História We'll Be the Stars - Capítulo 34


Escrita por:

Postado
Categorias Agents of S.H.I.E.L.D., Cody Christian, Homem de Ferro (Iron Man), Os Vingadores (The Avengers), Sabrina Carpenter, Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton (Gavião Arqueiro), Darcy Lewis, Dr. Bruce Banner (Hulk), Dra. Helen Cho, Fandral, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Frigga, Heimdall, Jane Foster, Lady Sif, Laura Barton, Loki, Maria Hill, Natasha Romanoff, Nick Fury, Odin, Pepper Potts, Personagens Originais, Phillip Coulson, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers, Thor, Visão
Tags Ação, Amizade, Amor, Aventura, Conflitos, Deuses, Empoderamento Feminino, Escolhas, Estrelas, Filho, Girl Power, Homem De Ferro, Hydra, Loki, Luta, Magia, Mistério, Pai, Passado, Poder, Princesa, Romance, Romanogers, Shield, Thor, Tony Stark, Traição, Vingadores
Visualizações 26
Palavras 1.566
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hey, midgardianos! Estão bem? Sentiram saudades?
Sinceramente, eu estou superando os meus recordes. Quem diria que euzinha, Lua, estaria mantendo um bom ritmo com as postagens? Palmas porque Odin fez um milagre ksksks.

Chegou o grande momento. Preparados para grandes emoções?

Boa leitura ^^

Capítulo 34 - Pai e filho


Eu acho difícil te dizer como eu quero fugir

Eu entendo que isso sempre faz você se sentir de uma certa maneira

Eu encontro um equilíbrio no meio do caos.- Imagine Dragons, Zero.



Point of View  (P.O.V Alex)



-E agora?- Lira me perguntou assim que entramos no elevador.-O que faremos?


-Eu não tenho idéia.- sorrio virando meu rosto para encará-la.


-Tony Stark é mesmo seu pai?


-Ao que tudo indica, sim.


-E o que você está esperando?- ela questiona de braços cruzados.


-Como assim?- pergunto confuso e ela revira os olhos.


-Você passou quase 18 anos achando que seu pai estava morto. E agora que você tem a oportunidade de estar frente a frente com ele, você vai simplesmente fugir?- as sobrancelhas dela estavam franzidas e seu tom era de acusação.


Mordo os lábios. Eu sei que Lira está certa e que eu estou agindo como um covarde, fugindo desta situação. Mas ainda é difícil para mim, tudo está acontecendo rápido de mais e em um ritmo que não consigo acompanhar.


-Eu sei que só estou adiando o inevitável. Mas ainda é confuso para mim, Lira. Quando eu vim atrás do meu pai, eu não pensei no segundo passo. Não pensei no depois, eu não pensei em nada.- desabafo.-Eu não estou pronto para esse momento. E quando eu iria imaginar que meu pai é o gênio, playboy, bilionário e filantropo? Aliás, como diabos minha mãe, uma estudante de botânica, foi se envolver com o Tony Stark vulgo Homem de Ferro? Em que universo isso é possível?


Lira fica pensativa por alguns instantes e suspiro frustrado. É muita coisa para digerir 


Ela segura o meu braço e eu volto a olhar para ela. A loura me lança um sorriso doce e compreensivo que imediatamente me acalma. Por que eu tenho a sensação que ela tem um enorme poder sobre mim?


-Eu entendo que está sendo algo difícil para você lidar. Mas fugir, só vai piorar tudo. Essas perguntas, essas dúvidas que você tem. Tudo isso pode ser explicado, mas pelo Sr. Stark. Por que adiar? Isso só não piora tudo?- ela toca o meu rosto gentilmente.-Você precisa conversar com ele. Por você, pelo Harry e por mim. Nós estamos com você, eu estou com você.


Seguro sua mão e eu a beijo.


-Obrigado.- agradeço e ela sorrir.


-Você sabe que não precisa agradecer.


As portas do elevador se abrem e algumas pessoas entram. Lira sai da caixa metálica.


-Vai conversar com o seu pai, midgardiano abusado.


-Aonde você vai?- pergunto confuso e ela pisca para mim.


-Eu? Eu irei resolver minha vida. Já que não poderei retornar para casa tão cedo, ao menos preciso saber o que acontecerá comigo. E é claro, com o Harry.- diz e se afasta.-Boa sorte.- sussurra me olhando pela última vez, antes do elevador subir.


Suspiro pesadamente.


Coragem, Alex. Vai dá tudo certo.


(....)


Depois de andar sem rumo por um tempo, um agente me deu a informação de onde Tony Stark está.


Conforme me aproximo da sala, sinto minhas mãos suarem. Do lado de dentro, estão Capitão América, Viúva Negra, o cara que eu descobri ser o Falcão, Feiticeira Escarlate e o Visão.


Fico parado na porta, sem saber exatamente o que fazer. Acho que ainda dá tempo de virar, sair daqui e dizer a Lira que não o encontrei.


É, me parece um bom plano. Além disso, eles parecem estar discutindo algum assunto bem sério. Talvez, não seja melhor interromper.


-Seu filho está aqui, Stark.- Visão diz e eu arregalo os olhos. Como ele poderia saber?


Todos os olhares são voltados para mim. Será que a desculpa do "eu tava procurando o banheiro" vai funcionar?


-Sinto muito interromper.. Na verdade, não sinto coisa alguma.- digo assumindo minha indiferença habitual e levo as mãos suadas ao jeans, mostrando tranquilidade.-Será que podemos conversar?- olho para Tony e ele assente.


-Vamos deixá-los a sós.- Capitão América disse e os demais Vingadores saíram, me deixando sozinho com o meu… pai.


Por alguns instantes, nós apenas ficamos nos encarando.


-Eu preciso de uma bebida.- Tony se levantou e foi até uma maleta. De lá, ele tirou uma garrafa de whisky que deve custar um rim meu e dois copos.-Aceita?


-Não, obrigado. 


Apesar da minha recusa, ele estende o outro copo para mim. Sem opção, decido aceitar.


-Como conseguiu trazer isso para dentro da S.H.I.E.L.D.?


-Tenho os meus meios.- deu de ombros e deu um gole. Provo um pouco e até que não é ruim, é forte mas não é ruim.


Me sento em uma disponível na sala de reuniões e encaro Stark, esperando que ele comece a contar tudo que eu preciso saber.


-Okay, vamos lá.- suspirou.-Eu conheci Mary há 18 anos atrás, quando fiz uma viagem de negócios para Los Angeles. Nosso encontro não foi planejado, ela estava andando de bicicleta quando ela acabou perdendo o controle e caiu em frente ao meu carro. Por sorte, eu consegui frear a tempo. Eu fiquei com raiva, admito. Estava estressado com algumas coisas da empresa e acabei descontando nela. Mas eu te garanto, ela revidou a altura e me xingou de palavrões que eu não tinha idéia que poderiam existir.- contou com um olhar distante.-Depois cada um seguiu para o seu lado e eu jurei que não a veria mais. Mas a vida é bem irônica, pois a encontrei depois no hotel que estava hospedado. Sua mãe era camareira. Fiquei surpreso no início e cheguei a perguntar se ela estava me seguindo. Foram alguns dias de provocação, até que consegui convencê-la a sair comigo.


Arquei uma sobrancelha. 


-Sua mãe era uma mulher… Indescritível. Tinha um coração enorme, uma doçura encantadora e um sorriso contagiante. Ela não era apenas linda por fora, mas por dentro também. Vinha de origens humildes, era estudante de botânica e camareira. Lutava para sobreviver na Califórnia e tinha orgulho em ser independente.- ele sorriu.-Perto do meu último dia em Los Angeles, contei a Mary quem eu verdadeiramente era, já que a princípio, me apresentei como Edward. Tentei convencê-la a vir comigo para Nova York, mas ela se recusou. Disse que os sonhos, a vida e tudo o que sempre quis estava em Los Angeles e que ela jamais pertenceria ao meu mundo. E dois dias depois, eu voltei para Nova York. 


Absorvi tudo o que ele disse e bebi a bebida em um só gole. O álcool desceu queimando minha garganta, mas não me importei. Os olhos de Tony, mostravam que ele estava falando a verdade. Eu posso apostar tudo o que eu tenho com 100% de segurança que Anthony Stark está falando a verdade. Eu sou um ótimo mentiroso e um mentiroso reconhece outro. Mas ele não está mentindo.


-Eu não tinha idéia que Mary estava grávida. Eu jamais a deixaria se soubesse da gravidez dela.- se explicou me encarando fixamente.


Suspiro pesadamente e entrego a carta a ele. A carta que estava comigo esse tempo todo e muito bem protegida por sinal. 


Tony abre o envelope com cautela, como se estivesse com medo de danificar o papel. Ele ler com calma e eu me escoro na cadeira.


A vida é muito irônica mesmo. Estávamos atrás dos Vingadores e sem saber que um deles era o dito cujo mais conhecido como o meu pai. Impressionante! Meu maior ídolo, na verdade é o cara que contribuiu para a minha ferrada existência.


Tony respirou fundo e me entregou a carta.


-Eu sinto muito pelo o que você passou, Alexander. Eu posso imaginar o que você passou nas mãos daquele desgraçado. E infelizmente, a lei me impede de matá-lo.- ele diz entre dentes.-Mas eu quero concertar tudo isso. Não tem como apagar tudo o que você passou, mas eu quero tentar construir um novo futuro. Ser o pai que eu não pude ser.


Fico em silêncio por alguns instantes. Eu não sei exatamente o que estou sentindo agora. Não consigo sentir raiva ou mágoa, tudo ainda é muito novo e eu me sinto perdido nesse oceano de descobertas. Claro que eu e Tony não seremos pai e filho do dia para a noite. Não acho que será fácil construir uma relação solidá depois de 18 anos.


Muita coisa aconteceu em quase duas décadas. Não sabemos nada sobre o outro.


Até que finalmente consigo me pronunciar:


-Muita coisa aconteceu em todos esses anos, Stark.- digo.-Eu não sou mais aquele garotinho que chorava por se sentir sozinho. Eu aprendi a viver com a dor. Com cada ferimento e cada cicatriz, eu aprendi a ser o mestre do meu mar. Não espere que eu te chame de pai assim, de repente. Preciso de um tempo para digerir a idéia de que agora eu tenho um pai.- vejo Tony ficar tenso. Provavelmente, ele não esperava por aquilo. Mas o que ele esperava? Um "Eu te amo, pai"? Ele ainda é um desconhecido para mim.-Mas já que você está disposto a tentar.- acrescento e ele me olha.-Eu também estou.


Tony sorrir e se levanta. Eu faço o mesmo.


-Será que eu posso te dá um abraço?- perguntou e eu assenti.


Foi diferente, para não dizer estranho. Mas pela primeira depois de muito tempo, eu senti que eu não estava sozinho. E que agora, eu tinha alguém. Eu pertencia a uma família.


Notas Finais


Esse capítulo está entre os meus favoritos. Adorei escrevê-lo, porque desde o início eu venho sonhando com esse momento. Finalmente tivemos Tony e Alex! Demorou, mais chegou. O próximo não deve demorar, eu juro.

ALERTA SPOILER:

TÍTULO DO PRÓXIMO CAPÍTULO: Péssima Mentirosa

O que acharam do capítulo de hoje? Mereço comentários?

Kiss de luz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...