História Wendell - Capítulo 24


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 10
Palavras 686
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Festa, LGBT, Luta, Violência, Yaoi (Gay)

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Tento não sumir, desculpa galera

Capítulo 24 - Enfim o mapa.


Fanfic / Fanfiction Wendell - Capítulo 24 - Enfim o mapa.

Pov Max

Eu é Wendell brigamos, mas não ligo, só quero a porra dessa fama e dinheiro! Eles que se danem, a morte deles me alegraram, a fama, vou esconder seus corpos ou colocar eles como membros da Yakusa, e então pegar a fama do policial novo que acabou com a Yakuza a comandar os policias até eles é acabar com todos. Vou atrás do mapa.

Max: Chefe, cadê o mapa da Yakuza?

Capitão Carlos: Para o que você quer verme?

Max: Porra chefe de novo com esses apelidos?

Capitão Carlos: Para com esse puxa saco antes que te dou um tempo da policia e tiro seu distintivo, você já não faz porra nenhum!

Max: Ok! Vou direto ao assunto. Vou detonar a Yakuza, então me da a porra do mapa antes que eu mesma aviso os superiores que você anda fazendo nada, e impedindo investigações e usando drogas no seu carro.

Capitão Carlos: Na minha mesa.

Vou ate a sala do Capitão, pego o mapa da Yakuza, todos me olhando depois de me verem fazer o chefe ficar com o rabo entre as penas, não haviam escutado nada, porem sabiam que ele tinha a baixado a cabeça para mim.

Sai então e fui para o covil do anônimo, tinha que tomar cuidado, eles não podem saber de mim, do que eu quero, da minha ganância. Cheguei até lá, e vi Wendell na onde o deixei, coloquei o mapa na mesa, e fui ate ele.

Max: Ei, acorda, onde está a Débora?

Wendell: No meu cu é que não ta.

Queria socar a cara dele mas respirei.

Max: Vou ate o quarto dela. Consegui o mapa!

Ele me olha com cara estranha, de desentendido e ainda meio que dormindo. Subi as escadas e bati na porta e nada, então entrei, e a vejo nua, deitada, com garrafa de vinho e vodka do lado, estava sozinha e havia um pouco de sangue no colchão e em uma toalha, pelo que vi já entendi, era virgem e deu para alguém, mais uma puta no mundo.

Mas tenho que admitir que corpo lindo, olha esses peitões, essas coxas, sem perceber meu corpo foi para toca-la, mas do nada ela abre os olhos, e a direção da minha mão muda para seus ombros e a balanço.

Débora: O que está fazendo?

Max: Vim te falar que trouxe o mapa, não acordou comigo batendo na porta, e assim que abri a porta vi sangue e você nua, então fui te acorda para saber o que aconteceu.

Débora: Ok, já pode sair, estou descendo depois do banho.

Max: Não posso ficar, vou voltar para a delegacia, me liga se precisar de mim.

Débora: Até.

Pov Débora.

Olhei em volta para ter certeza, ele não saio agora, saiu assim que adormeci, como confiei nele, aquele monte de merda, nojento.

Tomo um banho, pensando. Estava esperando, esperando o cara certo para isso, tomar no meu cu puta que me pariu, um cara que eu gostasse.

Fui até a sala, peguei o mapa, comecei a olhar, até ouvir Wendell chorando, fui la correndo e gritando.

Debkra4: FILHA DA PUTA, NÁO CHORA SOZINHO, TO CHEGANDO, TA CHORANDO PORQUE FILHA DA PUTA?

Wendell: Da onde se brotou capeta?

Débora: Não importa, agora fala!

Wendell: Decepção amorosa.

Débora: Estamos no mesmo barco meu amigo.

O abraço e respeito que nesse momento ele só quer dizer isso. Ele chora por horas. Então fala.

Wendell: Pode ir trabalhar, sei que tem muita coisa para fazer, e preciso de um banho.

Débora: Tem certeza?

Ela faz sim com a cabeça, me da um beijo na testa e vai ao seu banho. Pego novamente o mapa e vejo por onde eu é o escroto vamos, onde Wendell vai ficar, e por onde Max chegara. Depois de analisar tudo convoco uma reunião para todos as nove da noite.

Pov Wendell.

Estava no banho, pensando, assistindo minha vida nos pensamentos, de como eu era inútil, de como Débora cuidava de mim, que sem ela eu era reduzido a nada, meio que já era um nada, agora estávamos sofrendo por amor, e lutando contra Yakuza. Que lixo eu sou.

Toc toc

Débora: OH FILHA DA PUTA TA VIVO?

Wendell: TO PIRANHA. JÁ TO SAINDO.

saio do banho reclamando e afastando tais pensamentos, e indo descansar, ate a reunião e vejo Débora fazer o mesmo



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...