1. Spirit Fanfics >
  2. Welcome To The Shit Of My Fucking Life >
  3. Capítulo 30 - Trouble

História Welcome To The Shit Of My Fucking Life - Capítulo 30


Escrita por:


Notas do Autor


OI MEUS AMORES!
Capa nova na fic, viram?
Enfim, vou deixar vcs livres porque o capítulo está problemático ... hahaha
Não esqueçam de comentar, heinnn

Capítulo 30 - Capítulo 30 - Trouble


Fanfic / Fanfiction Welcome To The Shit Of My Fucking Life - Capítulo 30 - Capítulo 30 - Trouble

Seis meses haviam passado voando desde a festa de lançamento e as coisas na minha carreira profissional não poderiam estar melhores! O EP emplacou e eu havia ficado duas semanas seguidas no primeiro lugar no Hot 100 de Billboard e havia ficado com uma agenda lotadíssima uma semana após o lançamento! Já tive convites de participações importantes, como a abertura de um show do Bullet For My Valentine em Orange County, a abertura de um show do Alter Bridge e cantei uma música com o Myles também. Meu primeiríssimo CD havia sido lançado há uma semana e já estava tendo um grande número de acesso nas plataformas digitais, e também já havia recebido algumas boas críticas construtivas, o que era ótimo! Meu nome estava ganhando uma melhor visibilidade e eu estava começando a colher os meus frutos longe da visibilidade com o Myles. E essa era uma área que não estava das melhores … 

O episódio “Brian” não foi uma coisa superada pelo Myles, o que era bem ruim pois eu e Brian não havíamos nos visto depois da minha apresentação, já que minha agenda encheu, o Avenged e eu voltamos aos estúdios, então nunca conversamos sobre o assunto por não estarmos mais convivendo tanto. Mas minha relação com o Myles nunca mais foi a mesma! Ele estava tendo um comportamento mais possessivo e controlador, o que nos rendeu noites de discussão e conversas estendidas, principalmente quando eu estava em estúdio, já que eu passava a maior parte do tempo lá sem comunicação. Eu não negava que o Myles tinha seus motivos para agir assim, então sempre relevava muito sua mudança de postura. Principalmente pois eu não tinha certeza que aquilo tudo e todo aquele sentimento era uma página virada, talvez somente adormecida … e isso me amedrontava um pouco.

— Fala, Piranha! — atendi entrando no táxi para ir pra casa. Tinha acabado de sair do estúdio, depois de uma seção de fotos seguida de ensaio  extremamente cansativos.

Oi sumida! — Jessica ácida e imediatamente revirei os olhos — Já está liberada? Estamos todos com saudades e indo beber no Johnny’s Bar.

— Eu estou literalmente exausta — exclamei após um suspiro pesado.

Ah não, para! Tira um tempo pra respirar, beber um pouco, fazer umas merdas … tua vida é só trabalho agora! — ela de pronto reclamou — Vamos, vai ser legal! Há quanto tempo você não faz isso?

— Não sei não, Jess. Eu to um lixo de ser humano — murmurei.

Eu to nem aí! Você tá igual uma velha ranzinza! Você vai vir pra cá sim, se não eu vou em casa te buscar, sua biscate — dessa vez foi Sarah gritando no telefone e meu impulso natural foi gargalhar. 

— Vocês dão sorte que eu vim de táxi. Chego aí em quarentena minutos — respondi e desliguei antes de ouvir os gritos de alegria que elas dariam. Passei o novo endere para o motorista, que assentiu confirmando.

Analisei minha roupa rapidamente com uma careta, insatisfeita pois minha roupa entregava meu cansaço: estava usando um vestido t-shirt da Moschino, um rabo de cavalo alto e pasmem: um coturno sem salto. Acho que eles nunca haviam me visto sem salto. Estava sem maquiagem, pois havia retirado a usada no ensaio, destacando as olheiras pelas noites mal dormidas.

— Misericórdia, eu tô a cara do cansaço — resmunguei com uma careta, enquanto pegava minha necessaire de maquiagem dentro da bolsa. Fiz algo básico, apenas base, pó compacto, blush, rímel e um lip tint para disfarçar minha cara de zumbi. Aproveitei para mandar uma mensagem para o Myles, informando minha mudança de planos.  Ele estaria voltando amanhã de Vegas de um show com o Slash, então sabia que não daria para convidá-lo.


As meninas acabaram de me chamar para o Johnny’s Bar. Já estou a caminho, 


Não recebi sua mensagem de imediato. Aproveitei para olhar minhas redes sociais e interagir um pouquinho com meus mais novos fãs. É tão legal ver as pessoas reconhecendo o seu esforço e trabalho! Por mais que eu tivesse muitos haters — inclusive fãs do Myles que enchiam minhas postagens de mensagens e comentários do tipo “Essa garota só está com ele por interesse —, os fãs sempre me defendiam e demonstravam tanto amor, que me sentia na obrigação de respondê-los de alguma forma. Então às vezes perdia horas respondendo comentários, acessando alguns perfis e curtindo várias fotos deles, deixava elogios nas fotos, além de conversar com muitos pelo Twitter. 

Alguns minutos depois recebi a resposta do Myles:


Aproveite por mim! Estou fugindo do Todd que quer ir a um cassino depois do show. Como ele tem energia pra tudo?!


Ri com sua mensagem, sabendo que Todd tinha de fato uma energia infinita! Respondi um “Boa sorte” com muitas carinhas rindo, nem esperando sua resposta pois já estava chegando no bar. Guardei o celular e peguei o dinheiro para pagar ao taxista, já pronta para deixar o veículo. Saí do táxi e entrei no bar, que, por algum milagre, não estava cheio. Achei rapidamente as minhas meninas e mais cinco faces não esperadas: o Avenged também estava lá. Antes de me juntar ao grupo enviei uma mensagem ao Myles, já imaginando que se eu não avisasse que Brian estava lá, teríamos uma discussão.


Acabei de chegar e descobrir que o Avenged está aqui. Só pra te avisar 


Para minha surpresa ele respondeu logo depois.


E isso inclui Brian, claro. Fique longe dele


Revirei os olhos. Eu não ia entrar em uma briga por mensagem, não mesmo. Joguei o celular na bolsa e me juntei ao grupo, xingando mentalmente meu namorado. 


Hoje era mais um dos dias em que todos nos reuníamos para beber, eu, Zacky e Jimmy buscávamos alguma mulher para passar a noite enquanto Johnny e Matt continuavam com as suas parceiras: Sarah e Jessica. As coisas não haviam mudado muito, exceto pela ausência de uma certa ruiva que me fazia perder o sono, principalmente depois daquele show. Eu podia fingir para todos que não havia entendido o teor das músicas dela e também ignorar os comentários entre os casais de que eu estava trazendo problemas no paraíso entre ela e o Myles, mas eu sabia que tudo isso estava acontecendo e minha vontade era de aparecer na porta dela todas as vezes que eu bebia demais. Minha vida era muito mais fácil antes dela aparecer, mas nunca admitiria isso. Ashley Mitchell é sinônimo de problema e uma prova disso é que ela vive enfiada em um. 

Hoje não seria uma noite diferente das outras, então simplesmente iria seguir a rotina dos nossos últimos encontros: beber, fumar uns cigarros, conseguir algo com alguma garota e voltar pra casa arrastado pelo Rev, que me impedia de fazer alguma merda. 

Cheguei ao bar relativamente vazio e logo encontrei Zacky, me aproximando dele no momento em que ele fazia o pedido do grupo.

— Sete cervejas, por favor.

— Oito — Corrigi, me sentando ao lado dele, que logo me cumprimentou com um aperto de mãos — Você pediu oito, mas somos só cinco.

— As meninas estão lá fora fofocando. Não passou por elas quando entrou? — respondeu ele.

— Quem é a terceira? Tá solteira? — perguntei com um sorriso safado. 

— Bem que você queria — Jimmy murmurou rindo. 

— O que você disse, Rev? — perguntei, tentando entender a frase do gigante. 

— Nada — mentiu rindo e eu somente lhe mostrei o dedo do meio. 

— Quem é? Ninguém me respondeu — perguntei novamente. 

— O amor da sua vida — Matt comentou rindo e logo vi que ele faria merda — A Ashley. 

— Vá se foder, Sanders — grunhi e ele somente gargalhou, junto com os outros. 

— Ela tá vindo — Johnny disse. 

— Que?! É sério?! — disse nervoso. Eu não a via há seis meses! 

— É mentira, ela ainda não chegou — Zacky gargalhou e tive vontade de socar o gordinho. 

— Você precisava ver a sua cara! — Matt gritou enquanto chorava de rir. 

— Ver a cara de quem? — ouvi a voz dela atrás de mim e me arrepiei por inteiro. 

— Ruiva! Que saudades! — Jimmy gritou e se levantou para abraçar a garota, que pareceu extremamente pequena ao lado dele — Faz tanto tempo que não te vejo que você parece até menor! 

— Vai se foder, Jimmy! — ela respondeu entre risadas — Me solta, eu preciso falar com todos! 

— Não, se não você foge e some — respondeu ele, mas colocou ela no chão. Em silêncio, me sentindo um adolescente, acompanhei sua movimentação com o olhar. 

— Bem que o Todd falou que você tinha mania de sumir da vida dos outros — Zacky disse enquanto abraçava a ruiva, que seguiu para Johnny. De fato, ela parecia menor, mesmo do lado do anão. Menor e mais bonita do que nunca. Como eu podia continuar enfeitiçado por ela?!

— Para de secar ela com os olhos — Jimmy comentou divertido no meu ouvido.

— Não estou secando, idiota! Ela está diferente — murmurei tentando identificar o que havia mudado. 

— Aham! E eu sou a Cinderela — respondeu ele e eu ri.

— Que porra de analogia é essa, James? — perguntei rindo e voltei o olhar para a ruiva. 

— O que você tanto olha, Gates? Perdeu alguma coisa aqui? — ela perguntou se fingindo de irritada, sentando de frente pra mim ao lado do Matt. 

— Não, é que … É que você está mais baixa? 

  — ignorei o comentário ácido e respondi, perguntando mais pra mim do que respondendo a ela. A ruiva ficou vermelha, roxa, azul e todos me olharam assustados.

— Eu estou sem salto, idiota — ela se limitou a responder, com a cara fechada. 

— Ih, que climão é esse? Vocês já estão brigando? — Sarah perguntou, chegando com Jessica. 

— O Brian disse que a Ashley está mais baixa — Jimmy respondeu animado e as duas fizeram cara de dor. 

— Agora eu entendi porque te abracei e me senti enorme — Johnny brincou tentando quebrar o gelo e todos gargalharam.

— Ha ha ha! Muito engraçado, Christ! — murmurou irritada a ruiva, revirando os olhos em seguida — Vocês já pediram bebidas?

— Cerveja pra todos — respondeu Zacky.

— Preciso de algo mais forte — Ela murmurou se remexendo na sua cadeira, chamando o garçom — Pode trazer uma dose de whiskey pra mim? 

— Antes ou depois da cerveja? — perguntou e olhou todo o corpo mal coberto pelo vestido curto e largo dela. Para de olhar, filho da puta!

— Junto — ela respondeu e o cara se retirou balançando a cabeça. Revirei os olhos pro idiota e ouvi a risada de Jimmy ao meu lado. 

— O que foi agora? — perguntei irritado. 

— Você matou o cara com os olhos — ele respondeu entre risos e novamente eu revirei os olhos. 

— Já pensou em ir se foder, Rev? — perguntei passando a mão pelos cabelos e apenas recebendo a gargalhada escandalosa dele. 

— Do que vocês tanto riem? — Jessica perguntou. 

— O Brian é um idiota — ele respondeu entre risos.

— Nisso eu tenho que concordar — a ruiva menor comentou. 

— Que legal, ninguém pediu sua opinião Ferrugem! — respondi, apenas pelo prazer de irritá-la. 

— Aí, que ótimo! Voltamos aos velhos tempos ... — Sarah resmungou.

— Eu não fiz nada! O Brian que ta ali sendo inconveniente como sempre — Ashley respondeu.

— Se fazer papel de sonsa é não fazer nada, você não fez nada nunca — Completei no mesmo tom que ela, que me fuzilou com os lindos olhos azuis. 

— Qual o seu problema, Gates? Não tem nada melhor pra fazer do que encher o meu saco, não? — ela perguntou ficando irritada. 

— Não, não! — respondi irônico e ela deu um grunhido de raiva. Nesse momento as cervejas e o whiskey dela chegaram, então ela virou todo o conteúdo do copo de uma vez. 

— Mais um, por favor — ela pediu deixando o copo de lado e pegando sua cerveja. 

— Vai com calma, Ash! — Jessica comentou tentando reprimir um sorriso. 

— Relaxa, Jess! — a ruiva deu de ombros e voltou o seu olhar para Zacky — Vamos, me digam as novidades! 

— Iremos fazer uma rápida turnê na América — Disse o guitarrista com um sorriso animado, que logo foi correspondido pela garota. 

— Wow! Digam mais sobre! — ela bateu palmas animada e me concentrei para não me perder no sorriso dela. 

— Pequeno não é bem a palavra certa para definir! — Matt comentou rindo — Serão quinze shows ao todo, totalizando dois meses de turnê. 

— Porra, se isso é pequeno …! — Ashley respondeu e todos riram lhe acompanhando. 

— E você, já tem alguma previsão de quando vai fazer uma turnê? — perguntou Johnny. 

— Estamos planejando. O CD mal foi lançado, né? Ainda estamos analisando e estudando os públicos de cada estado pra ver nossas melhores hipóteses — ela comentou, colocando uma mecha imaginária atrás da orelha.

— Falando nisso, o CD ficou FODA! — exclamou Johnny e ela sorriu tímida. 

— Você ouviu? — perguntou docemente. 

— Todos nós ouvimos — Jimmy comentou — Ficou incrível, pequena! 

— Tenho que concordar ... o CD foi muito bem produzido e as músicas são muito boas — murmurei e ela me olhou surpresa. 

— Eu ganhei mesmo um elogio do Gates? Vai chover — ela se gabou e eu só revirei os olhos. 

— Quem diria, hein — Sarah provocou com um sorriso malicioso. 

— Me arrependi de falar no momento que eu abri a boca — fingi insignificância somente pra irritar a baixinha. E funcionou, pois recebi um olhar de ódio dela. Que é? Se não posso ter nada dela além do ódio, qual o problema de provocar? Ela é uma graça irritada! 

— Você sempre fala merda Gates, mas dessa vez até que falou algo que preste — ela disse fazendo uma careta. 

— Aí aí … estava com saudades das briguinhas idiotas e sem sentido de vocês — Jimmy comentou e apertou as minhas bochechas e a dela. 

— Porra, Sullivan! — reclamei.

— Vai se foder, vareta! — ela praguejou e todos riram — Inferno! 

— Sabe Ashley, eu fico pensando no que mais você é boa! — comentou Johnny — Você faz tudo!

— Mentira, essa vadia não faz a arrumação dela da casa — Jessica comentou irritada e todos riram do comentário. 

— Eu sou ótima em queda de braço. Eu venço todas e todos! — ela se gabou. 

— Ah é? — perguntei lhe julgando.

— É. Por que, Haner? Não acha que eu consigo vencer alguém? — ela fez novamente a cara de irritada. 

— Isso foi você quem disse — comentei, apontando para ela com a garrafa de cerveja.

— Você é tão arrogante — ela murmurou com nojo.

— Aposto 50 que o Brian perde pra Ashley — Jessica iniciou. 

— Eu também — Jimmy entrou na onda. 

— Acho que todo mundo — Sarah completou rindo. 

— Que?! Vocês acham que eu perderia pra ela? — comentei ofendido.

— Sim! — todos responderam juntos. 

— Tá com medinho, Gates? — ela perguntou provocativamente. 

— Não, eu sei que vou ganhar — comentei e coloquei meu braço sobre a mesa, aguardando o braço dela. Ela sorriu e uniu sua mão a minha, para iniciarmos a disputa de braço de ferro. Apertei levemente a pequena mão dela, contrastando com a minha mão gigante perto da dela. Como ela conseguia tocar guitarra com aqueles dedinhos? 

— Vai sonhando, Haner — ela murmurou com um sorriso malicioso nos lábios, que logo foram mordidos em seguida. Seu sorriso teve efeitos sobre todo o meu corpo — preparado pra passar vergonha?

— Eu nunca passo vergonha, docinho — murmurei no mesmo tom que ela e logo vi seus olhos arderem em luxúria. Quem diria, hein!

Ficamos alguns segundos nos encarando em silêncio, o fogo queimando nos olhos, a tensão emanando no ar. Sarah fez a contagem e logo iniciamos, os dois braços imóveis, em decorrência da força que ambos fazíamos. 

— Isso é tudo o que você tem, Mitchell? — provoquei. 

— Não … mas isso é — ela deu um sorriso malvado e puxou meu braço, trazendo-o para a mesa, me fazendo ver estrelas. Seria incrível, se ela não tivesse quebrado meu braço! 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...