1. Spirit Fanfics >
  2. Weird Fetishes for Weird Situations >
  3. Fetiches

História Weird Fetishes for Weird Situations - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo piloto e breve que serve mais ou menos para o leitor conseguir compreender do que se trata a obra.

Capítulo 1 - Fetiches


Olá a todos! Eu me chamo Clyde Rudson e atualmente estou cursando psicologia na universidade de Westminster em Londres, aqui no Reino Unido. Apesar desta minha carinha fofa de um jovem de 16 anos, eu tenho 22. Oooh, mas não fiquem tão chocados, muitos dizem que por eu ser ruivo, ter a pele clara e algumas sardinhas ao redor do rosto e corpo, eu sou claramente confundido com o irmão mais novo do Ed Sheeran -- Apesar de eu nem saber se ele tem mesmo um irmão.

Para! – Um grito feminino toma conta de todo quarto em um tom alto. – Isso tá horrível, caral. Não sei quem foi que te disse que fazer piadinha em apresentação de universidade era uma boa ideia. Os professores vão te comer vivo. – Esta é Natasha, minha colega de quarto e tentativa de melhor amiga, só que ela não tem muita paciência comigo então somos só amigos normais mesmo. – E quando eu digo comer, é no literal, não pela bunda.

– Você sabe do que tá falando? Ao meu ver me manter confiante é a melhor maneira de eu me sair bem em uma apresentação, e isso definitivamente se aplica ao uso de piadinhas sem graça. – Pergunto enquanto balanço em minha mão um caderninho com anotações.

– Não sei cara, me parece forçado. – Ela cruza os braços. – Se eu fosse a sua professora iria te dar um zero negativo.

– O número zero já é negativo, e positivo ao mesmo tempo.

– Hm, não dou a mínima. – Ela se levanta do banco qual estava sentada para minha apresentação. – Melhora essa merda que você chama de apresentação, que agora eu vou sair com o Thomas.

– Thomas?

– Meu namorado.

– Mas e a Abigail? Você tava com ela ontem.

Ela respira fundo.

– Chata demais, sabe? Disse que se estivessemos em um relacionamento eu não deveria ficar com outras pessoas. Qual o sentido? – Eu fico sem reação enquanto ela pega suas chaves em cima da estante. – De qualquer forma, se eu voltar hoje, eu ouço de novo o seu trabalho.

– Obrigado pela compreensão...

– As vezes fico pensando: o que seria de você se não fosse eu? Você não tem amigos né? Ai que tristinho... Eu pelo menos tenho vários, poderia até dizer que eu tenho fetiche em conhecer novas pessoas. – Ela se despede com estas palavras humilhantes enquanto bate a porta do apartamento.

Eu poderia muito bem estar profundamente ofendido com o tom e o desprezo em suas palavras, mas... Uma única coisa pode chamar minha atenção em seu texto amargurado: "fetiche".

O que é o fetiche? Pesquisa rápida no google: "objeto a que se atribui poder sobrenatural ou mágico e se presta culto." – Isso está certo? Talvez não seja isso o que eu estou procurando. – "objeto inanimado ou parte do corpo considerada como possuidora de qualidades mágicas ou eróticas." – Ah sim... Agora eu entendo. Fetiche? Reconheço bem o uso e real significado desta palavra. Além de fazer parte do vocabulário de um adolescente tarado de uma série da Netflix, eu mesmo já tive alguns "fetiches" na vida.

Me lembro, quando eu tinha por volta dos 15 anos, Alexandra Davies da minha sala estava olhando diretamente no fundo dos meus olhos enquanto falava comigo brevemente as seguintes palavras de forma caluniosa... "Você quer apanhar, caralho?". Nunca fiquei tão excitado como antes, desde então descobri que eu tinha tesão em apanhar de mulher bonita... Talvez esteja relacionado com o famoso BDSM, mas claramente não tão avançado ao ponto de cortes no corpo.

Eu estudo psicologia, e psicologia tenta entender como funciona o humano na sua forma de pensar e logo, de agir. Talvez eu esteja pensando alto demais, mas... Eu sinto que eu posso trabalhar com isso: Estudando o cérebro humano, esse pode ser o meu MAIOR trabalho de toda a minha vida. Eu só tenho que conhecer algumas pessoas, escrever alguns relatos e fazer um trabalho por cima disso. Claro! É o que eu preciso, esse meu tema atual sobre doenças psicólogicas é genérico e eu com certeza não quero entrevistar alguém com amnésia...

Posso falar tranquilo agora, seja de olhos fechados e de peito aberto:

– É ISTO! EU ENCONTREI O PROPÓSITO DA MINHA VIDA! EU TENHO DE APRENDER SOBRE O MUNDO DA PUTARIA!


Notas Finais


Apesar de muito estranho, eu acredito que, não seja 100% que a estória continuará dessa maneira, mas acredito que não tenha ficado tão ruim assim. Aceito críticas e opiniões caso vocês tenham se interessado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...