta entusiasmada olhando para o espelho enquanto a moça ajeitava para que ficasse perfeito. O vestido realmente era espetacular e Izzy não conseguia segurar seu ímpeto ansioso para que finalmente o dia do seu casamento chegasse e que Simon finalmente pudesse vê-la indo até ele.  

Seu coração pulsava só em pensar em como Simon sorriria contente e ficaria emocionado. Ele era uma manteiga derretida de sentimentalismo e Isabelle gostava em vê-lo expressar-se tão livremente.  

— Não foi isso que te perguntei... - ela sorriu para Alec fazendo uma careta.  

—  Estamos começando... - Alec respondeu um pouco tímido - Estamos juntos... 

Não estava acostumado a falar sobre romances, na realidade nunca havia vivenciando um como estava começando com Magnus. A única coisa que compreendia era que estava apaixonado por ele e feliz em dar um passo em ficarem juntos. O que Magnus havia dito no fim daquela noite de que era isso que importava por agora refletia na mente de Alec de não pensar demais, já havia pensado bastante e nada foi tão confortante do que estar realmente com ele.  

Assumir suas emoções tinha sido um passo de alívio porque enfim seu coração estava relaxado. E com o tempo poderia ter um status de namoro ou qualquer outro que ambos quisessem, o importante mesmo e que ambos queriam estar um com o outro.  

Outro, porém, que o deixava um pouco envergonhado era de nunca ter essa intimidade com sua irmã mais nova. Alec tinha uma pequena ideia de que no decorrer do tempo a proximidade com Isabelle havia se transformado de irmã mais nova para filha e assuntos como esse não tinha espaço livre em sua vida sem que ficasse um pouco constrangedor. Resgatar isso durante aqueles dias que mudou inteiramente sua rotina foi algo revelador e que os aproximaram mais intimamente.  

Falar sobre Magnus e até escutar toda as frases melosas que Izzy jogava sobre Simon havia os colocado mais perto um do outro. Disso um outro tipo de confiança renasceu de se abrirem realmente como irmãos.  

— Hm... o que você acha disso? De estamos juntos... - Alec perguntou desajeitado enquanto encontrava Izzy com os olhos brilhando.  

Realmente precisava perguntar de alguma maneira. Apesar de todas as mudanças, Isabelle ainda era importante em sua vida e sua família,  

— Acho maravilhoso, incrível e espetacular... - respondeu alegremente tentando não se mexer demais com o entusiasmo - Você gosta dele e...  

— Gosto muito... - Alec respondeu tão rápido que surpreendeu até a si mesmo. A vontade era de dizer que o amava muito, mas controlou a língua oferecendo um sorriso tímido em disfarce da sua empolgação.  

Tinha percebido, tarde demais, que não era uma pergunta que Izzy soltou naquela frase e sim uma constatação. Isabelle soltou uma risadinha com a afobação do irmão e vê-lo tão feliz e apaixonado era algo bonito e raro.  

— Ele gosta muito de você também... - ela falou sincera com um olhar amoroso para o irmão. Ela sabia que Magnus amava seu irmão com todo o coração pelos olhos de Simon - Quero que vocês sejam felizes...  

Alec andou até ela com a expressão suavizada deixando Izzy ainda mais animada. Aqueles traços obscuros que deixava Alec apagado estava sumindo aos poucos, a vitalidade dele estava começando a brilhar em seus olhos azulados e isso era algo que a emocionava demais.   

— Eu também quero que você seja feliz... - Alec a respondeu segurando a mão da irmã gentilmente – E digo novamente que está muito bonita e esse vestido combinou com você... Minha Izzy vai ser a noiva mais bonita e deslumbrante e no dia do seu casamento todos vão ter olhos somente para você...   

— Você diz isso porque é meu irmão... - ela brincou, mas elevou seu rosto olhando para o espelho e deixando que o elogio aquecesse seu coração.  

— É a verdade... - Alec reafirmou convicto.  

— Bem... Se vou ser a noiva mais bonita... - Izzy apontou para Alec sem reservas – Espero que meu irmão que vai me levar ao altar também seja o mais bonito de todos... Então já escolheu sua roupa?  

Alec olhou de um lado para o outro coçando os cabelos soltando um sorriso com as bochechas começando a corar. Estava ali justamente para aquilo também. Não gostava muito de roupas socias ou ternos e gravatas porque não tinha uma vida badalada e muito menos um caminho tão sociável para usufruir aqueles tipos de trajes. As únicas festas que tinha ido antes do falecimento dos seus pais tinha sido há muito tempo e para ser mais exato poderia dizer que foi na sua formatura do colegial.  

Jamais havia se importado com essas pequenas coisas tanto que não pensava em sair ou desfrutar de toda a jovialidade enquanto tinha que cuidar de uma criança. Todas suas roupas formais tinham sido utilizadas para reuniões de escolas e apresentações de Isabelle. Mas ele se recordava com carinho o quanto seu pai era um homem charmoso que gostava de se arrumar, pensar sobre essa memória trouxe uma conexão saudosa no coração de Alec. Algo puro sem dores.  

— Com certeza vamos encontrar algo do seu gosto, Sr, - a moça vestida profissionalmente sorriu para Alec que confirmou com as mãos para que Izzy ficasse sossegada.  

Era óbvio que precisaria de ajuda porque não fazia ideia do que escolher diante de tantas formalidades que não estava habituado, mas escolheria aquilo que achasse que combinava mais consigo. Sorriu ao imaginar que deveria estar bem vestido já que ficaria ao lado de Magnus no altar.  

— Você é lindo, Alec... - Izzy foi até ele quando a moça já havia terminado os ajustes segurando a barra do vestido – Qualquer roupa vai ficar perfeito então não se preocupe, sim?  

— Não estou preocupado... - ele beliscou o nariz de Izzy em carinho recebendo um abraço apertado de volta.  

— Eu te amo maninho... - Isabelle sorriu aninhando-se em Alec como um bebê. Ela sempre fazia essas atitudes inesperadas fazendo o mais velho sorrir. 

— Eu também... - Alec a abraçou com cuidado para que não amassasse o vestido com o maior cuidado para que realmente não o estragasse - Agora vou procurar minha roupa antes que você me arraste até lá...  

Alec compreendia que Izzy sempre fazia essas articulações quando queria impor alguma coisa. Ele a conhecia como a palma de sua mão.  

— Isso mesmo... - Isabelle brincou empurrando o peito do irmão - Você me conhece bem...  

Alec lhe deu um beijo na testa e seguiu a mulher para que procurasse algo para ele. Isabelle ficou por ali ainda se observando no espelho com um sorriso animado no rosto imaginado em seu dia especial que estava chegando e em tudo que estava prestes a acontecer. Ela sonhava com isso em todos os segundos ansiando para que o dia do casamento finalmente chegasse logo e se pudesse de alguma forma ter uma máquina do tempo em que os dias passassem mais rápido com certeza a utilizaria.  

Uma felicidade crescia dentro do seu peito por ter Alec de volta e feliz e que finalmente iria se casar com Simon. As duas coisas mais importantes em sua vida estava realmente acontecendo dessa vez, não poderia estar mais animada que isso.  

Virou algumas vezes para se olhar no espelho antes que tirasse o vestido se focando para que nada estivesse errado, porém assim que deu mais uma volta sentiu os pés falharam como se estivesse pisando em falso ou o chão tivesse sumido debaixo dos seus pés.  

Foi com tudo para frente se encostando no espelho quase batendo seu rosto sob ele o que seria um completo desastre. Izzy piscou algumas vezes porque sentiu seus olhos pesarem e uma forte tontura se encostando na gelidez do seu reflexo. Fechou os olhos respirando calmamente para que passasse, mas parecia que a cada respirada aumentava o mal-estar.  

— Calma Izzy... vai passar... - ela suspirou baixinho controlando sua respiração, mas aparentemente era tão difícil respirar com aquele vestido mesmo que estivesse em suas medidas certas.  

Izzy começou a se apavorar porque não deveria estar acontecendo aquilo justamente quando seu irmão estava tão perto. Alec poderia entrar por aquela porta a qualquer momento e ficaria tão preocupado que tudo iria ser em vão.  

Então veio a dor fazendo Isabelle cerrar os pulsos tentando respirar calmamente, já esperava por ela, porém a intensidade estava começando a aumentar. Ela se dobrou um pouco segurando sua barriga com os olhos cheios de lágrimas tentando caminhar devagar até sua bolsa. Ela pegou algo de lá e colocou na boca rapidamente se sentando no processo em um puff para que conseguisse se restabelecer.  

Algumas lágrimas salpicaram em seus olhos enquanto rezava para que a dor fosse passageira como tinha sido antes. Pegou o celular com as mãos tremendo e discou o número colocando nas orelhas enquanto ao mesmo tempo olhou na direção que Alec havia ido esperando que ele não voltasse logo e que ficasse mais tempo procurando seu smoking.  

— Amor, como vão as coisas? - A voz de Simon soava animado ao segundo toque.  

— S-Simon? - Izzy gaguejou e escutou seu noivo suspirando apavorado do outro lado.  

Depois de um tempo considerável experimentado roupas. Alec já estava começando a ficar cansado, mas finalmente tinha encontrado algo do seu gosto e principalmente que coubesse em seu limitado orçamento.  

Procurou por sua irmã que já deveria ter tirado o vestido e estava a procurando em todas as direções até que a encontrou sentada ao lado de Simon.  

Ambos conversavam atentamente um com o outro em voz baixa e Simon segurava as mãos de Izzy nas suas.  

— Quando chegou? - Alec perguntou chegando perto e os saudando amigavelmente pegando ambos de surpresa.  

— Estava perto quando resolvi ver Isabelle e a convidar para almoçar comigo... - Simon se levantou e deu as mãos para Alec em um aperto - Você pode vir se quiser também...  

— Já terminou? - Izzy perguntou em um estado melhor.  

Alec olhou para ela para responder quando sua expressão se fechou em nítida preocupação. Isabelle ofegou engolindo em seco, mas soltando um pequeno sorriso em disfarce.  

— Você está bem? Está pálida...  

— Coisas da gravidez... - a voz de Simon tomou a iniciativa de resposta – Ela se sentiu enjoada.  

—  Mas já estou melhor... não se preocupe... - Isabelle concordou com a cabeça colocando as mãos no ombro do irmão para que o aliviasse.  

Naquele míseros segundos conseguiu ver traços de medo nos olhos de Alec e isso fazia Izzy sentir um aperto em seu coração, porém logo havia sumido para então Alec voltar a mesma expressão alegre de antes.  

— Se não está se sentindo bem então é melhor descansar e comer alguma coisa saudável... Estamos por aqui há muito tempo... - ele brincou apertando as bochechas da irmã com carinho – Achei uma coisa bonita para vestir assim como você pediu...  

Isabelle sorriu aliviada recebendo o carinho.  

— E não posso ir com vocês... - Alec continuou de bom humor – Combinei com Magnus que iríamos fazer algo juntos...  

— Oh! Uma pena então... - Simon desconversou porque já tinha ideia de Alec iria sair com seu irmão. Aquele convite tinha sido meramente uma desculpa esfarrapada.  

Assim que Isabelle ligou para ele largou tudo que estava fazendo acelerando sua mota e furando alguns sinais vermelhos para que estivesse ali rapidamente.  

— Você realmente está bem? - Alec perguntou outra vez enquanto eles estavam saindo.  

— Sim... - Isabelle respondeu prontamente sem hesitar – Só preciso comer e descansar um pouco... Simon vai me levar, não se preocupe...  

O reforço para Alec não se preocupar tinha saído mais uma vez. Alec sorriu para ela e realmente não sentiu tanta preocupação já que Izzy estava em boas mãos com seu noivo e Simon estava pendente de seus passos e cuidados. Havia começado a confiar nele.  

— Cuide bem da minha Izzy... - Alec pediu para Simon quando se separaram.  

Eles haviam pedido um táxi e Simon não contou que havia vindo de moto no desespero.  

— Sempre... - Simon sorriu acenando.  

 

 

Magnus estava nervoso quando foi buscar seu garoto naquela tarde. Eles haviam combinado de ir visitar os túmulos dos seus entes queridos e uma sensação acolhedora brotava dentro do seu peito. Todas as vezes que se recordava que dessa vez estava com Alexander como sempre havia esperado em amor seu coração se enchia de calor.  

Não havia mais onde caber tanta felicidade dentro dele, as vezes Magnus sentia que iria explodir. Seus pais haviam reparado em seu sorriso quando voltou para casa e o quanto cantarolava ou soltava risos sem conseguir fingir que não estava sob as estrelas vivendo seu sonho de amor. Também não precisou dizer nada a eles porquê da sua felicidade já que Asmodeus e Elaine conheciam muito bem o motivo.  

E agora Magnus estava indo oura vez atrás do seu amado garoto estando ao lado dele naquele outro grande passo.  

Uma forte empolgação de estar com ele de novo fazia sua pele se arrepiar.  

Estacionou o carro quando viu Alec o esperando na frente do prédio do seu apartamento. Magnus ficou fascinado observando os mínimos raios de sol escondidos sob as nuvens batendo no rosto de Alexander e em seus cabelos negros.  

Aos seus olhos Alexander era a perfeição. Magnus sentia que se apaixonava por ele todos os dias um pouco mais.  

Alec percebeu que Magnus havia chegado e estava o encarando atentamente. Sorriu na direção dele fazendo Magnus ter uma das visões mais lindas que recordaria para sempre. Ele já havia fixado em sua mente todas as vezes que o sorriso de Alexander desabrochava daquela forma intensa e algumas das vezes era por consequências suas. Saber disso sempre o deixava com o coração batendo acelerado. 

— Esperou muito? - Magnus perguntou chegando perto querendo se absolver naquela quentura do sorriso do seu garoto.  

— Não, acabei de descer... - respondeu ainda sorrindo.  

Alec não sabia o que fazer naquele momento. A sua vontade era de cumprimentar Magnus lhe dando um beijo de novo, porém sentia suas pernas travadas no chão com aquele olhar intenso em seu rosto. Tudo em Magnus demonstrava amor e Alec se sentia hipnotizado demais nesses detalhes.  

Eles se encararam um pouco até que Magnus foi até ele e o beijou nos lábios macios. Alec ainda se sentia um pouco inexperiente sobre relacionamentos, mas por mais que tudo fosse algo novo não tinha capacidade nenhuma de não retribuir o que queria ter feito.  

Magnus iria se afastar porque era algo amoroso rápido, mas sentiu as mãos de Alec sob seu pescoço o puxando e o beijando mais intimamente. Eles suspiraram satisfeitos na boca um do outro e sorriram quando se afastaram.  

— Senti sua falta... - Magnus sussurrou baixinho apenas para que Alec pudesse ouvir.  

— Senti sua falta também... - Alec respondeu sincero com os olhos iluminados de amor.  

Magnus encostou seus lábios nas bochechas quentes do seu garoto enquanto Alec fechou os olhos pela carícia.  

Ambos se dirigiram até o cemitério local da cidade. Como Alec estava um pouco nervoso porque havia muito tempo que não visitava o túmulo do seus pais eles iriam ver primeiro a mãe de Magnus.  

Magnus sempre apertava uma das mãos de Alec ao seu lado passando conforto enquanto dirigia atentamente.  

— Marquei uma sessão após o casamento de Isabelle... - Alec começou a conversar tentando manter o nervosismo de lado. Eles estavam em uma conversa sobre as terapias que Alec queria começar a fazer. Aquele passo ainda tinha que ser dado.  

— Isso é bom... - Magnus sorriu de lado – Estarei com você se precisar...  

— Eu sei... - Alec soltou um suspiro satisfeito.  

Eles finalmente chegaram e coincidentemente as pessoas que eles amavam estavam enterrado no mesmo lugar. Magnus segurava as mãos de Alexander sem soltá-lo em uma atitude que estava ali com ele e seu garoto a segurava forte. Magnus quase disse que não precisava segurar tão forte porque jamais iria a soltar e jamais iria soltá-lo, porém achou que a atitude de o manter perto já dizia por si e não era necessário palavras.  

— Se você quiser podemos deixar isso para outro dia... - Magnus parou pensando que algo assim poderia ser forte demais para se enfrentado tudo de uma vez.  

Mesmo que estivesse ao lado dele não queria o expor a feridas que ainda doíam.  

Alec olhou para ele comovido pelo cuidado e carinho em sua voz.  

— Está tudo bem... - afirmou honestamente porque não se sentia acuado e nem com receios. Estava um pouco nervoso, mas nada que não conseguisse enfrentar e bem, Magnus estava do seu lado e se sentia apoiado.  

— Certo... qualquer coisa podemos ir embora no momento que você quiser e pedir...  

— Ok...  

Alec sorriu quando Magnus levou uma de sua mão até os lábios e a beijou carinhosamente. Eles andaram um pouco sob o silencioso cemitério com suas lápides espalhadas e o vento harmoniosamente com o lugar sagrado.  

Até que finalmente Magnus que já sabia onde sua mãe havia sido enterrada chegando ao local com precisão. Na lápide o nome Mawar Bane reluzia de uma boa esposa e amada mãe com algumas flores espalhadas que eram sempre trocadas para mantê-las.  

Alec sentiu seu coração amolecer olhando para seu amado homem ao seu lado enquanto ele ajoelhava em uma reverência silenciosa para a mãe que amava. Também se ajoelhou ao lado de Magnus pegando nas mãos dele outra vez e era como se ambos passassem forças um para o outro.  

Magnus olhou para Alexander sorrindo com os olhos brilhantes de lágrimas saudosas, mas contentes. E Alec o ancorou com um dos braços em suas costas.  

— Como vai mamãe? - Magnus disse em um suspiro satisfeito limpando os olhos pela emoção - Lembra quando lhe contei sobre a pessoa que estava em meu coração? Estou a trazendo aqui para conhecê-la...  

Alec sorriu também emocionado olhando para Magnus com admiração.  

— Um dia você disse que encontraria o amor... - Magnus continuou sorrindo olhando para Alec - Você estava certa... Esse é Alexander Lightwood...  

— E muito bom conhecê-la... - Alec disse ainda com as emoções soltas sem conseguir arranjar outras palavras para expressar o quanto estava sentindo em estar ali junto de Magnus. E ser a pessoa importante no coração dele.  

Magnus o olhou e sorriu com orgulho de que Alec não precisava dizer nada e era apenas estar um ao lado do outro que importava como havia dito antes. E que sua mãe que deveria estar em algum lugar para aqueles que acreditavam no paraíso os observando e estando feliz por seu filho.  

Eles ficaram ali por alguns minutos e então finalmente Alec tomou sua coragem para que seguissem seu caminho até onde seus pais estavam enterrados juntos. Magnus ficou mais perto dele como se quisesse o proteger fazendo Alec relaxar um pouco mais.  

A lápide de seus pais estava longe de onde a mãe de Magnus, mas só da sensação que ambos descansavam no mesmo lugar os deixavam se sentindo ligados.  

Alec parou seu caminho um pouco retomado o ar que de repente deixou sua garganta arder. Segurou Magnus pelo braço em um instante já Magnus o olhou tão amorosamente que deixou claro que se quisesse ir embora o levaria dali rapidamente.  

Alec percebendo aqueles olhos derramando amor sentiu a vibração dentro dele com coragem. Magnus era admirável por perder a mãe tão cedo e conseguir dar os seus próprios passos e encarar o luto fazendo com que Alec ansiasse por isso também e por deixar finalmente se libertar de todas as amarras que o prendia.  

A lápide de seus pais estava bem organizada e também havia flores trocadas sempre. O nome Robert e Maryse Lightwood refletia em suas emoções fazendo com que Alec não conseguisse reter as lágrimas de caírem silenciosamente em seu rosto. Ele sabia que Izzy esteve vindo visitá-los e se sentiu um pouco culpado de também não vir com ela.  

Deveria estar ali rezando pela alma e descanso dos seus pais.  

Sentiu os braços de Magnus o abraçando e dizendo palavras gentis em seus ouvidos. Aquele carinho aqueceu ainda mais seu coração e deixou que as lágrimas lavassem aquela dor e a levasse embora. Dessa vez Alec não chorou desesperado igual àquela noite, era mais lágrimas de saudades. Um choro libertador.  

— Me desculpem por não ter vindo antes... - Alec começou baixo limpando as lágrimas do rosto com a palma da mão - Não conseguia, mas agora estou aqui... Mamãe e papai sinto muita a sua falta...  

Magnus o abraçou mais forte com o coração pesado, mas Alec olhou para seu rosto oferecendo um sorriso gentil. A preocupação de Magnus se evaporou percebendo que seu garoto não estava triste, mas nostálgico. Conseguiu respirar melhor e sorriu também.  

— Também quero apresentar uma pessoa para vocês... Esse é Magnus Bane...  

Magnus olhou para a lápide sentindo uma emoção grandiosa em seu peito e por respeito aos pais de Alexander que devia ter o amado tanto. Quando iria cumprimentar devidamente os pais do amor da sua vida a voz de Alec chegou perto dele com um impacto que fez suas mãos tremerem.  

— E ele é a pessoa que amo... - Alec corou um pouco, mas sorriu soltando um suspiro aliviado de conseguir colocar seu amor em palavras.  

Naquele espaço havia pessoas que Alec realmente tinha em seu coração. 

Magnus olhou para ele com os olhos brilhando querendo o beijar na frente dos seus sogros.  

— Estou feliz em conhecê-los... - soltou cada palavra pausadamente tentando controlar as emoções.  

 

 


Notas Finais


Olá amores ❤
Se tudo der certo e meu cronograma seguir feliz essa fanfic acaba no capítulo 30 ou 31 então... se preparem :)
Não tenho muito o que dizer aqui... vou esperar vê-los aí embaixo.. Amando todos os comentários nos anteriores vocês aquecem meu coração. Ah! E de praxe: Desculpe a demora, rs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...