História Wench || Jung Hoseok - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Hoseok, Shortfic, Você
Visualizações 131
Palavras 1.983
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Money does not bring happiness.




Seguimos o nosso vôo, — as nuvens eram mais lindas de perto, dá vontade de tocá-las. O vento tornava-se presente à cada instante.


|16:30 AM|


Foram dias e noite, à todo momento levantava para ir ao banheiro. Eu estava um pouco enjoada, não levantei nenhuma suspeita, certamente foi alguma comida, ou até mesmo essa anemia.

Saímos do automóvel, quando o nosso vôo chegou em nossa partida, suspirei e pegamos as nossas malas.


“Meus pais se encontram em uma cafeteria aqui tempo. — Comentou Hoseok. — Assenti, e caminhamos em direção ao passeio.


Jullie estava calada, conversava com Jeongguk e de algum modo de evitava. — Olhei para a mesma, que desviou seu olhar para o chão, e então, eu me aproximei. Ordenei que Jeon nos deixasse a sós.


“Você está distante ultimamente. — Falei. — E agora eu percebi que você não está bem.

“Estou bem. E mesmo se eu dissesse o que há acontecendo, não adiantaria.


“Eu quero saber o'que há com você? Eu estou preocupada.

“O problema é que não posso engravidar, é isso. — Olhou-me. — Isso foi o suficiente para você? — Exclamou.

“Pense positivo, tudo é possível quando se tem fé. — Sorri fraco. — Eu estou aqui, você não está sozinha, jamais estará.

“Perdoe-me, por ter agindo dessa maneira. — Falou.

“Tudo bem.


Hoseok me apresentou para o seus pais, que me receberam com bastante carinho.


“O Brasil tem seus altos e baixos, mas é um ótimo lugar para se viver. Tem seus pontos turísticos, e tudo mais. — Pronunciou a senhora Jung.

“São Paulo é um bom lugar. — Sorri.

“Sabemos da sua história (S/N). — Agora, o senhor Jung resolveu falar. — Viveu no orfanato, mas eu tenho uma ótima notícia. Pode dizer, Hoseok. — Olhou-me.

“Então, durante nesses últimos dias andei fazendo algumas pesquisas. Às escondidas.— Falou. — Por incrível que pareça, eu achei os seus pais (S/N), se comunicamos através de uma chamada de vídeo. Eles querem conhecê-las.

“Você não tinha esse direito. — Exclamou.


Saí daquele ambiente, meus passos eram rápidos. Hoseok me chamava à todo momento, eu não conseguia responde-lo.   



“Ei! — Gritou-me, fazendo-me virar no mesmo instante. — Eu fiz isso pensando em você.

“Escondeu isso de mim. — Pronunciou. — Eu não queria voltar no passado, porque só há lembranças ruins.

“Mas eu quero que você entenda, o motivo porque eles à deixaram. — Falou. — Vem, por favor.

Respirei fundo, e caminhei, voltando para a cafetaria. Sem dizer nenhuma palavra sentei-me sobre a cadeira.


“Tá tudo bem? — A mãe do mesmo perguntou.

     “Sim, sim. — Sorri fraco. — Eu só preciso descansar um pouco, desculpe-me se estou sendo mal educada.

    “Não há problemas meu bem, essa viagem foi cansativo. — Sorriu. — Venha, o meu motorista nos espera.

  “Obrigado. — Hope olhou para mim, eu olhei novamente. — (S/N).. — Puxou-me.

  “Agora não Hoseok, por favor.

 “Diga-me que está tudo bem. — Acariciou meu rosto.

“Está tudo bem Hoseok, eu que lhe peço desculpa. Foi pelo momento, eu não imaginei que eu poderia encontrar os meus pais, e ter essa oportunidade de conhecê-los.

“Está tudo bem mesmo?

“Sim, não se preocupe.  — Sorri fraco.



|São Paulo, 9:45 AM|


Seus lábios tocaram na minha testa, fazendo-me sorrir pelo seu ato.  — Suspirei e levantei-me bocejando.


“Não queria lhe acordar..

“Eu já estava acordada, bobo. — Sorri.

   “Precisamos falar sobre aquele assunto, delicado. — Ditou. — Marcamos um encontro, será aqui mesmo, sexta feira às 18:30.

 “Pelo jeito você pensou em tudo. — Ri.

“O que eu não faço por você? Huh? — Beijou meu lábio, desceu suas mãos até minha cintura, puxando-me para si. — Amo você. — Sussurrou.

“Eu amo você, Hope. — Sorri novamente.



O mesmo se retirou, disse-me que resolverá os problemas da empresa. Adentrei no banheiro, — encostei-me sobre a parede gélida, ao senti uma tontura. E obviamente seria da anemia, mas de repente tudo escureceu.


(•••)


Acordei em uma cama de hospital, Hoseok estava ao meu lado. — Olhou-me quando me viu despertar, um sorrisinho brotou nos seus lábios, fazendo-me franzi o cenho.


     “O que aconteceu? — Pronunciou. — Foi um desmaio, eu sei disso. Porém, acho que você sabe o motivo.

   “É um motivo maravilhoso meu amor. — Acariciou meu rosto. — Estou tentando não chorar, mas eu estou emocionado. — Suas lágrimas caíram totalmente. — Você está grávida (S/N), você me dará um novo herdeiro da família Jung, isso é uma nova alegre. — Sorriu.

“Hope.. — Sorri. — Você é realmente, o meu grande e único amor. — Nossos lábios tocaram um no outro, as nossas lágrimas estavam se escorrendo sobre nossos rosto.


Uma nova etapa vem, serei mãe, um novo ser vem ao mundo. Você não ainda não tem um rosto,mas tem o meu amor. — Sorri. Abri a mala, procurando uma pequena carteira, onde havia alguns dólares e centavos, irei fazer algumas compras. Mudar o visual será uma ótima idéia.


O shopping estava movimentado, — entrei em algumas e saí com as mãos cheias de compras, avistei um salão e adentrei no ambiente.


“Olá, boa tarde. — Ditou. — O que a senhorita deseja?

     “Um novo corte de cabelo, uma nova cor. — Respondi.

    “Ficará mais linda do que já é. — Sorriu.

   “Obrigado, — sorri de volta.



Os meus cabelos se encontravam em meus ombros, — a cor era cinza escuro, o corte ficou perfeitamente, observei uma pequena franja feita pelo sujeito, — agradeci pela transformação, paguei o que tinha que pagar e saí.


|19:30 AM|


O trânsito estava horrível, e por esse motivo cheguei exatamente às 19hrs.


“Você está linda. — Ditou Hoseok.

“Obrigado, — sorri. — É para você. — Coloquei meus braços entre seus ombros.

“Arrume-se, iremos jantar. — Deu um selinho nos meus lábios, assenti e me retirei.



Havia um pequeno decote naquele vestido vermelho, — longo ele era, a maquiagem bem feita, um pouco de perfume coloquei. Olhei-me no espelho, bem satisfeita com aquele resultado, nos meus lábios coloquei um batom, vinho.

Desci com aqueles saltos médios pretos, Hope aplaudiu fazendo-me rir pela sua palhaçada, era um pouco engraçado, confesso.


“Não preciso dizer isso, mas cê tá maravilhosa, sempre foi. — Sorriu.

“Digo o mesmo. — Sorri.


O local calmo, a música clássica tocava naquele ambiente.

Pedi uma limonada, já Hoseok um vinho. Conversamos e batemos um papo delicioso,  e marcamos finalmente a data do nosso casamento.


(•••)


“Obrigado por essa noite. — Falei.

“Não à de quer, amor. — Beijou o topo da minha testa.





Antes mesmo que eu pudesse conhecê-los, fizemos um exame de sangue. E pela minha surpresa deram positivo, o meu sangue é compatível com algum dos ambos.


|Sexta, 20:16 AM|


Penteei meus cabelos, deixando-os soltos. Hope apareceu, toquei em sua mão direita, ele me guiou até as escadas.




Eu estava um pouco nervosa, o meu coração se encontrava acelerado. Eu podia ouvir os batimentos, aumenta cada vez mais enquanto eu descia aqueles degraus, — velos diante de mim causou-me um medo, um medo inexplicável.. — Suspirei, caminhei até os sujeitos que me olharam profundamente, os ambos aparentava ter uns, 35 anos pra cima.


“Então, eu estou aqui. — Pronunciei. — Eu quero ter a certeza que vocês são realmente meus pais, aqueles que me abandonaram. — Falei firme, em cada palavras ditas.

“Os exames deram positivo,isso é uma afirmação. Somos realmente os seus pais. — Ditou o homem. — Queremos o seu perdão..

“E tem perdão para isso? — Franzi o cenho.

“Certamente para aqueles que tem bom coração.

“Eu tenho um bom coração sim! A questão não é isso, vocês simplesmente me deixaram. Tem noção do que é isso?

“Por favor, (S/N). Escute-me. — Ela pronunciou.

“Pode começar, estou aqui, para ouvir, entender.

“Éramos novos, entramos em uma aventura, se apaixonamos, se envolvemos. — Falou. — E aconteceu, eu não imaginei que isso poderia acontecer comigo, e aquele momento, naquele instante eu fiquei completamente desesperada. Eu seria mãe aos 16 anos, ele apenas um jovem de 18 anos, eu não tive apoio dos meus pais, de ninguém. — Ditou. — Era apenas eu, você, seu pai. Você crescia dentro de mim, e os meses se passavam.. Vivemos pelas ruas de Seoul, seu pai trabalhava, em um mercado ganhava mais ou menos 560 reais por mês, decidimos que isso seria o nosso destino, pelas nossas atitudes, pelos nossos erros. Existe aquele pequeno detalhe, o futuro depende somente de você. — Disse. — E então, eu decidi que o melhor seria deixá-la em um orfanato. Lá você receberia uma educação, que eu jamais conseguiria lhe dá, uma família praticamente, você não estava sozinha. Peço que você perdoe-me, e entenda a minha história. Depois de tudo decidimos  ir para outro lugar, Brasil foi um desses. Nascemos aqui mesmo, porém, fomos para a Coréia do Sul.  Onde seu pai trabalhou honestamente, mas isso não foi o suficiente. Estou aqui para ter essa nova chance, estou aqui porque me arrependo pelos meus erros, embora você não seja uma, é uma grande mulher.  

“Se passaram exatamente 19 anos, e nesses anos que se passaram eu sempre quis conhecê-los, e conhecer o porquê. Havia uma interrogação na minha vida, eu me perguntava porque eu não tinha um pai, uma mãe, e hoje eu sei. — Sorri fraco. — Não tenho vergonha em lhe dizer isso, mas, já fui uma prostituta. Essa era minha única saída para sobreviver, com 18 anos eu decidi entrar nessa vida.— Citou.— E não  importa que idade você tem, estudar sempre será necessário, eu aprendi esse pequeno e grande detalhe. — Falei. — Vocês estão perdoados, sou uma mulher honesta, humilde. Afinal quem nunca errou? — Ri pela minha ironia. — Continuar em um erro é uma burrice, mudar será um novo recomeço.


Chorei, sorri, foi uma emoção enorme conhecê-los, conversamos, rimos. — Passamos os nossos últimos dias em São Paulo, conhecendo lugares maravilhosos,os meus pais são realmente incríveis, (N/M) tornou-se uma empresária, já o senhor Manoel tornou-se um médico cirurgião. Eles batalharam para chegar onde estão hoje, estudaram o suficiente para chegar em seu objetivo.


“Quero convidá-lo para ir em Seoul novamente. — Falei.

“Se não for incomodar.. Aceitamos. — Sorriram.

“Vocês não incomodam, fazem parte da família, agora. — Sorri abertamente. — Olhei para Hope, e chamei-o.

“Ele se chama Jung Hoseok. — Falei. — O homem que me mostrou que ainda há amor, felicidade, diante das dificuldades, ele me mostrou o amor, nunca imaginei que Hoseok poderia se tornar um meu grande amor, a minha esperança divina. — Deixei uma lágrima escapar, e logo Hope limpou, beijei os seus lábios, sorri fraco, se abraçamos fortemente como se fosse a primeira vez. — Eu amo você. — Sussurrou.

|Segunda, 15:18 AM|



Chung correu em nossa direção, o mesmo se encontrava no aeroporto com sua babá.


“Eu estava com saudades, papai. — Pronunciou.

     “Estávamos querido. — Hope pegou-lhe nos braços. — Esses são meus pais, há muito tempo você não os vê.

  “Como o meu netinho está crescido. — A senhora Jung ditou, acariciando os cabelos do menor. — Senti saudades de vocês também, vovó, vovô, (S/A). — Sorriu.

 “Meu amor, eu também. — Abracei-o.


                           Adentramos no carro, seguimos até sua residência, — fiquei de boquiaberta ao vê-la sentada naquele sofá, sua barriga já estava visível, ela levantou sorrindo.


“Vejo que voltaram. — Pronunciou. — Lembram de mim, não é? — Perguntou para os pais de Hoseok. — Sou a ex esposa que ele largou, trocou-me por uma qualquer, uma prostituta.

“Retire-se Hyeon. — Disse Hoseok.

“Espere, — falei caminhando na direção da mesma. — Já fui uma prostituta, confesso, mas as coisas mudaram, eu mudei. Mas para melhor, eu tive os meus motivos para entrar nessa vida, e óbviamente você não faz idéia como foi, nasceu em berço de ouro, sempre teve tudo ao seu alcance, mas lhe digo uma coisa; dinheiro não trás felicidade. — Falei. —  Agora vá, retire-se, por favor. — Ela caminhou até a porta, sem dizer nenhuma palavra




Notas Finais


Bom, eu já estava escrevendo esse capítulo fazia algumas semanas, então, resolvi atualizar a mesma, mas o aviso ainda está de pé, desculpe-me por qualquer erro ortográfico, a história está chegando nos últimos capítulos :(... Espero que tenham gostado, comentem e até breve ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...